Click here to load reader

obra de arte de engenharia - · PDF fileobra de arte de engenharia Conheça a aventura da construção da Arena da ... reservas de petróleo e gás se encontram no mar e que a sua

  • View
    216

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of obra de arte de engenharia - · PDF fileobra de arte de engenharia Conheça a aventura...

  • N.06 fevereiro

    2014

    Conhea a aventura da construo da Arena da Amaznia, em Manaus, Brasil

    Pedro Duarte, Administrador da Martifer Construes e da Navalria

    Saiba mais sobre o maior parque fotovoltaico da Amrica Latina

    A excelncia do servio O&M da Martifer Solar

    entrevista

    solar

    em foco

    obra de arte de engenharia

  • 2 mnews | fevereiro 2014 | n.06 3mnews | fevereiro 2014 | n.06

    EDSU

    PROPRIEDADEGrupo Martifer, Apartado 17,3684-001 Oliveira de FradesPortugal

    DIRETORCarlos Martins

    DIRETOR DE REDAOSnia Baldeira

    REDAOCatarina Teixeira, Snia Baldeira

    COLABORARAM NESTA EDIOAntnio Fernandes, Isabel Gaspar, Luis Ferreira, Mafalda Trindade, Marco Alves, Mariana Paste, Mrio Reis Gonalves, Miguel Lima, Paulo Cavaleiro, Paulo Neves, Pedro Duarte

    DESIGN E PAGINAOSandra Cruz

    FOTOGRAFIAEstdios do Mundial 2014 www.copa2014.gov.br; Portugal Exportador AIP; Congresso de Construo Metlica e Mista CMM; Restantes imagens banco de ima-gens do grupo Martifer

    PERIODICIDADE Anual

    Esta publicao adota o novo Acordo Ortogrfico

    CAPA

    obra de arte de engenharia

    Conhea a aventura da construo da Arena da Amaznia

    editorial

    3 editorial Novos mercados e novos clientes, cada vez mais exigentes

    4 entrevista Pedro Duarte | Administrador da Martifer Construes e da Navalria

    10 preparar o futuroMartifer Global numa Economia Global

    14 em foco O&M Martifer Solar, um servio de excelncia

    18 PRESENA GLOBALUm Grupo industrial global

    20 metallic constructions Arena da Amaznia: mais do que uma obra, uma obra de arte

    26 solarNo Mxico, o maior parque fotovoltaico da Amrica Latina

    32 renewables Terceiro parque elico concludo na Polnia

    34 empreender Martifer Solar considerada a quarta maior empresa euro-peia no segmento EPC

    sumrio

    Senhores leitores,

    Nesta edio de incio de 2014 da nos-sa revista externa MNews poder:

    1) Conhecer o Eng. Pedro Duarte que em Entrevista, nos explica como a Martifer Metallic Constructions tem procurado diversificar as suas geografias, diminuindo a sua exposio Ibria, como alinha a sua estratgia nos mer-cados onde atua, como foi importante ajustar e adaptar a estrutura industrial, como a estratgia de crescimento no segmento de construo e reparao naval tem vindo a ser materializada nos ltimos 5 anos e, finalmente, como este administrador v a Martifer Metallic Constructions daqui a 5 anos.

    2) No Preparar o Futuro, damos-lhe uma breve anlise dos principais drivers econmicos e setoriais em 2014.

    3) No Em Foco, poderemos saber como funciona a rea de Operao e Manuteno da Martifer Solar, uma das linhas de negcios de grande potencial.

    4) Finalmente, em vrios artigos, feito um importante balano do que de mais relevante fizemos em 2013.

    Este foi um ano muito importante para ns: conquistmos novos mercados e novos clientes, cada vez mais exigentes.

    Construmos infraestruturas de constru-o e de energia ainda mais complexas e com condies cada vez mais desafiantes.

    Fizemos a primeira instalao foto-voltaica sobre cobertura na ndia, construmos um dos maiores clusters PV no Reino Unido, e se no bastasse, fizemos o maior parque PV da Amrica Latina. Ao todo a Martifer Solar dever ter atingido os 200 MWs instalados em 2013, o que soma j 400 MWs de projetos PV j entregues desde 2008. Um nmero que nos orgulha e que nos coloca este ano no 14. lugar do ranking mundial no segmento EPC.

    No Elico, conclumos com sucesso os 26 MW de parques elicos para o gru-po IKEA e na construo naval, fizemos a entrega dos navios-hotel Queen Isa-bel e Amavida ao cliente Douro Azul.

    Na atividade raiz de construo me-tlica, desbravando novos mercados, conclumos, no Brasil, aps 2 anos, mais algumas obras de grande dimenso, como o estdio Arena Fonte Nova, e inicimos a construo de outras no menos importantes, como o Museu do Amanh ou as Pontes da Transcarioca. A nova fbrica da Martifer Alumnios em Jacare est pronta a operar desde o final de 2013.

    Na Arbia Saudita as obras continuam a grande ritmo. No Reino Unido e na Frana entregmos a SSE Hydro Arena, em Glasgow e a Airbus, em Toulouse, respetivamente.

    As obras feitas este ano tm um deno-minador comum: mais complexidade de engenharia.

