Click here to load reader

PLANO DE ATIVIDADES DO IPCA · PEIPCA - Plano Estratégico do IPCA PMC ... Organograma do IPCA O processo de elaboração e aprovação do PAIPCA desenvolve-se com a intervenção

  • View
    220

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of PLANO DE ATIVIDADES DO IPCA · PEIPCA - Plano Estratégico do IPCA PMC ... Organograma do IPCA O...

PLANODE ATIVIDADES

DO IPCA

PLANO DE ATIVIDADES 2017

Aprovado em Conselho Geral de 14 de outubro de 2017

Disponvel em www.ipca.pt

(artigo 4, n 1 do Decreto-Lei n 183/96, de 27 de dezembro e artigo 11, n 3, a) dos Estatutos do IPCA)

http://www.ipca.pt/

NDICE

Nota Introdutria ................................................................................................... 7 1. Enquadramento institucional ............................................................................... 8 1.1. Misso ........................................................................................................... 8 1.2. Valores .......................................................................................................... 8 1.3. Estrutura Orgnica .......................................................................................... 9 1.4. Principais destinatrios (stakholders) ................................................................10 2. Objetivos e Estratgias ......................................................................................12 2.1. Viso Estratgica ...........................................................................................12 2.2. Eixos Estratgicos ..........................................................................................13 3. Objetivos Operacionais e estratgia a adotar para a sua concretizao em 2017 .......15 3.1. Programas e Atividades ..................................................................................15

3.1.1. IPCA/Servios Centrais .............................................................................16 3.1.2. Gabinete para a Avaliao e Qualidade (GAQ) ..............................................22

3.1.3. Escola Superior de Gesto (ESG) ...................................................................23 a) Oferta Formativa ........................................................................................23 b) Atividades propostas: .................................................................................25

3.1.3. Escola Superior de Tecnologia (EST) ...........................................................28 a) Oferta formativa para 2017 .........................................................................28 b) Atividades propostas ...................................................................................29

3.1.4. Escola Superior de Design (ESD) ................................................................32 a) Oferta formativa .........................................................................................32 b) Atividades propostas ...................................................................................33

3.1.5. UTesp .....................................................................................................36 a) Oferta formativa .........................................................................................37 b) Atividades propostas ...................................................................................38

3.1.6. UPraxis 21...............................................................................................41 3.1.7. Servios de Ao Social ............................................................................47

3.2 Recursos Humanos ..........................................................................................50 4. Notas Finais .....................................................................................................51

PLANO DE ATIVIDADES2017

4

Siglas e Abreviaturas AAIPCA Associao Acadmica do IPCA

Art. - Artigo

CAQ Conselho de Avaliao e Qualidade

CLIPCA Centro de Lnguas do IPCA

DSI Diviso de Sistemas de Informao

DAF Diviso Administrativa e Financeira

PALOP Comunidade de Pases Africanos de Lngua Portuguesa

EIPCA - Estatutos do IPCA

ESG - Escola Superior de Gesto

EST Escola Superior de Tecnologia

ESD Escola Superior de Design

ETI Equivalente a Tempo Integral

FCT Fundao para a Cincia e a Tecnologia

G3E Gabinete de emprego, empreendedorismo e ligao s empresas

GAP Gabinete de apoio presidncia

GAQ Gabinete para a Avaliao e Qualidade

GCI Gabinete de comunicao e imagem

GRI Gabinete de Relaes Internacionais

LOE - Lei do Oramento de Estado

MCDT - Meios Complementares de Diagnstico e Teraputica

MCTES - Ministrio da Cincia, Tecnologia e Ensino Superior

OP- Objetivo Operacional

PAIPCA - Plano de Atividades do IPCA

PEIPCA - Plano Estratgico do IPCA

PMC - Pessoas com mobilidade condicionada

RH Recursos Humanos

RUPraxis21 - Regulamento n 36/2016, de 15 de janeiro

RUTesp - Regulamento n 35/2016, de 15 de janeiro

SAS Servios de Ao Social

UTESP Unidade de ensino para os Cursos Tcnicos Superiores Profissionais

U-PRAXIS21 Unidade PRAXIS21

PLANO DE ATIVIDADES2017

5

ndice de Figuras

fig. 1 - Elementos a identificar no Plano de Atividades............................................... 7

fig. 2 - Organograma do IPCA ...................................................................... 9

PLANO DE ATIVIDADES2017

6

ndice de Tabelas

tab. 1 - Interveno dos rgos estatutrios do IPCA na elaborao e aprovao do PAIPCA ........ 9

tab. 2 - Principais stakeholders da atividade do IPCA .......................................................... 11

tab. 3 - Viso definida no PEIPCA 2015-2019 .................................................................. 12

tab. 4 - Eixos estratgicos e medidas/aes PEIPCA 2015-2019 ............................................. 13

tab. 5 - Promotores das aes por eixo estratgico do PEIPCA ............................................... 15

tab. 6 - Atividades Planeadas IPCA/Servios Centrais ........................................................... 17

tab. 7 - Atividades Planeadas IPCA/ Gabinete de Avaliao e Qualidade .................................. 22

tab. 8 - Oferta Formativa da ESG para 2017........................................................................ 23

tab. 9 - Atividades Propostas ESG/2017 ............................................................................. 25

tab. 10 - Oferta Formativa EST/2017 ................................................................................. 28

tab. 11 - Atividades propostas EST/2017 ............................................................................ 29

tab. 12 - Oferta Formativa ESD/2017 ................................................................................. 32

tab. 13 - Atividades Propostas ESD/2017 ............................................................................ 33

tab. 14 - Oferta Formativa UTesp/2017 .............................................................................. 37

tab. 15 - Atividades Propostas UTesp/2017 ......................................................................... 38

tab. 16 - Atividades propostas pela U-Praxis21..................................................................... 42

tab. 17 - Atividades propostas pelo CIED Barcelos ................................................................ 45

tab. 18 - Atividades propostas pelos Servios de Ao Social ................................................. 47

tab. 19 - Evoluo da estrutura de Recursos Humanos ......................................................... 50

PLANO DE ATIVIDADES2017

7

Nota Introdutria

O Plano de Atividades um instrumento de gesto destinado a definir a estratgia, hierarquizar opes, programar aes e afetar e mobilizar os recursos, de elaborao obrigatria para todos os servios e organismos da administrao central, a aprovar conjuntamente com o Oramento e o mapa de pessoal da instituio, nos termos do disposto no Decreto-Lei n 183/96, de 27 de setembro, dos Estatutos do IPCA, homologados pelo Despacho Normativo 15/2014 (DR, 2 srie,

de 5 de novembro), com as alteraes homologadas pelo Despacho Normativo 20/2015 (DR, 2 srie, 14 outubro) e do Manual de Controlo Interno do IPCA (6 Edio). Trata-se de um documento estratgico que deve, nos termos do disposto no n 2 do artigo 1 do Decreto-Lei n 183/96, de 27 de setembro, discriminar:

fig. 1 - Elementos a identificar no Plano de Atividades

O Plano de Atividades integra o processo de planeamento e constitui uma pea fundamental, a partir da qual, se definem, para determinado perodo de tempo, os objetivos, a estratgia e metodologia a seguir, assim como os meios e recursos a afetar com vista prossecuo dos objetivos determinados, visando a programao de uma srie de aes que convergem para a concretizao das suas metas. Neste contexto, para cada ao, esto definidas as atividades que as integram.

A elaborao do Plano de Atividades da competncia conjunta do Presidente e do Administrador, nos termos das disposies conjugadas do item iii) da alnea a) do n 2 do artigo 38 e alnea b) do

n 5 do artigo 39 dos Estatutos do IPCA, cabendo ao Presidente, ouvidos os rgos competentes, designadamente o Conselho de Gesto, apresentar a proposta de Plano Anual de Atividades ao Conselho Geral, para aprovao. Aps aprovao pelo Conselho Geral, o Plano de Atividades fundamenta a proposta de oramento e constitui a base do Relatrio de Atividades.

Pela sua natureza de Plano, este documento dever encarar-se simultaneamente como um instrumento normativo, na medida em que realiza uma definio de objetivos e aes do IPCA para 2017, em concretizao do quadro mais amplo definido no Plano Estratgico, mas tambm como um instrumento dinmico, flexvel e aberto e, como tal, adaptvel evoluo da instituio.

Objetivos a atingir

Programas a realizar

Recursos a utilizar

PLANO DE ATIVIDADES2017

8

1. Enquadramento institucional

1.1. Misso

Conforme definido no Plano Estratgico do IPCA (PEIPCA) para 2015/2019, a Misso representa, em essncia, o propsito ou a razo de ser de qualquer organizao. Para ser clara, abrangente e consensual ela deve ser capaz de projetar a organizao no mundo e a sua viso no futuro. A Misso permite estabelecer limites que servem de orientao na formulao de estratgias,

paradigmas de desempenho da organizao em mltiplas dimenses e sugerir padres para o comportamento tico dos indivduos. (PEIPCA, p.9)

A reflexo e discusso sobre a Misso do IPCA foi feita, pela primeira vez, aquando da elaborao

do primeiro Plano Estratgico, em 2008. Desde a publicao dos Estatutos do IPCA, institucionalizou-se a misso da Instituio que est consagrada no seu artigo 2, n 1:

O Instituto Politcnico do Cvado e do Ave uma Instituio de Ensino Superior Pblico, tendo

como misso contribuir para o desenvolvimento sustentvel da sociedade, estimular a criao cultural, a investigao e pesquisa aplicadas, e fomentar o pensamento reflexivo e humanista. Inserido no espao europeu de ensino superior, proporciona reas de conhecimento para o exerccio de atividades profissionais atrativas no plano nacional e internacional, promovendo a mobilidade, a empregabilidade e as relaes de reciprocidade com a Comunidade.

1.2. Valores

Em consonncia com a sua Misso, e no sentido de dar uma resposta adequada a contextos de mudana e espaos de gesto de dinmicas locais e globais de desenvolvimento e inovao,

aproveitando as oportunidades e minimizando as ameaas, o IPCA, no mbito do PEIPCA (p.9), assume como fundamentais os valores previstos no artigo 2, n 3 dos seus Estatutos, designadamente:

tica, inserido numa cultura e prtica humanista

Excelncia, nas vertentes cientfica, pedaggica e de prestao de servios comunidade

Ensino inclusivo, inovador e flexvel

Transferncia e valorizao do conhecimento

Competitividade e incentivo ao empreendedorismo

A constante mudana e os novos desafios dela decorrentes, a necessidade de antecipao de situaes desejadas e de adaptao organizacional representam-se em princpios que incorporam e regem a cultura do IPCA.

