_O Cristo Dos Pactos

  • View
    82

  • Download
    3

Embed Size (px)

Transcript

  • Rua Miguel Teles Jnior, 394 Cambuci01540-040 So Paulo SP Brasil

    C. Postal 15.136 So Paulo SP 01599-970Fone (0**11) 3207-7099 Fax (0**11) 3209-1255

    0800-141963 www.cep.org.br cep@cep.org.br

    EDITORA CULTURA CRIST

    Superintendente: Haveraldo Ferreira VargasEditor: Cludio Antnio Batista Marra

    Publicao autorizada pelo Conselho Editorial:Cludio Marra (Presidente), Alex Barbosa Vieira,

    Aproiano Wilson de Macedo, Fernando Hamilton Costa,Mauro Meister, Ricardo Agreste e Sebastio Bueno Olinto.

    O Cristo dos Pactos 2002, Editora Cultura Crist 1980 O. Palmer Robertsonunder the title The Christ of the Covenants. Originally published in the USA by

    Presbyterian & Reformed Publishing. 1102 Marble Road. Philipsburg. New Jersey,08865, USA. Traduzido com permisso. Todos os direitos so reservados.

    1a edio 2002 3.000 exemplares

    TraduoAmrico Justiniano Ribeiro

    RevisoAna Elis Nogueira de Magalhes

    EditoraoOM Designers

    CapaLela Design

  • A Judy,minha preciosa esposae querida co-herdeira

    da graa da vidada aliana.

  • SUMRIO

    PREFCIO ................................................................................................... 7

    PRIMEIRA PARTEINTRODUO AOS PACTOS DIVINOS1. A Natureza dos Pactos Divinos ................................................................. 92. A Extenso dos Pactos Divinos ................................................................193. A Unidade dos Pactos Divinos .................................................................274. Diversidade nos Pactos Divinos ...............................................................47

    SEGUNDA PARTE5. O Pacto da Criao ..................................................................................55

    TERCEIRA PARTEO PACTO DA REDENO6. Ado: O Pacto do Comeo .......................................................................737. No: O Pacto da Preservao ..................................................................858. Abrao: O Pacto da Promessa .................................................................999. O Selo do Pacto Abramico ................................................................... 11510. Moiss: O Pacto da Lei ........................................................................13111. Excurso: Pactos ou Dispensaes: Qual Desses Estrutura a Bblia? ...........................................................15712. Davi: O Pacto do Reino ........................................................................17913. Cristo: O Pacto da Consumao ........................................................... 211

    NDICE DAS CITAES BBLICAS.....................................................235

  • PREFCIO

    Este livro focaliza duas reas essenciais ao interesse da interpretao bbli-ca de hoje: o significado das alianas de Deus e a relao entre os dois testa-mentos. Mediante a correta compreenso das iniciativas de Deus em estabele-cer pactos (ou alianas) na Histria, ser lanado slido fundamento para de-semaranhar a questo complexa da relao entre os dois testamentos.

    Virtualmente, toda escola de interpretao bblica de hoje tem chegado aapreciar a significao das alianas para a compreenso da mensagem distin-tiva das Escrituras. Que o Senhor da aliana abenoe esta discusso em anda-mento, de tal maneira que se inflame nos coraes de todas as naes um amormais completo por aquele que se fez uma aliana para os povos.

    O. Palmer RobertsonCovenant Theological Seminary

    St. Louis, Missouri1 de setembro de 1980

  • O que um pacto ou uma aliana?Pedir uma definio de pacto ou aliana como pedir uma definio de

    me.Pode-se definir me como a pessoa que nos trouxe ao mundo. Essa defini-

    o pode ser formalmente correta, mas quem se sentir satisfeito com ela?As Escrituras testificam com clareza a respeito do significado dos pactos

    divinos. Deus entrou, repetidamente, em relao de aliana com algumas pesso-as em particular. Referncias explcitas encontram-se no pacto divino estabeleci-do com No (Gn 6.18), Abrao (Gn 15.18), Israel (x 24.8) e Davi (Sl 89.3). Osprofetas de Israel predisseram a vinda dos dias da nova aliana (Jr 31.31), e oprprio Cristo falou da ltima ceia em linguagem de aliana (Lc 22.20).

    Mas que um pacto ou uma aliana?Algumas pessoas iro desencorajar qualquer esforo no sentido de apre-

    sentar uma definio sumria de pacto ou aliana que abranja todos osvariados usos do termo na Escritura. Sugeririam que os mltiplos e diferentescontextos em que a palavra ocorre implicam muitos sentidos diferentes.1

    Qualquer definio do termo pacto deve claramente admitir uma amplitu-de to extensa quanto o exigem os dados da Escritura. No entanto, a mesmaintegridade da histria bblica, ao ser determinada pelas alianas de Deus, su-gere uma unidade abrangente no conceito de pacto.

    1. Cf. D. J. McCarthy, Covenant in the Old Testament: The Presente State of Inquiry, CatholicBiblical Quarterly 27, (1965): 219, 239. Delbert R. Hillers comenta a respeito da tarefa dedefinir aliana em Covenant: The History of a Biblical Idea (Baltimore, 1969), p. 7: No ocaso dos seis cegos e o elefante, mas de um grupo de eruditos paleontlogos criando monstrosdiferentes a partir dos fsseis de seis espcies distintas.

