Click here to load reader

Os microrganismos, higiene e problemas sociais

  • View
    403

  • Download
    6

Embed Size (px)

Text of Os microrganismos, higiene e problemas sociais

  • 1. Os microorganismos

2. O que so, e o que os constituem Os microrganismos so formas de vida muito pequenos que apenas podem ser vistos atravs do microscpico. Vivem praticamente em todos os ambientes: ar, solo, interior de outros organismos e nas mais variadas condies ambientais. Apresentam uma grande diversidade de tamanho e formas, podendo ser assim distribuda em 5 grupos: os vrus, as bactrias, os protozorios, as algas microscpicas e alguns fungos. 3. Caractersticas dos grupos dos microorganismos Vrus: Os vrus so seres vivos que no possuem clulas, e so constitudos por cido nuclico. Bactrias: As bactrias so seres vivos unicelulares, sem ncleo organizado, que pertencem ao Reino Monera. So a forma de vida mais abundante e existem no ar, na terra e na gua. 4. Protozorios: Os protozorios e as algas microscpicas so seres vivos unicelulares, com ncleo organizado, pertencentes ao reino Protista. Fungos: Os fungos pertencem ao Reino Fungi. Existem fungos unicelulares, mas a maioria pluricelular. Os bolores so fungos pluricelulares, que se tornam visveis a olho nu quando se muliplicam sobre os alimentos. 5. Condies para que os microorganismo se reproduzam O processo de reproduo do vrus segue um dos ciclos abaixo: Ciclo ltico: o vrus se aproxima da clula (fixao), e injeta seu material gentico dentro dela (injeo); dentro da clula, as partculas de DNA ou RNA injetados se multiplicaro; novos vrus so formados, com os recursos da propria clula (enzimas, nutrientes, etc); a clula morre, libertando os novos vrus que se formaram; Um exemplo so os vrus bacterifagos, que destroem as clulas bacterianas aps a replicao do DNA viral. Ciclo lisognico: O vrus introduz seu material gentico em uma clula. Este material passa a fazer parte do DNA celular, que ser replicado juntamente com a clula durante a mitose. 6. As bactrias so seres microscpicos que se reproduzem assexuadamente por diviso binria, tambm chamada de cissiparidade. 7. Nos protozorios encontramos os seguintes tipos de reproduo: Assexuada: diviso binria ou cissiparidade; brotamento ou gemulao; esquizogonia: uma fisso mltipla; o ncleo se divide mltiplas vezes antes da clula se dividir. Aps a formao de vrios ncleos, uma pequena poro do citoplasma se concentra ao redor de cada ncleo e ento, uma nica clula se separa em clulas-filhas. Sexuada: Existem dois tipos de reproduo sexuada: conjugao: unio temporria de dois indivduos, com troca mtua de materiais nucleares); singamia ou fecundao: unio de microgameta e macrogameta formando o ovo ou zigoto, o qual pode dividir-se para fornecer um certo nmero de esporozotos. O processo de formao de gametes recebe o nome de gametogonia e o processo de formao dos esporozotos recebe o nome de esporogonia. Nutrio: Quanto ao tipo de alimentao, os protozorios podem ser: holofticos ou autotrficos: so os que, a partir de gros ou pigmentos citoplasmticos (cromatforos), conseguem sintetizar energia a partir da luz solar (fotossntese); holozicos ou heterotrficos: ingerem partculas organicas, digerem-nas (enzimas) e, posteriormente, expulsam os metablitos. Essa ingesto se d por fagocitose (ingesto de partculas slidas) ou pinocitose (ingesto de partculas lquidas); saprozicos: "absorvem", substancias inorganicas, j decompostas e dissolvidas em 8. Nas algas microscpicas a reproduo assexuada, por diviso binria, semelhante das bactrias.As formas filamentosas podem reproduzir-se assexuadamente por fragmentao ou hormognia: quebram-se em alguns pontos, dando origem a vrios fragmentos pequenos chamados hormognios, que, por diviso de suas clulas, daro origem a novas colnias filamentosas. Algumas formas coloniais filamentosas produzem esporos resistentes, denominados acinetos, que podem destacar-se e originar novos filamentos. Alm de acinetos, algumas espcies possuem uma clula especial denominada heterocisto, cuja funo ainda no est esclarecida, mas h indcios de que sejam clulas fixadoras de nitrognio e de que auxiliem na sobrevivncia e flutuao dos organismos sob condies desfavorveis. 9. Os fungos, em sua maioria terrestres, reproduzem-se por meio de esporos, os quais usualmente tm disperso pelo vento. Clulas mveis no so formadas em nenhum estgio de seu ciclo de vida. O glicognio o polissacardeo primrio de reserva. O componente principal da parede dos fungos a quitina. 