Estes cinco valores inspiraram os Eixos Estratgicos apresentados no captulo 5 do Plano Estratgico, assim como as medidas e aes a desenvolver com vista ao sucesso no alcance da misso, como forma de criar e manter elevados padres ticos nas relaes humanas e profissionais.

Como tal, so tambm esses valores os que baseiam e norteiam o presente Plano de Atividades para 2017.

PLANO DE ATIVIDADES2017

9

1.3. Estrutura Orgnica

Nos termos do disposto no artigo 14 dos Estatutos, so rgos do IPCA o Conselho Geral, o Presidente, o Conselho de Gesto, o Conselho Acadmico, o Conselho para a Avaliao da

Qualidade e o Provedor do Estudante. Na sequncia da aprovao pelo Conselho de Geral das Unidades Orgnicas do IPCA UTesp e UPraxis21, a estrutura orgnica da instituio desenvolve-se da forma constante da Organograma aprovado pelo Despacho (PR) 8/2016, de 15 de janeiro (cfr. fig. 2)

fig. 2 - Organograma do IPCA

O processo de elaborao e aprovao do PAIPCA desenvolve-se com a interveno simultnea ou sucessiva de alguns desses rgos, conforme melhor resulta da tab. 1 infra:

Designao Interveno no Plano de Atividades Enquadramento normativo

Conselho Geral Aprovao (art. 16, n 2, e) EIPCA) Art. 14, a) e 16 EIPCA

Presidente Elaborao e apresentao ao Conselho Geral de proposta de PAIPCA (art. 38, n 2, a), iii)

arts. 31 a 38 EIPCA

Conselho de Gesto Pronncia, sob proposta do Presidente (art. 41, n 1, f EIPCA)

Arts. 40 e 41 EIPCA

tab. 1 - Interveno dos rgos estatutrios do IPCA na elaborao e aprovao do PAIPCA

PLANO DE ATIVIDADES2017

10

1.4. Principais destinatrios (stakeholders)

O IPCA uma Instituio de Ensino Superior Pblica (IES), que desenvolve a sua atividade na rea do ensino, formao e investigao, sediada na cidade de Barcelos mas com polos nas cidades de

Braga e Guimares, com perspetivas de expanso para outros municpios, como ser o caso, no ano letivo 2017/2018, de Famalico.

Relaciona-se, assim, desde logo com os diversos municpios por onde se estende o seu mbito de

influncia (Barcelos, Braga, Guimares e Famalico), quer na perspetiva institucional, com os rgos municipais de cada um, quer na perspetiva humana, com as respetivas populaes.

O IPCA um Instituto Politcnico em crescimento:

Do ponto de vista dos projetos de ensino e investigao, nomeadamente em parceria e

colaborao com outras IES nacionais e estrangeiras;

Do ponto de vista do capital humano, com o aumento anual do n de estudantes inscritos,

que se prev se aproximem dos 4.000 no ano letivo 2017/2018 e com o aumento do n de trabalhadores e colaboradores, docentes e no docentes.

Do ponto de vista fsico, com a expanso do patrimnio edificado em pontos distintos da cidade de Barcelos, quer noutras cidades, como Braga e Guimares;

Neste contexto, sendo embora o pblico-alvo principal e preferencial da atividade do IPCA os

estudantes, o Plano de Atividades tem uma abrangncia que vai para alm deles, porque transversal a toda a instituio e extravasa as prprias fronteiras fsicas do Campus, indo ao encontro da populao envolvente.

O Campus de Barcelos passou, no final de 2016, a comunicar diretamente, por via pedonal, com o centro da cidade de Barcelos, atravs de um passadio pedonal construdo pelo municpio de

Barcelos (Passadio do Patarro) sendo expectvel que, num futuro prximo, a populao da cidade passe a interagir mais proximamente com a comunidade acadmica, estreitando os laos entre o IPCA a comunidade.

Tambm no centro da cidade de Barcelos se prev um estreitamento dos laos com a comunidade, atravs da ligao nova Escola Superior de Design que se instalar no edifcio da antiga Escola Primria Gonalo Pereira. O projeto concebido pela equipa de projetistas do IPCA reservou um

espao de convvio, na parte posterior da Escola, apta a receber a comunidade, num espao de convvio e lazer, que permita tambm conhecer o interior da Escola.

Antevendo essa realidade, o PAIPCA 2017 prev uma srie de medidas tendentes ao acolhimento dessa populao envolvente, como a criao de percursos pedonais e ciclveis e de espaos de refeio ao ar livre, no interior do Campus de Barcelos e daquele espao de convvio na futura Escola Superior de Design.

Internamente, o Plano de Atividades transversal a toda a instituio, dirigindo-se a todos os que

nela trabalham, independentemente do vnculo jurdico, natureza ou localizao das funes. Todas as Escolas, Unidades e Servios so, assim, destinatrios do Plano de Atividades, que abrange trabalhadores e colaboradores, docentes e no docentes.

Todos esses destinatrios (stakeholders) internos e externos, participam, em conjunto, na prossecuo dos objetivos estratgicos que contribuiro, no ano de 2017, para o cumprimento da Misso do IPCA e da Viso estratgica definida para o perodo temporal 2015-2019. Importa, por

isso, identific-los e desenhar um planeamento que v ao encontro das necessidades identificadas e das interaes pretendidas com cada um desses stakholders (cfr. tab.2)

PLANO DE ATIVIDADES2017

11

Principais Destinatrios (Stakeholders)

Internos

Dirigentes

Docentes

Trabalhadores no docentes e colaboradores

Estudantes

Externos

Populao em geral

Potenciais estudantes

Estudantes Estrangeiros

Parceiros Estratgicos

Outras Instituies de Ensino nacionais e estrangeiras

Outras Entidades Pblicas (municpios, associaes, entidades tutelares e inspetivas)

Tecido empresarial local

Outros terceiros que se relacionam com o IPCA

tab. 2 - Principais stakeholders da atividade do IPCA

PLANO DE ATIVIDADES2017

12

2. Objetivos e Estratgias

2.1. Viso Estratgica

O conceito de Viso engloba em si a explicitao do que os seus intervenientes visualizam para a organizao. Se por um lado, a Misso nos identifica e orientadora, a Viso estabelece quem desejamos ser. Dever, por isso, ser inspiradora e to ambiciosa como realista.

A Viso do IPCA tem a ver, essencialmente, com as seguintes proposies assumidas para 2019 e que, no geral, se aproximam viso que j estava definida no plano estratgico 2011/2015 (tab. 3)

Viso definida no PEIPCA 2015-2019

Oferta formativa adequada s necessidades da sociedade e das pessoas, conduzindo a um aumento da procura, apesar do contexto difcil que pode prejudicar o alcance deste indicador. A taxa de empregabilidade aumentou, estando acima da mdia nacional da empregabilidade dos diplomados de licenciatura e possuidores do ttulo de tcnico superior profissional

Melhorou-se a poltica da Qualidade do IPCA. As metodologias de ensino so adequadas e enfatizam a aprendizagem e a formao ao longo da vida. A qualidade dos cursos reconhecida pela agncia de avaliao e acreditao do ensino superior (A3ES). As atividades de I&D evoluram e promoveu-se a interligao da investigao com o ensino

Centros de Investigao e respectivas linhas, especialmente vocacionados para responder a solicitaes externas, existindo um centro por departamento envolvendo todo o corpo docente a tempo integral

Promoveu-se a transferncia de tecnologia, a difuso e a valorizao do conhecimento, assim como o empreendedorismo e a criao do prprio emprego

Corpo docente e no docente com qualificaes adequadas ao cargo ou funo, e motivado, produto da implementao de um sistema de gesto e desenvolvimento humano, que coloca as pessoas no centro da instituio

O Intercmbio e cooperao desenvolveu-se entre pases da UE e pases terceiros, especialmente com o Brasil, reforando-se e criando-se parcerias e alianas estratgicas imprescindveis para a expanso da instituio a nvel internacional, propiciando a mobilidade e a interculturalidade, incluindo a dupla titulao

Marca IPCA reconhecida e consolidada

Cultura digital, estando massificada a utilizao de um sistema integrado de informao que facilita a obteno de outputs quase em tempo real. Toda a informao circula em formato digital

As unidades e os servios do IPCA esto focalizados na sua rea de competncia

tab. 3 - Viso definida no PEIPCA 2015-2019

PLANO DE ATIVIDADES2017

13

2.2. Eixos Estratgicos

O Plano de Atividades deve traduzir-se numa concretizao de objetivos e medidas

alinhados com os eixos estratgicos definidos no Plano Estratgico da instituio (cfr. tab. 4) que se entenda deverem ser prosseguidos no ano seguinte.

Nesse contexto, decorridos dois anos desde o incio de vigncia do Plano Estratgico e

faltando dois anos para o seu termo, vivendo-se, portanto, o seu perodo central de

execuo, dever haver uma interveno transversal a todos os eixos estratgicos

definidos, porquanto tal crucial para que se atinja, em 2019, o ponto definido na Viso.

