Portfólio Individual Administração 1º Semestre

  • View
    251

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Portfólio Unopar

Text of Portfólio Individual Administração 1º Semestre

ABNT - UNOPAR - Completo

4

Sistema de Ensino Presencial Conectadonome do cursO

ALCION FAINO NUNES

FORDISMO ONTEM E HOJE:A Transformao da Cultura, do Homem e do Trabalho

Colatina2015

ALCION FAINO NUNES

FORDISMO ONTEM E HOJE:A Transformao da Cultura, do Homem e do Trabalho

Trabalho de Administrao 1 Perodo apresentado Universidade Norte do Paran - UNOPAR, como requisito parcial para a obteno de mdia bimestral na disciplina de Fundamentos e Teoria Organizacional; Comunicao e Linguagem; Homem, Cultura e Sociedade e Comportamento Organizacional.Orientador: Professores Mrcio R. Sella, Grace Botelho, Karen H. Manganotti, Suzi Bueno, Antnio L. G. Jnior, Wilson Sanches, Maria E. Pacheco, Edson E. de Morais, Ana C. Pavo e Tutora Ronismeri T. Calegari

Colatina2015

SUMRIO1INTRODUO3

2FORDISMO ONTEM E HOJE52.1FUNDAMENTOS E TEORIA ORGANIZACIONAL PRINCPIOS DE FORD52.1.1Tempo Dinheiro Produo e Mais Produo62.2COMUNICAO E LINGUAGEM72.2.1O Trabalho Na Atualidade72.2.2Descanso e Lazer ou Desemprego?72.2.3A terceirizao no Brasil hoje82.2.4McDonalizao no Brasil, a cultura alimentcia influenciada pela propaganda92.3HOMEM, CULTURA E SOCIEDADE102.3.1Relacionando Homem, Trabalho e Ideologia102.3.2A cultura muda o homem112.4COMPORTAMENTO ORGANIZACIONAL122.4.1Revoluo Informacionalista122.4.2As Novas Regras12

3FIGURA DE APOIO AO ITEM 2.3.2143.1Pirmide de Maslow14

4CONCLUSO15

REFERNCIAS16

INTRODUOEsse trabalho tem como objetivo analisar as teorias organizacionais de Taylor e Ford e fazer uma comparao com artigos e resenhas atuais, baseando-se tambm nos materiais didticos das matrias de Teoria Organizacional; Comunicao e Linguagem; Homem, Cultura e Sociedade e Comportamento Organizacional e fazendo apreciao do que aprendi em cada uma delas. Tambm analisando o modelo de trabalho da multinacional McDonald aplicando ao Fordismo.Mesmo que o material didtico cedido pela UNOPAR tenha chegado a poucos dias da data prevista para entrega do trabalho, e os livros que deveriam estar disponveis online, se esto, no so de fcil acesso e exigido que se desse parecer analtico de uma matria ainda no ministrada. Como desafio pessoal fiz todo o trabalho tambm com pesquisas na internet, buscando por material mais claro, informativo e sem erros ortogrficos, gramaticais ou redundantes como o material didtico fornecido pela faculdade.Ao ler o pobre artigo de Alexandre Barbosa Fraga, fiz uma anlise sobre seu conceito de fordismo informal e cito tambm o exemplo do construtor civil, seguindo a mesma ideia dos princpios de Ford (economicidade, produtividade e intensificao). E no trecho que diz: ...As caractersticas do fordismo, tpicas da modernidade slida, no desapareceram na modernidade lquida. Na complexidade do mercado de trabalho atual, elas passaram, junto com as caractersticas do ps-fordismo, a conviverem conjuntamente (FRAGA 2005), estudei muitas maneiras de concordar, no com o texto incoerente e redundante, mas com a ideia de que ainda hoje podemos ver muitos traos o Fordismo nas nossas organizaes, automobilsticas ou no.Vou comparar as mudanas no trabalho do homem antes e atualmente e analisar seu processo de evoluo, citando as mudanas drsticas no tempo de vida do homem dedicado ao trabalho, por exemplo. E como e se isso afeta toda a sociedade.Tambm veremos as grandes mudanas em nossa cultura e sociedade, a ideologia segundo Marx e qual a influncia o homem sofreu com toda a evoluo ou regresso do trabalho. Fao comparaes com as teorias da necessidade humana de Maslow e como a tecnologia tem avanado na comunicao organizacional no uso de redes sociais para atender novos clientes que se tornaram a prpria rede social. Hoje o avano desenfreado da tecnologia tem feito com que mais pessoas se tornem dependente dela, esse vcio j tem at nome, Nomofobia, que abreviao da frase em ingls: no-mobile phobia.O avano dos nossos meios de comunicao foi incrvel e foram muitos os mtodos que surgiram ao longo dos anos, mas desde que inventados telefone, rdio, TV, computador e celular eles sempre foram telefone, rdio, TV, computador e celular. Claro que muitas foram os avanos e atualizaes, mas ainda so a mesma coisa. Paramos de evoluir?