    Ou seja, passo a passo, o grupo Martifer est mais global e competitivo, o que nos d a certeza que a marca MARTIFER continua no bom caminho para uma maior notoriedade e reconhecimento internacional.

    novos mercados e novos clientes,

    cada vez mais exigentes

  • 4 mnews | fevereiro 2014 | n.06 5mnews | fevereiro 2014 | n.06

    EN entrevista

    Na Martifer desde 2004, Pedro Duarte administrador da Martifer Construes e da Navalria h trs anos. Com o pelouro dos novos negcios e da construo naval, fala-nos da sua viso da Martifer numa perspetiva a longo prazo: da presena internacional expanso da atividade naval e Oil & Gas.

    hoje estamos industrialmente

    muito melhor preparados para atuar

    globalmenteentrevista a pedro duarte, administrador

    da martifer construes e da navalria

    MNEWS | A Martifer Metallic Construc-tions tem procurado diversificar as suas geografias, diminuindo a sua exposio Pennsula Ibrica. Quais sero as pr-ximas geografias a contar com a pre-sena da empresa?

    PEDRO DUARTE | Essa diversificao tem vindo a ser materializada h algum tem-po, pelos motivos que todos sabemos, essencialmente pela crise econmica, que afetou no s a Pennsula Ibrica, mas a Europa em geral. No h outra forma de suportar a quebra de trabalho na rea da construo que ocorreu a partir de 2008 nos mercados onde atu-vamos com maior nfase, que no seja diversificar e estar onde h trabalho.

    A nossa estratgia de crescimento est bem clara e conhecida. Hoje, atuamos na Europa e no Mdio Oriente, em fri-ca e na Amrica Latina e nestes merca-dos que estamos concentrados.

    MN | Qual a estratgia de entrada da Martifer Metallic Constructions para ganhar dimenso e conquistar novos mercados? Como procura destacar-se? Quais as suas principais vantagens com-petitivas em relao concorrncia nos mercados estratgicos?

    PD | A Martifer tem um conjunto de obras j realizadas e de catlogo, que

    lhe permitem mostrar a sua capacidade de realizao. Contudo, isso hoje no necessariamente suficiente para angariar projetos em geografias onde no somos to reconhecidos.

    A nossa entrada em novos mercados obedece essencialmente a dois critrios: Perspetiva econmica pases que pela sua capacidade sustentada de cresci-mento, existe uma grande necessidade de realizao de investimentos quer via setor pblico, quer via setor privado e Perspetiva de desenvolvimento pases que pelo crescimento e desenvolvimento acelerado tm grandes necessidades na rea das infraestruturas e tambm de equipamentos para a explorao dos

    seus recursos naturais.

    Paralelamente, a estratgia comercial est a ser abordada de forma a permitir que a empresa possa oferecer mais do que aquilo que faz parte do seu core business original, que so as estruturas metlicas e as fachadas em alumnio, onde nem sempre diferenciadora a nossa inegvel capacidade de realizao.

    Hoje, a maioria dos clientes (e os ne-gcios mais interessantes) procuram solues integradas, de preferncia com financiamento associado, que demons-trem capacidade de realizao e sejam competitivas. Ora, a pergunta que se

    coloca : como podemos materializar tudo isso numa proposta que nos possa diferenciar dos demais? Parece-nos claro tambm aqui que temos que traar a nossa estratgia baseada em trs pres-supostos fundamentais: estabelecimento de parcerias, execuo de produtos de valor acrescentado e obteno de uma estrutura flexvel.

    Atravs do estabelecimento de parcerias com empresas de segmentos comple-mentares e que nos permitam ganhar es-cala e dimenso internacional, e tambm, parcerias associadas ao apoio e financia-mento de projetos.

    A execuo de produtos de valor acres-

    O crescimento no segmento da Construo e Reparao Naval tem vindo a ser materializado no seio do Grupo h mais de 5 anos

  • 6 mnews | fevereiro 2014 | n.06 7mnews | fevereiro 2014 | n.06

    entrevista

    centado , tambm, importante. Alguns exemplos deste tipo de produtos so as chamadas obras de arte de construo, como a Arena da Amaznia, por exemplo, os equipamentos para a indstria Oil & Gas, a indstria naval e os equipamentos de apoio s indstrias offshore e mineira.

    Por fim, importante ter uma estrutura flexvel, isto , recursos humanos motiva-dos e orientados para a mobilidade e que sejam capazes de criar as melhores solu-es de engenharia para otimizar os pro-jetos, de forma a ganhar vantagens com-petitivas no que mais oneroso na nossa atividade: fabrico, logstica e montagem.

    Esta a estratgia da Martifer para conse-guir, como tem conseguido, realizar os pro-jetos mais difceis nos locais mais inspitos.

    MN | Os polos industriais de que a Mar-tifer dispe atualmente permitem-lhe operar globalmente? um negcio com flexibilidade de alteraes geogrficas?

    PD | Tambm aqui temos vindo a adaptar a nossa estratgia nos ltimos anos. Algu-mas das nossas fbricas arrancavam de-senhadas para um determinado modelo de negcio e tinham dimenso e capa-cidade para se adequar a esse modelo. Ou seja, por alterao das necessidades de mercado que posteriormente ocor-reram, algumas foram desenhadas com dimenso maior do que veio a revelar-se necessrio e com pouca flexibilidade.

    Assim, houve a necessidade de reformu-lar a nossa presena industrial em alguns pases, enquanto noutros a opo foi mesmo encerrar a atividade industrial.Hoje, as nossas novas fbricas esto a ser projetadas com base num modelo nico de layout e com uma dimenso que res-ponda apenas ao arranque da atividade. Esto preparadas para cres

Search related