Eixos estratgicos e medidas/aes PEIPCA 2015-2019

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

1. Ensino e Aprendizagem

Adequar a oferta formativa de licenciatura procura de formao superior e de aprendizagem ao longo da vida Adequar a oferta formativa de mestrado procura de formao avanada; Adequar a oferta formativa de cursos Tcnicos Superiores Profissionais procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades de mercado Promover a oferta de cursos de ps-graduao e de curta durao, em articulao com as necessidades do mercado e da comunidade acadmica (incluindo antigos estudantes) Promover a integrao e a interdisciplinaridade curricular bem como o uso de metodologias ativas de aprendizagem e ensino distncia Implementar medidas de sinalizao e combate ao insucesso e abandono escolar Desenvolver um sistema interno de garantia da qualidade, que promova a melhoria dos processos e a medida do desempenho e do progresso institucional

2. Investigao, Inovao e Transferncia do conhecimento

Criar e dinamizar centros de I&Di multidisciplinares nos domnios de especializao do IPCA, alinhados e articulados com as reas disciplinares dos departamentos e orientados para a produo e transferncia de tecnologia e valorizao de conhecimento Promover a participao ativa dos docentes do IPCA em redes de cooperao na rea de I&D, a nvel nacional e internacional, que fomentem a produo e transferncia de conhecimento Estimular o registo de patentes e disseminar o conhecimento e a investigao produzida nos domnios de especializao do IPCA

3. Sociedade, empregabilidade e empreendedorismo

Dinamizar a unidade PRAXIS21 conforme os objetivos estabelecidos na candidatura ao ON2 Eixo prioritrio 1 Competitividade, inovao e conhecimento Promover o emprego, o empreendedorismo e a ligao dos estudantes s empresas Dinamizar a atividade do CIED na regio atravs do cumprimento do plano de atividades e do aumento do nmero de antenas

4. Internacionalizao

Garantir o acesso a programas que promovam a mobilidade nacional e internacional de estudantes, docentes, trabalhadores e investigadores do IPCA Aumentar as parcerias estratgicas com instituies e protocolos com empresas Captar estudantes internacionais para os cursos de TESP, licenciatura e mestrado do IPCA Criar e dinamizar a Escola de Vero que organiza e realiza programas de formao de

Vero nas reas de interveno do IPCA, de mbito nacional e internacional

5. Estudantes

Aumentar e melhorar os apoios sociais concedidos aos estudantes, seja atravs do apoio social direto (fundo de emergncia, loja social, etc.), seja atravs do aumento do n de servios de apoio social disponibilizados ou do aumento do nmero de bolsas concedidas, seja atravs de uma maior capacidade de resposta aos pedidos de bolsa

PLANO DE ATIVIDADES2017

14

Eixos estratgicos e medidas/aes PEIPCA 2015-2019

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

apresentados Aumentar o nmero de protocolos com as empresas e entidades, com vista a aumentar o servio de transporte disponibilizado, e o nmero de prmios de mrito, bem como aumentar os protocolos com os grupos acadmicos do IPCA Dar resposta aos pedidos de alojamento dos estudantes nacionais e estudantes internacionais em mobilidade ou no mbito de protocolos institucionais

6. Recursos humanos

Garantir a qualificao do corpo docente, de acordo com os critrios estabelecidos pelo RJIES e pela A3ES, e do corpo no docente em funo do perfil e das competncias adequadas ao posto de trabalho Criar e executar um plano anual de formao (interna e externa) que permita responder s necessidades de formao do pessoal no docente Promover o bom ambiente organizacional, atravs da flexibilizao, da motivao e da criao das condies de trabalho adequadas, bem como realizar atividades socioculturais, de carcter ldico, que fomentem o convvio entre os trabalhadores do IPCA e entre estes e a comunidade acadmica

7. Recursos financeiros

Promover a accountability e a gesto criteriosa dos recursos financeiros disponveis, controlando a execuo oramental e financeira, por grandes projetos, e apurando os desvios existentes, bem como promovendo o aumento das receitas prprias Implementar um sistema de contabilidade analtica e controlo e de auditoria interna em todas as unidades orgnicas com vista ao aumento da eficincia e qualidade dos processos internos

8. Infraestruturas

Criar e apetrechar as infraestruturas de ensino e investigao adequadas s necessidades dos

estudantes, designadamente o edifcio da EST e da Biblioteca, o edifcio destinado ESD e os

centros de estudos tcnicos superiores profissionais

Criar, aumentar e melhorar as infraestruturas destinadas ao apoio social, desportivo, cultural e ao

acesso ao campus

Manter um sistema eficiente de gesto, manuteno, conservao e atualizao do patrimnio,

incluindo equipamentos escolares e informticos

9. Comunicao e imagem institucional

Implementar a estratgia e o plano de comunicao externa com vista a uma maior visibilidade e notoriedade da marca IPCA

Desenvolver um sistema de informao em rede que facilite a comunicao interna e permita a

produo de informao de apoio gesto e tomada de deciso

10. Governao e organizao interna

Articular com as unidades orgnicas a elaborao do seu plano estratgico, tendo como referencial

o plano estratgico do IPCA, incentivando participao da comunidade interna, e proceder

avaliao do desempenho alcanado

Criar novas unidades, nomeadamente uma Escola Superior nas reas da Hotelaria, Restaurao e

Turismo e a unidade dos cursos Tcnicos Superiores Profissionais, em articulao com as restantes

unidades e servios do IPCA e com a comunidade externa Obter a certificao pela A3ES do Sistema Interno de Garantia da Qualidade e divulgar indicadores

de desempenho no site do IPCA

tab. 4 - Eixos estratgicos e medidas/aes PEIPCA 2015-2019

PLANO DE ATIVIDADES2017

15

3. Objetivos Operacionais e estratgia a adotar para a sua

concretizao em 2017

3.1. Programas e Atividades

Nesta sede, o Plano de Atividades define as principais linhas de ao e os objetivos a atingir. Trata-se, em suma, de concretizar objetivos estratgicos especficos, por referncia a cada um dos eixos estratgicos definidos no PEIPCA, concretizao que realizada pelos diversos intervenientes no processo estratgico do IPCA.

Assim:

A concretizao de cada um dos Eixos Estratgicos definidos no PEIPCA 2015-2019 compete a diferentes Promotores, de acordo com a sua vocao especfica para a prossecuo de cada uma das reas. Nesse contexto, foi solicitada e fornecida informao por cada um desses intervenientes de acordo com o esquema de distribuio definido na tab. 5 infra:

Eixos Estratgicos PEIPCA Promotor Aes

1: Ensino e Aprendizagem Escolas, UTeSP e GAQ

2. Investigao, Inovao e Transferncia do conhecimento

Escolas, UTesP e UPraxis21

3. Sociedade, empregabilidade e empreendedorismo

UPraxis21

4. Internacionalizao UPraxis21 (GRI)

5. Estudantes Servios de Ao Social

6. Recursos humanos Servios Centrais

7. Recursos financeiros Servios Centrais

8. Infraestruturas Servios Centrais

9. Comunicao e imagem institucional Servios Centrais

10. Governao e organizao interna Servios Centrais

tab. 5 - Promotores das aes por eixo estratgico do PEIPCA

PLANO DE ATIVIDADES2017

16

3.1.1. IPCA/Servios Centrais

O IPCA uma instituio de ensino superior jovem e inovadora, com preocupaes no campo da responsabilidade intergeracional, vocacionada para a proteo do ambiente e a promoo de estilos de vida saudveis. Pretende desenvolver a sua atividade em espaos fsicos pensados para o utilizador: seguros e monitorizados, integrados no ambientes envolvente, adaptados ao

desenvolvimento de atividades laborais e ldicas com respeito pela sade dos utilizadores a adaptados a pessoas com mobilidade condicionada ou diminuda. Nesse contexto, em 2017, a atividade dos Servios Centrais do IPCA desenvolver-se- ao longo dos trs vetores essenciais que se constituem como as linhas tnicas da instituio:

O vetor IPCA VERDE, que ambiciona deixar uma pegada ecolgica, atravs da criao de

instalaes eco-friendly, em que o consumo de energias fsseis e esgotveis seja reduzido ao mnimo e em que sejam preservadas as caractersticas naturais do ecossistema envolvente. Assim, prev-se a instalao de um sistema de autoproduo de energia eltrica e o consumo exclusivo, para abastecimento e manuteno dos edifcios do Campus de Barcelos, de gua dos poos. Por outro lado, a escolha dos materiais utilizados na criao de infraestruturas no Campus obedecer

sempre a critrios ecolgicos e de eficincia energtica, privilegiando-se os que no impliquem a impermeabilizao do solo (como os relvados e o beto poroso permevel) e os que se mostrem capazes de aumentar ou melhorar o comportamento geotrmico dos edifcios. Continuar a privilegiar-se a circulao pedonal e ciclvel, aumentando os percursos pedestres e ciclovia, criados em 2016, com a criao de novos percursos e espaos de lazer ao ar livre e com a disponibilizao de bicicletas para estudantes e trabalhadores.

O vetor IPCA SAUDVEL, que aspira a ambientes de trabalho saudveis, com condies propcias

ao exerccio das diversas atividades laborais, docentes e no docentes, nas melhores condies possveis promoo da sade humana. A circulao de indivduos com mobilidade concionada ou diminuda igualmente uma preocupao essencial, numa instituio que se pretende inclusiva e promotora de condies de igualdade para todos os utilizadores. Pretende-se, neste domnio,

promover a criao de condies propcias ao desenvolvimento de um trabalho produtivo, criativo, eficiente e eficaz. No ano de 2016, foi implementado o Servio de Higiene, Sade e Segurana no Trabalho. Para alm de responder a uma obrigatoriedade legal, a implementao deste Servio pretende ir mais alm, criando, durante o ano de 2017, as condies essenciais para que, em 2018, o IPCA possa obter a certificao de Empresa Saudvel, sendo, com isso, a primeira IES do pas a obter tal certificao.

O vetor IPCA SEGURO, nos termos do qual se pretende prover o Campus de condies de segurana e monitorizao que permitiro a utilizao dos espaos com vontade, a qualquer hora do dia ou da noite. Sendo o IPCA uma instituio aberta ao exterior, acessvel em diversos pontos,

todo o Campus estar coberto com dispositivos avanados de videovigilncia e dispositivos anti-

intruso, j instalados em 2016 e, a partir de 2017, contar ainda com alguns dispositivos de acesso condicionado ao interior do Campus, atravs da colocao, nos principais parques de estacionamento, de barreiras de controlo eletrnico, transponveis atravs da aproximao de carto com chip. Todo o sistema eletrnico ser controlado atravs de uma equipa de vigilncia humana, que ficar localizada em edifcio prprio, localizado cerca da na nova entrada principal do Campus, aps a concluso do novo acesso carral construdo pelo municpio de Barcelos.

Os Servios Centrais do IPCA esto vocacionados para a concretizao, sobretudo dos Eixos Estratgicos 6. a 10. do PEIPCA. Prevem-se, para sua concretizao, em 2017, intervenes a diversos nveis, conforme melhor resulta do elenco das atividades previstas que constam da tab. 6.

