Peixes Marinhos

  • View
    402

  • Download
    21

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Do Estado do Rio de Janeiro INEA

Transcript

  • 1

    SECRETARIA DE ESTADO DE MEIO AMBIENTE E DESENVOLVIMENTO SUSTENTVEL - SEMADS

    Projeto PLANGUA SEMADS / GTZ de Cooperao Tcnica Brasil Alemanha

    Peixes Marinhos do Estado do Rio de Janeiro

    Carlos Roberto Silveira Fontenelle Bizerril Paulo Alberto S. Costa

    FUNDAO DE ESTUDOS DO MAR

    Julho de 2001

  • 2

    Copyright by Carlos Roberto Silveira Fontenelle Bizerril Paulo Alberto S. Costa Dados Internacionais de Catalogao na Publicao (CIP)

    B 625p

    Bizerril, Carlos Roberto Silveira Fontenelle Peixes Marinhos do Estado do Rio de Janeiro / Carlos Roberto Silveira Fontenelle

    Bizerril, Paulo Alberto S. Costa - Rio de Janeiro : FEMAR, 2001 : SEMADS, 2001. 234 p.: il. ISBN 85-85966-20-3 Cooperao Tcnica Brasil - Alemanha, Projeto PLANGUA SEMADS - GTZ Inclui Bibliografia. 1. Peixes 2. Oceanografia 3. Meio Ambiente-Rio de Janeiro (Estado) 4. Biodiversidade

    aqutica - Rio de Janeiro (Estado). I.Fundao de Estudos do Mar. II. Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel. III. Ttulo.

    CDD - 597 Capa Publicidade RJ 2000 Foto da Capa: Plangua

    Editorao Jackeline Motta dos Santos Raul Lardosa Rebelo Todos os direitos para lngua portuguesa no Brasil reservados e protegidos pela Lei. 5.988 de 14.12.1974a. Fundao de Estudos do Mar FEMAR Rua Marqus de Olinda, 18 Botafogo Rio de Janeiro RJ 22251-040 Tels: 2553-1347 / 2553-2483 / 2553-7353 Fax: (21) 2552-9894 SERLA Fundao Superintendncia Estadual de Rios e Lagoas Campo de So Cristvo, 138/315 20.921-440 Rio de Janeiro Brasil Tel/Fax [0055] (21) 2580-0198 E-mail: serla@montreal.com.br

    O Projeto PLANGUA SEMADS/GTZ, de Cooperao Tcnica Brasil - Alemanha vem apoiando o Estado do Rio de Janeiro no Gerenciamento de Recursos Hdricos com enfoque na proteo de ecossistemas aquticos. Coordenadores: Antnio da Hora, Subsecretrio Adjunto de Meio Ambiente SEMADS

    Wilfried Teuber, Planco Consulting/GTZ

    Todos os direitos reservados ao autor em todos os demais pases de lngua portuguesa, de acordo com a Legislao especfica de cada um. Nenhuma parte deste livro poder ser reproduzida ou transmitida sejam quais forem os meios empregados: eletrnicos, mecnicos, fotogrficos, gravao ou quaisquer outros sem permisso escrita do autor. Depsito legal na Biblioteca Nacional conforme decreto n 1.825 de 20 de setembro de 1907. 1 edio, 2001 Fundao de Estudos do Mar FEMAR Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel SEMADS 1 Edio, 2001 Fundao de Estudos do Mar FEMAR Out. 2001

    Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel - SEMADS - Out. 2001

  • 3

    Apresentao

    Esta mais uma publicao da srie que a Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel vem produzindo como parte do Projeto Plangua Semads/GTZ, iniciativa que tem como objetivo disseminar novos conhecimentos ambientais entre tcnicos e especialistas do setor e o pblico em geral. A publicao visa tambm contribuir para a integrao da gesto de bacias hidrogrficas com a dos sistemas estuarinos e zonas costeiras do Estado. Essa integrao definida como uma das diretrizes gerais de ao dentro da Poltica Nacional de Recursos Hdricos (Lei n 9.433, de 8 de janeiro de 1997, Cap. III, Art. 3 VI). Assim como outros elementos integrantes do sistema marinho, os peixes sofrem o impacto de diversas aes antrpicas. Alteraes no habitat por obras e aterros, ingresso de substncias nocivas, sobrepesca, dentre outros, vm gradualmente comprometendo a manuteno de vrios grupos de peixes. As guas costeiras recebem todas as cargas poluidoras de origem domstica, industrial e de fontes difusas, tais como agricultura, drenagem urbana e ainda de esgotos sanitrios, diretamente ou transportados pelos rios do interior do Estado e tambm de estados vizinhos. Os diversos problemas advindos destas contribuies indicam a necessidade da integrao da gesto de recursos hdricos em bacias hidrogrficas, com a gesto da zona costeira. Pela primeira vez na histria do Estado do Rio de Janeiro, o Governo estadual pe em prtica uma poltica de meio ambiente que contempla real e concretamente, entre outras prioridades, a educao ambiental, como princpio, meio e fim do processo que busca a melhoria da qualidade de vida, mediante promoo do desenvolvimento sustentvel. A srie de publicaes produzida pelo Projeto Plangua Semads/GTZ insere-se nesse contexto, na medida em que contribui para ampliar o saber ambiental em seus diversos segmentos. Como o uso mltiplo dos recursos hdricos envolve obrigatoriamente a pesca e a conservao da biodiversidade aqutica, Semads impe-se o desafio de fundamentar uma estratgia de preservao de flora e fauna das guas costeiras, conforme exposto no presente trabalho, que constitui, em linhas gerais, o primeiro passo para a concretizao da pretendida estratgia preservacionista. Ao lanarmos este volume da srie, com o apoio da Fundao de Estudos do Mar - Femar, temos a convico de estarmos contribuindo decisivamente para ampliar o interesse e, conseqentemente, a mobilizao da sociedade na defesa e proteo do meio ambiente, preservando-se os recursos naturais.

