OS SISTEMAS ELEITORAIS LIMITES E POSSIBILIDADES DE ...· Os sistemas eleitorais: limites e possibilidades

  • View
    215

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of OS SISTEMAS ELEITORAIS LIMITES E POSSIBILIDADES DE ...· Os sistemas eleitorais: limites e...

PONTIFCIA UNIVERSIDADE CATLICA DO RIO GRANDE DO SUL

FACULDADE SANTO AGOSTINHO - FSA

PROGRAMA DE PS-GRADUAO EM DIREITO

MESTRADO INTERINSTITUCIONAL

JOO SANTOS DA COSTA

OS SISTEMAS ELEITORAIS

LIMITES E POSSIBILIDADES DE EFETIVAO DA SOBERANIA

POPULAR

TERESINA PORTO ALEGRE,

2015.

JOO SANTOS DA COSTA

OS SISTEMAS ELEITORAIS

LIMITES E POSSIBILIDADES DE EFETIVAO DA SOBERANIA

POPULAR

Dissertao apresentada como requisito parcial de

avaliao para obteno do Ttulo de Mestre em

Direito, no Programa de Ps-Graduao da

Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande do

Sul, em convnio com a Faculdade Santo Agostinho,

FSA, de Teresina-PI, via Mestrado Interinstitucional

MINTER.

Orientador: Dr. Draiton Gonzaga de Souza

TERESINA PORTO ALEGRE,

2015.

FOLHA DE APROVAO

Trata-se de Dissertao realizada por JOO SANTOS DA COSTA como

exigncia parcial para a obteno do ttulo de Mestre em Direito, no Programa de Ps-

Graduao em Direito, ao nvel de Mestrado, da Pontifcia Universidade Catlica do

Rio Grande do Sul PUCRS, em convnio com a Faculdade Santo Agostinho FSA,

de Teresina-PI, via Mestrado Interinstitucional MINTER presencial, que foi

submetida, nesta data, apreciao da banca avaliadora abaixo firmada e aprovada.

Porto Alegre, 15 de julho de 2015.

_______________________________________

Prof. Dr. Draiton Gonzaga de Souza

Orientador

_________________________________________

Prof. Dr. Nythamar Hilrio Fernandes de Oliveira Junior

Membro da Comisso

_________________________________________

Prof. Dr. Ney Fayet de Sousa Junior

Membro da Comisso

Trabalho que dedico Eliene, Ana Lina e Eloisa

Maria, tesouros de minha vida.

AGRADECIMENTOS

Agradeo ao Prof. Draiton de Souza, pela tranquilidade e credibilidade que me

foi depositada na realizao deste trabalho.

Agradecimentos, tambm, aos colegas professores Srgio Brandim, Ana

Meneses Brandim e Viviane Pedrazani, pelas pontuais e bem acolhidas observaes

crticas.

Agradeo, ainda, ao colega, Prof. Dr. Arnaldo Eugnio, pelas valiosas e sempre

bem colocadas sugestes de reviso do texto.

Especial agradecimento minha esposa Eliene, e s minhas filhas Ana Lina e

Eloisa Maria, todas credoras de um precioso tempo que lhes foi subtrado pelas horas de

produo deste trabalho.

Enfim, agradeo direo da Faculdade Santo Agostinho, pelo inestimvel

incentivo qualificao docente, e PUCRS, que abraou o desafio de viajar o pas

para produzir conhecimento e pesquisa na cidade de Teresina-PI.

Somente um governo democrtico pode

proporcionar uma oportunidade mxima de exercer

a responsabilidade moral.

Ser moralmente responsvel ter o governo de si no

domnio das opes moralmente pertinentes.

Robert A. Dahl

RESUMO

COSTA, Joo Santos da. Os sistemas eleitorais: limites e possibilidades de efetivao

da soberania popular. Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande Do Sul

PUCRS. Faculdade Santo Agostinho FSA, Teresina. 2015.

O trabalho que se apresenta teve o objetivo de estabelecer um estudo cientfico do

sistema eleitoral proporcional brasileiro, tomando-se como varivel a realizao do

princpio da soberania popular, a partir dos dois extremos, o limite e a possibilidade. A

discusso em si no nova, mas a abordagem evidentemente indita. Dois alicerces

foram forjados para a construo da concluso, o primeiro, a busca histrica do sentido

de Democracia, desde a antiguidade at o regime adotado pelo Brasil imperial e

republicano. O segundo alicerce foi o desenvolvimento de uma concepo de

representatividade poltica que fosse consentnea com o princpio da soberania popular

tal como se encontra exposto na Constituio Federal. Um contraponto foi feito com o

sistema eleitoral alemo, principalmente pela constatao de uma predileo dos

tericos nacionais em relao a esse sistema. Enfim, se chega ao ponto nuclear do

trabalho, que o estudo crtico do sistema eleitoral proporcional brasileiro, sobre o qual

se constatou um conjunto de aspectos que o impedem de realizar o princpio da

soberania popular, tornando-o carente de uma racionalizao terica e prtica para que

alcance a proporcionalidade e, assim, realize este objetivo primordial, que o de

legitimar a representao poltica no arcabouo constitucional vigente.