PLANO DE ATIVIDADES2017

17

/Servios Centrais

EIXO ESTRATGICO MEDIDAS/AES (PEIPCA)

6. Recursos humanos

22. Criar e executar um plano anual de formao (interna e externa) que permita responder s necessidades de formao do pessoal no docente 23. Promover o bom ambiente organizacional, atravs da flexibilizao, da motivao e da criao das condies de trabalho adequadas, bem como realizar atividades socioculturais, de carcter ldico, que fomentem o convvio entre os trabalhadores do IPCA e entre estes e a comunidade acadmica

OBJETIVOS 2017 PAIPCA AO META

OP 1

Promover a sade e o bem-estar da comunidade interna do IPCA

Consolidar o funcionamento eficiente do Servio de Higiene e Segurana no Trabalho, instalado em agosto de 2016

janeiro a dezembro

Promover iniciativas de team building janeiro a dezembro (2)

Realizar aes de motivao e coaching janeiro e junho (2)

OP 2

Promover a sade e diminuir o absentismo por doena

Fornecer consultas mdicas e realizao de MCDT bsicos em contexto laboral

at dezembro

Realizar o diagnstico mdico de todo o pessoal docente e no docente do IPCA

janeiro a dezembro

OP 3

Tornar mais til, eficiente e eficaz a informao sobre assiduidade, tempos de trabalho e no trabalho, justificao de ausncias, marcao e gesto de frias

Dar formao sobre o novo programa de gesto da assiduidade

janeiro a maro

Marcar e alterar frias unicamente no programa informtico

a partir de maro

Justificar faltas unicamente no programa informtico a partir de maro

Dilogo entre trabalhador e chefias atravs do programa informtico

a partir de maro

OP 4

Tornar mais eficiente e eficaz a produo de informao de gesto em matria de RH

Criar e manter uma base de dados, atualizada mensalmente, de todos os trabalhadores docentes e no docentes

janeiro a dezembro

Enviar mensalmente informao sobre contratos celebrados com impacto financeiro DAF

janeiro a dezembro

Analisar trimestralmente as necessidades de atualizao do mapa de pessoal e elaborar propostas de alterao

janeiro a dezembro

PLANO DE ATIVIDADES2017

18

OP 5

Promover a formao dos trabalhadores e colaboradores

Aes de Formao em SNC-AP janeiro a maro1

Aes de Formao sobre o Manual de Controlo Interno (6 edio)

janeiro a maro1

Aes de Formao sobre programa de gesto de assiduidade (dirigentes e funcionrios)

janeiro a maro2

Aes de formao no mbito do SHSST (postura e ergonomia)

janeiro a junho1

Aes de formao no mbito do SHSST (Suporte Bsico de Vida)

janeiro a dezembro1

Aes de formao no mbito do SHSST (adoo de hbitos de trabalho saudveis)

abril1

Aes de formao no mbito das medidas de

autoproteo contra incndios

janeiro a

dezembro1

EIXO ESTRATGICO MEDIDAS/AES (PEIPCA)

7. Recursos financeiros

24. Promover a accountability e a gesto criteriosa dos recursos financeiros disponveis, controlando a execuo oramental e financeira, por grandes projetos, e apurando os desvios existentes, bem como promovendo o aumento das receitas prprias 25. Implementar um sistema de contabilidade analtica e controlo e de auditoria interna em todas as unidades orgnicas com vista ao aumento da eficincia e qualidade dos processos internos

OBJETIVO 2017 PAIPCA AO META

OP 1

Reforar a accountability e a transparncia

Realizar uma auditoria interna, pelo Fiscal nico, aos procedimentos financeiros

janeiro a maro

Elaborar relatrios mensais da execuo oramental e submeter ao conselho de gesto

12/ano

OP 2

Melhorar a dinmica e flexibilidade dos procedimentos

Realizar uma avaliao interna dos procedimentos financeiros, do ponto de vista da eficincia e eficcia

maro a maio

Realizar uma avaliao anual do Manual de Controlo Interno, promovendo a introduo das alteraes que resultem das auditorias internas promovidas pelo Fiscal nico

junho

OP 3

Ser pioneiro na aplicao das novas regras da Normalizao Contabilstica na Administrao Pblica

Ser entidade-piloto na aplicao do SNC-AP Janeiro

OP 4

Melhorar a relao entre a informao de RH e a informao financeira, promovendo maior eficincia e transparncia no processamento de remuneraes e complementos salariais

Instituir o dilogo direto e bidirecional entre o Programa de Gesto de RH e o Primavera Sofware

Janeiro/dezembro

PLANO DE ATIVIDADES2017

19

OP 5

Tornar mais eficiente e eficaz a informao de gesto em matria financeira

Promover o controlo e gesto do patrimnio mvel do IPCA atravs da identificao eletrnica (leitura de cdigos de barras) em todo o mobilirio

Maio

EIXO ESTRATGICO MEDIDAS/AES (PEIPCA)

8. Infraestruturas

26. Criar e apetrechar as infraestruturas de ensino e investigao adequadas s necessidades dos estudantes, designadamente o edifcio da EST e da Biblioteca, o edifcio destinado ESD e os centros de estudos tcnicos superiores profissionais 27. Criar, aumentar e melhorar as infraestruturas destinadas ao apoio social, desportivo, cultural e ao acesso ao campus 28. Manter um sistema eficiente de gesto, manuteno, conservao e atualizao do patrimnio, incluindo equipamentos escolares e informticos

OBJETIVO 2017 PAIPCA AO META

OP 1

Aumentar e melhorar as instalaes destinadas oferta formativa (Escolas e Polos)

Construo da nova Escola Superior de Tecnologia janeiro a dezembro2

Reconstruo da nova Escola Superior de Design NA2

Continuao da construo de arranjos exteriores no Campus: novo acesso pedonal, novas instalaes para a equipa de Segurana e material de videovigilncia, nova sinaltica interior, instalao de zonas ensombradas nos parques de estacionamento

janeiro a dezembro

Anexar ao Campus o terreno adjacente a Norte/Nascente, sito na Rua do Carregal (CM 1069), da Unio de Freguesias de Barcelos, Vila Boa e Vila Frescainha (So Martinho e So Pedro), para construo de novas infraestruturas, nomeadamente um novo acesso ao Campus e estacionamento

NA3

OP 2

Melhorar a eficincia energtica dos edifcios e equipamentos

Colocar novo revestimento exterior em capotto na ESG maio a agosto

Implementar um plano de autoproduo de energia eltrica atravs de painis solares

janeiro/fevereiro

OP 3

Adequar os espaos s necessidades especiais de pessoas com mobilidade condicionada

Construir um novo parque de estacionamento com lugares para PMC

maro/abril

Finalizar o levantamento diagnstico das necessidades de adequao do Campus de Barcelos a PMC, iniciado em 2016

janeiro

OP 4

Reforar a oferta de infraestruturas residenciais aos estudantes

Realizar uma empreitada de ampliao da Residncia de Estudantes, sita no centro da cidade de Barcelos

junho

PLANO DE ATIVIDADES2017

20

OP 5

Adequar os espaos ao vetor IPCA Verde

Instalar um sistema de rega automtica totalmente abastecido por gua do poo

abril

Realizar um diagnstico de luminescncia e promover a substituio de lmpadas ineficientes por lmpadas de baixo consumo

janeiro a dezembro

Instalar de um sistema de autoproduo de energia eltrica atravs de painis solares

maio

Criar e manter uma horta urbana, de utilizao

coletiva dezembro

OP 6

Adequar os espaos de trabalho ao vetor IPCA Saudvel

Consolidar o Servio de Higiene e Segurana no Trabalho (SHST), instalado pela 1 vez no IPCA em agosto de 2016

janeiro a dezembro

Realizar o diagnstico de ergonomia e ilunimao dos gabinetes de trabalho

abril

Adequar os espaos de trabalho s normas de higiene e segurana no trabalho, no mbito do SHST

julho

Criar condies no patrimnio edificada e a edificar para obteno, em 2018, da certificao "Empresa Saudvel"

janeiro a dezembro

OP 7

Adequar os espaos ao vetor IPCA Seguro

Colocar barreiras de acesso condicionado aos principais parques de estacionamento, acessveis por aproximao de carto

maio

Instalar cmaras de videovigilncia entrada dos novos parques de estacionamento (espao ESD e terreno adjacente)

maio a outubro

Construir uma nova central para instalao da equipa de vigilncia humana e equipamentos de videovigilncia e comunicao

setembro

EIXO ESTRATGICO MEDIDAS/AES (PEIPCA)

9. Comunicao e imagem institucional

29. Implementar a estratgia e o plano de comunicao externa com vista a uma maior visibilidade e notoriedade da marca IPCA 30. Desenvolver um sistema de informao em rede que facilite a comunicao interna e permita a produo de informao de apoio gesto e tomada de deciso

OBJETIVO 2017 PAIPCA AO META

OP 1

Aumentar a visibilidade da marca IPCA

Promover e agendar a presena do IPCA em feiras educativas para divulgao da oferta - 4UM

abril

Promover e agendar a presena do IPCA em feiras educativas para divulgao da oferta - Feira de Artesanato de Barcelos

agosto

Promover e agendar a presena do IPCA em feiras educativas para divulgao da oferta (Expo Barcelos)

outubro

OP 2

Melhorar a comunicao externa

Gerir eficazmente o site do IPCA e as redes sociais (Facebook, Twitter, Google+, Vimeo, You Tube, Flickr, Issue, Soundcloud) I

Presena em todas as redes referidas at agosto

OP 3

Melhorar a comunicao interna Elaborar e concretizar o Plano de Comunicao do IPCA para cada ano letivo

janeiro a dezembro

PLANO DE ATIVIDADES2017

21

Divulgar internamente notcias relativas ao IPCA janeiro a dezembro

Assegurar a divulgao das decises de gesto com eficcia interna na instituio

janeiro a dezembro

Implementar uma Aplicao para telemvel para comunicao com os estudantes e gesto das diversas atividades dos estudantes (UNICOM IPCA)

agosto

EIXO ESTRATGICO MEDIDAS/AES (PEIPCA)

10. Governao e organizao interna

31. Articular com as unidades orgnicas a elaborao do seu plano estratgico, tendo como referencial o plano estratgico do IPCA, incentivando participao da comunidade interna, e proceder avaliao do desempenho alcanado 32. Criar novas unidades, nomeadamente uma Escola Superior nas reas da Hotelaria, Restaurao e Turismo e a unidade dos cursos Tcnicos Superiores Profissionais, em articulao com as restantes unidades e servios do IPCA e com a comunidade externa 33. Obter a certificao pela A3ES do Sistema Interno de Garantia da Qualidade e divulgar indicadores de desempenho no site do IPCA

