Patrimônio ou (apenas) lugar? Discursos e re- lembranças ...· Discursos e relembranças como uma

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Patrimônio ou (apenas) lugar? Discursos e re- lembranças ...· Discursos e relembranças como uma

  • usjt arq.urb nmero 16 | segundo quadrimestre de 2016 96

    Vinicius Martins de Oliveira | Patrimnio ou (apenas) lugar? Discursos e relembranas como uma maneira de inventariar: uma anlise sobre o caso do povoado de salobra, cidade de Miranda/MS

    Abstract

    Os inventrios de identificao contribuem para o levantamento de dados e a coleta de informaes dos bens culturais protegidos ou a proteger. Desta forma, o objetivo neste artigo discutir o conceito de lugar e patrimnio a partir do conhecimento sobre um povoado de pescadores no salvaguar-dado pelo Instituto do Patrimnio Histrico e Artstico Nacional do Mato Grosso do Sul (IPHAN/MS), buscando entender se o mesmo apresenta alguma relevncia para um eventual processo de patrimonializao, ou se apenas guarda sentidos mnemnicos muito prprios e identitrios das pessoas que ali trabalham e moram. Para atingir esse objetivo, analisaram-se as formas como dois autores concebem a ideia de Lugar, primeiramente como experincia antropolgica de associao de valores, depois como um conjunto de aconteci-mentos que incidem de forma intangvel sobre ele, e por fim, a partir de uma ideia de apropriao do espao como experincia de uso cotidiano.

    Keywords: Patrimnio cultural; Polticas pblicas; Histria Oral; Memria Coletiva; Povos Ribeirinhos

    Patrimnio ou (apenas) lugar? Discursos e re-lembranas como uma maneira de inventariar: uma anlise sobre o caso do povoado de salo-bra, cidade de Miranda/MS1Heritage or (only) place? Narrative and memories as form a inventories of way: an analysis of the case of salobra community, Mmiranda City/MCVinicius Martins de Oliveira*

    Resumo

    The identification inventories contribute to data collection and information gathering of protec-ted cultural property (or to be protected). The aim of this article is to discuss the concept of place and heritage from knowledge about a fishers village not safeguarded by the Natio-nal Institute of Historical and Artistic Heritage at Mato Grosso do Sul, seeking to understand whether it has any relevance for some patri-monialization process, or if it mnemonics sen-ses and identity are owned only for the people who work there and live. To achieve this goal, we analyzed two authors diferent perspective (concept?) of place, first as an anthropological experience of association values, then as a set of events that relate to intangible form on it, and finally, from an appropriation of space idea as everyday experience.

    Palavras-chave: Architectural Heritage; Public policies; Verbal History; Coletive Memory; Rive-rine People.

    *Arquiteto urbanista pela Faculdade de Letras, Artes, Comunicao e Cincias da Educao. da Universidade So Judas Tadeu (USJT). Atualmente discente do programa de Mestrado Profissional em Preservao do Patrimnio Cultural da Coordenao-Geral de Documentao e Pesquisa do Instituto do Patrimnio Histrico e Artstico Na-cional (Copedoc/DAF/Iphan). Tem experincia na rea de Projetos de arquitetura, com nfase em Arquitetura hospitalar, Interveno em Bens Culturais e Normati-

    zao para reas tombadas, atuando principalmente nos seguintes temas: patrimnio cultural, cidade patrimnio, patrimnio histrico, pais-agem cultural, polticas de preservao do patrimnio e educao patrimonial, gesto do patrimnio cultur-al, restauro de bens culturais. Atualmente encontra-se lo-tado na Superintendncia do IPHAN em Mato Grosso do Sul, onde coordena os tra-balhos referentes ao desen-volvendo as diretrizes para normatizar a rea tombada do Complexo Ferrovirio de Campo Grande.

  • usjt arq.urb nmero 16 | segundo quadrimestre de 2016 97

    Vinicius Martins de Oliveira | Patrimnio ou (apenas) lugar? Discursos e relembranas como uma maneira de inventariar: uma anlise sobre o caso do povoado de salobra, cidade de Miranda/MS

    Este texto realiza uma anlise sobre as maneiras de se inventariar as referncias culturais a partir

    de um olhar sensvel ao conceito de Lugar. Partiu-

    -se de uma perspectiva histrica que entendes-

    se os Inventrios de Identificao do Instituto do

    Patrimnio Histrico e Artstico Nacional (IPHAN),

    reconhecendo que eles representam uma impor-

    tante parcela do trabalho realizado, das prticas

    de desenvolvimento das polticas de identificao,

    coleta de informaes e pesquisas dos bens cul-

    turais brasileiros, empregando uma reflexo sobre

    a sua relevncia com base no 1 do Art. 216 da

    Constituio da Repblica Federativa do Brasil de

    1988, em que se afirma o compromisso do Poder

    Pblico juntamente com a comunidade, de pro-

    mover a proteo do patrimnio cultural brasileiro

    a partir de uma srie de instrumentos, sendo os

    Inventrios um dos seus principais.

