Click here to load reader

O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – Projeto Pólos de Biodiesel 65 PÓLOS DE PRODUÇÃO DE OLEAGINOSAS COM 150.000 AF MAPEADOS E MOBILIZADOS Projeto Pólos 2011

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of O Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel – Projeto Pólos de...

  • O Programa Nacional de Produção e Uso do  Biodiesel – PNPBBiodiesel – PNPB 

  • ‐PNPB e a Agricultura amiliar l d l b i l‐Balanço do Selo Comb. Social

    Participação da A F no PNPB‐ Participação da A. F. no PNPB ‐ Estratégia do MDA com a A.F.g

    Pólos, Cooperativas, Crédito, PD&D, Diversificação

    ‐ Planejamento 2011/2014

  • Antecedentes do PNPB ‐ Potencialidades do Brasil

    Ponto de vista do agronegócio brasileiro: maior adensamento de várias cadeias agroindustriais brasileiras, com possibilidade de participação de vários atores de vários portes, e com utilização de áreas tradicionalmente não usadas ou subutilizadas. PONTO DE VISTA SOCIAL: possibilidade de geração de milhares de empregos e geração de renda no campo, com grande potencialidade de inclusão de agricultores familiares. Antecedentes do PNPB: potencialidades do Brasil

    Fonte: Censo Agropecuário 2006 ‐ IBGE

  • Aspectos de destaque no PNPBAspectos de destaque no PNPB Inclusão Social participação da agricultura familiarInclusão Social: participação da agricultura familiar

    Selo Combustível Social: MDA cria regras para a participação da agricultura familiar.

    Política de suporte à organização da produção familiar: ATER pesquisaPolítica de suporte à organização da produção familiar: ATER, pesquisa e difusão, cooperativismo, organização da base produtiva.

    Política de aquisições: leilões garantem reserva de mercado para empresas detentoras do Selo (80% do volume comercializado).

    Política Tributária: desoneração total e/ou parcial da tributação, em função do tipo de produtor, região e oleaginosa.

  • Biodiesel: tributação federal (PIS/COFINS) Alíquotas de PIS/COFINS

    (em R$/litro) 

    Biodiesel: tributação federal (PIS/COFINS)

    Regra Geral  0,218 

    N/NE +  Semi‐Árido +  mamona/palma

    0,151 R$ 0,151 / litro 31% de benefícioR$ 0,0 / litro mamona/palma31% de benefício$ , /

    100% de benefício Agricultura Familiar em                    qualquer região

    0,070 

    R$ 0,218 / litro

    Agricultura Familiar +                         N/NE + Semi‐Árido + mamona/palma 

    R$ 0,070 / litro 68% de benefício

    Tributação do Diesel:ç R$ 0,218 / litro

  • Selo Combustível Social R d IN d MDA/2009Selo Combustível Social – Regras da IN do MDA/2009

    Para ter o Selo Combustível Social a empresa precisa cumprir três critérios:

    Adquirir matéria‐prima da agricultura familiar em percentual mínimo: a) 30% região Sul, Sudeste e Nordeste b) 15% região Norte e Centro‐Oeste

     ál l d l l d i i õ d i l f ili l ãCálculo do percentual: valor das aquisições da agricultura familiar em relação ao valor das aquisições anuais totais de matérias primas para produção de biodiesel. (X=Aquisições da agricultura familiar/Aquisições Totais).

     Fazer contratos negociados com os agricultores familiares, em que conste a identificação da representação dos agricultores que participaram das negociações.

    Assegurar assistência e capacitação técnica aos agricultores familiares.

  • Selo Combustível Social - 2010Selo Combustível Social - 2010

    Número de empresas produtoras de biodiesel

    52

    Número de Unidades com Selo Combustível SocialNúmero de Unidades com Selo Combustível Social

    3434 ADM, AGROPALMA, AGROSOJA, ARAGUASSU,  BARRALCOOL, BINATURAL, 

    BIOCAPITAL, BIOCAMP, BIOVERDE, BRASIL ECODIESEL (2 UNIDADES – RS e TO),  BERTIM BSBIOS (2 UNIDADES) BIOPAR MT BIOPAR PR CARAMURU COMANCHEBERTIM,  BSBIOS (2 UNIDADES), BIOPAR‐MT, BIOPAR‐PR,  CARAMURU, COMANCHE, 

    FIAGRIL, FERTIBOM,  GRANOL (3  UNIDADES), OLEOPLAN, PBIO (3 UNIDADES),  TRANSPORTADORA CAIBIENSE, OLFAR, BIOTINS, COOPERBIO, GRUPAL, CAMERA.