OBJETIVO 2017 PAIPCA AO META

OP 1

Promover uma gesto participada e transparente

Elaborar Planos Estratgicos Sectoriais alinhados com o PEIPCA 2015-2019 e com o PAIPCA 2017

janeiro a maro

Elaborar o Plano de Atividades 2018 por Escola, Unidade ou Servio, com participao dos dirigentes e trabalhadores

junho a agosto

Promover reunies gerais de trabalhadores no docentes com periodicidade semestral

janeiro e junho (2)

OP 2

Promover a avaliao do desempenho individual, sectorial e organizacional

Rever o SIADAP em alinhamento com o PEIPCA e com o QUAR

maro

OP 3

Flexibilizar o modelo de governao e a estrutura organizacional

Alterar a natureza jurdica do IPCA para o regime fundacional

Dependente de aprovao pelo MCTES

tab. 6 - Atividades Planeadas IPCA/Servios Centrais

1 A empreitada de construo da Escola Superior de Tecnologia foi consignada em 20 de setembro de 2016, sendo o prazo de execuo

previsto no procedimento de empreitada de obra pblica de 540 dias (clusula 9, n 1 do caderno de encargos), o ano de 2017 ser

inteiramente ocupado com a execuo da empreitada, que no terminar antes de 2018. 2 A reconstruo da Escola Primria Gonalo Pereira para reconverso em Escola Superior de Design do IPCA um projeto que se

desenvolve em parceria com o municpio de Barcelos, sendo a empreitada promovida pelo municpio, pelo que a concretizao do

objetivo fica condicionada a esse fator externo. 3 A concretizao do objetivo de aquisio de patrimnio imobilirio fica condicionada obteno dos necessrios pareceres e

autorizaes externos.

PLANO DE ATIVIDADES2017

22

3.1.2. Gabinete para a Avaliao e Qualidade (GAQ)

Nos termos do disposto no n6 do artigo 44 EIPCA, o GAQ tem como funo principal prestar

apoio ao Conselho para a Avaliao e Qualidade na elaborao, implementao e monitorizao dos processos de avaliao e qualidade, tendo como principais competncias apoiar a implementao da poltica da qualidade do IPCA, apoiar os processos de autoavaliao e de avaliao externa do IPCA, colaborar na organizao dos processos de acreditao prvia de novos ciclos de estudos e submet-los Agncia de Avaliao e Acreditao do Ensino Superior, construir bases de dados, indicadores de gesto e dados estatsticos, elaborando relatrios peridicos sobre o desempenho do IPCA e das suas unidades orgnicas, no mbito da poltica da qualidade, analisar, propor e

acompanhar a melhoria dos processos e procedimentos organizacionais, coordenar a aplicao dos questionrios de avaliao pedaggica aos estudantes, processar e analisar os dados recolhidos e elaborar os respetivos relatrios, divulgar periodicamente relatrios de avaliao da qualidade dos

servios, assegurar um sistema de informao e meios de divulgao dos processos de garantia da qualidade no IPCA e, em geral, realizar as demais atividades inerentes definio, monitorizao e implementao da poltica da qualidade do IPCA.

/Gabinete de Avaliao e Qualidade

EIXOS ESTRATGICOS MEDIDAS/AES

1: Ensino e Aprendizagem

Implementar medidas de sinalizao e combate ao insucesso e abandono escolar Desenvolver um sistema interno de garantia da qualidade, que promova a melhoria dos processos e a medida do desempenho e do progresso institucional

OBJETIVO 2017 AO META

Promover a melhoria contnua dos processos de ensino e aprendizagem e o sucesso escolar

Lanamento de plataforma para verificao/anlise dos registos de assiduidade, com o objetivo de monitorizar e sinalizar situaes de abandono escolar precoce.

Em funcionamento em 2017

Elaborao de Plano de Formao Pedaggica para Docentes

2017

Realizao de Workshops para a Inovao e Melhoria do Ensino e Aprendizagem

2/ano

Taxa de sucesso escolar 1 ciclo Mn. 70%

Reviso do Manual da Qualidade 2017/2018

Reviso dos procedimentos e modelos em vigor para avaliao do processo de ensino e aprendizagem (em

concreto autoavaliao das unidades curriculares e autoavaliao dos cursos)

2017/2018

Acompanhamento dos processos de avaliao/acreditao por parte da A3ES

NA

Acompanhamento dos processos de pedido de acreditao de Novos Ciclos de Estudos A3ES

NA

tab. 7 - Atividades Propostas GAQ/2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

23

3.1.3. Escola Superior de Gesto (ESG)

A Escola Superior de Gesto foi a primeira Escola do IPCA. Iniciou a sua atividade pedaggica em

1996 com dois cursos de licenciatura (Contabilidade Empresarial e Contabilidade e Finanas Pblicas), como resposta necessidade de formao especializada na rea cientfica da contabilidade. Desde ento, 20 anos decorridos, a oferta formativa da Escola cresceu, melhorou e atualizou-se, num esforo de adequao s necessidades da regio e do mercado de trabalho.

Neste momento, a ESG oferece 8 cursos de mestrado, dos quais 2 em consrcio com a Associao de Politcnicos do Norte (APNOR) e 1 em associao com o Politcnico do Porto, num esforo de maximizao da utilizao de recursos especializados das diferentes instituies como vantagem competitiva. Disponibiliza 7 cursos de licenciatura, a maioria em horrio laboral e ps-laboral, oferecendo ainda, desde 2010, um curso de licenciatura em Gesto Pblica em ensino distncia

e, desde 2014, tambm Cursos Tcnicos Superiores profissionais (Tesp).

Com cerca de 2500 estudantes a Escola Superior de Gesto hoje reconhecida por formar profissionais nas reas da Contabilidade, Fiscalidade, Finanas, Gesto Bancria e Seguros, Gesto

de Atividades Tursticas, Gesto Pblica e Solicitadoria incentivando a participao dos seus estudantes em projetos de intercmbio internacional.

A atividade de investigao da escola est estruturada em diferentes Centros de Investigao: o Centro de Investigao em Contabilidade e Fiscalidade (CICF) e o Centro de Investigao Jurdica Aplicada (CIJA), participando ainda na Unidade de Investigao Aplicada Gesto (UNIAG) do consrcio APNOR, todos voltados para projetos de investigao aplicada e ainda para a prestao de servios.

a) Oferta Formativa4

Oferta Formativa 2017

MESTRADOS

Auditoria 6 ed.

Contabilidade e Finanas 7ed.

Fiscalidade 8 ed.

Gesto Autrquica 4 ed.

Gesto das Organizaes 9 ed.

Gesto do Turismo 2 ed.

Solicitadoria

PLANO DE ATIVIDADES2017

24

Licenciaturas

Contabilidade (regime diurno)

Contabilidade (regime ps-laboral)

Finanas (regime diurno)

Fiscalidade (regime diurno)

Fiscalidade (regime ps-laboral)

Gesto Bancria e Seguros (regime diurno)

Gesto Bancria e Seguros (regime ps-laboral)

Gesto de Atividades Tursticas (regime diurno)

Gesto de Atividades Tursticas (regime ps-laboral)

Gesto Pblica (ensino a distncia)

Gesto Pblica (diurno)

Solicitadoria (regime diurno)

Solicitadoria (regime ps-laboral)

Ps-Graduaes

Fiscalidade 9 ed.

Sistema de Normalizao Contabilstica para as Administraes Pblicas 2 ed

Cursos Breves

rea da Contabilidade e Fiscalidade

rea do Direito

rea da Gesto

rea do Turismo e Marketing

tab. 8 - Oferta Formativa da ESG para 2017

4 A oferta formativa de cursos tcnicos superiores profissionais consta da oferta formativa da UTeSP, nas pginas 37.

PLANO DE ATIVIDADES2017

25

b) Atividades propostas:

As atividades propostas pela Escola Superior de Gesto enquadram-se na densificao,

para o ano de 2017, dos Eixos Estratgicos n 1 - Ensino e Aprendizagem e 2 -

Investigao, Inovao e Transferncia do Conhecimento, nos termos em que vem definido no PEIPCA 2015-2019 (cfr. tab. 9)

EIXOS

ESTRATGICOS MEDIDAS/AES

1: Ensino e

Aprendizagem

1. Adequar a oferta formativa de licenciatura procura de formao superior e de aprendizagem ao longo da vida

2. Adequar a oferta formativa de mestrado procura de formao avanada;

3. Adequar a oferta formativa de cursos Tcnicos Superiores Profissionais procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades de mercado

4. Promover a oferta de cursos de ps-graduao e de curta durao, em articulao com as necessidades do mercado e da comunidade acadmica (incluindo antigos estudantes)

5. Promover a integrao e a interdisciplinaridade curricular bem como o uso de metodologias ativas de aprendizagem e ensino distncia

6. Implementar medidas de sinalizao e combate ao insucesso e abandono escolar

OBJETIVO 2017 AO META

Implementar os novos planos de estudos das licenciaturas em GBS e FIN (aprovados pela A3Es)

Adequao dos programas das unidades curriculares s necessidades do mercado

At dez. 2017

Reestruturao curricular da Licenciatura em Fiscalidade

Adequao da estrutura curricular s necessidades do mercado e procura dos estudantes

At dez. 2017

Colocar em funcionamento o Ctesp de Gesto Hoteleira

Definio do local de funcionamento e identificao do corpo docente

At set.2017

Colocar em funcionamento o Ctesp de Restaurao e Bebidas

Definio do local de funcionamento e identificao do corpo docente

At set.2017

Reestruturao curricular do Ctesp de Exportao e Logstica

Adequao da estrutura curricular s necessidades do mercado e procura dos estudantes

At set.2017

Colocar em funcionamento o novo plano curricular do Ctesp de Apoio Gesto

Aprovao pela DGES da proposta aprovada em CTC da ESG At set.2017

Incrementar a relao com o mercado e as empresas

Constituir o Comit Consultivo da ESG At julho de 2017

Participar na Job Shop IPCA At julho de 2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

26

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

Participao no 3. Portugals Future Hoteliers Summit novembro de 2017

Cursos de curta durao

Realizao de cursos breves de formao executiva nas diferentes reas de atuao da ESG destinados atualizao de profissionais Realizao de cursos breves destinados aos estudantes para reforo das competncias transversais Realizao de 3 edies de cursos de preparao para o exame de acesso OCC Realizao de 1 edio de curso de preparao para o exame de acesso OSAE

Ao longo do ano de 2017

Seminrios e conferncias

Seminrios com oradores convidados nos diferentes cursos de mestrados da ESG Aulas abertas com oradores convidados nos diferentes cursos de licenciatura da ESG

At dez. 2017

Incremento resultados dos exames de acesso OCC

No mbito da celebrao do dia do curso de Contabilidade Concurso Quem quer ser contabilista

At julho de 2017

Incremento do Empreendedorismo Social

No mbito da UC de Fundamentos de Gesto ser dinamizada a participao dos estudantes nos projetos Operao Nariz Vermelho, Campanha de recolha de material didtico para Moambique, Vamos apadrinhar uma criana.

