Click here to load reader

O USO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO INSTRUMENTO DE …educonse.com.br/2012/eixo_06/PDF/75.pdf · contribuições para o processo de ... topológica de Novak e Cañas (2006), na qual classificam

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of O USO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO INSTRUMENTO DE …educonse.com.br/2012/eixo_06/PDF/75.pdf ·...

  • 1

    O USO DE MAPAS CONCEITUAIS COMO INSTRUMENTO DE

    AVALIAO NO ENSINO DE FSICA: UM ESTUDO A PARTIR DO

    TEMA AS LEIS DE NEWTON

    *Maria Helena Carvalho da Costa1

    Gilvan Mendona Silva2

    Tiago Nery Ribeiro3

    Eixo temtico: Educao e Ensino de Cincias Exatas e Biolgica

    RESUMO

    O uso de mapas conceituais como instrumento de ensino pode promover grandes contribuies para o processo de ensino-aprendizagem. A teoria que fundamenta os mapas conceituais a teoria de Novak, que subjaz a Teoria da Aprendizagem Significativa de Ausubel. Este trabalho se prope em analisar os mapas conceituais referente ao contedo Leis de Newton, confeccionados por alunos do ensino mdio da rede pblica de Itabaiana/ SE. Esta pesquisa est focalizada na anlise atravs da taxonomia topolgica de Novak e Caas (2006), na qual classificam os Mapas Conceituais em nveis de 0 a 6. Observamos, a partir da anlise dos mapas, que 76% do total desses, apresentavam todas as palavras de ligao, com duas ou mais ramificaes, porm predominam conceitos com explicaes longas, o que podemos classificar de acordo com a taxonomia empregada como nvel 2. Palavras-chaves: mapas conceituais, aprendizagem significativa, ensino de Fsica. ABSTRACT The use of concept maps as a teaching tool can make great contributions to the teaching-learning process. The theory underlying concept maps is Novak's theory, which underlies the theory of Meaningful Learning of Ausubel. This paper aims to examine the conceptual maps regarding the content of Newton's Laws, made by high school students from public Itabaiana / SE. This research is focused on the analysis by topological taxonomy Novak and Caas (2006), which classify the concept maps at levels 0-6. Observed from the analysis of maps, that 76% of the total, had all the words in connection with two or more branches, but with long explanations predominate concepts, which we classify according to the taxonomy used to level 2.

  • Keywords: concept maps, meaningful learning, physics teaching. INTRODUO

    O mapa conceitual nasce como elemento motivador do ensino-aprendizagem, tendo

    como principal caracterstica a sua reutilizao como recurso digital. Desse modo, o ensino de

    fsica necessita ser contextualizado, priorizando temas de interesse dos alunos para que

    possam aprender de maneira significativa criando o gosto pelo contedo num processo

    contnuo de aprendizagem. A teoria da aprendizagem significativa de Ausubel, junto com os

    mapas conceituais propostos por Novak contribuem bastante para o processo de ensino-

    aprendizagem, onde os conhecimentos prvios dos alunos que Ausubel chama de subsunores

    devem ser usados como ncoras com o novo conhecimento apresentado com a ferramenta

    mapa conceitual.

    Segundo Ausubel: O fator isolado que mais influencia a aprendizagem aquilo que o

    aluno j sabe, determine isso e ensine de acordo. (AUSUBEL, 2000 apud MOREIRA, 2009,

    P.23).

    Este trabalho se justifica por ser a avaliao da aprendizagem um dos elementos mais

    complexos de ser analisado na educao, sobretudo com as atuais metodologias de avaliao

    que priorizam uma aprendizagem mecanicista no Ensino de Fsica, propiciando aos alunos

    uso de tcnicas matemticas, ou simplesmente frmulas para decorar sem nenhuma relao

    com o cotidiano destes, ou seja, o principal objetivo conseguir a aprovao em exames

    deixando-os desmotivados e desinteressados pela disciplina.

    Esta pesquisa tem como objetivo analisar os mapas conceituais confeccionados por

    alunos do 1 do ensino Mdio do Colgio Estadual Murilo Braga no municpio de

    Itabaiana/SE no mbito da disciplina de fsica especificamente com o contedo Leis de

    Newton, onde os mesmos no tinham o conhecimento desta ferramenta. Demonstrando que os

    mesmos podem ser utilizados como ferramenta de avaliao, e que o uso de novas

    ferramentas de ensino auxilia bastante no processo de ensino aprendizagem despertando cada

    vez mais a curiosidade dos alunos.

    A partir das caractersticas dos mapas foi feita uma anlise atravs da taxonomia

    topolgica de Novak e Caas (2006), na qual classificam os Mapas Conceituais em nveis de

    0 a 6.

