Ptio das Laranjeiras - Edi§£o 80

  • View
    226

  • Download
    6

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Edição correspondente aos meses de Março e Abril de 2012

Text of Ptio das Laranjeiras - Edi§£o 80

  • ESCOLA PORTUGUESA DE MOAMBIQUE - CENTRO DE ENSINO E LNGUA PORTUGUESA

    Pginas 9 a 11

    A leitura amigade todos os saberes e artes

    Adeso e boa vontade dos alunos achave do sucesso das TIC no 1. Ciclo

    - garante Ricardo Franco, dinamizador da Sala TIC da EPM, ementrevista ao Ptio das Laranjeiras

    COZ I NH

    A

    DEL TE

    R AS

    Pginas 12 e 13

    Pginas 5 a 7

    Semana da Leitura daEPM-CELP fez dotexto e do hbito deler a fora motrizcriadora deespetculos demltiplas cores efantasias, tornando aleitura o valor maisprecioso de todas asaprendizagens

    Ano X - N. 80 | Maro/Abril 2012 | DIRETORA: Dina Trigo de Mira | Maputo - Moambique

  • EPM-CELP

    2 | PL |Mar/Abr 2012

    EDITORIAL

    COOPERAO | A EPM-CELP levou a emoo de tocar e ouvir violino Escola Primria Completa 12 de Outubro, em Maputo

    ATIVIDADES | A ecologia virou, entre os alunos, um sentimento de gratidoe respeito pela biodiversidade e sua sustentabilidade

    4

    5

    8

    9

    10

    12

    14

    16

    18

    21

    22

    SEMANA DA LEITURA | Cooperao e Solidariedade foi o tema aglutinadordas mltiplas e, muitas vezes, divertidas atividades da Semana da Leitura

    ATIVIDADES | Caa aos asterides, experincias de laboratrio, umaformiga chamada Juju e passos de tango diversificaram o quotidiano

    ENTREVISTA | Ricardo Franco relata experincias de ensino na Sala TIC,da qual dinamizador, com alunos do 1. Ciclo

    VISITAS DE ESTUDO | Alunos descobrem o modo de operar das previsesmetereolgicas e o que so estaes de tratamento de guas

    EVENTO | Semana das Cincias Sociais e Humanas provocou alunospara os problemas da atualidade

    ENSINO ESPECIAL | Pais de alunos com necessidades educativas especiaistestemunham o prazer de conviver com a diferena

    CINCIAS | Experincias simples ao ar livre e el laboratrio e relatos dequem est no terreno facilitam descoberta dos encantos das cincias

    LNGUA PORTUGUESA | A leitura recreativa na sala de aula revela-sefundamental para manter leitores e criar novos

    TIC | A motivao dos alunos tem sido a chave do sucesso dasaprendizagens das tecnologias de informao e comunicao

    23 PSICOLOGANDO | As frias escolares podem angustiar os pais quanto ocupao dos filhos. O contacto com a Natureza pode ajudar

    Para ler nesta edio

    PTIO DAS LARANJEIRAS | Revista bimestral da EPM-CELP | Ano X - N. 80 | Edio Mar/Abr 2012

    Directora Dina Trigo de Mira | Editor Antnio Faria Lopes | Editor-Executivo Fulgncio Samo | Redao Antnio Faria Lopes, Fulgncio Samo e SandraCosme | Editores Margarida Cruz (Lngua Portuguesa), Cludia Pereira (Artes), Judite Santos (TIC), Alexandra Melo (Psicologando) e Teresa Noronha (Pa-lavra Empurra Palavra) Editora Grfica Ana Seruca | Colaboradores redactoriais nesta edio Ana Albasini, Estela Pinheiro, Ana Catarina Carvalho, 5.D, Tnia Silva, Margarida Dray (5. B), Iano Carvalho (5. B), Nayma Melo (8. D) e Isabel Loio | Grafismo e Pr-Impresso Antnio Faria Lopes, FulgncioSamo e Ana Seruca | Fotografia Filipe Mabjaia, Firmino Mahumane e Ilton Ngoca | Reviso Antnio Faria Lopes e Fulgncio Samo | Impresso e ProduoCentro de Recursos Educativos | Distribuio Fulgncio Samo (Coordenador)PROPRIEDADE Escola Portuguesa de Moambique - Centro de Ensino e Lngua Portuguesa, Av. do Palmar, 562 - Caixa Postal 2940 - Maputo - Moam-bique. Telefone + 258 21 481 300 - Fax + 258 21 481 343

    Stio oficial na Internet: www.epmcelp.edu.mz | E-mail: patiodaslaranjeiras@epmcelp.edu.mz

    A leitura, sempre a leitura

    Poucos ousaro contestar o valor e utilidade do textoe da leitura nas aprendizagens humanas e sociais.H sempre um texto na origem da maior parte das

    aes sociais e pessoais: uma mensagem escrita que se

    recebe, uma notcia lida no jornal, uma novidade ou

    vida na rdio ou na televiso e contida num texto lido

    em voz amplificada para milhes de ouvintes, uma his

    tria lida num livro, enfim, ningum concebe uma vida

    sem texto escrito e respetiva leitura. At arrumamos

    palavras e textos na mente antes de falarmos com al

    gum, mesmo que no venham a ter expresso fsica

    no papel ou no monitor de computador.

    Leitura e escrita so faces da mesma moeda. Esta

    perde todo o valor se uma das suas faces estiver total

    mente em branco. Foi esta evidncia e unidade que a

    Semana da Leitura da EPMCELP explorou, com parti

    cular acuidade, na edio 2011/2012. Ao promover a

    leitura a descodificao convocou tambm a escrita

    a codificao. So duas competncias a que a Escola

    est, por vocao natural, associada: ensinar a desco

    dificar a mensagem e ensinar a codificar outras novas,

    com base no que foi apreendido, para a construo de

    novos saberes, transformadores da realidade pessoal

    e social.

