Click here to load reader

PLANEJAMENTO ACADÊMICO 2015.2 – SERVIÇO · PDF file · 2016-03-11Questões sociais da linguagem que interferem na produção e na utilização ... POUND, Ezra. ABC da Literatura

  • View
    213

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of PLANEJAMENTO ACADÊMICO 2015.2 – SERVIÇO · PDF file ·...

  • PLANEJAMENTO ACADMICO 2015.2 SERVIO SOCIAL

    COMPONENTES OBRIGATRIOS

    1 SEMESTRE Nome e cdigo do componente curricular: Oficina de textos

    Centro: CAHL 197

    Carga horria: 68 horas

    Modalidade: disciplina

    Funo: profissional

    Natureza: obrigatria

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

    Ementa: Questes sociais da linguagem que interferem na produo e na utilizao da lngua escrita, produo de textos e anlise das funes lingusticas. Texto identificado como acadmico, embasado nos padres cientficos de produo e divulgao de conhecimento. Bibliografia Bsica:

    ECO, Umberto. Seis passeios pelo bosque da fico. Companhia de Letras, So Paulo, 1994. FREIRE, Paulo. A Importncia do Ato de Ler: em trs artigos que se completam. 22 ed. So Paulo: Cortez, 1988. POUND, Ezra. ABC da Literatura. p. 23-36. So Paulo: Cultrix. Bibliografia Complementar:

    CANDIDO, Antonio. A vida ao rs do cho. In: A crnica: o gnero, sua fixao e suas transformaes no Brasil. Rio de Janeiro: Editora da Unicamp, 1992. CORTZAR, Julio. Alguns aspectos do conto. In Obra crtica 02. RJ: Ed. Civilizao Brasileira, 1999. BLOOM, Harold. Como e por que ler. Rio de Janeiro: Editora Objetiva, 2001. CALVINO, talo. Seis propostas para o prximo milnio. Companhia de Letras, So Paulo, 1995. EMEDIATO, Wander. A frmula do texto: redao, argumentao e leitura. SP: Gerao Editorial, 2004.

    Nome e cdigo do componente curricular: FUNDAMENTOS DE FILOSOFIA

    Centro: CAHL 224

    Carga horria: 68 horas

    Modalidade: disciplina

    Funo: bsica Natureza: obrigatria

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

  • Ementa: Introduo filosofia a partir de alguns de seus problemas. A disciplina relaciona a emergncia desses problemas em textos clssicos com sua forma contempornea na literatura atual, procurando abranger temas da filosofia terica e prtica. (1) Realidade e aparncia; (2) O problema da conscincia; (3) O problema mente-corpo; (4) Determinismo e liberdade; (5) Estado e poltica; (6) Juzo de gosto e experincia esttica.

    Bibliografia Bsica:

    DESCARTES, R. Meditaes. So Paulo: Abril Cultural, 1973. DUARTE, R. O belo autnomo. Textos clssicos de esttica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 1997. HOBBES, T. Do cidado. So Paulo: Martins Fontes, 2002. KANT, I. Crtica da razo pura. So Paulo: Abril Cultural, 1980. PLATO. A Repblica. Trad. M. H. R. Pereira. Lisboa: Fundao Calouste Gulbenkian, 1993.Bibliografia

    Complementar:

    APPIAH, Kwame Anthony. Introduo filosofia contempornea. Petrpolis: Vozes, 2006. BOBBIO, N. A teoria das formas de governo. Braslia: Editora da UnB, 1997. COSTA, Cludio. Uma introduo contempornea filosofia. So Paulo: Martins Fontes, 2002. GONZLEZ PORTA, M. A. A Filosofia a partir de seus problemas. So Paulo: Loyola, 2002. SEARLE, John R. Mente, linguagem e sociedade. Rio de Janeiro: Rocco, 2000.

