O asséDIO MORaL Nas RELaÇÕEs TRaBaLHIsTas MORaL

  • View
    216

  • Download
    2

Embed Size (px)

Transcript

  • Danielle RiegeRmann Ramos DamioThiago QueiRoz De melo O ASSDIO MORAL NAS RELAES TRABALHISTAS

    Revista da Direito e Liberdade Mossor v. 7, n. 3, p. 65 82 jul/dez 2007.65

    ISSN Impresso 1809-3280 | ISSN Eletrnico 2177-1758www.esmarn.tjrn.jus.br/revistas

    Ps-Graduada em Direito e Processo do Trabalho pela Universidade Estcio de S RJ. Professora da Faculda-de de Cincias Cultura e Extenso do Rio Grande do Norte FACEX e da Faculdade de Cincias e Tecnologia Mater Christi FCTMC. Advogada e Consultora Jurdica. Mossor Rio Grande do Norte Brasil.

    Acadmico do Curso de Graduao em Direito da Faculdade de Cincias e Tecnologia Mater Christi. FCTMC. Mossor Rio Grande do Norte Brasil.

    o assDio moRal nas Relaes TRaBalhisTas

    moRal haRassmenT in laBoR RelaTions

    Danielle Riegermann Ramos DamioThiago Queiroz de melo

    RESUMO: O presente trabalho est voltado para a anlise do fenmeno social, assdio mo-ral, caracterizado por um psicoterror presente em algumas empresas. Por meio deste estudo procurou-se traar um panorama da situao do assdio moral no atual contexto histrico e jurdico, questionando e analisando sua incidncia, caracterizao, alm dos reflexos para a vtima, agressor, e para a empresa envolvida. Observaram-se tambm os reflexos nos con-tratos de trabalho, tanto para o assediante quanto para o assediado. A relevncia do tema est justamente na ausncia de uma norma especfica, fazendo com que o Poder Judicirio Trabalhista seja o nico meio para coibir, repreender e punir os ilcitos dessa natureza, com julgamentos pautados em jurisprudncia, direito comparado e doutrina.Palavras-chave: Assdio moral. Psicoterror trabalhista. Inexistncia de norma especfica.

    ABSTRACT: This work is directed to the analysis of the social phenomenon, moral haras-sment, characterised by a horrifying psychological pressure that exists in some companies. Through this study it was intended to picture the situation of bullying in the current legal and historical context, questioning and analyzing the impact, characterization, and the consequences for the victim, offender, and the company involved. There were also reflec-tions on the working contracts for both the harasser and the harassed one. The relevance of the topic lies in the absence of a specific standard norm making the Labor Judiciary Labour the only mean to avoid and punish the offenses of this nature, with judgments guided by the law cases bank, comparative law and doctrine.Keywords: Moral Harassment. Labor psychoterror. Absence of specific norm.

  • Danielle RiegeRmann Ramos DamioThiago QueiRoz De meloO ASSDIO MORAL NAS RELAES TRABALHISTAS

    Revista da Direito e Liberdade Mossor v. 7, n. 3, p. 65 82 jul/dez 2007.66

    1 INTRODUO

    A Carta Magna brasileira, instituda e engajada nos ideais da va-lorizao da pessoa humana, trouxe em seu bojo, de modo contempo-rneo, o que h tempo a cincia do Direito j explanava: a pessoa como elemento mais importante do ordenamento, estando frente, inclusive, de seu patrimnio.

    Aambarcado pelos conceitos constitucionais, o Cdigo Civil de 2002 ratificou que a intimidade, a vida privada, a honra e a imagem das pessoas so inviolveis, indicando inclusive que o direito a estas garan-tias irrenuncivel e intransmissvel.

    Como sabido, no contexto da Consolidao das Leis do Tra-balho, em especial no caput do art. 8, o Direito comum fonte sub-sidiria ao Direito do Trabalho, desde que no ofenda a este e a seus princpios fundamentais.

    Assim, na ausncia de normas especficas sobre o tema propos-to, busca-se em princpios do direito comum e em estudos de juristas contemporneos para conceituar o tema e enquadr-lo nos ditames do ordenamento vigente.

    O assdio moral nas relaes trabalhistas no algo que possa ser considerado como recente, uma vez que por muitos considerado como um fenmeno to antigo quanto o prprio trabalho humano. Porm, nas ltimas dcadas, este assunto passou a ter maior repercusso devido a pesquisas na rea da Psicologia, na Europa, com destaque principal na Frana e na Escandinvia.

    Os primeiros estudos sobre este objeto no surgiram exatamente na cincia da psicologia, mas sim na etimologia1, atravs dos estudos de Konrad Lorenz2, que estudou o comportamento de alguns animais de pequeno porte, quando expostos a uma situao em que estes tinham seus territrios invadidos por outros animais. O que chamou ateno foi a reao agressiva do grupo todo contra o invasor, numa tentativa de

    1 De acordo com o novo Dicionrio Aurlio o conceito de etimologia : Estudo dos hbitos dos animais e da sua acomodao s condies do ambiente. In Novo Dicionrio Eletrnico Aurlio verso 5.0

    2 COBRA, Rubens Queiroz. Konrad Lorenz: O terico da agressividade e fundador da Etologia. 21 abr. 2003. Disponvel em: < http://www.cobra.pages.nom.br/ecp-lorenz.html>. Acesso em: 15 jul. 2007.

