NS ): PROVA TIPO EDUCADOR FÍSICO - Municipal de Lagoa da... · NS – EDUCADOR FÍSICO (Cód. 03)

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of NS ): PROVA TIPO EDUCADOR FÍSICO - Municipal de Lagoa da... · NS – EDUCADOR FÍSICO (Cód. 03)

EDUCADOR FSICO

MUNICPIO DE LAGOA DA CANOA - AL CONCURSO PBLICO 2014

Cargo (Nvel Superior NS): Cdigo: 03

Prova de Portugus, Raciocnio Lgico e Conhecimentos Especficos

CADERNO DE QUESTES

1. Este Caderno de Questes somente dever ser aberto quando for autorizado pelo Fiscal.

2. Antes de iniciar a prova, confira se o tipo da prova do Caderno de Questes o mesmo da etiqueta da banca

e da Folha de Respostas de questes objetivas.

3. Ao ser autorizado o incio da prova, verifique se a numerao das questes e a paginao esto corretas.

Verifique tambm se contm 40 (quarenta) questes objetivas com 5 (cinco) alternativas cada. Caso contrrio,

comunique imediatamente ao Fiscal.

4. O tempo disponvel para esta prova de 2 horas e 30 minutos. Faa-a com tranquilidade, mas controle seu

tempo. Esse tempo inclui a marcao da Folha de Respostas de questes objetivas.

5. Voc somente poder sair em definitivo do Local de Prova depois de decorridas 2 horas do incio da aplicao.

6. Na Folha de Respostas de questes objetivas, confira seu nome, nmero do seu documento de identificao,

tipo de prova e cargo escolhido.

7. Em hiptese alguma lhe ser concedida outra Folha de Respostas de questes objetivas.

8. Preencha a Folha de Respostas de questes objetivas utilizando caneta esferogrfica de tinta azul ou preta.

Na Folha de Respostas de questes objetivas, preencha completamente o crculo correspondente alternativa

escolhida, conforme modelo:

9. Ser atribudo o valor ZERO questo que contenha na Folha de Respostas de questes objetivas: dupla

marcao, marcao rasurada, emendada ou com X, no preenchida totalmente ou que no tenha sido

transcrita.

10. A correo da prova objetiva ser efetuada de forma eletrnica, considerando-se apenas o contedo da Folha

de Respostas de questes objetivas.

11. Caso a Comisso julgue uma questo como sendo nula, os pontos sero atribudos a todos os candidatos.

12. No ser permitida qualquer espcie de consulta.

13. Ao terminar a prova, devolva ao Fiscal de Sala este Caderno de Questes, juntamente com a Folha de

Respostas de questes objetivas, e assine a Lista de Presena.

14. Na sala que apresentar apenas 1 (um) Fiscal, os 3 (trs) ltimos candidatos somente podero ausentar-se da

sala juntos, aps a assinatura da Ata de Encerramento de provas.

15. Assine neste Caderno de Questes e coloque o nmero do seu documento de identificao (RG, CNH etc.).

Boa Prova!

INSTRUES GERAIS

N. do doc. de identificao (RG, CNH etc.): Assinatura do(a) candidato(a):

Voc confia no resultado! Lagoa da Canoa/AL, 17 de agosto de 2014.

MU

NIC

PIO

DE

LA

GO

A D

A C

AN

OA

2014

1 PROVA TIPO

NS EDUCADOR FSICO (Cd. 03)

Municpio de Lagoa da Canoa Alagoas Concurso Pblico 2014 Prova tipo 1

1

17 AGO 2014

Voc conf ia no resultado!

PORTUGUS

A questo 1 refere-se ao texto abaixo.

O QUE ADMINISTRAO? O que ? (Conceito e processo)

A palavra administrao vem do latim ad (direo, tendncia para) e minister (subordinao ou obedincia) e significa aquele que realiza uma funo abaixo do comando de outrem, isto , aquele que presta um servio a outro. No entanto, a palavra administrao sofreu uma radical transformao em seu significado original. A tarefa da Administrao de interpretar os objetivos propostos pela organizao e transform-los em ao organizacional por meio do planejamento, organizao, direo e controle de todos os esforos realizados em todas as reas e em todos os nveis da organizao, a fim de alcanar tais objetivos da maneira mais adequada a situao. Assim a Administrao o processo de planejar, organizar, dirigir e controlar o uso de recursos a fim de alcanar objetivos. [...]

Disponvel em: Acesso em 19 jun. 2014.

1. No texto, as expresses no entanto e assim exprimem, respectivamente, as ideias de

A) oposio e concluso.

B) advertncia e concluso.

C) contrariedade e concluso.

D) contrariedade e comparao.

E) continuidade e comparao.

A questo 2 refere-se ao texto abaixo.

Com papel, cola e algumas varetas, as crianas constroem pelo Brasil afora um brinquedo que voa, quando seguro por um barbante, opondo resistncia ao ar. Esse brinquedo recebe vrios nomes: papagaio , pandorga , quadrado , pipa etc.

