Click here to load reader

PARNASIANISMO – 1850 Valéria Lima. O parnasianismo é uma escola literária ou um movimento literário essencialmente poético, contemporâneo do Realismo-Naturalismo

  • View
    121

  • Download
    8

Embed Size (px)

Text of PARNASIANISMO – 1850 Valéria Lima. O parnasianismo é uma escola literária...

  • Slide 1
  • PARNASIANISMO 1850 Valria Lima
  • Slide 2
  • O parnasianismo uma escola literria ou um movimento literrio essencialmente potico, contemporneo do Realismo-Naturalismo. Um estilo de poca que se desenvolveu na poesia a partir de1850, na Frana. representou na poesia o esprito positivista e cientfico da poca, surgindo no sculo XIX (19) em oposio ao romantismo.
  • Slide 3
  • Nasceu com a publicao de uma srie de poesias, precedendo de algumas dcadas o simbolismo. O seu nome vem do Monte Parnaso, a montanha que, na mitologia grega era consagrada a Apolo e s musas.
  • Slide 4
  • Caracteriza-se pela: sacralidade da forma, pelo respeito s regras de versificao, pelo preciosismo rtmico e vocabular, pelas rimas raras, pela preferncia por estruturas fixas, como os sonetos. o emprego da linguagem figurada reduzido, com a valorizao do exotismo e da mitologia. os temas preferidos so os fatos histricos, objetos e paisagens.
  • Slide 5
  • Preciosismo: focaliza-se o detalhe; cada objeto deve singularizar-se, da as palavras raras e rimas ricas. Objetividade e impessoalidade: O poeta apresenta o fato, a personagem, as coisas como so e acontecem na realidade, sem deform-los pela sua maneira pessoal de ver, sentir e pensar. Esta posio combate o exagerado subjetivismo romntico.
  • Slide 6
  • Arte Pela Arte: A poesia vale por si mesma, no tem nenhum tipo de compromisso, e se justifica por sua beleza. Faz referncias ao prosaico, e o texto mostra interesse a coisas pertinentes a todos. Esttica/Culto forma: Como os poemas no assumem nenhum tipo de compromisso, a esttica muito valorizada. O poeta parnasiano busca a perfeio formal a todo custo, e por vezes, se mostra incapaz para tal.
  • Slide 7
  • Aspectos importantes para essa esttica perfeita so: Rimas Ricas: So evitadas palavras da mesma classe gramatical. H uma nfase das rimas do tipo ABAB para estrofes de quatro versos, porm tambm muito usada as rimas interpoladas. Valorizao dos Sonetos: dada preferncia para os sonetos, composio dividida em duas estrofes de quatro versos, e duas estrofes de trs versos. Revelando, no entanto, a "chave" do texto no ltimo verso.
  • Slide 8
  • Metrificao Rigorosa: O nmero de slabas poticas deve ser o mesmo em cada verso, preferencialmente com dez (decasslabos) ou doze slabas(versos alexandrinos), os mais utilizados no perodo. Ou apresentar uma simetria constante, exemplo: primeiro verso de dez slabas, segundo de seis slabas, terceiro de dez slabas, quarto com seis slabas, etc.
  • Slide 9
  • Descritivismo: Grande parte da poesia parnasiana baseada em objetos inertes, sempre optando pelos que exigem uma descrio bem detalhada como "A Esttua", "Vaso Chins" e "Vaso Grego" de Alberto de Oliveira.
  • Slide 10
  • Temtica Greco-Romana - A esttica muito valorizada no Parnasianismo, mas mesmo assim, o texto precisa de um contedo. A temtica abordada pelos parnasianos recupera temas da antiguidade clssica, caractersticas de sua histria e sua mitologia. bem comum os textos des- verem deuses, heris,fatos len- drios, personagens marcados na histria e at mesmo objetos
  • Slide 11
  • Cavalgamento ou encadeamento sinttico - Ocorre quando o verso termina quanto mtrica (pois chegou na dcima slaba), mas no terminou quanto ideia, quanto ao contedo, que se encerra no verso de baixo. O verso depende do contexto para ser entendido. Ttica para priorizar a mtrica e o conjunto de rimas. Como exemplo, este verso de Olavo Bilac: Cheguei, chegaste. Vinhas fatigada e triste. E triste e fatigado eu vinha.
  • Slide 12
  • Em Portugal, o movimento no foi muito importante, tendo como autores Gonalves Crespo, Joo Penha, Antnio Feij e Cesrio Verde.
  • Slide 13
  • No Brasil, o parnasianismo dominou a poesia at a chegada do Modernismo brasileiro. A importncia deste movimento no pas deve-se no s ao elevado nmero de poetas, mas tambm extenso de sua influncia, uma vez que seus princpios estticos dominaram por muito tempo a vida literria do pas, praticamente at o advento do Modernismo em 1922.
  • Slide 14
  • Alm de Alberto de Oliveira, Raimundo Correia e Olavo Bilac, que configuraram a chamada trade parnasiana, o movimento teve outros grandes poetas no Brasil, como Vicente de Carvalho, Machado de Assis, Lus Delfino, Bernardino Lopes, Francisca Jlia, Guimares Passos, Carlos Magalhes de Azeredo, Goulart de Andrade, Artur Azevedo, Adelino Fontoura, Emlio de Meneses, Antnio Augusto de Lima, Lus Murat e Mrio de Lima.
  • Slide 15
  • Na dcada de 1870, a poesia romntica deu mostras de cansao, e mesmo em Castro Alves possvel apontar elementos precursores de uma poesia realista. Assim, entre 1870 e 1880 assistiu-se no Brasil liquidao do Romantismo. Na dcada de 1880 abriu-se para a poesia cientfica, a socialista e a realista, primeiras manifestaes da reforma que acabou por se canalizar para o Parnasianismo.
  • Slide 16
  • A partir de 1890, o Simbolismo comeou a superar o Parnasianismo. O realismo classicizante do Parnasianismo teve grande aceitao no Brasil, graas certamente facilidade oferecida por sua potica, mais de tcnica e forma que de inspirao e essncia. Assim, ele foi muito alm de seus limites cronolgicos e se manteve paralelo ao Simbolismo e mesmo ao Modernismo em sua primeira fase.
  • Slide 17
  • FIM Valria Lima

Search related