10. Exemplos de microorganismos teis e da sua Utilizao: As bactrias e os fungos so exemplos de microorganismos teis. Nem todas as bactrias e os fungos so ruins. Na verdade, a maioria das bactrias so inofensivas, e algumas so at benficas. Da mesma forma, existem certos fungos, particularmente leveduras, que so teis para as pessoas e podem ajudar a promover uma boa sade. Muitas dessas boas bactrias e fungos ajudam na digesto. Outros so usados em alimentos e medicamentos. Nos ltimos anos, as bactrias e fungos benficos comearam a ser utilizados como aditivos ou suplementos para 11. Exemplos de microorganismos patognicos As bactrias patognicas so aquelas que causam doenas, como a tuberculose e a lepra, alm de outras que voc estudar a seguir. Os antibiticos so medicamentos utilizados no combate s doenas causadas por bactrias; porm, o seu uso no deve ser indiscriminado, isto , sem receita mdica ou por perodos de tempo incorreto. Isso acaba por selecionar e favorecer linhagens de bactrias resistentes, dificultando a cura de vrias infeces. As principais doenas causadas por bactrias ao ser humano so: - Tuberculose - Hansenase - Clera - Ttano - Mininqite - Difteria - Leptospirose - Coqueluche - Sfilis - Gonorria 12. Vias de transmisso/Modos de entrada dos microorganismos patognicos no corpo humano 13. Podemos evitar os agentes patognicos atravs de: - Vacinao - Desinfeo - Esterilizao 14. O que a vacinao Vacinao o ato de se inocular nos seres vivos estados no ativos de agentes patognicos para a criao de anticorpos contra as doenas. 15. O que a desinfeo Desinfeo o tratamento fsico de resduos contaminados que permite eliminar ou reduzir para nveis no nocivos potenciais agentes patogenicos pelo contato do material com vapor de gua e altas temperaturas atravs de ciclos de compresso e de descompresso. 16. O que a esterilizao Esterilizao a destruio de todas as formas de vida microbiana (vrus, bactrias, esporos, fungos, protozorios e helmintos) por um processo que utiliza agentes qumicos ou fsicos. 17. Higiene e Problemas sociais 18. Higiene Hbitos de Higiene Pessoal: escovar os dentes aps as refeies; fazer uso de fio dental; tomar banho diariamente, manter as unhas cortadas e limpas; limpar os ouvidos; lavar as mos sempre que estiverem sujas ou suadas; dormir 8 a 10 horas dirias e no ir para a cama muito tarde. 19. Hbitos de Higiene Social: prevenir a transmisso de certas doenas atravs da vacinao; separar o lixo e deposit-lo nos locais prprios, evitando assim maus odores e o risco de pragas; evitar comportamentos de risco pois certas doenas so infetocontagiosas como por ex. a SIDA. 20. Consumo de lcool O consumo de lcool contribui mais do que qualquer outro factor de risco para a ocorrncia de traumatismos, incapacidade prematura e morte nos pases em desenvolvimento com baixa mortalidade. Relaciona-se com o surgimento e/ou desenvolvimento de numerosos problemas ou patologias agudas e crnicas de carcter fsico, psicolgico e social, constituindo, por isso, um importante problema de sade pblica. A longo prazo, o consumo de grandes quantidades de bebidas alcolicas sobretudo se estiver associado a um 21. Consumo de Tabaco As consequncias do tabagismo no surgem imediatamente. Uma pessoa pode continuar a fumar ignorando completamente o mal que est a provocar ao seu corpo. Muitas vezes, as vtimas da dependncia do tabaco vem o seu vcio como prazer. Mas estas pessoas no se apercebem que o hbito de fumar est a danificar o seu organismo lentamente. Muitos estudos desenvolvidos at o momento evidenciam sempre o mesmo: o consumo de derivados do tabaco causa quase 50 doenas diferentes, principalmente doenas cardiovasculares (infarte, angina,AVC), cancro e doenas respiratrias obstrutivas crnicas (enfisema e bronquite). 22. Poluio Poluio do ar: - No fazer fogueiras; - Viajar, essencialmente em transportes pblicos ou bicicletas; - No usar insecticidas; Poluio da gua: - No deitar lixo para os rios; - Ligar os esgotos ao saneamento pblico; - Colaborar na limpeza das mars negras, sempre que possvel. 23. Poluio do solo: - Colocar o lixo nos locais correctos; - Nunca colocar electrodomsticos ou quaisquer outros aparelhos em matas ou outros locais imprprios; - No utilizar pesticidas. Poluio sonora: - Sempre que estivermos numa festa de amigos, colocar a msica baixa; - Dizer, sempre que possvel, aos tcnicos de pirotecnia para no utilizarem foguetes barulhentos. 24. O que a SIDA A SIDA... um sndrome porque constitudo por um grupo de sinais e de sintomas. de imunodeficincia porque o que acontece que o sistema imunitrio fica cada vez mais deficiente, com menos capacidade de resposta ao longo da evoluo da doena adquirida porque ao contrrio de algumas doenas de imunodeficincia que so congnitas, ou seja, os indivduos j as tm nascena, esta doena surge depois de uma infeco por um vrus, o vrus VIH. 25. Modos de transmisso da SIDA Como se transmite a SIDA: - Relao sexual; - Transfuso de sangue; - Materiais que perfuram ou cortam a pele; - Gravidez e amamentao No existe evidncia de transmisso da SIDA pela saliva, lgrima, suor ou urina. Os casos que existem e que reclamam ter sido esta a via de transmisso no podem excluir completamente a hiptese da transmisso parentrica, por contacto com feridas ou eroses da pele. Como que a SIDA no transmitida? Como no se transmite: - Contacto Fsico; - Troca de carcias; - Picada de insetos; - Saliva, lgrima, suor e espirro; - Banheiro, vaso sanitrio, sauna e piscina; - Copos, pratos e talheres. 26. Qual a diferena entre ter SIDA e ser seropositivo? Os seropositivos diferem dos doentes com SIDA porque a