Peixes cartilaginosos

  • View
    26

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Peixes cartilaginosos. - PowerPoint PPT Presentation

Transcript

Apresentao do PowerPoint

Peixes cartilaginososOstubares,raiasequimeras(peixes de guas profundas, tambm chamados de peixes-rato) desta classe (do gregochondros= cartilagem +ichthys= peixe) so os vertebrados vivos mais primitivos com vrtebras completas e separadas, mandbulas mveis e barbatanas pares.Todos possuem um esqueleto cartilagneo, dentes especializados que se renovam ao longo da vida e uma pele densamente coberta por escamas em forma de dente.Praticamente todos so marinhos, embora existam espcies de tubares e raias que penetram regularmente em esturios e rios, e, em regies tropicais, espcies de gua doce.

Tubaro:

A maioria dos tubares no apresenta mais de 2,5 m de comprimento mas alguns atingem 12 m e o tubaro-baleia 18 m, sendo estes os maiores vertebrados vivos, com exceo das baleias.

Tubaro filtrador

Raias

As raias so igualmente pequenas, com cerca de 60-90 cm de comprimento, mas a raia-jamanta atinge 5 m de comprimento e 6 m de envergadura.

Quimera

Esqueleto cartilaginosoSem ossos verdadeiros mas compostos por cartilagem resistente e flexvel, mais ou menos reforados por depsitos calcrios, o esqueleto composto por um crnio ligado a uma coluna vertebral e cinturas peitoral e plvica. A mandbula (no fundida ao crnio) e a maxila esto presentes. A notocorda persistente nos espaos intervertebrais. Algumas espcies possuem coluna vertebral rija, em tudo semelhante dos peixes sseos. Este tipo de esqueleto apenas suporta animais com mais de 10 metros de comprimento em meio aqutico, cuja densidade superior do ar.

Escamas placoidesA pele rija e est coberta com escamas semelhantes a dentes (so compostas por uma placa de dentina na derme, revestida por esmalte) com um espinho orientado para trs, bem como numerosas glndulas mucosas. Este revestimento confere pele uma textura de lixa, o que torna o animal mais hidrodinmico.

Sistema nervoso Encfalo distinto e rgos sensoriais muito desenvolvidos, que lhes permitem localizar presas mesmo quando muito distantes ou enterradas no lodo do fundo. Estes rgos incluem: Narinas: localizadas ventralmente na extremidade arredondada da cabea, capazes de detectar molculas dissolvidas na gua em concentraes mnimas; Ouvidos: com trs canais semicirculares dispostos perpendicularmente uns aos outros (funcionando como um rgo de equilbrio, portanto, tal como em todos os vertebrados superiores); Olhos: laterais e sem plpebras, cuja retina geralmente apenas contm bastonetes (fornecendo uma viso a preto-e-branco mas bem adaptada baixa luminosidade); Linha lateral: um fino sulco ao longo dos flancos contendo muitas pequenas aberturas, contm clulas nervosas sensveis presso (algo como um sentido do tacto distncia); Ampolas de Lorenzini: localizadas na zona ventral da cabea, so outros canais sensitivos ligados a pequenas ampolas que contm eletrorreceptores capazes de detectar as correntes eltricas dos msculos de outros organismos;

Sistema digestivo A boca ventral com fileiras de dentes revestidos de esmalte (desenvolvidos de escamas placides). Os dentes esto implantados na carne e no na mandbula, sendo substitudos continuamente a partir da parte traseira da boca, medida que so perdidos.

A forma dos dentes revela os hbitos alimentares dos animais, dentes pontiagudos e serrilhados nos tubares, que os usam para agarrar e cortar, e pequenos e em forma de ladrilho nas raias, que os usam para partir as carapaas e conchas dos moluscos e crustceos de que se alimentam no fundo.

O intestino apresenta vlvula em espiral (para aumentar a rea de absoro) e fgado, grande e muito rico em leo o que confere grande flutuabilidade, chegando por vezes a compor 20% do peso do corpo. O nus abre para a cloaca.Sistema circulatrioCorao com 2 cmaras (aurcula e ventrculo) por onde circula apenas sangue venoso.

As brnquias esto presas parede de 5 a 7 pares de sacos branquiais, abrindo frente da barbatana peitorl nos tubares ou na superfcie ventral das raias. Nas quimeras apenas existe uma fenda branquial. *As narinas no acomunicam com a cavidade bucal mas com a faringe.

Sistema respiratrioSistema excretorRins mesonfricosSistema respiratrio

Reproduo Os tubares e raias tm os sexos separados, gnadas tipicamente pares, em que os ductos abrem na cloaca e a fecundao interna. Os clsperes, barbatanas ventrais modificadas, so introduzidos na cloaca da fmea e o esperma escorre pelo canal formado pelas duas estruturas unidas. Podendo ser ovparos, vivparos ou ovovivparos, produzem ovos so muito ricos em vitelo mas sem anexos embrionrios.O desenvolvimento direto, no existindo nunca estados larvares. Clsperes

Saco de ovos de um tubaro

Grupo:Carlos FernandoEduardo AugustoLeonardo GuimaresItalo Henrique Pedro Henrique