  • Os mapas conceituais constituem uma importante ferramenta na avaliao da

    aprendizagem, pois a partir deles pode-se identificar se os conceitos abordados em sala foram

    assimilados de maneira significativa ou no pelos alunos.

    MARCO TERICO

    Mapas conceituais so diagramas que indicam relaes entre conceitos e podem ser

    usados nas aulas para diversas finalidades: tcnica didtica, recurso de aprendizagem, meio de

    avaliao.

    A teoria que fundamenta aos mapas conceituais a teoria de educao de Novak, que

    subjaz a Teoria da Aprendizagem Significativa de David Ausubel.

    A aprendizagem significativa envolve a aquisio de novos conhecimentos, e na

    concepo de Ausubel (Ausubel et al., 1980; Ausubel, 2003) para que ela acontea em relao

    a um determinado contedo so necessrias trs condies: o material instrucional seja

    potencialmente significativo com o contedo estruturado de maneira lgica (de fcil

    entendimento); a existncia de conhecimento reunido e relacionvel na mente do aprendiz

    com o novo contedo; e a motivao e disposio do aprendiz em relacionar o novo

    conhecimento com aquele j existente em sua estrutura cognitiva, e essa interao ocorre

    atravs do processo da diferenciao progressiva. E esses conceitos relacionveis j existentes

    na estrutura cognitiva so chamados de subsunores; ou conceitos ncora.

    Novas ideias e informaes podem ser aprendidas e retidas na medida em que conceitos, ideias ou proposies relevantes e inclusivos estejam adequadamente claros e disponveis na estrutura cognitiva do indivduo e funcione, dessa forma, como ancoradouro para novas ideias, conceitos ou proposies. (MOREIRA, 2009, P.28).

    Na diferenciao progressiva o educando capaz de atribuir novos significados aos

    conceitos mais abrangentes, e em seguida relaciona as novas ideias com outros conceitos cada

    vez mais diferenciados expandindo cada vez mais o seu conhecimento. E a reconciliao

    integrativa estabelece relaes entre conceitos, ideias e proposies contidas na estrutura

    cognitiva do aprendiz, produzindo assim uma reorganizao na estrutura cognitiva.

    Os Mapas conceituais podem seguir um modelo hierrquico com conceitos mais

    inclusivos no topo, conceitos subordinados intermedirios e conceitos mais especficos na

    parte inferior relacionado um com o outro. As relaes entre os conceitos so explicitadas

    atravs de palavras de ligao nas linhas que unem os conceitos. Podendo unir dois ou mais

    conceitos, conectados por palavras de ligao criando uma unidade semntica, a que

  • chamamos de proposio. As proposies so uma caracterstica particular dos mapas

    conceituais.

    O mapa conceitual uma tcnica flexvel, podendo ser usado para diversas

    finalidades: tcnica didtica, recurso de aprendizagem, meio de avaliao;

    De acordo com Novak:

    Os mapas conceituais no s contribuem para que os estudantes a identificarem os conceitos chaves e suas relaes, o que por sua vez os ajudar a interpretar os acontecimentos e objetos que observam. (NOVAK, 2006, P.64).

    Segundo Novak (2006), Os mapas conceituais podem ser usados como um

    instrumento que se aplica a todas as reas do ensino e da aprendizagem escolar. Constituem-

    se importantes acessrios em atividades diversificadas, como: de aprender um novo assunto;

    auxilia a manter a relao entre conceitos chaves; ajuda a captao dos conceitos e a

    aprendizagem; permitindo a visualizao dos conceitos chave resumindo suas inter-relaes,

    proporcionando maior autonomia para desenvolver a aprendizagem de maneira significativa.

    Os mapas conceituais proporcionam grandes vantagens no mbito da educao, pois

    podem ser utilizados como ferramenta para a avaliao da aprendizagem. De acordo com

    Moreira o uso de mapa conceitual como instrumento de avaliao da aprendizagem consegue

    expressar o que o aluno atribui como conhecimento, organizando as informaes do contedo

    atravs de conceitos unindo as relaes. E o professor avaliar e observar as informaes

    contidas no mapa conceitual confeccionado pelos alunos, e se o aluno no adquirir o foco

    esperado o professor dever atuar mediador orientando o aluno de maneira correta.

    METODOLOGIA E ANLISE DE PESQUISA

    O estudo foi desenvolvido em aulas de Estgio Supervisionado em Ensino de Fsica

    IV, onde os estagirios utilizaram mapas conceituais como parte da avaliao referente ao

    contedo de Leis de Newton no Colgio Estadual Murilo Braga da rede pblica de ensino do

    municpio de Itabaiana/SE.