At julho de 2017

Eventos

Dia da ESG e do ex aluno julho 2017

Exposio alusiva Histria da Contabilidade no mbito do dia do

Curso

At julho de

2017

Semana da Solicitadoria 15 a 20 de maio 2017

Organizao do Encontro Nacional de Estudantes de Solicitadoria 20 a 22 de Abril 2017

Criao de novas PGs PG em Direito da Propriedade Industrial PG em Controlo de Gesto e Finanas Empresariais PG em Marketing Digital

At setembro 2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

27

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

Visitas de Estudo

Visita de estudo Primavera BSS dos cursos de licenciatura em Contabilidade, Fiscalidade e Finanas, no mbito da UC de Sistemas de Informao para a Contabilidade; Visita de estudo OCC com assistncia a seminrio organizado pela Ordem, cursos de CTB e FISC; Visita de estudo ao Parlamento Europeu, cursos ESG; Participao no programa Young Professional Sessions da Euronext Lisbon no mbito da Uc de Mercados e Investimentos Financeiros, curso de Finanas; Visita de estudo BTL Feira Internacional de Turismo, curso de GAT; Visita Assembleia da Repblica, curso SOL.

At setembro 2017

2. Investigao, Inovao e Transferncia do conhecimento

7. Criar e dinamizar centros de I&Di multidisciplinares nos domnios de especializao do IPCA, alinhados e articulados com as reas

disciplinares dos departamentos e orientados para a produo e transferncia de tecnologia e valorizao de conhecimento

8. Promover a participao ativa dos docentes do IPCA em redes de cooperao na rea de I&D, a nvel nacional e internacional, que fomentem a produo e transferncia de conhecimento

9. Estimular o registo de patentes e disseminar o conhecimento e a investigao produzida nos domnios de especializao do IPCA

OBJETIVO 2017 AO META

Projeto FCT (PTDC/IIMGES/6923/2014) CICF

O processo de mudana da contabilidade pblica como resultado da adoo das IPSAS na Pennsula Ibrica

dez 2017

Congresso Internacional (CIJA)

II Condit Congresso Internacional de Direito Constitucional abril 2017

Conferncia Internacional (CICF)

16th CIGAR Biennial Conference em parceria com a Universidade de Coimbra e a OCC;

junho 2017

Conferncia Nacional (CICF)

IV Conferncia em Contabilidade e Fiscalidade em parceria com a OCC

At julho 2017

Conferncia Nacional Enquadramento fiscal das Bitcoin At julho 2017

Conferncia Nacional Conferncia Dia Mundial do Turismo 27/09/2017

Conferncia Nacional Apresentao do anurio financeiro dos municpios portugueses 2015

At julho de 2017

Congresso Nacional Congresso de Fiscalidade e Direito Fiscal At julho de 2017

Prestao de Servios (CICF)

Implementao do SNC AP em autarquias locais; Fundamentao econmico-financeira das taxas praticadas em autarquias; Elaborao de estudos econmico-financeiros em empresas pblicas

At dez de 2017

tab. 9 - Atividades Propostas ESG/2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

28

3.1.3. Escola Superior de Tecnologia (EST)

A Escola Superior de Tecnologia (EST) iniciou a sua atividade em outubro de 2004 e conta

atualmente com uma oferta educativa focada na Engenharia, oferecendo cursos de Licenciatura, Mestrado e Tcnicos Superiores Profissionais (Tesp), nas reas da informtica, jogos digitais, computao grfica, eletrnica, automao, robtica, redes, maquinao e mecnica automvel.

Nos ltimos anos, a EST tem vindo a apostar na rea do entretenimento digital como uma das principais oportunidades de potencial econmico e acadmico, tanto na Europa como no mundo. Como resultado desta aposta, foi criado, em 2010, o primeiro curso de Licenciatura em Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais do pas, bem como foi construdo o primeiro Centro de Investigao Portugus inteiramente dedicado aos jogos digitais, o Digital Games Lab.

A EST est sedeada no Campus do IPCA, em Barcelos, com uma rea total superior a dois mil metros quadrados, equipada ao mais alto nvel, promovendo um ensino aplicado prtica e incentivando os estudantes a desenvolverem e envolverem-se em projetos inovadores de

investigao e desenvolvimento utilizando os laboratrios e equipamentos disponveis, contando com diversos prmios, conquistados pelos estudantes da EST em vrios concursos, nacionais e internacionais.

Com a entrada em funcionamento dos Cursos Tcnicos Superiores Profissionais (TeSP), a EST expandiu a sua oferta educativa s cidades de Braga (em 2014) e Guimares (em 2015). Estes novos cursos permitiram tambm investir noutras reas, nomeadamente, no desenho tcnico, maquinao e mecnica automvel.

a) Oferta formativa para 2017

Paralelamente atividade letiva, a EST tem organizado eventos de divulgao da escola,

designadamente a iDroneCup, que em 2016 passou a designar-se Idrone Experience, a JobShop, a Open EST, entre outros, destinados aos seus estudantes e comunidade educativa envolvente.

Oferta Formativa 2017

MESTRADOS

Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais

Engenharia Eletrnica e de Computadores

Engenharia Informtica

Sistemas Integrados de Gesto Qualidade, Ambiente e Segurana

Licenciaturas

Engenharia em Desenvolvimento de Jogos Digitais

Engenharia Eletrotcnica e de Computadores

Engenharia de Sistemas Informticos

Informtica Mdica

PLANO DE ATIVIDADES2017

29

Oferta Formativa 2017

Ps-

Graduaes

Higiene e Segurana no Trabalho

Gesto da Qualidade em IPSS

Cursos

Breves

Curso Bsico de Matemtica

Curso de Preparao M23 Matemtica

Curso de Preparao M23 Informtica

tab. 10 - Oferta Formativa EST/2017

4 A oferta formativa de cursos tcnicos superiores profissionais consta da oferta formativa da UTeSP, nas pginas 37.

A divulgao dos projetos desenvolvidos por estudantes e docentes tambm feita atravs das reunies do Comit Consultivo, evento que junta, anualmente, as maiores empresas dos setores de atuao da EST.

b) Atividades propostas

As atividades propostas pela Escola Superior de Tecnologia enquadram-se na densificao, para o ano de 2017, dos Eixos Estratgicos n 1 - Ensino e Aprendizagem e 2 - Investigao, Inovao e Transferncia do Conhecimento, nos termos em que vem definido no PEIPCA 2015-2019 (cfr. tab.

11).

EIXOS

ESTRATGICOS MEDIDAS/AES

1: Ensino e Aprendizagem

1. Adequar a oferta formativa de licenciatura procura de formao superior e de aprendizagem ao longo da vida

2. Adequar a oferta formativa de mestrado procura de formao avanada; 3. Adequar a oferta formativa de cursos Tcnicos Superiores Profissionais

procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades de mercado

4. Promover a oferta de cursos de ps-graduao e de curta durao, em articulao com as necessidades do mercado e da comunidade acadmica (incluindo antigos estudantes)

5. Promover a integrao e a interdisciplinaridade curricular bem como o uso de metodologias ativas de aprendizagem e ensino distncia

6. Implementar medidas de sinalizao e combate ao insucesso e abandono escolar

OBJETIVO 2017 AO META

zDivulgao da Oferta Educativa da

Divulgao da oferta educativa da EST em escolas bsicas, secundrias e profissionais

maro a junho

PLANO DE ATIVIDADES2017

30

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

EST Organizao da IV edio do iDrone Experience e divulgao do evento nas escolas secundrias do distrito

fevereiro a maio

Divulgao da EST atravs de stand em feiras e eventos nacionais: Noite Europeia dos Investigadores, Comic Com, Lisbon Games Week, Braga Parque, 4UMinho, etc.

Participao em pelo menos 2 eventos nacionais

Organizao de eventos de captao de novos estudantes: IPCA Game Jam, Open IPCA, EST Open TeSP, Open Day de Mestrados, Estgios Rede Pequenos Cientistas

Organizao de pelo menos 3 eventos de captao

Dinamizao do projeto de Visitas EST Visita de pelo menos 150 pessoas

Garantir a ligao aos Alumni

Organizar a 2 Edio do Evento Alumni EST, em articulao com os servios centrais do IPCA

maio/junho

Aumentar a taxa de desempenho dos estudantes e reduzir o abandono escolar

Organizar workshops e eventos para os docentes da EST sobre novas metodologias de ensino

janeiro a dezembro

Implementar ambientes de aprendizagem baseados em projetos (PBL - Project Based Learning) no contexto educativo da EST

2 TeSP at ao final do ano

Promover a 3 edio do Curso Bsico de Matemtica, destinada a alunos do 1 ano de TeSP e licenciatura

outubro

2. Investigao, Inovao e Transferncia do conhecimento

7. Criar e dinamizar domnios de I&Di multidisciplinares, alinhados e articulados com as reas disciplinares dos departamentos e orientados para a produo e transferncia de tecnologia e valorizao de conhecimento

8. Promover a participao ativa dos docentes do IPCA em redes de cooperao na rea de I&D, a nvel nacional e internacional, que fomentem a produo e transferncia de conhecimento

9. Estimular a criao de spin-offs e o registo de patentes e disseminar o conhecimento e a investigao produzida nos domnios de especializao do IPCA

OBJETIVO 2017 AO META

Criar e dinamizar centros de I&Di multidisciplinares nos domnios de especializao do IPCA

Criar novas linhas de investigao na EST e consolidar as existentes

Janeiro a dezembro

Apostar na ligao dos estudantes de mestrado aos projetos de I&D

Organizao da 2 Edio do Symposium of Applied Research

maio/junho

Promover a Organizao da 5 Edio da Segah 2017 IEEE Conference on Serious abril

PLANO DE ATIVIDADES2017

31

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

participao ativa dos docentes do IPCA em redes de cooperao na rea de I&D, a nvel nacional e internacional, que fomentem a produo e transferncia de conhecimento

Games and Applications for Health

Estimular o registo de patentes e disseminar o conhecimento e a investigao produzida nos domnios de especializao do IPCA

Participao em concursos nacionais e internacionais, com projetos desenvolvidos por estudantes e docentes da EST

3

tab. 11 - Atividades propostas EST/2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

32

3.1.4. Escola Superior de Design (ESD)

A Escola Superior de Design (ESD) a mais recente das trs unidades orgnicas de ensino e investigao do Instituto Politcnico do Cvado e do Ave. Integra-se na rede de ensino superior pblico politcnico e encontra-se, atualmente, sediada no Campus do IPCA, em Barcelos.