    1

    PRIMEIRA PARTE:

    INTRODUO AOS PACTOS DIVINOS

    A NATUREZA DOS PACTOS(OU ALIANAS) DIVINOS

  • O Cristo dos Pactos10

    O que , ento, um pacto (ou uma aliana)? Como voc definiria a relaode aliana entre Deus e o seu povo 2?

    Pacto (ou aliana) um vnculo de sangue soberanamente administra-do. Quando Deus entra em relao de aliana com os homens, de maneirasoberana ele institui um vnculo de vida e morte. A aliana um vnculo desangue, ou um vnculo de vida e morte, soberanamente administrado.

    Trs aspectos dessa definio dos pactos divinos devem ser consideradoscom maior cuidado.

    UM PACTO UM VNCULO

    Em seu aspecto mais essencial, um pacto ou uma aliana aquilo que unepessoas. Nada est mais perto do corao do conceito bblico de pacto doque a imagem de um lao inviolvel.

    Extensas investigaes quanto etimologia do termo do Antigo Testamentopara aliana ( ) tm-se provado inconclusivas na determinao do sentidoda palavra. 3 Todavia, o uso contextual do termo nas Escrituras indica, de maneirarazoavelmente consistente, o conceito de vnculo ou relacionamento. 4 sempre uma pessoa, ou Deus ou o homem, quem faz uma aliana. Ainda

    2. O prprio fato de que a Escritura fala de alianas divinas, alianas feitas por Deus com seupovo, pode ter grande significado em si mesmo. Aparentemente, esse fenmeno de alianasdivinas no ocorre fora de Israel. Fora do Antigo Testamento no temos evidncia clara de umtratado entre um deus e o seu povo, diz Ronald E. Clements, em Abraham and David: Genesis15 and its Meaning for the Israelite Tradition (Naperville, IL, 1967), p. 83. Cf. tambm ocomentrio de David Noel Freedman em Divine Commitment and Human Obligation,Interpretation 18, (1964): 420: No h paralelos convincentes no mundo pago... com relaoa alianas de Deus com o homem como se acha na Bblia.

    3. O carter inconclusivo da evidncia etimolgica totalmente reconhecido. Cf. Moshe Weinfeld,Theologisches Wrterbuch zum Alten Testament (Stuttgart, 1973), p. 783; Leon Morris, TheApostolic Preahcing of the Cross (Londres, 1955), pp. 62ss. Uma sugesto indica o verbo barah,que significa comer. Se for esse o caso, a referncia pode ser refeio sagrada que muitas vezesestava associada com o processo de firmar uma aliana. Martin Noth, Old Testament Covenant-Making in the Light of a Text from Mari em The Laws in the Pentateuch and Other Essays(Edimburgo, 1966), p. 122, argumenta contra essa hiptese. Ele sugere que a frase cortar umaaliana envolveria aluso a mtodos diferentes de firmar uma aliana. De um lado, indicaria aautomaldio da diviso animal. Do outro lado, indicaria a participao numa refeio de aliana.Noth a favor da sugesto de que aliana deriva do acadiano birit, que se relaciona com apreposio hebraica ( ) entre. Ele elabora um processo de mltiplos passos pelo qual o termoatingiu independncia adverbial por meio da frase matar um asno de entre meio, assumiu osentido substantivo de uma mediao que conseqentemente requereu a introduo de umasegunda preposio entre e, finalmente, evoluiu para a palavra normal aliana, que poderiaser usada com outros verbos alm do verbo cortar (entre). Uma terceira sugesto etimolgicasugere a raiz acadiana baru, amarrar, agrilhoar, e o substantivo relacionado biritu, faixa ougrilho. Weinfeld, op., cit., p. 783, considera esta ltima sugesto como a mais provvel.

    4. As recentes argumentaes de E. Kutsch de que o termo aliana significa obrigao ou compromis-so so, na verdade, fascinantes. Mas no so adequadas para derrubar o conceito bsico de que umaaliana vnculo. Kutsch argumenta que a definio de aliana como obrigao justificada seja

  • A Natureza das Alianas Divinas 11

    mais, outra pessoa que figura como a outra parte da aliana, com poucasexcees. 5 O resultado de um vnculo de aliana o estabelecimento de umarelao em conexo com, com ou entre pessoas. 6

    O elemento formalizador essencial para o estabelecimento de todas as ali-anas divinas na Escritura uma declarao verbalizada do carter do vnculoque est sendo estabelecido. Deus fala para estabelecer seu pacto. Fala graci-osamente ao comprometer-se com as suas criaturas e ao declarar a base sobrea qual se relacionar com a sua criao.

    A preeminncia de juramentos e sinais nas alianas divinas reala o fato deque o pacto, em sua essncia, um vnculo. A aliana estabelece um vnculoentre as pessoas. 7

    o tipo de aliana na qual aquela na qual uma pessoa se obriga, obrigada por um poder externo, ouchega a uma obrigao mtua com uma parte igual. Ele observa tambm que o paralelismo hebraicofreqentemente alterna alian