    Alm dos gegrafos que pesquisam sobre es-

    pao e patrimnio, o artigo se prope a analisar

    Introduo

    o raciocnio proposto por uma autora que vem

    contribuindo sobremaneira para alguns temas

    ligados disciplina antropolgica, trata-se de

    Laurajane Smith e a questo da intangibilidade,

    identidade, memria e lembranas, desempe-

    nho, lugar e dissonncia simblica do espao,

    utilizando estes conceitos sob diferentes aspec-

    tos dos usos patrimoniais.

    O que se busca , a partir de um estudo de caso

    aliado a uma interpretao do trabalho do IPHAN,

    busca-se ser possvel compreender as relaes

    existentes entre as instituies de preservao

    e o seu discurso autorizado de patrimnio (SMI-

    TH, 2006), refletindo sobre uma ideia clara sobre

    quem atribui valor aos bens e de que maneira

    isso influi nos seus significados e sentidos. Tal

    abordagem trata especialmente da disciplina ge-

    ogrfica relativa aos conceitos de espao, terri-

    trio e lugar, e as suas contribuies nas prticas

    patrimoniais que induziram para novos enten-

    1. Este trabalho foi produzi-do no mbito do Mestrado Profissional em Preservao do Patrimnio Cultural do IPHAN (PEP/MP), com recur-sos financeiros do IPHAN na forma de bolsa e auxlio pes-quisa no perodo entre 2015 e 2016, sob superviso de Andr Vilela na Superinten-dncia do IPHAN em Mato Grosso do Sul.

  • usjt arq.urb nmero 16 | segundo quadrimestre de 2016 98

    Vinicius Martins de Oliveira | Patrimnio ou (apenas) lugar? Discursos e relembranas como uma maneira de inventariar: uma anlise sobre o caso do povoado de salobra, cidade de Miranda/MS

    dimentos no campo do patrimnio. Sendo uma

    problemtica relevante para a geografia, buscou-

    -se um progresso terico maior a partir de alguns

    apontamentos de Ferreira (2000), Massey (2008),

    Ribeiro (2011) e Tuan (2013).

    Ao pensar a ideia de que todo patrimnio in-

    tangvel, Smith (2006) entende que ocorre uma

    desnaturalizao sobre o pensamento comum

    em relao aos bens culturais, entendendo que

    mesmo quando eles apresentam uma natureza

    fsica, podem ser identificados por uma srie de

    significados que lhe atribuam valores, como se

    esses locais e objetos no fossem inerentemen-

    te valiosos, nem carregassem um sentido inato,

    e sim fizessem parte de um processo cultural e

    uma srie de atividades que so empreendidas

    sobre eles, e dos quais eles se tornam parte

    (idem, 2006). Inspirado nesta definio eu experi-

    mentarei tais reflexes com a leitura que ser fei-

    ta sobre o estudo de caso em uma comunidade

    ribeirinha de pescadores.

    Ocorre que o patrimnio cultural sempre asso-

    ciado ao processo constante de atribuio de va-

    lores, sendo muitas vezes difundida a ideia equi-

    vocada de que eles os bens possuam valor

    intrnseco. Tomemos novamente a ideia de Smith:

    O que faz com que essas coisas sejam valiosas e

    significativas o que o torna patrimnio (...) so

    os processos culturais atuais e as atividades

    que so empreendidas sobre eles, e dos quais

    eles se tornam parte. So estes processos que

    os identificam como eventos sociais de valores

    culturais simblicos, e, assim, dar-lhes valor e

    significado. O ocidente tende tradicionalmen-

    te a enfatizar a ideia de patrimnio como uma

    base material, atribuindo significado de valor

    cultural inerente para as coisas. Alm disso,

    a sensao de seriedade dada a estes valores

    esta muitas vezes relacionada diretamente ida-

    de, monumentalidade e/ou esttica de um lugar

    (2006, p. 3, grifos meus)2.

    A conceituao da autora para o patrimnio se

    define ento como algo que usado para cons-

    truir, reconstruir e negociar uma gama de identi-

    dades e valores sociais e culturais e significados

    no presente (2006, p. 3)3. Gosto de enfatizar que

    tal definio dialoga muito bem com algumas

    ideias de Izabela Tamaso4 quanto aos sistemas

    patrimoniais e culturais, o que induziria a sua

    existncia e permanncia , de acordo com a

    incorporao e apropriao social, ponto chave

    das indagaes principais do presente texto.

    Entendo que a noo de materialidade, ou fisica-

    lidade (Smith 2006), atribuda ao patrimnio seja

    justamente o que permite que possamos mape-

    -lo, pensando em um plano de gesto, preser-

    vao e estudos como um objeto, a coisa tom-

    bada submetida ento a convenes locais

    devidamente institucionalizadas, visto como ne-

    cessrio para atribuir alguns valores que iro va-

    lidar a condio de algo como patrimnio, sendo

    2. What makes these things valuable and meaningful what makes them heritage, () are the present-day cul-tural processes and activities that are undertaken at and around them, and of whi-ch they become a part. It is these processes that identify them as physically symbo-lic of particular cultural and social events, and thus give them value and