Click here to load reader

Padronização de Coletes

  • View
    280

  • Download
    3

Embed Size (px)

Text of Padronização de Coletes

ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SECRETARIA DA SEGURANA PBLICA BRIGADA MILITAR

PADRONIZAO DE MODELO DE COLETE BALSTICO A SER EMPREGADONAS ATIVIDADES DA BRIGADA MILITAR

Maj RGIS ROCHA DA ROSA, Id. Func. 2191814 Maj EDUARDO OTONELLI PITHAN, Id. Func. 2151162 1 Ten EDEMILSON GONALVES DA SILVA, Id. Func. 2192047 1 Ten RODINEY PERES SIMES, Id. Func. 2182688

Porto Alegre, 20 de novembro de 2007

PADRONIZAO DE MODELO DE COLETE BALSTICO A SER EMPREGADONAS ATIVIDADES DA BRIGADA MILITAR

Pesquisa encomendada pelo Exm Sr Comandante-Geral da Brigada Militar (Boletim Geral n 150, de 15 de agosto de 2007).

Comisso Maj RGIS ROCHA DA ROSA, Id. Func. 2191814 Maj EDUARDO OTONELLI PITHAN, Id. Func. 2151162 1 Ten EDEMILSON GONALVES DA SILVA, Id. Func. 2192047 1 Ten RODINEY PERES SIMES, Id. Func. 2182688

Porto Alegre, 20 de novembro de 2007 2

SUMRIO

RESUMO 1 1.1 1.2 1.2.1 1.2.2 1.3 2 INTRODUO Problema de pesquisa.......................................................................................... Objetivos............................................................................................................. Geral.................................................................................................................... Especficos........................................................................................................... Questes de pesquisa........................................................................................... JUSTIFICATIVA

5 7 8 8 8 8 9 9

3 3.1 3.2 3.2.1 3.2.1.1 3.2.2 3.2.2.1 3.2.3 3.3 3.4 3.4.1 3.5 3.6 3.6.1 3.6.2 3.6.3 3.6.4 3.7. 3.8.

REFERENCIAL BIBLIOGRFICO Histrico.............................................................................................................. Materiais utilizados na fabricao de coletes...................................................... Fibras de Aramida............................................................................................... Propriedades da fibra de Aramida....................................................................... Polietileno............................................................................................................ Propriedades........................................................................................................ Zylon................................................................................................................... Princpios de funcionamento............................................................................... Colete como equipamento de proteo individual.............................................. Proteo adicional............................................................................................... Os padres propostos pelo National Institute of Justice NIJ, dos EUA........... Tipos de coletes................................................................................................... Coletes Dissimulados.......................................................................................... Coletes Ostensivos.............................................................................................. Coletes Tticos.................................................................................................... Coletes Correcionais............................................................................................ Conforto e Ajuste................................................................................................ rea de proteo.................................................................................................. 3

10 10 16 16 20 21 22 23 28 30 35 35 37 37 39 39 40 43 45

3.9 3.9.1 3.9.2 3.10 3.11 3.12 3.13 4 4.1 4.2 5 5.1 6 6.1 6.2 6.3

Testes, certificao e nveis de proteo............................................................. Nveis de proteo............................................................................................... Testes para homologao dos coletes correcionais............................................. Identificando o tipo de colete adequado.............................................................. Prazo de validade dos coletes.............................................................................. Critrios tcnicos para aquisio de coletes balsticos........................................ Situao atual na Brigada Militar........................................................................ METODOLOGIA Caracterizao do estudo..................................................................................... Coleta de dados................................................................................................... ANLISE E DISCUSSO DOS DADOS Discusso............................................................................................................. CONSIDERAES FINAIS Concluses da pesquisa....................................................................................... Limitaes do estudo.......................................................................................... Sugestes............................................................................................................ REFERNCIAS BIBLIOGRFICAS ANEXO 1