A Escola Superior de Design inicia a sua atividade pedaggica no ano letivo de 2015/2016, nascendo da autonomizao do Departamento de Design em funcionamento no IPCA desde 2005. No presente, em Barcelos, a ESD oferece dois cursos de licenciatura Design Grfico (laboral e ps-laboral) e Design Industrial e dois cursos de mestrado Ilustrao e Animao (MIA) e Design

e Desenvolvimento do Produto (MDDP). Oferece ainda o Curso Tcnico Superior Profissional em Design do Calado no polo de Guimares.

A ESD nasce da estratgia IPCA de ligao s empresas e indstria da regio. Atravs do Design, o IPCA pretende aumentar as relaes de parceria com o tecido industrial da regio potenciando a inovao e aumentando a competitividade no mercado global. O Design permite alavancar o crescimento das empresas ao longo da cadeia de valor, permite s indstrias desenvolver marcas prprias e crescer de forma sustentvel (Mensagem da Direo, www.ipca.pt)

Vocacionada para o ensino superior do design e para a investigao aplicada nesta rea, inicia a sua atividade cientfica e pedaggica no presente ano letivo de 2015/2016, oferecendo Cursos de 1. e 2. ciclo e Cursos Tcnico Superiores Profissionais.

a) Oferta formativa

Oferta Formativa 2017

MESTRADOS

Mestrado em Ilustrao e animao

Mestrado em Design Digital

Mestrado em Design e

Desenvolvimento do Produto

Licenciaturas

Design Grfico, regime diurno e ps laboral

Design Industrial

tab. 12 - Oferta Formativa ESD/2017

4 A oferta formativa de cursos tcnicos superiores profissionais consta da oferta formativa da UTeSP, nas pginas 37.

PLANO DE ATIVIDADES2017

33

b) Atividades propostas

Com um corpo docente jovem, em constante formao, e dotada de salas de aula, oficinas e laboratrios com tecnologia atual, criam-se condies para a concretizao de atividades transversais e especficas, permitindo aos seus estudantes experimentar, testar e produzir de forma acompanhada pelos professores. Uma Escola jovem, geradora de ideias, que incute aos seus

estudantes e professores a noo de que o esforo e o saber fazer bem, tornam o seu projeto cientfico e formativo uma referncia no campo do design em Portugal.

As atividades propostas pela Escola Superior de Design enquadram-se na densificao, para o ano de 2017, dos Eixos Estratgicos n 1 - Ensino e Aprendizagem e 2 - Investigao, Inovao e Transferncia do Conhecimento, nos termos em que vem definido no PEIPCA 2015-2019 (cfr. tab. 13)

EIXOS ESTRATGICOS

MEDIDAS/AES

1: Ensino e Aprendizagem

1. Adequar a oferta formativa de licenciatura procura de formao superior e de aprendizagem ao longo da vida

2. Adequar a oferta formativa de mestrado procura de formao avanada; 3. Adequar a oferta formativa de cursos Tcnicos Superiores Profissionais

procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades de mercado

4. Promover a oferta de cursos de ps-graduao e de curta durao, em articulao com as necessidades do mercado e da comunidade acadmica (incluindo antigos estudantes)

5. Promover a integrao e a interdisciplinaridade curricular bem como o uso de metodologias ativas de aprendizagem e ensino distncia

6. Implementar medidas de sinalizao e combate ao insucesso e abandono escolar

OBJETIVO 2017 AO META

Implementar os novos planos de estudos das

licenciaturas (aprovados pela A3Es)

Adequao dos programas das unidades curriculares s necessidades do mercado local e global nas reas do design industrial e do design grfico.

At Dez. 2017

Implementar os novos planos de estudos dos mestrados (aprovados pela A3Es)

Adequao dos programas das unidades curriculares s necessidades do mercado local e global nas reas do design e desenvolvimento do produto e da ilustrao e animao.

At Dez. 2017

Melhorar a relao com o mercado e indstria

a) Constituir o Comit Consultivo da ESD e torn-lo participativo preferencial em seminrios e outras aes programadas.

b) Participar na organizao da JobShop IPCA

At Julho 2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

34

Cursos Breves de atualizao de conhecimentos

Realizao de Cursos breves e workshops de curta durao organizada pelo Departamento de Arte e Comunicao da ESD aproveitando os recursos do laboratrio de Audiovisuais. Realizao de Cursos breves e workshops de curta durao organizada pelo Departamento de Industrial e Produto da ESD aproveitando os recursos do laboratrio de Desenvolvimento do Produto

janeiro a dezembro

Seminrios e conferncias extracurriculares internos

Outubro

- Workshops Cinanima Desde 2014 que a ESD participa dos workshops do principal festival de animao do pas, o CINANIMA que decorre em Espinho em Novembro. Previsto para de Janeiro a Dezembro - Conversa com Palestras com profissionais do Design no mbito de unidades curriculares dos cursos de licenciatura de Design Grfico e Design Industrial. Maro - A pele dos objetos 2 edio Conferncia no mbito da rea Cientfica e Disciplinar de Desenvolvimento do Produto do Departamento de Industrial e do Produto (DIP). Abril - Dia D 9 edio Nona edio da Conferncia sobre Design que movimenta mais pblico no norte do pas. O evento rene, desde 2009, painis de Designers nacionais que se destacam no mercado nacional e sobretudo internacional. Maio - Design Digital Day Conferncia no mbito do Design Digital com profissionais de relevo no mercado portugus. Evento promovido pelo Mestrado em Design Digital do Departamento de Arte e Comunicao (DAC). - Lets Take a Dip Conferncia no mbito do Design do Produto com profissionais de relevo no mercado portugus. Evento promovido pelo Mestrado em Design e Desenvolvimento do Produto.

Seminrios e conferncias extracurriculares internos

Transferncia da ESD para o edifcio do centro da cidade

Concluso da obra de requalificao do edifcio Gonalo Pereira, a nova ESD. Transferncia das instalaes da ESD para o centro da cidade. Relao de excelncia com os cidados de Barcelos projeto escola aberta, com visitas abertas ao pblico e exposies temticas.

At Setembro 2017

Divulgao e Comunicao ESD e IPCA

Open IPCA - Evento de divulgao dos cursos de licenciatura do IPCA. Participao em concursos internacionais ao nvel do design e da ilustrao e animao.

Exposies no mbito dos cursos de licenciatura e mestrados da ESD

Ao longo do ano

PLANO DE ATIVIDADES2017

35

2. Investigao, Inovao e Transferncia do conhecimento

Criar e dinamizar centros de I&Di multidisciplinares nos domnios de especializao do IPCA, alinhados e articulados com as reas disciplinares dos departamentos e orientados para a produo e transferncia de tecnologia e valorizao de conhecimento

Promover a participao ativa dos docentes do IPCA em redes de cooperao

na rea de I&D, a nvel nacional e internacional, que fomentem a produo e transferncia de conhecimento Estimular o registo de patentes e disseminar o conhecimento e a investigao produzida nos domnios de especializao do IPCA

OBJETIVO 2017 AO META

Valorizao dos projetos I&Di

Promoo e criao de condies de desenvolvimento de projetos com a participao de docentes e investigadores da ESD, nomeadamente ao nvel dos Laboratrios de Desenvolvimento do Produto e Audiovisuais.

janeiro a dezembro

Formalizao de Centro de Investigao

Grupo de Investigao CAOS (Communication, Art, Object, Sinergies) de docentes ESD integram formalmente o Centro de investigao ID+ em associao com a Univ. do Porto e a Univ. de Aveiro

At Janeiro 2017

Conferncia Internacional

CONFIA 5 edio International Conference on Illustration and Animation Conferncia internacional em Ilustrao e Animao organizada pela Escola Superior de Design do Instituto Politcnico do Cvado e do Ave no mbito do Mestrado em Ilustrao e Animao. Esta ser a quinta edio aps as conferncias realizadas em Ofir, Porto, Braga e Barcelos. um evento charneira na discusso contempornea sobre ilustrao e animao, espao de explorao multidisciplinar envolvendo o desenho e a imagem animada

de forma ampla. Na ltima edio junto 120 participantes em que mais de metade eram internacionais.

At Julho 2017

Conferncia Internacional

DIGICOM 1 edio Conferncia Internacional de Design e Comunicao Digital Conferncia Internacional de Design e Comunicao Digital organizada pela Escola Superior de Design do Instituto Politcnico do Cvado e do Ave, no mbito do Mestrado em Design Digital. Esta ser a primeira edio aps a abertura do Mestrado em Design Digital. Pretende-se que seja um evento relevante no panorama da investigao internacional em Design, no campo da comunicao digital.

At Julho 2017

tab. 13 - Atividades Propostas ESD/2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

36

3.1.5. UTesp

Os Cursos Tcnicos Superiores Profissionais (CTeSP) so uma oferta formativa de curta durao e a sua lecionao insere-se no mbito da estratgia de desenvolvimento do IPCA. A unidade de ensino dos cursos tcnicos superiores profissionais (UTeSP) foi criada pelo Regulamento n 35/2016, de 15 de janeiro, publicado no Dirio da Repblica, 2 srie, n 10 e est integrada na estrutura interna do IPCA, sendo responsvel pela gesto, organizao e funcionamento dos cursos de formao previstos no Decreto -Lei n 43/2014, de 18 de maro.