    Fonte: ANP e SAF/MDA

  • B l d S lBalanço do Selo Combustível SocialCombustível Social

  • Números do Selo Combustível Social

    Evolução da capacidade instalada de produção de biodiesel - Brasil

    Fonte: MME (2011)

  • Números do Selo Combustível Social

    Evolução do número de famílias participantes do PNPB - Brasil

    Fonte: SAF/MDA (2011)

  • Números do Selo Combustível Social

    Evolução do número de famílias participantes do PNPB – por Região

    Fonte: SAF/MDA (2011)

  • PNPB: Nº de famílias, aquisições (milhões de R$) e receita bruta média anual (R$/família) no Nordeste

    Fonte: SAF/MDA (2010)

  • Números do Selo Combustível Social Evolução aquisições totais de oleaginosas (milhões R$) - Brasil

    Fonte: SAF/MDA (2011)

  • Números do Selo Combustível Social

    Evolução das aquisições totais de oleaginosas (milhões de R$) – por Região

    Fonte: SAF/MDA (2011)

  • Projeto Pólos de BiodieselProjeto Pólos de Biodiesel

     Organização e articulação da base produtiva de 

    oleaginosas dos agricultores familiares na cadeia do 

    Biodiesel, por meio da instalação e acompanhamento de 

    Grupos de Trabalho e apoio aos Núcleos de ProduçãoGrupos de Trabalho e apoio aos Núcleos de Produção.

  • Fonte: SAF/MDA

  • Projeto Pólos de Biodiesel 65 PÓLOS DE PRODUÇÃO DE OLEAGINOSAS COM 150.000 AF

    MAPEADOS E MOBILIZADOS

    j

    Projeto Pólos 2011 

    Nordeste 32 Pólos (462 mun.) 3 Pólos (37 municípios) 4.000 AFs

    Norte 3 Pólo (37 mun.)

    C Oeste 13 Pólos (120 mun )

    32 Pólos (462 municípios) 80.000 AFs

    Sudeste 9 Pólos (147 mun.)

    C. Oeste 13 Pólos (120 mun.) 13 Pólos (120 municípios) 5.000 AFs

    9 Pólos (147 municípios)9 Pólos (147 municípios) 6.000 AFs

    8 Pól

    Sul 8 Pólos (325 mun.)

    BRASIL 65 Pólos (1.091 mun.)8 Pólos (325 municípios) 55.000 AFs

    BRASIL

  • Sistema de Informação do Projeto PólosSistema de Informação do Projeto Pólos

    -Utilização de Sistema de Informação Geográfica (SIG) noUtilização de Sistema de Informação Geográfica (SIG) no Projeto Pólos,software livre TerraView. - Mapeamento de Núcleos de Produção (Brasil) e p ç ( ) estabelecimentos de AFs (região Norte).

    Fonte: SAF/MDA (2010)

  • Organização da Base ProdutivaOrganização da Base Produtiva

    Organização da Base Cooperativista  Mola Propulsora deste programa Relação de contratos, Financiamentos, Volume, Escala de produção, Credibilidade, Agregação de Valor, Continuidade, etc.

     Credenciamento no Sisbrater / Lei geral de ATER  Gestão => Nordeste/Semi-árido e Centro-Oeste  Contratação de empresa especializada (ATER gestão) SABIDO Cooperativas  Financiamento de esmagadora

  • Números do Selo Combustível SocialNúmeros do Selo Combustível Social Evolução do número de cooperativas da AF – Brasil e NE+Semi-árido

    Fonte: SAF/MDA (2011)

  • Distribuição do número de agricultores familiares f d d té i i PNPB 2008fornecedores de matéria prima no PNPB 2008

    31%

    69%

    Fonte: SAF/MDA

    Famílias fornecedoras cooperadas Famílias fornecedores vendas diretas

  • Distribuição do número de agricultores familiares f d d té i i PNPB 2009fornecedores de matéria prima no PNPB 2009

    32%

    68%

    Famílias fornecedoras cooperadas Famílias fornecedores vendas diretas

    Fonte: SAF/MDA

  • APRIMORAMENTO DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO E

    Construção do SABIDO cooperativas em ambiente Web;

    Ç COMUNICAÇÃO DA COORDENAÇÃO DE BIOCOMBUSTÍVEIS

  • DiversificaçãoDiversificação

  • Números do Selo Combustível SocialNúmeros do Selo Combustível Social

    Fonte: SAF/MDA (2010)

  • Competitividade e Sustentabilidade

    PD&D

    Competitividade e Sustentabilidade

    Investimento em Pesquisa Aplicada (Agrícola)

    PD&D

    Investimento em Pesquisa Aplicada (Agrícola)

     Transferência e difusão de Tecnologia

     Unidade técnica de demonstração e observação

     Competitividade

     Implantação de UTDs => Nordeste e Semi-árido Implantação de UTDs > Nordeste e Semi árido

     Criação de Centros de Excelência em oleaginosas

    Criação de um Centro de Referência

  • Evolução da produtividade da soja e da mamonaEvolução da produtividade da soja e da mamona PD&D!!!

    Fonte: MAPA

  • A õ d Di ifi ãAções deDiversificação

     Criação de Centros de Excelência em Criação de Centros de Excelência em Oleaginosas;  I l ã d UTD N d S i Á id Implantação de UTDs no Nordeste e Semi-Árido; Distribuição de sementes e mudas.

    Fonte: SAF/MDA (2010)

  • Programa Nacional de Produção Sustentável de Palma de Óleo

  • Programa de Produção de Palma de ÓleoPrograma de Produção de Palma de Óleo

Search related