ILARI, Rodolfo. Introduo ao Estudo do Lxico: brincando com as palavras. So Paulo: Contexto, 2002.

2. Os termos destacados no texto evidenciam uma relao de A) anomalia.

B) sinonmia.

C) antonmia.

D) meronmia.

E) hiperonmia.

3. Dados os enunciados, I. As pessoas festejavam pelas ruas da cidade e sujavam-se

com lama, tinta e detritos.

II. O atual diretor da estatal se permitiu outra faanha impensvel: que chefes e subalternos virassem amigos.

os se em destaque nos enunciados exercem, respectivamente, a funo de

A) pronome reflexivo e pronome reflexivo.

B) pronome reflexivo e partcula de realce.

C) pronome recproco e pronome reflexivo.

D) pronome recproco e partcula de realce.

E) partcula de realce e conjuno integrante.

A questo 4 refere-se ao texto abaixo.

Lavagem cerebral

[...]

O racismo burrice mas o mais burro no o racista

o que pensa que o racismo no existe

O pior cego o que no quer ver

E o racismo est dentro de voc

Porque o racista na verdade um tremendo babaca

Que assimila os preconceitos porque tem cabea fraca

E desde sempre no para pra pensar

Nos conceitos que a sociedade insiste em lhe ensinar

E de pai pra filho o racismo passa

Em forma de piadas que teriam bem mais graa

Se no fossem o retrato da nossa ignorncia

Transmitindo a discriminao desde a infncia

E o que as crianas aprendem brincando

nada mais nada menos do que a estupidez se propagando

Qualquer tipo de racismo no se justifica

Ningum explica

Precisamos da lavagem cerebral pra acabar

Com esse lixo que uma herana cultural

Todo mundo racista mas no sabe a razo

Ento eu digo meu irmo

Seja do povo ou da elite

No participe

Pois como eu j disse racismo burrice

Como eu j disse racismo burrice

[...] Disponvel em: . Acesso em 10 maio 2014.

4. Assinale a alternativa que explica os versos: Precisamos da lavagem cerebral pra acabar / Com esse lixo que uma herana cultural.

A) Os versos retratam o preconceito, retrato da ignorncia, que transmitido desde a infncia.

B) Os versos retratam todo processo de miscigenao (herana cultural), considerando que no se pode fugir do preconceito (lixo).

C) Os versos afirmam que o lixo (preconceito) somente existe porque as pessoas no sabem a razo dele, no fazendo assim uma lavagem cerebral.

D) Os versos defendem a herana cultural atravs da conscientizao (lavagem cerebral) para amenizar as atitudes preconceituosas (lixo).

E) Os versos afirmam que necessrio uma mudana de mentalidade (lavagem cerebral) para dar fim ao preconceito (lixo) que transmitido de gerao a gerao.

NS EDUCADOR FSICO (Cd. 03)

Municpio de Lagoa da Canoa Alagoas Concurso Pblico 2014 Prova tipo 1

2

17 AGO 2014

Voc conf ia no resultado!

A questo 5 refere-se tira abaixo.

Disponvel em: Acesso em 23 jun. 2014.

5. Em: No sabemos o que isso, mas nas brochuras parece excelente , a palavra em destaque deve ser sintaticamente classificada como

A) adjunto adverbial de modo.

B) complemento nominal.

C) adjunto adnominal.

D) objeto direto.

E) predicativo.

A questo 6 refere-se ao texto abaixo.

Quer continuar a respirar? Comece a preservar.

Fundao S.O.S. Mata Atlntica.

6. A relao semntica estabelecida entre as duas oraes justapostas de

A) finalidade.

B) concluso.

C) justificao.

D) causalidade.

E) concessividade.

7. Dadas as frases, quanto anlise sinttica dos perodos, I. O automvel novo; por isso, no pode ir a grande

velocidade.

II. O automvel no pode ir a grande velocidade, porque novo.

III. Porque o automvel novo, no pode ir a grande velocidade.

verifica-se que h orao subordinada causal em

A) I, II e III.

B) II e III, apenas.

C) I e III, apenas.

D) II, apenas.

E) I, apenas.

A questo 8 refere-se ao texto abaixo.

O gol necessrio

No futebol, o gol o po do povo. Quando dava gol em nossos campos, o torcedor pegava o seu po no estdio aos gritos de contentamento e ficava a sabore-lo com os amigos durante uma semana. A gestao do gol era to sria que os jornais publicavam nos dias seguintes o seu diagrama.

O torcedor no mudou, continuando como sempre com sede de gol: mudou o futebol. Vai-se tornando avaro esse esporte, pois, vivendo custa do consumidor, nega a mercadoria pela qual este paga, no vista, mas antes de ver gols. O homem da arquibancada, sequioso de tentos de seu clube, ainda o nico homem-gol, pois o presidente do clube, os vice-presidentes, o tesoureiro, os conselheiros, o diretor de futebol e seus parentes, os benemritos, o tcnico, o mdico, o massagista, o roupeiro, todos eles se batem com unhas, dentes e risquinhos no quadro negro pelo futebol das trinchei