O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPRITO SANTO Indireta - Lei Carreiras...  § 3 A habilita§£o obtida

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPRITO SANTO Indireta - Lei Carreiras...  § 3 A...

1

LEI COMPLEMENTAR N 536

Estabelece Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos para os Servidores do Departamento Estadual de Trnsito - DETRAN-ES, cria nova estrutura de cargos e carreiras, institui normas gerais de enquadramento e d outras providncias.

O GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPRITO SANTO Fao saber que a Assemblia Legislativa decretou e eu sanciono a seguinte

Lei:

CAPTULO I DA ESTRUTURA DO QUADRO DE PESSOAL

Art. 1 Esta Lei Complementar dispe sobre a reestruturao do Plano de

Cargos, Carreiras e Vencimentos - PCCV dos Servidores do Departamento Estadual de Trnsito - DETRAN-ES.

Pargrafo nico. O regime jurdico aplicado aos servidores, aos quais se

refere o caput deste artigo, o estatutrio, estabelecido pela Lei Complementar n 46, de 31.01.1994, que dispe sobre o Regime Jurdico nico dos Servidores Pblicos Civis do Estado do Esprito Santo.

Art. 2 O Quadro de Pessoal do DETRAN-ES fica estruturado da seguinte

forma: I - Parte Permanente - integrada pelos cargos de provimento efetivo,

estruturados em 2 (dois) Grupos Ocupacionais, e pelos cargos de provimento em comisso;

II - Parte Suplementar - integrada pelos cargos em extino. 1o Os Grupos Ocupacionais, aos quais se refere o inciso I do caput deste

artigo, esto organizados pela natureza do trabalho realizado pelos ocupantes dos cargos que os compem ou pelo grau de escolaridade exigido para seu provimento, conforme estabelecido a seguir:

I - Grupo Ocupacional I - Nvel Mdio; II - Grupo Ocupacional II - Nvel Superior.

2

2o Os cargos que integram os Grupos Ocupacionais, com seus respectivos quantitativos, esto relacionados no Anexo I desta Lei Complementar.

3o As atribuies gerais dos cargos de natureza efetiva que compem a

Parte Permanente do Quadro de Pessoal do DETRAN-ES, bem como os requisitos para seu provimento esto relacionados no Anexo V desta Lei Complementar.

4 A Parte Suplementar integrada por cargos em extino, na forma do

Anexo II desta Lei Complementar.

CAPTULO II DOS CONCEITOS BSICOS

Art. 3 Para efeito desta Lei Complementar so adotados os seguintes

conceitos: I - grupo ocupacional - conjunto de cargos isolados ou de carreira, com

afinidades entre si quanto natureza do trabalho realizado por seus ocupantes ou ao grau de escolaridade exigido para seu provimento;

II - classe de cargos - agrupamento de cargos da mesma natureza

funcional, mesmas atribuies, mesmo nvel de vencimento ou subsdio, mesma denominao e substancialmente idnticos quanto ao grau de complexidade, dificuldade e responsabilidade para o seu exerccio;

III - carreira - agrupamento de classes hierarquizadas segundo o grau de

complexidade e responsabilidade requerido para o exerccio das atribuies dos cargos que a compem;

IV - nvel - smbolo atribudo ao conjunto de cargos equivalentes quanto ao

grau de dificuldade, complexidade e responsabilidade, visando determinar a faixa de vencimentos ou subsdios a ele correspondente;

V - faixa de vencimentos ou subsdios - escala de padres de vencimentos

ou subsdios atribudos a um determinado nvel; VI - referncia de vencimento ou de subsdio - referncia alfabtica

correspondente a determinado valor de vencimento ou subsdio; VII - interstcio - lapso de tempo estabelecido como o mnimo necessrio

para que o servidor se habilite progresso; VIII - maturidade profissional - lapso de tempo de efetivo exerccio na

classe, estabelecido como o mnimo necessrio para que o servidor se habilite promoo;

IX - progresso - passagem do servidor de sua referncia de vencimento ou

subsdio para outra, imediatamente superior, dentro da faixa de vencimentos ou de

3

subsdios do cargo a que pertence, observadas as normas estabelecidas nesta Lei Complementar e em regulamento especfico;

X - promoo - passagem do servidor do Quadro Permanente de Pessoal

para a classe de cargos imediatamente superior quela a que pertence, dentro da mesma carreira, observadas as normas estabelecidas nesta Lei Complementar e em regulamento especfico;

XI - vencimento - retribuio pecuniria mensal, estabelecida por lei, devida

ao servidor pblico pelo efetivo exerccio do cargo; XII - subsdio - retribuio pecuniria mensal pelo exerccio de cargo

pblico, constituda por parcela nica, vedado o acrscimo de qualquer gratificao, adicional, abono, prmio e verba de representao ou outra espcie remuneratria, nos termos dos 4 e 8 do artigo 39 da Constituio da Repblica Federativa do Brasil;

XIII - remunerao - subsdio ou vencimento do cargo, acrescido, este

ltimo, das vantagens pecunirias, permanentes ou temporrias, estabelecidas em lei.