    Os mapas conceituais foram o principal instrumento de avaliao do contedo,

    complementados com as observaes de sala de aula dos professores/estagirios, durante os

    encontros com os alunos. Lembrando que os mesmos nunca trabalharam anteriormente com

    confeco dos mapas conceituais.

    A turma era composta por vinte e cinco alunos e cada aluno confeccionou um mapa,

    portanto foram analisados vinte e cinco mapas, referentes ao contedo Leis de Newton. A

    montagem dos mesmos se deu aps a leitura da apostila, vdeo, discusses, simulaes,

  • exerccios, problemas e mapa conceitual referente ao contedo proposto pelo professor

    estagirio. A elaborao dos mapas foi feita individualmente como objetivo de constatar a

    heterogeneidade de conceitos.

    Estes mapas foram analisados atravs da taxonomia topolgica de Novak e Caas

    (2006), na qual classificam os Mapas Conceituais em nveis de 0 a 6 esquematizados na tabela

    abaixo:

    TAXONOMIA TOPOLGICA

    Nvel 0 a) Predomina explicaes longas sobre

    conceitos b) Sem palavras de enlace c) Linear (0-1 pontos de ramificaes)

    Nvel 4

    a) Sem explicaes longas

    b) No faltam palavras de enlace c) Ramificaes altas (5-6 pontos de

    ramificaes) d) 3 ou mais nveis de hierarquia

    Nvel 1

    a)Predomina explicaes longas sobre conceitos b) Falta a metade ou mais das palavras

    ligao

    c) Linear (0-1pontos de ramificao)

    Nvel 5

    a) Sem explicaes longas b) No faltam palavras de enlace c) Ramificaes altas (5 - 6 pontos de

    ramificaes) d) 3 o mais nveis de hierarquia e) De 1 - 2ligao cruzada

    Nvel 2 a) Predominam conceitos sobre

    explicaes longas b) Falta menos da metade das palavras de

    enlace c) Ramificaes baixas (2 pontos de

    ramificaes)

    Nvel 6

    a) Sem explicaes longas b) No faltam palavras de enlace c) Ramificaes muito altas (7 ou mais

    pontos de ramificaes) d) 3 ou mais nveis de hierarquia e) Mais de 2ligaes cruzadas

    Nvel 3

    a) Sem explicaes longas b) No faltam palavras de enlace c) Ramificaes mdias (3-4 pontos de

    ramificaes) d) Menos de trs nveis de hierarquia

    TABELA 01: Taxonomia topolgica de CAAS, A. J. NOVAK, J.D. (2006).

  • Dos vinte e cinco mapas conceituais analisados apenas 16% do total se encontra no

    nvel 3 segundo a taxonomia topolgica de Novak e Caas, isso se justifica por conterem

    todas as palavras de enlace no exibirem explicaes longas, apresentarem ramificaes

    mdias (3-4 pontos de ramificaes) e menos de trs nveis de hierarquia. A figura 1 e 2

    mostram dois mapas classificados nesse nvel.

    Figura1: mapa conceitual confeccionado por alunos que se encontra no nvel 3.

  • Figura 2: mapa conceitual confeccionado por alunos que se encontra no nvel 3.

    Dentro dos mapas coletados 76% desses encontra-se no nvel 2, pois predominam

    conceitos sobre explicaes longas, falta menos da metade das palavras de enlace e contem

    ramificaes baixas (2 pontos de ramificaes). A figura 3 mostra um mapa classificado neste

    nvel. Os demais mapas se encontram respectivamente no nvel 0 e 1, observe a figura 4 e 5.

  • Figura 3: mapa conceitual confeccionado por alunos que se encontra no nvel 2.

  • Figura 4: mapa conceitual que se encontra no nvel 1 .

    Figura 5: mapa conceitual que se encontra no nvel 0.

  • No incio das aulas foi observado que os alunos sentiram dificuldades na construo

    dos mapas, por ser uma ferramenta que nunca tinha sido trabalhada anteriormente, mas com o

    decorrer das aulas eles foram percebendo que a ferramenta auxilia bastante na aprendizagem e

    com isso tomaram gosto pela mesma e passaram a ter menor dificuldade na construo dos

    mapas conceituais.

    CONSIDERAES FINAIS

    Os Mapas Conceituais mostrou-se que pode ser um instrumento valioso de avaliao

    no ensino de fsica, pois atravs deles foi possvel identificar se os conceitos abordados em

    sala foram assimilados de maneira significativa. A introduo de novas estratgias de

    avaliao no contexto escolar pode proporcionar benefcios aos estudantes no processo

    ensino-aprendizagem.

    As reflexes sobre os Mapas nos fazem considerar a necessidade de mudar a prtica de

    sala de aula, em atividades que promovam o interesse e a participao dos alunos percebendo

    a motivao desses e construindo com os mesmos conceitos e conhecimentos significativos.