    Nome e cdigo do componente curricular: INTRODUO AOS ESTUDOS ACADMICOS

    Centro: CAHL 296

    Carga horria: 68 horas

    Modalidade: disciplina Funo: profissional Natureza: obrigatria

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

    Ementa: O conhecimento como prtica. O conhecimento cientfico, o filosfico e o senso comum. Demarcao entre cincia e filosofia. Neutralidade. Subjetividade e Ideologia. O problema como ponto de partida do conhecimento. Problema e hiptese. Variveis, indicadores e ndices. A lgica da pesquisa. Bibliografia bsica:

    ASSOCIAO BRASILEIRA DE NORMAS TCNICAS. NBR 14724: informao e documentao trabalhos acadmicos apresentao. Rio de Janeiro, 2005, 9 p.

    ______. NBR 6023: informao e documentao referncias elaborao. Rio de Janeiro, 2002, 22 p.

    ______. NBR 10520: informao e documentao citaes em documentos apresentao. Rio de Janeiro, 2002, 7 p.

    CHAUI, Marilena. A atitude cientfica. Convite a Filosofia. Cap. 1, 2 e 3. (p. 216-232).

    Bibliografia complementar:

    FRIGOTTO, Gaudncio. A produtividade da escola improdutiva. 9. ed. So Paulo: Cortez, 2010.

    LOWY, Michael. As aventuras de Karl Marx contra o Baro de Munchhausen. 9. ed. rev. e ampl. So Paulo: Cortez, 2009.

    MENEZES, Lus Carlos. A universidade brasileira e a ameaa de sua liquidao. IN: Universidade sitiada: a ameaa da liquidao da Universidade brasileira. So Paulo: Perseu ABRAMO, 2000.

  • Nome e cdigo do componente curricular: FORMAO DO BRASIL CONTEMPORANEO

    Centro: CAHL 428

    Carga horria: 68 horas

    Modalidade: disciplina

    Funo: bsica

    Natureza: obrigatria

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

    Ementa: Instaurao e colapso do Estado Novo. Industrializao e urbanizao. O surgimento de novos sujeitos polticos. Nacionalismo, desenvolvimentismo e insero dependente no sistema capitalista mundial. A modernizao conservadora e a ditadura militar. Transio democrtica e neoliberalismo.

    Bibliografia Bsica:

    CARVALHO, Jos Murilo de. Cidadania no Brasil: O longo caminho. Rio de Janeiro: Civilizao Brasileira, 2001. FERREIRA, Jorge Luiz, DELGADO, Luclia Neves. O Brasil Republicano. Rio de Janeiro: Civilizao Brasileira, 2003 JNIOR, Caio Prado. Formao do Brasil Contemporneo. So Paulo: Brasiliense; Publifolha, 2000. HOLANDA, Srgio Buarque de. Razes do Brasil. Rio de Janeiro: Jos Olympio, 1989. NOVAIS, Fernando.(Coord.) Histria da Vida Privada no Brasil. So Paulo: Cia. das Letras, 1998. Vol.3.

    Complementar

    CARDOSO, Srgio. (org.) Retorno ao republicanismo. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2004. CARVALHO, Jos Murilo. A formao das Almas: O imaginrio da Repblica no Brasil. So Paulo: Cia das Letras, 1990. CARVALHO, Jos Murilo . Pontos e bordados: escritos de Histria e Poltica. Belo Horizonte, UFMG, 1998. CHALOUB, Sidney. Trabalho, Lar e Botequim. So Paulo: Brasiliense, 1995. COSTA, Emlia Viotti da. Da Monarquia Repblica. So Paulo: Brasiliense, 1987.

    Nome e cdigo do componente curricular: Antropologia

    Centro: CAHL 431

    Carga horria: 68 horas

    Modalidade: disciplina

    Funo: profissional

    Natureza: optativa

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

    Ementa: Principais conceitos tericos e metodolgicos da Antropologia Cultural. A questo epistemolgica e delimitao do mbito da Antropologia. Objeto formal e principais ramos e estudos especializados. Histrico do pensamento tericos e correntes representativas.