Palavras-chave: Sistema eleitoral. Democracia. Constituio Federal.

Representatividade poltica.

ABSTRACT

COSTA, Joo Santos da. Os sistemas eleitorais: limites e possibilidades de efetivao

da soberania popular. Pontifcia Universidade Catlica do Rio Grande Do Sul

PUCRS. Faculdade Santo Agostinho FSA, Teresina. 2015.

The research henceforth presented was aimed to establish a scientific study on the

Brazilian proportional electoral system, taking the principle of the popular sovereignty

as its nuclear variable, supported over two premises, the limit and the possibility. The

discussion itself is now new, but the approach is unpublished. Two bases have been

thought to reach the conclusion, the first, the historical search of the meaning of

Democracy, since the ancient times up until the implanted model in Brazil during its

empire as well as republic regimes. The second basis was developed from a conception

of political representation built in accordance with the principle of popular sovereignty

as it is expressed in the Federal Constitution. A parallel was made with the German

electoral system, mainly due to the perception of a kind of preference by the national

researchers in relation to such system. Finally, we get to the core point the work, which

is the critical study of the Brazilian proportional electoral system, on which a variety of

aspects were found to stop it from carrying out the principle of popular sovereignty,

making it dependent on a practical and theoretical rationalization so that it may reach

the desired proportionality and, thus, giving effectiveness to its main goal, which is the

political legitimacy in the present constitutional law ground.

Key-words: Electoral system. Democracy. Federal Constitution. Political representation.

LISTA DE SIGLAS

CDU - Christlich-Demokratische Union

CF Constituio Federal

CSU - Christlich-Soziale Union

DEM - Democratas

DMP District Mixed-Proportional

FDP Freie Demokratische Partei

M magnitude distrital

MMP- mixed-member proportional

n - nmero

PEC Projeto de Emenda Constituio

PDS - Partei ds Demokratischen Sozialismus

PPS Partido Popular Socialista

PR Partido da Repblica

PRB Partido Republicano Brasileiro

PSDB Partido da Social Democracia Brasileira

RP Representao Proporcional

SPD Sozialdemokratische Partei Deutschlands

SNTV single non-transferable vote

STV single transferable vote

SSD single-seat district

LISTA DE FIGURAS

Figura 1 As frmulas eleitorais

61

Figura 2 Frmulas eleitorais dos divisores

62

Figura 3 Quadro hipottico de eleio para o Bundestag

83

Figura 4 Comparativo dos sistema eleitorais brasileiro e alemo

89

Figura 5 Dados das eleies para deputado federal do ano de 2014 (votos

nominais e de legenda)

117

Figura 6 Dados das eleies de 2014 para deputado federal (So Paulo)

121

SUMRIO

INTRODUO ........................................................................................................ 12 CAPTULO I DA DEMOCRACIA ....................................................................... 16

1.1 O que democracia: uma anlise histrico-evolutiva ......................................... 16

1.2 A Democracia no Brasil: do Imprio Constituio republicana de 1891...... ... 26

1.3 A Democracia no Brasil Republicano: na era das codificaes eleitorais e dos desafios da reforma poltica .................................................................................... 32

CAPTULO II DOS SISTEMAS ELEITORAIS ................................................... 47

2.1 Dos sistemas eleitorais no regime democrtico brasileiro .................................. 47

2.1.1 Abordagem conceitual...................................................................................... 47

2.1.2 As tipologias dos sistemas eleitorais................................................................. 55

2.2Do sistema proporcional no Brasil: antecedentes e contexto no ps Constituio Federal de 1988 ................................................................................... 62

2.3 O sistema eleitoral proporcional brasileiro sob a tica do sistema partidrio ... 71

2.4 Do sistema eleitoral alemo: um paralelo com o modelo brasileiro.................... 75

CAPTULO III DO SISTEMA PROPORCIONAL NO BRASIL FRENTE AO PRINCPIO DA SOBERANIA POPULAR.............................................................. 90

3.1 Representatividade poltica: a interface do princpio da soberana popular no regime democrtico .................................................