A UTeSP no tem personalidade jurdica e no configura uma unidade autnoma nos termos e para

os efeitos dos artigos 12. e 13. do RJIES, organizando-se em funo de objetivos prprios e de metodologias e tcnicas de ensino dos cursos tcnicos superiores profissionais, nos termos previstos na legislao aplicvel. No seu mbito de atuao, a unidade de ensino UTeSP dispe de autonomia tcnica, autonomia tcnico-pedaggica, autonomia administrativa e Autonomia de gesto mitigada.

Na alnea b) do n. 2 do artigo 3. dos estatutos do Instituto Politcnico do Cvado e do Ave (IPCA) referido que na vertente de ensino atribuio do IPCA a realizao de ciclos de estudo superiores de curta durao e que lhe compete criar o ambiente educativo apropriado de forma a concretizar a sua misso de instituio de ensino superior pblica que contribui para o desenvolvimento sustentvel da sociedade, estimular a criao cultural, a investigao e pesquisa aplicadas, e fomentar o pensamento reflexivo e humanista.

neste enquadramento que o Conselho Geral do IPCA aprovou em dezembro de 2015 a criao da unidade de ensino dos cursos tcnicos superiores profissionais (UTeSP), tendo o regulamento de

funcionamento desta unidade sido publicado em Janeiro de 2016. Nos termos do regulamento aprovado a UTeSP est integrada na estrutura interna do IPCA, sendo responsvel pela gesto,

organizao e funcionamento dos cursos de formao previstos no Decreto -Lei n. 43/2014, de 18 de maro.

Os primeiros cursos foram oferecidos no ano letivo 2014/2015, em Braga onde o IPCA criou o seu primeiro polo. Em Outubro de 2015 (ano letivo 2015/2016) expandiu a sua ao para o concelho de Guimares tendo sido instalado um segundo polo, no Ave PArk em instalaes cedidas pelo municpio de Guimares. Considerando a elevada procura de CTeSP em regime ps-laboral, nomeadamente na rea tecnolgica, a que se aliou a necessidade de maximizao na utilizao dos

equipamentos e laboratoriais existentes no Campus do IPCA foi entendido oferecer estes cursos tambm em Barcelos, sendo este o nico local onde estes cursos so oferecidos em regime ps-laboral.

.

PLANO DE ATIVIDADES2017

37

a) Oferta formativa

Oferta Formativa 2017

ESG

Curso TEsP Local Previsvel de funcionamento

Apoio gesto Braga

Comrcio eletrnico Braga

Exportao e logstica Braga

Gesto agrcola Guimares

Organizao e gesto de eventos

Guimares

Cozinha e Inovao Alimentar Guimares

Contabilidade e Fiscalidade Guimares

Servios Jurdicos Barcelos

ESD

Design de calado Guimares

Design de moda Guimares

Design para media digitais Guimares

Ilustrao e arte grfica Guimares

EST

Aplicaes mveis Braga

Desenho tcnico e de maquinao (diurno)

Barcelos

Desenho tcnico e de maquinao (ps-laboral)

Barcelos

Desenvolvimento web e multimdia

Barcelos

Eletrnica, automao e comando

Braga

Gesto industrial da produo Barcelos

Instalaes eltricas Braga

Mecnica automvel Guimares

Redes e segurana informtica Barcelos

Sistemas eletrnicos e computadores

Braga

tab. 14 - Oferta Formativa UTesp/2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

38

b) Atividades propostas

As atividades propostas pela UTeSP enquadram-se na densificao, para o ano de 2017,

do Eixo Estratgico n 1 - Ensino e Aprendizagem, nos termos em que vem definido no

PEIPCA 2015-2019 (cfr. tab. 15)

EIXOS ESTRATGICOS MEDIDAS/AES

1. Ensino e

Aprendizagem

Adequar a oferta formativa de licenciatura procura de formao superior e de aprendizagem ao longo da vida Adequar a oferta formativa de mestrado procura de formao avanada; Adequar a oferta formativa de cursos Tcnicos Superiores Profissionais procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades de mercado Promover a oferta de cursos de ps-graduao e de curta durao, em articulao com as necessidades do mercado e da comunidade acadmica (incluindo antigos estudantes) Promover a integrao e a interdisciplinaridade curricular bem como o uso de metodologias ativas de aprendizagem e ensino distncia Implementar medidas de sinalizao e combate ao insucesso e abandono escolar Desenvolver um sistema interno de garantia da qualidade, que promova a melhoria dos processos e a medida do desempenho e do progresso institucional

OBJETIVO 2017 AO/Atividades META

Adequar a oferta formativa de cursos Tcnicos Superiores Profissionais procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades de mercado atravs da realizao de reunies com representantes/ diretores das Escolas secundrias e Profissionais da Regio e da Integrao no Conselho Estratgico da UTeSP de representantes de escolas, autarquias locais, associaes empresariais.

Criar uma rede regional pblica de ensino profissional

Garantir que os contedos dos CTeSP esto articulados com os contedos da formao base do ensino secundrio da regio a oferta formativa dos TeSP

Dezembro 2017

Integrar no Conselho Estratgico da UTeSP representantes de escolas, autarquias locais, associaes empresariais

Garantir que a oferta formativa dos TeSP est adequada com a procura de formao tcnica superior e de acordo com as necessidades das empresas da regio.

Dezembro de 2017

Reforar a divulgao dos cursos tcnicos superiores profissionais atravs da realizao de aes junto das escolas secundrias e escolas profissionais da regio,

Assegurar que a oferta formativa dos TeSP seja conhecida dos alunos destes estabelecimentos de ensino e incentivando-os a escolher preferencialmente os cursos do IPCA.

31 de Maio 2017

Celebrar acordos de parceria com escolas secundrias e profissionais da regio.

Assegurar que os cursos Tcnicos Superiores Profissionais

(TESP) tm procura, na sua

maioria, por parte de estudantes

dos diversos concelhos do Vale

do Cvado e do Vale do Ave.

Maro de 2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

39

EIXOS ESTRATGICOS MEDIDAS/AES

Assegurar que nos termos do artigo 26 do Decreto-Lei n 43/2014 de 18 de maro, os cursos TESP so ministrados em ambiente pedaggico prprio, em centros de estudos tcnicos superiores profissionais, localizados em

diferentes concelhos da regio do Cvado e do Ave

Melhorar as instalaes do Polo do IPCA em Guimares

Assegurar a concluso das oficinas/laboratrios para os CTeSP de Design de Moda, Design do Calado e Ilustrao e Arte Grfica

Maro de 2017

Assegurar a continuidade do Polo do IPCA no edifcio do IDITE MINHO

Assegurar que os CTeSP possam decorrer no ano letivo 2016/2017 no edifcio do IDITE MINNHO at ao final do mesmo

Agosto de 2017

Abertura de um Polo do IPCA em Vila Nova de

Famalico (VNF)

Assegurar a entrada em funcionamento do Polo do

IPCA em VNF com todas as infraestruturas (espaos pedaggicos e espaos administrativos) concludas e apetrechadas para o incio do ano letivo 2017/2018

Setembro de 2017

Assegurar a continuidade de estudos pelos diplomados de um curso TESP preferencialmente num curso de licenciatura do IPCA

Assegurar a concluso dos estgios dos estudantes dos CTeSP at 31 de julho de 2017 para permitir a sua candidatura aos concursos especiais (ano letivo 2017/2018)

Promover a continuidade de estudos pelos diplomados de um curso TESP preferencialmente num curso de licenciatura do IPCA

Julho de 2017

Assegurar que nos termos do artigo 26 do Decreto-Lei n 43/2014 de 18 de maro, os cursos TESP so ministrados em ambiente pedaggico prprio, em centros de estudos tcnicos superiores profissionais, localizados em diferentes concelhos da regio do Cvado e do Ave

Melhorar as instalaes do Polo do IPCA em Guimares

Assegurar a concluso das oficinas/laboratrios para os CTeSP de Design de Moda, Design do Calado e Ilustrao e Arte Grfica

Maro de 2017

Assegurar a continuidade do Polo do IPCA no edifcio do IDITE MINHO

Assegurar que os CTeSP possam decorrer no ano letivo 2016/2017 no edifcio do IDITE MINNHO at ao final do mesmo

Agosto de 2017

Abertura de um Polo do IPCA em Vila Nova de Famalico (VNF)

Assegurar a entrada em funcionamento do Polo do IPCA em VNF com todas as infraestruturas (espaos pedaggicos e espaos administrativos) concludas e apetrechadas para o incio do ano letivo 2017/2018

Setembro de 2017

Assegurar a continuidade de estudos pelos diplomados de um curso TESP preferencialmente num curso de licenciatura do IPCA

Assegurar a concluso dos estgios dos estudantes dos CTeSP at 31 de julho de 2017 para permitir a sua candidatura aos concursos especiais (ano letivo 2017/2018)

Promover a continuidade de estudos pelos diplomados de um curso TESP preferencialmente num curso de licenciatura do IPCA

Julho de 2017

PLANO DE ATIVIDADES2017

40

EIXOS ESTRATGICOS MEDIDAS/AES

Combater o insucesso e abandono e aumentar a taxa de sucesso escolar dos Cursos Tcnicos Superiores Profissionais

Complementar a formao de base dos estudantes dos CTeSP em reas onde estes revelem mais dificuldade

Realizar aes de formao complementar dos estudantes dos CTeSP em reas onde estes revelem mais dificuldade (Portugus, Matemtica e Ingls)

Setembro/Outubro de 2017

Realizao workshops temticos em articulao com os Servios de Ao Social do IPCA atravs do seu gabinete de psicologia.

Realizao de pelo menos 4 workshops temticos em cada polo (um por semestre) subordinados as seguintes temticas: Metodologias de Estudo e

Gesto de Tempo e Gesto do Stress.

Fevereiro e julho de 2017

tab. 15 - Atividades Propostas UTesp/2017

Integra ainda o plano de atividade da UTeSP a execuo do financiamento que for atribudo para a aquisio de equipamento dos CTeSP aps candidatura apresentada em junho de 0216 (Aviso NORTE-08-5674-FEDER-000005, Aquisio de equipamentos dos cursos tcnicos superiores profissionais do Instituto Politcnico do Cvado e do Ave, Valor: 3 595 290,00)

Assegurar