CAPTULO III

DA CRIAO DAS CARREIRAS DE TCNICO SUPERIOR E DE A SSISTENTE TCNICO DE TRNSITO

Art. 4 Ficam criadas no Quadro de Pessoal Permanente do DETRAN-ES

as carreiras de Tcnico Superior e de Assistente Tcnico de Trnsito, compostas por cargos de provimento efetivo, cujas atribuies, nmero de vagas e requisitos para provimento esto definidos nos Anexos I e V desta Lei Complementar.

1 O cargo de Tcnico Superior, a que se refere o caput deste artigo,

destina-se a desenvolver aes voltadas para regulao, controle, auditoria e fiscalizao das atividades relacionadas ao trnsito, cujas atribuies requeiram, do ocupante, formao de nvel superior.

2 O cargo de Assistente Tcnico de Trnsito, a que se refere o caput

deste artigo, destina-se a executar aes de apoio s atividades tcnicas, contbeis, administrativas e financeiras desenvolvidas pelo DETRAN-ES, cujas atribuies requeiram, do ocupante, formao de nvel mdio.

3 As Tabelas de Vencimentos e de Subsdios dos servidores ocupantes

dos cargos de Tcnico Superior e de Assistente Tcnico de Trnsito esto fixadas no Anexo IV desta Lei Complementar.

Art. 5 A nomeao para os cargos de Tcnico Superior e de Assistente

Tcnico de Trnsito dar-se- na referncia A da classe inicial de cada uma das 2 (duas) carreiras, mediante concurso pblico realizado de acordo com a legislao que rege a matria.

4

Art. 6 Para o ingresso na carreira de Tcnico Superior ser exigido ensino

superior completo, admitidas formaes profissionais diferenciadas, de acordo com o constante do Anexo V desta Lei Complementar, observado o que dispem os 1 e 2 deste artigo.

1 Durante o estgio probatrio os servidores ocupantes do cargo, a que

se refere o caput deste artigo, devero ser aprovados em curso especfico, promovido pelo DETRAN-ES com a finalidade de prepar-los para o exerccio de suas funes.

2 O curso, a que se refere o 1 deste artigo, dever ter carga horria

mnima de 80 (oitenta) horas e seu contedo ser definido pelo rgo responsvel pela gesto de pessoas do DETRAN-ES em articulao com as diretorias da Autarquia.

3 A habilitao obtida no curso, a que se refere o 1 deste artigo, ser,

juntamente com o que estabelece o artigo 9 desta Lei Complementar, condio para a aprovao do servidor no estgio probatrio.

Art. 7 Para o ingresso na carreira de Assistente Tcnico de Trnsito ser

exigido o ensino mdio completo, admitidas formaes profissionais diferenciadas, de acordo com o constante do Anexo V desta Lei Complementar.

Art. 8 As carreiras de Tcnico Superior e de Assistente Tcnico de Trnsito

ficam estruturadas em 3 (trs) classes, cada uma com 17 (dezessete) referncias de vencimentos ou subsdios, conforme o Anexo IV desta Lei Complementar.

Pargrafo nico. O desenvolvimento do servidor nas carreiras, a que se

refere o caput deste artigo, dar-se- mediante Progresso e Promoo, segundo os critrios estabelecidos nesta Lei Complementar.

CAPTULO IV DO PROVIMENTO DOS CARGOS E DO ESTGIO PROBATRIO

Art. 9 O provimento dos cargos de natureza efetiva da Parte Permanente

do Quadro de Pessoal do DETRAN-ES dar-se- por aprovao em concurso pblico de provas ou de provas e ttulos.

1 O concurso pblico ser promovido pelo DETRAN-ES em articulao

com os rgos estaduais competentes, de acordo com as normas que regem a matria e o disposto nesta Lei Complementar.

5

2 No provimento dos cargos efetivos sero rigorosamente observados os requisitos estabelecidos no Anexo V desta Lei Complementar, bem como no edital de concurso.

Art. 10. Os candidatos aprovados em concurso pblico cumpriro o estgio

probatrio de 3 (trs) anos, na forma definida no Regime Jurdico nico dos Servidores Pblicos Civis do Estado do Esprito Santo, nesta Lei Complementar e em regulamento prprio.

Pargrafo nico. No perodo em que estiver cumprindo o estgio probatrio

o servidor ser submetido a avaliaes semestrais de desempenho, segundo critrios a serem definidos e aprovados em regulamento prprio.

CAPTULO V

DA PROGRESSO

Art. 11. Progresso a passagem do servidor de uma referncia para outra imediatamente superior, dentro de uma mesma faixa de vencimentos ou subsdios, observado o estabelecido neste Captulo e no artigo 24 desta Lei Complementar.

1 A concesso da Progresso de aplicao automtica e ter vigncia

no ms subsequente ao que o servidor completar 2 (dois) anos de exerccio, desde que observadas as condies e cumpridas as exigncias estabelecidas neste Captulo e nesta Lei Complementar.

2 Faro jus Progresso os servidores ocupantes dos cargos de

provimento efetivo que integram as Partes Permanente e Suplementar do Quadro de Pessoal do DETRAN-ES.

Art. 12. A Progresso dos servidores ocorrer a cad