Passo a Passo

  • View
    219

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Cartilhas de convenio e processos

Text of Passo a Passo

  • ESTADO DE ALAGOASPROCURADORIA GERAL DO ESTADOPROCURADORIA DE LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOCENTRO DE ESTUDOS

    LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOS

    PASSO A PASSO

  • LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOS

    PASSO A PASSO

    APRESENTAO

    A Administrao Pblica, para poder atender com maior eficincia s necessidades pblicas, carece de agilidade. Um problema que sempre incomodou e ainda incomoda a gesto da Procuradoria Geral do Estado de Alagoas a demora na tramitao dos processos. Assim, com o objetivo de imprimir maior celeridade ao andamento dos processos, o primeiro passo foi diminuir o prazo do Procurador de Estado para analisar os processos.

    Por meio do Decreto n 3.961, de 3 de janeiro de 2008, foram alterados de forma significativa os prazos processuais. O ordinrio passou de 30 (trinta) dias para 15 (quinze) dias. Quanto aos processos urgentes, o prazo para anlise permaneceu o de 5 (cinco) dias. Ademais, a diligncia solicitada pelos Procuradores de Estado passou a suspender o prazo, cuja contagem recomear to logo o processo retorne para o Procurador, sem reincio da contagem, como era. Outro ponto relevante que aos processos cujo objeto sejam aes referentes ao Programa de Acelerao do Crescimento PAC, o prazo para toda a manifestao da Procuradoria ser de apenas 10 (dez) dias.

    Ainda visando rapidez da tramitao, as diligncias nos processos submetidos Procuradoria Geral do Estado devem ser cumpridas pelo interessado no prazo mximo de 10 (dez) dias. E, para maior eficincia e rapidez nas anlises dos processos, passou a ser informado nos autos um endereo eletrnico do interessado, com o objetivo de dar conhecimento e atendimento s diligncias realizadas por meio eletrnico.

    Entretanto, percebeu-se que mesmo ante todas as medidas algo ainda necessitava ser feito, e que no dependia diretamente da Procuradoria Geral do Estado: a qualidade da instruo processual. Surge ento a ideia de uma cartilha passo a passo, logo incorporada com entusiasmo pelos integrantes da Procuradoria de Licitao, Contratos e Convnios. O Gabinete Civil mostrou-se solcito e forneceu todo o apoio necessrio. O presente manual destina-se a cooperar com o trabalho dos agentes pblicos que atuam na formulao e instruo dos processos que versem sobre licitaes, contratos e convnios.

    Ao perpassar as pginas da Cartilha, tecida em linguagem clara e objetiva, e composta numa diagramao leve e harmoniosa, logo se percebe que seguir suas orientaes significa trilhar um caminho que conduz a um procedimento seguro de licitao e de contratao. Digno de elogio o esforo dos Procuradores da Procuradoria de Licitao, Contratos e Convnios que produziram o texto, que certamente ir resultar na maior eficincia da atuao do Estado para atender uma populao to carente como a alagoana.

    o que deseja e espera no s a Procuradoria Geral do Estado de Alagoas, mas todos os membros do atual governo.

    Que todos faam um bom uso da Cartilha, e tenham um bom trabalho.

    Mrio Jorge Ucha SouzaProcurador Geral do Estado

  • NDICE

    03LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOS PASSO A PASSO

    LICITAO - FASES INTERNA E EXTERNA ____________________________________________________________

    DISPENSA DE LICITAO __________________________________________________________________________

    INEXIGIBILIDADE DE LICITAO ____________________________________________________________________

    TERMO ADITIVO CONTRATUAL - PRORROGAO DE VIGNCIA _________________________________________

    TERMO ADITIVO CONTRATUAL - ALTERAO DO OBJETO CONTRATUAL _________________________________

    TERMO ADITIVO CONTRATUAL - REEQUILBRIO ECONMICO-FINANCEIRO _______________________________

    TERMO ADITIVO CONTRATUAL - REAJUSTE DE PREOS _______________________________________________

    RESCISO CONTRATUAL AMIGVEL ________________________________________________________________

    RESCISO CONTRATUAL UNILATERAL ______________________________________________________________

    LICITAO PARA O SISTEMA DE REGISTRO DE PREOS _______________________________________________

    CONTRATAO NO SISTEMA DE REGISTRO DE PREOS ______________________________________________

    CONTRATAO POR MEIO DE ADESO NO SISTEMA DE REGISTRO DE PREOS __________________________

    CONVNIO - NATUREZA FINANCEIRA _______________________________________________________________

    CONVNIO - NATUREZA NO FINANCEIRA ___________________________________________________________

    CONVNIO - DENNCIA ___________________________________________________________________________

    CONVNIO - ESTGIO ACADMICO _________________________________________________________________

    CONVNIO - MENOR APRENDIZ _________________________________________________________________

    CONVNIO - CONTRIBUIES, SUBVENES SOCIAIS E AUXLIOS _________________________________________________________________

    04

    11

    18

    24

    29

    34

    38

    42

    45

    49

    55

    59

    65

    79

    73

    77

    82

    87

    GOVERNO DO ESTADO DE ALAGOAS

    GOVERNADOR SUBPROCURADOR-GERAL DO ESTADOTeotonio Vilela Filho Charles Weston Fidlis Ferreira