    Secretaria de Estado de Meio Ambiente e

    Desenvolvimento Sustentvel

  • 4

    Autores - Consultores do Projeto PLANGUA SEMADS / GTZ Carlos Roberto S. Fontenelle Bizerril Paulo Alberto S. Costa Colaboradores: Adriana Costa Braga Neusa Rejane Wille Lima Paulo Bidegain da Silveira Primo

    SEMADS Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentvel Palcio Guanabara Prdio Anexo sala 210 Rua Pinheiro Machado s/no - Laranjeiras 22.238-900 Rio de Janeiro Tel (21) 2299-5290

  • 5

    APRESENTAO ASSIMOV, Isaac (opus, 1979) ressalta que o planeta em que vivemos tem uma caracterstica fisiogrfica curiosa o oceano contnuo e cobre todo o planeta. As massas de terra os continentes - constituem uma exceo regra geral; esto isoladas entre si por enorme extenses do oceano. O oceano sistema balanceado segundo padres crticos e assim a vida que nele prolifera. Os peixes marinhos so criaturas que se movem quase automaticamente; eles se comportam em obedincia a impulsos alguns programados h quase meio milho de anos. Por exemplo, o peixe dotado de um elaborado mecanismo sensor para procura de ambientes favorveis em temperatura, salinidade, oxignio e alimentos, ainda no completamente conhecido. Os peixes podem distinguir sutis informaes sobre mnimas mudanas de temperatura ou mesmo de campos eletromagnticos. O olfato pode indicar-lhes a existncia de elementos qumicos e nutrientes. Com relao ao potencial do oceano para suprir necessidades humanas em protena, cabe mencionar que, segundo a Australian Marine Science Association, embora o mar cubra cerca de 70% da superfcie da terra, a contribuio da pesca para alimentao humana ainda modesta (de 1% a 2%). A estimativa de que s colhemos um trigsimo do desfrute potencial, mas possvel dilatar de muito a contribuio e a importncia econmica da pesca martima. Alem disso, a estimativa de desfrute potencial abrange apenas os estoques naturais. Com o desenvolvimento da maricultura ainda mais favorvel. claro que tudo isso deve ater-se ao aproveitamento dos recursos marinhos dentro de uma tica sustentvel. Assim, a Secretaria de Meio Ambiente do Estado do Rio de Janeiro merece parabns. Este livro contm um levantamento das espcies marinhas de nosso Estado; so informaes de grande valor que contribuiro, certamente, para interao com estudos semelhantes em outros Estados litorneos e em pases vizinhos, sobre o uso de mar. Afinal, como vimos, o oceano contnuo e cobre todo o planeta. A vida no mar no tem fronteiras polticas.

    Fernando M. C. Freitas Fundao de Estudos do Mar

    Presidente

  • 6

    FUNDAO DE ESTUDOS DO MAR

    Rua Marqus de Olinda, 18 - Botafogo Rio de Janeiro - RJ - Brasil 22251-040 Tel. (21) 2553-1347 Fax (21) 2552-9894 e-mail: femar@openlink.com.br Presidente: Fernando M. C. Freitas

  • 7

    NDICE

    Introduo ............................................................................................................... 9

    Captulo I O Ambiente e a Biodiversidade ........................................................ 13 Caractersticas oceanogrficas ............................................................. 13

    Estudos taxonmicos e morfomtricos desenvolvidos.......................... 26 Anlises citogenticas e genticas ....................................................... 29

    Captulo II Estudos Ecolgicos ........................................................................... 33

    Captulo III Distribuio da ictiofauna nos ambientes marinhos da costa fluminense ......................................................................................... 55

    Captulo IV A pesca ............................................................................................... 111

    Captulo V Anlise Ictioconservacionista ........................................................... 141

    Captulo VI Referncias ......................................................................................... 163

    Anexo I Ictiofauna marinha do Estado do Rio de Janeiro ........................... 203

    Anexo II Ictiofauna das lagunas e lagos costeiros do Estado do Rio de Janeiro................................................................................................ 219 Anexo III Principais pesquisadores e centros especializados ..................... 225

    Projeto PLANGUA ................................................................................................ 229 FEMAR ...........................................................................................................