  • Bibliografia Bsica:

    WARNIER,J.P., TOLRA, P.L. Antropologia e Etnologia. Petrpolis:Vozes, 2003. HALL, STUART. A Identidade cultural na Pos-Modernidade. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropolgico. Rio de Janeiro: Zahar, 2003. ROCHA, E. O que o etnocentrismo.Sao Paulo:Brasiliense, 1994, (Col. Primeiros Passos) PENA, S.D. (org.); Ttulo: Homo Brasilis: aspectos genticos, lingsticos, histricos e socioantropolgicos da formao do povo brasileiro; Ed. FUNPEC; ano 2002 CARNEIRO DA CUNHA, M. Antropologia do Brasil. Mito, histria, etnicidade. So Paulo: Brasiliense/ EDUSP, 1986.

    Complementar

    DA MATTA, R. Relativizando: uma introduo antropologia social. Petrpolis: Vozes, 1987. FOLEY, R. Os humanos antes da humanidade. So Paulo: UNESP, 2003. FRY, P. A persistncia da raa. Ensaios antropolgicos sobre o Brasil e a frica austral. Rio de Janeiro: Civilizao Brasileira, 2005. LARAIA, R. B. Cultura: um conceito antropolgico. Rio de Janeiro: Zahar, 2003. LVI-STRAUSS, C. Raa e histria. So Paulo: Editorial Presena, 2003 [1952].

    Nome e cdigo do componente curricular: SEMINRIO TEMTICO: O PROFISSIONAL DO SERVIO SOCIAL

    Centro: CAHL 432

    Carga horria: 34 horas

    Modalidade: disciplina

    Funo: bsica

    Natureza: obrigatria

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

    Ementa: A natureza do servio social. Seu campo de atuao. As perspectivas e demandas contemporneas para a formao e para o trabalho do assistente social. O mercado de trabalho na regio. As formas de organizao poltica e acadmica dos profissionais de Servio Social. A formao em Servio social e o contexto do ensino superior baiano: O caso da UFRB.

    Bibliografia Bsica: BRASIL. Lei de regulamentao da Profisso. Lei 8662/93 Braslia. 1993 BRASIL Cdigo de tica Profissional do Assistente social. Braslia. 1993 CFESS. Servio Social profisso, Assistncia Social poltica pblica. Braslia. Dezembro de 2005 CRESS 5 Regio / BA. O mercado de trabalho do Assistente Social na Bahia. Salvador. 2005. MARTINELLI, M.L. Servio Social - Identidade e Alienao. Editora Cortez, So Paulo, 1989. Bibliografia Complementar: RODRIGUES, M. L. (org.) Aes e Interlocues: Estudo sobre a Prtica Profissional do Assistente Social. Srie Ncleo de Pesquisa 2, So Paulo, Veras Editora, 1999. FALEIROS, Vicente de Paula. Saber Profissional e Poder institucional Cortez: So Paulo, 1985. IAMAMOTO, Marilda V. O Servio Social na Contemporaneidade: trabalho e formao profissional. So Paulo: Cortez, 2003 VASCONCELOS, Ana Maria. A prtica do Servio Social. So Paulo: Cortez, 2002 SILVA, Maria O S.. Formao Profissional do Assistente Social. So Paulo : Cortez, 1995.

  • 2 SEMESTRE Nome e cdigo do componente curricular: FUNDAMENTOS HISTRICOS TERICO E METODOLGICOS DO SERVIO SOCIAL I

    Centro: CAHL 434

    Carga horria: 68 horas

    Modalidade: disciplina

    Funo: bsica Natureza: obrigatria

    Pr-requisito:

    Mdulo de alunos: 50

    Ementa: A gnese do Servio Social e seus condicionantes histricos, polticos e sociais. A origem da questo social. A emergncia do Servio Social como do projeto global das cincias sociais, suas inspiraes terico-metodolgicas. O surgimento do Servio Social na Europa e nos Estados Unidos. Suas expresses na Amrica Latina em especial no Brasil. Bibliografia Bsica:

    CASTRO, Manuel M. Histria do Servio Social na Amrica Latina. So Paulo: Cortez, 1993. CARDOSO, Franci G

Search related