  • Danielle RiegeRmann Ramos DamioThiago QueiRoz De melo O ASSDIO MORAL NAS RELAES TRABALHISTAS

    Revista da Direito e Liberdade Mossor v. 7, n. 3, p. 65 82 jul/dez 2007.67

    expuls-lo. O termo aplicado por Lorenz a esta situao foi mobbing, termo esse que expressa a idia de turbao.

    Por volta da dcada de 60, o mdico sueco Peter-Paul Heinemann realizou um estudo similar ao de Lorenz, s que, desta vez, com crian-as, sendo os resultados bastante prximos, uma vez que foi identificada a mesma reao de hostilidade nas crianas contra um suposto invasor. Essa pesquisa foi considerada pioneira em detectar o assdio moral nas relaes humanas e, depois, foram realizadas muitas outras, que geral-mente tinham como foco a psicologia infantil.

    Entretanto, foi na dcada de 80 que se descobriu a existncia de comportamento similar no ambiente do trabalho, sendo tal pesquisa realizada pelo psiclogo alemo Heinz Leymann3. Ele identificou que, assim como nos animais e nas crianas, a reao de hostilidade tambm existia nas relaes de trabalho, mas raramente era apresentado um qua-dro de violncia fsica. O assdio era caracterizado por atos traioeiros, no claramente demonstrados, como o isolamento da vtima. O psic-logo ainda constatou que esse processo acarreta conseqncias devasta-doras da sade psicolgica das vtimas.

    O estudo de Heinz Leymann (2006) serviu para chamar a ateno de estudiosos da psicologia e de outras reas da Cincia para este ramo particular da psicologia. O que facilitou a constatao de que o assdio moral no era um tema exclusivo da Psicologia, mas sim multidiscipli-nar, e que no havia a possibilidade de ser esgotado o assunto em um nico ramo do conhecimento.

    Embora as primeiras pesquisas tenham sido a partir de um olhar psicolgico, necessrio o subsdio de outras reas, como a Sociologia e at mesmo o Direito, de maneira que se possam identificar principais pontos de convergncia originadores do problema, da mesma forma buscar meios de repreend-los e solucion-los.

    Na dcada de noventa, a psicanalista francesa Marie-France Hi-rigoyen (2002) publicou um livro que acendeu a discusso do tema na seara jurdica4. Esta obra tem base em relatos de casos reais. Posterior-3 LEYMANN, Heinz. The mobbing encyclopedia. Disponvel em: . Acesso em:

    20 jan. 2006.4 HIRIGOYEN, Mari-France. Assdio Moral: A violncia perversa do cotidiano. 4.ed. Rio de Janeiro, Ber-

    trand Brasil, 2002.

  • Danielle RiegeRmann Ramos DamioThiago QueiRoz De meloO ASSDIO MORAL NAS RELAES TRABALHISTAS

    Revista da Direito e Liberdade Mossor v. 7, n. 3, p. 65 82 jul/dez 2007.68

    mente, a mesma psicanalista publicou outro livro, com o intuito de esclarecer possveis dvidas a respeito do assdio moral.

    Segundo Ferreira5(2004), a discusso do assdio moral, no Brasil, ainda bastante tmida, o que no significa que ela no exista. As legislaes so muito raras, e as que existem tratam do assdio no servio pblico. Mas, vale dizer, j existem projetos de lei em mbito nacional, embora no voltados exclusivamente para a rea trabalhista.

    No Brasil, o tema s passou a ter maior repercusso quando da apresentao da tese de mestrado da Dra. Margarida Barreto, mdi-ca do trabalho e organizadora do site www.assediomoral.org.br. Essa dissertao teve como base de estudo as pesquisas de Marie-France e, devido ao contato entre as duas, surgiu o I seminrio Internacional sobre assdio moral no trabalho, realizado na cidade de So Paulo, no ano de 2002. Esta iniciativa chamou a ateno dos sindicatos e dos legisladores para o assunto.

    Como o fato social sempre indica a origem da norma, e esta sem-pre formada pelos elementos extrados da realidade social e dos ideais dominantes, o estudo do assdio moral certamente agir como fonte material de leis novas, de carter repressivo e remediador de ilcitos morais trabalhistas.

    O assdio moral encontra-se disseminado por todos os cantos do mundo, sendo que, de acordo com o pas e a lngua, o termo recebe nova denominao. O fato que, para o assdio moral, mesmo no Bra-sil, existem diversas outras formas de denominar o tema em estudo, e como exemplo, pode-se citar: terror psicolgico, bullying, tirania no trabalho, mobbing, violncia psicolgica, violncia moral, assdio psi-colgico, entre inmeras outras.

    A primeira denominao para esse fenmeno foi mobbing, dada por Heinz Leymann6(2006), psiclogo sueco, o primeiro a estudar o assunto. O termo mobbing origina-se do verbo ingls to mob, que sig-nifica agredir em massa, e o substantivo derivado do verbo mobbing, que tem como significado tumulto, assim associa-se a forma de violn-cia em grupo.5 FERREIRA, Hdassa Dolores Bonilha. Assdio moral nas relaes de trabalho. Campinas: Russel, 2004.6 Ibid 5

  • Danielle RiegeRmann Ramos DamioThiago QueiRoz De melo O ASSDIO MORAL NAS RELAES TRABALHISTAS

    Revista da Direito e Liberdade Mossor v. 7, n. 3, p. 65 82 jul/dez 2007.69

    J na Itlia, o termo mobbing tambm adotado, porm com outro significado, o de violncia silenciosa. Em Portugal, o