45 48 52 54 59 61 64 68 68 69 69 69 73 73 75 75 77 79

4

RESUMO

O presente estudo teve por objetivo verificar qual o colete balstico mais adequado s atividades desenvolvidas pela Brigada Militar, seu tipo, propriedades de resistncia balstica, configurao e demais aspectos quanto sua correta utilizao, considerando aspectos relativos especificao dos produtos pelos fabricantes, as normas tcnicas que regem sua fabricao e a regulamentao quanto ao seu fabrico e aquisio. O referencial terico est centrado em normas americanas internacionalmente aplicadas, em informaes tcnicas colhidas nos sites dos fabricantes e de rgos policiais estrangeiros, bem como em alguns escassos trabalhos e artigos a respeito do tema proposto. Do ponto de vista metodolgico, tal estudo situa-se dentro do contexto de uma abordagem naturalista, caracterizada como uma pesquisa exploratria descritiva, envolvendo levantamentos bibliogrficos e documentais, ao qual foram acrescentadas algumas pesquisas realizadas na prpria Corporao. Foram abordadas trs dimenses do conhecimento: dados fornecidos pelos fabricantes, os aspectos tcnicos concernentes fabricao e aquisio dos coletes balsticos e, ainda, a doutrina tcnica policial acerca da utilizao deste equipamento de proteo individual. Na coleta dos dados relativos aos materiais balsticos e os aspectos tcnicos dos diversos tipos de coletes, os membros desta comisso assistiram a uma palestra do gerente da Diviso de Fibras Avanadas da Du Pont, Mrcio Elio Manique Jnior, que esclareceu vrias 5

dvidas acerca da composio e das propriedades das fibras de Aramida, material fabricado pela referida empresa, comparando-as com as propriedades do polietileno, alm de detalhar normas de fabricao dos coletes em conformidade com as imposies legais do Departamento de Logstica do Exrcito Brasileiro. Ainda, tivemos contato com Jefferson Teixeira, Gerente de Negcios Institucionais da Companhia Brasileira de Cartuchos CBC, maior fabricante de coletes do pas, que abordou os processos de fabricao e caractersticas tcnicas dos materiais balsticos empregados pela referida empresa na fabricao de tais equipamentos. No que tange doutrina policial atinente ao tema, foi utilizado como base referencial deste trabalho, um documento elaborado pelo National Institute of Justice, dos Estados Unidos, denominado Selection and Aplication Guide to Personal Body Armor, ou Guia para Seleo e Aplicao do Colete Balstico Pessoal, no qual so abordadas inmeras matizes inerentes ao assunto, das normas quanto fabricao, exigncias de conforto para o usurio, nveis de proteo e passando pelos testes de qualificao para a comercializao de tais produtos. Os dados coletados foram qualitativos, baseando-se na legislao reguladora deste produto controlado, nas pesquisas anteriores sobre temas correlatos e informaes tcnicas dos fabricantes, sendo tal referencial analisado sob a luz da diversidade de modelos existentes no mercado brasileiro, seus nveis de proteo balstica, sua forma, tamanho e emprego ttico.

6

INTRODUO

O presente estudo prope-se a analisar os diferentes tipos de coletes balsticos disponveis no mercado nacional, verificando aqueles que se apresentam mais adequados s atividades desenvolvidas pela Brigada Militar, visando a padronizao quando de futuras aquisies. Chamado comumente de colete prova de balas, o colete balstico se constitui no equipamento que, depois das armas, est mais agregado s atividades militar e policial, tendo em vista a sua importncia tcnica e ttica, uma vez que sua utilizao se revelou extremamente eficaz no que concerne proteo individual dos profissionais que labutam nestas reas, sendo que, das duas atividades acima referidas, nos reportaremos mais pontualmente rea policial, por ser o escopo do presente trabalho e por termos maior conhecimento acerca de suas especificidades. Diuturnamente, os policiais militares atuam diretamente na mediao de conflitos, ocasio em que o emprego do equipamento e do armamento adequado influencia diretamente no resultado de sua ao, tendo repercusses em vrias dimenses, no mbito institucional, tcnico e no prprio comportamento da sociedade, uma vez que a ao policial visa dirimir conflitos sociais, nos quais, no raramente, os nimos das partes envolvidas se encontram exaltados e a presena dos agentes da lei pode desencadear reaes violentas, inclusive com armas de fogo. A atividade policial se caracteriza como uma das profisses em que o risco de vida mais presente, impondo, desta forma, que todos os seus profissionais estejam permanentemente se atualizando, tanto no que diz respeito s novas tcnicas e tticas de atuao quanto utilizao d

Search related