    A Semana da Leitura deu oportunidades de expres

    so a todos os atores do processo educativo e a todas

    as reas do conhecimento, desde a msica s cincias,

    passando pelo teatro e pela literatura, com misturas

    fantsticas entre vrias linguagens, tornando o evento

    mais significativo, consequente e, sobretudo, mais rea

    lista e enriquecedor da formao do indivduo. Esta

    viso estratgica e diversidade contribuiram para

    atrair os nossos alunos para as atividades de aprendi

    zagem, ao fazer emergir novas formas de alcanar o co

    nhecimento ou adquirir novas competncias de modo

    mais cativante. Prticas que tornam positivas as expe

    rincias de aprendizagem dos alunos e de ensino dos

    professores. No meio fica a dramatizao adequada

    para convocar a emoo que necessrio utilizar em

    qualquer aprendizagem.

    A Semana da Leitura ocupa, assim, todas as sema

    nas do ano.

  • Mar/Abr 2012 | PL | 3

    INSTITUCIONAL

    Primeiro-ministro visitou a EPM-CELP

    AEPM-CELP assinou acordos de cooperao, na rea da orientaode estgios finais de cursos superiores, com a UniversidadeEduardo Mondlane (UEM) e a Universidade Politcnica, respetivamenteem 13 e 20 de maro.

    A EPM-CELP desenvolve estas parcerias acadmicas com as duasuniversidade moambicanas j h vrios anos, ainda que as mesmass tenham sido formalizadas recentemente. A nossa Escola contribui,assim, para a formao superior de jovens moambicanos com a reali-zao de estgios, de durao de cerca de 300 horas, nas reas da psi-cologia escolar, das necessidades educativas especiais e da psicologiaclnica, beneficiando da orientao das estruturas organizativas e fun-cionais da EPM-CELP, como os Servios de Psicologia e Orientao, osetor do Ensino Especial e o Centro de Formao e Difuso da LnguaPortuguesa.

    No presente ano letivo, trs estudantes estagirios tiveram oportu-nidade de estagiar na EPM-CELP, com intervenes nas reas de de-senvolvimento de atividades de apoio aos alunos da nossa Escola comnecessidades educativas especiais nos seus processos de aprendiza-gem.

    EPM-CELP recebe alunos estagirios da UEM e ISPO

    VISITA OFICIAL

    Oprimeiro-ministro de Portugal, Pedro Passos Coelho, visitoua EPM-CELP, em 10 de abril ltimo, no mbito da sua estadiaoficial em Moambique acompanhado por Paulo Portas, ministrodos Negcios Estrangeiros. Passos Coelho foi recebido pela di-retora do nosso estabelecimento de ensino, Dina Trigo de Mira,que convidou o chefe do Governo portugus a inaugurar o campopolivalente coberto da EPM-CELP.

    Aps os cumprimentos de boasvindas, na escadaria principaldo edifcio central da EPM-CELP, o grupo "Os Pequenos Violinos"fez as "honras da casa" com uma atuao no trio principal, aten-tamente seguida por Passos Coelho e vasta comitiva. Seguiu-sea assinatura do Livro de Honra nas instalaes da Biblioteca Es-

    colar Jos Craveirinha, onde tambm se procedeu entrega daoferta da EPM-CELP ao primeiro-ministro.

    Aps breve passagem pelos pavilhes gimnodesportivos epelo trptico de azulejos, no, sem antes, prestar declaraes ansiosa Imprensa, o primeiro ministro portugus e a diretora daEPM-CELP procederam, em conjunto, ao descerramento da placade inaugurao do campo polivalente coberto, que constituiu o l-timo ato da visita oficial.

    Antes da partida, Passos Coelho recebeu membros da comu-nidade portuguesa que se deslocaram s instalaes da EPM-CELP para um encontro com o chefe do Governo portugus,numa iniciativa do Consulado Geral de Portugal em Maputo.

  • COOPERAO

    4 | PL | Mar/Abr 2012

    Foto Filipe MabjaiaMOMENTOS EPM-CELP

    Ogrupo Os Pequenos Violinos da EPM-CELP ofereceu aosalunos da Escola Primria Completa 12 de Outubro, de Ma-puto, um concerto musical que teve lugar nas instalaes do es-tabelecimento de ensino moambicano, no passado dia 21 demaro.

    A iniciativa, com o objetivo de levar a msica clssica s es-cola pblicas moambicanas, o resultado de uma parceriaentre o Grupo Disciplinar de Educao Musical e o setor da coo-perao Portugal-Moambique no domnio das bibliotecas es-colares, desenvolvida por Ana Albasini. A msica clssica ,

    neste mbito, mais um ingrediente para o desenvolvimento da coo-perao, visando estender comunidade local o acesso prticae ao domnio da expresso musical erudita.

    Para alm do concerto oferecido aos alunos da 12 de Outu-bro, a EPM-CELP planeia proporcionar, ainda no decorrer do anoletivo em curso, momentos de formao musical destinados aosalunos da Universidade Eduardo Mondlane e da sua Direo Geralde Cultura, os quais integraro o ciclo de atividades associados nona edio da Masterclass de Violinos da EPM-CELP, agendadapara o prximo ms de junho.

    Violinos ecoaram na 12 de Outubro

  • Mar/Abr 2012 | PL | 5

    SEMANA DA LEITURA

    Espetculos das mil e uma leituras

    ABiblioteca Escolar Jos Craveirinha(BEJC) associou-se, mais uma vez, Rede de Bibliotecas Escolares (RBE), dePortugal, e, no mbito da Semana da Lei-tura, organizou diversas atividades, subor-din