    Esperamos chamar a ateno da comunidade acadmica para a utilizao do mapa

    conceitual como instrumento a favor da aprendizagem, na busca de uma avaliao que seja

    formativa, permitindo assim ao professor retroceder e redirecionar todo o processo de ensino

    e aprendizagem.

    REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS

    AUSUBEL, D.P. (2003). Aquisio e reteno de conhecimentos: Uma perspectiva cognitiva.

    Lisboa: Editora Pltano.

    AUSUBEL, D.P.; Novak, J.D. e Hanesian, H. (1980). Psicologia Educacional. Rio de

    Janeiro: Editora Interamericana.

    AUSUBEL, D.P.; NOVAK, J. D.; HANESIAN, H. Educacional psychology: a Cognitive

    view. 2 ed. Nova York, Holt Rinehart and Winston, 1978.

    CANS, A. J., NOVAK, J. D. Confiabilidad de uma taxonoma topolgica para mapas

    conceptuales. Florida Institute for Human and Machine Cognition (IHMC) 2006. Disponvel

    em: http://cmc.ihmc.us/cmc2006Papers/cmc200-p233.pdf (Acesso em 02/04/12).

    CARDOSO, Nelson Leite. A utilizao do software educacional de simulao e

    modelagem Interactive Physics como instrumento de promoo da aprendizagem

    significativa de conceitos de Fsica: uma investigao pedaggica a partir da proposio de

  • situaes-problema. 2003. Dissertao de mestrado em cincia da computao, Universidade

    Federal de Santa Catarina, 2003.

    CARVALHO, Anna Maria Pessoa de in CACHAPUZ, Antonio [ET tal] A Necessria

    Renovao do Ensino de Cincias, So Paulo, Cortez, 2005.

    HEINECK, Renato. O ensino de fsica na escola e a formao de professores: reflexes e

    alternativas. Caderno Brasileiro de Ensino de Fsica / Universidade Federal de Santa

    Catarina. Centro de Cincias Fsicas e Matemticas. Florianpolis: Departamento de Fsica,

    1999. V.16, n.2, p. 226-241.

    Lima, s. c., Morais, R.F., Takahash, E.D., Gargiulo, V. e Mendes, E.B. Abordagem

    Multidisciplinar para o Desenvolvimento de Novas Metodologias de Ensino de Fsica.

    MEC; SEMTEC. Cincias da natureza, matemtica e suas tecnologias. Secretaria de

    Educao Mdia e Tecnolgica Braslia. PCN+ Ensino Mdio: Orientaes Educacionais

    complementares aos Parmetros Curriculares Nacionais, 2006. Disponvel em:

    http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume_02_internet.pdf. (Acesso 02/04/12).

    MOREIRA, M. A. Mapas Conceituais. Caderno Catarinense Ensino Fsica. Florianpolis,

    3(1): 17-25, abril 1986.

    MOREIRA, M. A. Subsdios Tericos para o Professor Pesquisado em Ensino de

    Cincias: Aspectos Metodolgicos. Disponvel em:

    http://www.if.ufrgs.br/~moreira/Subsidios5.pdf (Acesso em 26/03/12).

    MOREIRA, M.A. Subsdios Tericos para o Professor Pesquisado em Ensino de

    Cincias: A teoria da aprendizagem significativa. Disponvel em:

    http://www.if.ufrgs.br/~moreira/Subsidios6.pdf. (Acesso em 28/03/12).

    MOREIRA, M. A. Subsdios tericos para o professor pesquisador em ensino de cincias:

    Mapas Conceituais, Diagrama V e Organizadores prvios. 6 Ed. Porto Alegre, 2009.

    Link: http://www.if.ufrgs.br/~moreira/Subsidios3.pdf, (Acesso 26/03/12).

    MORENO, L. R. SONZOGNO, M. C. BATISTA, S. H. S. BATISTA, N. A. Mapa

    Conceitual: Ensaiando Critrios de Anlise. Cincia e Educao, Bauru, v. 13, n. 3, p.

    453-463, 2007.

    NOVAK, J.D. (2000). Aprender, criar e utilizar o conhecimento. Mapas conceituais como

    ferramentas de facilitao nas escolas e empresas. Lisboa, Pltano Edies Tcnicas.

    NOVAK, J.D.; GOWIN, D.BOB. (1996). Aprender a aprender, traduo: Carla

    Valadares.Lisboa: Pltano Edies Tcnicas.

    NOVAK, J.D. (1981). Uma teoria de educao. So Paulo, Pioneira. Traduo para o

    portugus, de M.A. Moreira.