    VICE-GOVERNADOR CORREGEDORA GERALJos Wanderley Neto Marialba dos Santos Braga

    SECRETRIO DE ESTADO DO GABINETE CIVIL ELABORAOlvaro Antonio Melo Machado PROCURADORIA DE LICITAES, CONTRATOS E

    CONVNIOSPROCURADORIA GERAL DO ESTADO DE ALAGOAS Ana Carolina Menezes Calheiros

    rgo encarregado da representao judicial e da consultoria Elaine Cristina de Melo Ramalhojurdica do Estado de Alagoas Newton Vieira da Silva

    ORGANIZAO E REVISOPROCURADOR-GERAL DO ESTADOCentro de EstudosMrio Jorge Ucha Souza

    EXPEDIENTE

    01

    02

    03

    04

    05

    06

    07

    08

    09

    10

    11

    12

    13

    14

    15

    16

    17

    18

  • Legislao Aplicada: So princpios da licitao a legalidade, a

    impessoalidade, a moralidade, a igualdade, a publicidade, a - Lei n 8.666/1993probidade administrativa, a vinculao ao instrumento - Lei Estadual n 5.237/1991convocatrio, o julgamento objetivo e outros. A Administrao - Lei n 10.520/2002Pblica deve observar esses princpios para evitar o perigo do - Decreto Estadual n 3.548/2007arbtrio, que desacredita e ao mesmo tempo compromete o - Decreto Estadual n 1.424/2003servio pblico; bem como selecionar a proposta mais - Decreto Estadual n 4.054/2008vantajosa para a Administrao. - Decreto Estadual n 37.984/1999

    - Decreto Estadual n 3.962/2008Este passo a passo tem como objetivo orientar os - Lei n 4.320/64

    rgos e entidades que pretendam realizar licitaes.- Lei Complementar n 101/2000

    Para facilitar a compreenso, o passo a passo adota A Administrao Pblica por fora de lei no pode termos claros e correntes. Por essa razo, alm de conceitos comprar diretamente de algum. Por isso, tem de licitar. Esta bsicos, a publicao traz instrues teis destinadas aos Cartilha, no formato passo a passo, visa servir de instrumento responsveis diretos pela elaborao de processos de informao aos rgos e entidades que pretender realizar licitatrios. Este passo a passo no tem a pretenso de licitao.esgotar o assunto, portanto no prescinde do estudo da legislao. Licitao o procedimento administrativo preliminar

    mediante o qual a Administrao Pblica, baseada em critrio Com esta publicao, a Procuradoria Geral do Estado prvio, seleciona, entre vrias propostas referentes a

    busca agir preventivamente com o intuito de evitar processos compras, obras ou servios, a que melhor atende ao interesse mal instrudos, ou mesmo irregulares, que terminam pblico, a fim de celebrar contrato com o responsvel pela dificultando a ao administrativa. proposta mais vantajosa. O fundamento legal bsico da

    licitao a Lei n 8.666, de 21 de junho de 1993, e suas alteraes, e a Lei n 10.520, de 17 de julho de 2002 - PREGO, que regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituio Federal de 1988.

    05LICITAES, CONTRATOS E CONVNIOS PASSO A PASSO04

    PGE-LIC n 01/2009

    LICITAOFASES INTERNA E EXTERNA

  • Administrao, diante de oramento detalhado e considerando os preos praticados no mercado, deve IDENTIFICAO DA NECESSIDADE E APRESENTAO indicar, de forma clara, concisa e objetiva, a necessidade do DA MOTIVAO ADMINISTRATIVArgo, o objeto a ser contratado, os critrios de aceitao do objeto, a definio de mtodos, a estratgia de suprimento, O rgo ou entidade interessada, por meio de ato o cronograma fsico-financeiro (se for o caso), os deveres do formal interno, identificar a necessidade administrativa e contratado e do contratante, os procedimentos de apresentar as razes de interesse pblico que justificam a fiscalizao e de gerenciamento do contrato, o prazo de contratao pretendida, apontando explicitamente a execuo e de garantia (se for o caso), e as sanes por finalidade pblica a ser alcanada. Deve ser observada a inadimplemento.definio das caractersticas bsicas de cada produto

    pretendido, tais como: tamanho, cor, capacidade, modelo etc. No permitida a escolha do material pala marca.

    REALIZAO DE COTAO DE PREOS

    O rgo ou entidade interessada realizar estimativa AUTUAO DO PROCESSOprvia do valor da contratao, autuando, pelo menos, 3 (trs) oramentos, exceto impossibilidade ou inexistncia, o que O rgo ou entidade interessada solicitar ao seu deve ser justificado, os quais, necessariamente, contm, em Protocolo a autuao do processo.relao s empresas consultadas, indicao de nome e n da inscrio no Cadastro Nacional da Pessoa Jurdica CNPJ, endereo e telefone comerciais, nome e assinatura da pessoa ELABORAO DE PROJETO BSICO OU TERMO DE responsvel pelo contedo da proposta e validade da REFERNCIAproposta.

    O rgo ou entidade interessada proceder O rgo ou entidade interessada, obrigatoriamente, elaborao do Projeto Bsico ou Termo de Referncia

    elaborar e autuar planilha que