fordismo ontem e hojefundamentos e teoria organizacional os 3 princpios de fordO Fordismo, termo criado em 1914 por Henry Ford, refere-se ao sistema de produo em massa, visando intensificao, economia e produtividade. O Fordismo perdeu suas foras e foi extinto em 2007 quando a Toyota se tornou a maior montadora automobilstica. (PINTO, 2010). Mas at mesmo o Toyotismo de Taiichi Ohno tem quase os mesmos princpios de Henry Ford. Henry implantou em sua indstria, melhorada a sua maneira, a teoria da administrao cientfica de Frederick Taylor (Taylorismo), por sua vez, a General Motors fez suas interpretaes e aprimorou o Fordismo, ento, na dcada de 1970 com a linha de produo da Toyota surge o Toyotismo. E outros ismos foram surgindo ao longo dos anos, mas notvel que todos tm a mesma viso: Intensificar, diminuindo o ciclo do tempo uso da matria prima e colocao do produto final no mercado; Economizar, reduzindo estoques de matrias primas e produtos finais, o produto era pago antes dos pagamentos aos fornecedores e funcionrios graas aos bancos e Produzir, produzir rpido, capacitar o operrio em apenas um servio e remuner-lo bem.No s a indstria automobilstica, mas tambm muitas outras utilizam o processo de linha de produo como as indstrias de eletrodomsticos e eletrnicos etc. Hoje esse mtodo se tornou muito mais complexo. Em algumas indstrias no h s uma linha de produo, ou uma esteira, h muitas outras linhas de produo alimentando outra principal, validando o princpio da intensificao de Ford, esse aumento da linha de produo nada mais que um meio de empregar mais rapidamente a matria prima e liberar o produto final para o mercado.Usando o exemplo da empresa onde trabalho, que do ramo alimentcio no processamento de carne bovina in natura, posso afirmar que o princpio da economicidade e da produtividade aplicam-se perfeitamente a ela, assim como tambm o princpio da intensificao.Com os contratos em mos, sabemos exatamente a vontade do cliente em relao ao padro e o produto desejado, bem como sua quantidade. Assim providenciamos a matria prima (carne bovina), para o seu processamento. A empresa consegue a matria prima abatendo o animal ou comprando de terceiros. Assim que o peso do produto contratado alcanado ele enviado ao cliente, ou seja, no mantemos grandes estoques nem de matria prima, nem de produto final.A nica diferena no princpio da produtividade entre essa empresa e a de Ford, que a empresa no mantm um funcionrio em uma nica tarefa. As funes so definidas e numa mesma funo pode haver servios diferentes, sendo assim, cada operrio designado para aquela funo faz um rodzio entre seus servios evitando o desgaste pela rotina.Outro grande exemplo dos princpios de Ford na atualidade e rico em minha cidade a indstria txtil. As fbricas de roupas tm suas linhas de produo, trabalham por encomenda e mantm operrios qualificados para cada ponto da produo, como costura, estampa, finalizao, lavagem etc.Tempo dinheiro Produo e Mais ProduoTempo dinheiro (FRANKLIN, 1748) e Henry Ford levou a srio a afirmativa de Benjamin Franklin. Quando ele apresentou seu sistema de linha de produo pela primeira vez em 1913, um carro levava 12 horas e meia para ser montado. Ao final dos anos 20 uma unidade do Ford Modelo T saa da fbrica a cada 24 segundos e at 1924, 10 milhes haviam sido vendidos.Trazendo o exemplo de Ford para atualidade onde o alto ndice de desemprego notvel, e o trabalho informal cresce mais a cada dia, no ramo da construo civil, o prprio construtor, conhecido popularmente como pedreiro, um timo exemplo para uma anlise com as teorias de Ford. Hoje podemos encontrar muitos profissionais formais graas s construtoras, mas h ainda muitos construtores informais que, com sua experincia e bom servio, preferem continuar seu trabalho informalmente.Totalmente fora do automobilismo, mas com a mesma ideia de construo/montagem, o construtor civil depende de seu bom trabalho para garantir a aceitao de seu contratante e a indicao para um prximo servio. Monitorado pelo mais crtico inspetor da qualidade, seu contratante, o construtor deve trabalhar bem dentro das exigncias do contratante, aproveitando o mximo de seu tempo e materiais para no haver desperdcio de nenhum dos dois, assim sua matria prima empregada rapidamente. Seu conhecimento em matemtica tambm avaliado quando lhe pedido uma lista dos materiais necessrios para o servio, uma base do material gasto diariamente muito importante para que no se faa estoque desnecessrio.Frank Bunker Gilbreth (1868-1924) que foi um dos fundadores do Taylorismo e um pioneiro dos estudos de tempo e movimento, ajudou os construtores civis no assentamento de tijolos, por exemplo. Antes eles faziam dezoito movimentos, Gilbreth reduziu para cinco movimentos elevando os tijolos ao nvel das mos do pedreiro, eliminando movimentos desnecessrios e aumentando substancialmente a produo. Como engenheiro, Gilbreth ajudou muito mais em outros estudos e invenes para melhorias na construo civil.A rapidez e eficcia do trabalho do construtor civil o garante tempo hbil para novos trabalhos e marketing para indicaes e at mesmo para que seu contratante o procure novamente.Comunicao e LinguagemO Trabalho Na AtualidadeO trabalho ao longo da histria passou por diversas transformaes tanto no entendimento do trabalho em si quanto pela evoluo tecnolgica. Foi no princpio apenas funo dos escravos, passou a ser valorizado como vocao e fonte de alimentao onde as pessoas trabalhavam para o seu sustento e o de suas famlias e o trabalho no campo era o mais comum e hoje assume a concepo de sucesso pessoal. tido como meio para atingir riqueza, conforto e status social.No Brasil comemoramos no primeiro dia do ms de maio desde 1943 o dia do t