PORTIFÓLIO DE DEPENDÊNCIA DO 3º SEMESTRE - INDIVIDUAL

Embed Size (px)

DESCRIPTION

analise e desenvolvimento de sistemas

Text of PORTIFÓLIO DE DEPENDÊNCIA DO 3º SEMESTRE - INDIVIDUAL

ROBSON GONZAGA SILVA

SISTEMA DE ENSINO PRESENCIAL CONECTADO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM ANLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

ROBSON GONZAGA SILVA

PRODUO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR INDIVIDUAL DO 3 SEMESTRE

ILHUS 2012

PRODUO TEXTUAL INTERDISCIPLINAR INDIVIDUAL DO 3 SEMESTRE

Trabalho de Dependncia da disciplina de Analise de Sistemas II apresentado Universidade Norte do Paran UNOPAR, como requisito parcial para a obteno de mdia bimestral na disciplina de Superior de Tecnologia em Anlise e Desenvolvimento de Sistemas. Orientador: Prof.

ILHUS 2012

SUMRIO 1 INTRODUO...........................................................................................................3 2 LISTAS LINEARES....................................................................................................4 3 DATA BASES E PROPRIEDADES ACID..................................................................7 4 DIAGRAMA DE ATIVIDADES...................................................................................9 REFERNCIAS..........................................................................................................11 CONCLUSO.............................................................................................................12 APNDICES...............................................................................................................13 Todas as pesquisas feitas para elaborao desse trabalho foram retirados de sites de pesquisa das internet, do site da UNOPAR (Universidade Norte do Par) e dos livros do 3 Semestre de Anlise e Desenvolvimento de sistemas............................13

3

1 INTRODUO

O contedo que ser apresentado nas prximas pginas faz referencia a extremaimportncia das Tecnologias da Informao (TI) que auxiliam no aumento de desempenho e agilidade dos negcios administrativos atualmente e ao quadro da atualidade moderna, em que as empresas esto investindo ferozmente em novas e avanadas tecnologias que visam o armazenamento em massa das informaes de vital importncia para a sobrevivncia das mesmas. Ser abordado ainda a importncia de conceitos sobre estruturas de dados como FIFO e LIFO, conceito de apontadores e alocao. O texto segue ainda dando um embasamento terico sobre banco de dados e suas propriedades ACIDE e conceitos sobre suas transaes e comandos como COMIT e ROLLBACK que se aplicam as mesmas, entre outros assuntos relacionados aos DBs. (Data Bases). Ser mostrado como funciona um banco de dados relacional utilizando como apoio a programao orientada a objeto (POOB). Posteriormente sero abordados os conceitos sobre ORM (Object Relational Mapping) que uma tcnica utilizada para a converso de dados entre sistemas incompatveis. E por ultimo teremos uma viso sobre os conceitos de herana e polimorfismo no diagrama de classe. Todos esses conceitos e paradigmas que so parte das tecnologias utilizadas para informatizar os processos de trabalho dentro de uma empresa.

4

2 LISTAS LINEARES

o mundo virtual as informaes ou instrues de maquina tendem a seguir um fluxo bem definido de passos, um certo tipo de ordem correta de acontecimentos e processamentos. A parte da informtica que estuda esse fato chamada de algoritimo. Mas dentro de algoritimos ainda existe um subdomnio conhecido como estruturas de dados, que nada mais do que um modo particular de armazenar e organizar os dados em um computador. A estrutura de dados trada das listas lineares que estruturalmente, permite representar um conjunto de dados onde busca preservar a relao de ordem existente entre eles.

N

2.1 FIFO E LIFO

FIFO: No mundo avanado da computao, as cincias da tecnologia da informao definem FIFO (First In, First Out) como sendo estruturas de dados do tipo fila. Nesse tipo de estrutura prevalece a seguinte regra: O primeiro a entrar o primeiro a sair. Elas so amplamente utilizadas no mundo da computao para definir e implementar filas de espera. Em uma FIFO, os elementos so colocados ordenadamente um aps o outro em forma de fila e so retirados por ordem de chegada. Um exemplo claro de FIFO o processo de um usurio pedir a execuo de varias tarefas em um computador, as tarefas sero ordenadas em fila pelo processador e sero executadas seguindo a ordem de pedido de execuo, ou seja, o primeiro pedido ser sempre o primeiro a ser executado pelo processador e posteriormente os outros.

Figura 1.1 A figura acima mostra claramente o funcionamento de uma FIFO

5

LIFO: A LIFO (Last In, First Out) definida como uma estrutura de dados do tipo pilha. Nesse tipo de estrutura a regra prevalece que: O ultimo a entrar o primeiro a sair. uma estrutura muito utilizada em informtica avanada principalmente na parte de programao quando um trecho de um programa chama a funo ou o procedimento que est atualmente em execuo. Os termos push e pop so utilizados para denominar a insero e a remoo de elementos na pilha e o termo topo para denominar o local onde ser iniciada a consulta de elementos.

Figura 1.2

2.1.1 ALOCAO SIMPLESMENTE ENCADEADA

Entende-se

como alocao encadeada o mecanismo que estabelece a relao de precedncia entre os nodos no de forma fsica, mas sim de forma lgica. Ao invs de manter os elementos agrupados numa rea contnua de memria, ocupando clulas consecutivas, na alocao encadeada os elementos podem ocupar quaisquer clulas (no necessariamente consecutivas) e, para manter a relao de ordem linear, juntamente com cada elemento armazenado o endereo do prximo elemento da lista. Desta forma, na alocao encadeada, os elementos so armazenados em blocos de memria denominados nodos, sendo que cada nodo composto por dois campos: um para armazenar dados e outro para armazenar endereo.

Figura 1.3

6

2.1.2 ALOCAO DUPLAMENTE ENCADEADA

Uma lista duplamente

encadeada aquela em que cada n possui duas Referncias, ao invs de uma s. A primeira usada para indicar o n sucessor (da mesma forma que lista simplesmente encadeada), enquanto que a segunda usada para apontar para o n predecessor (n anterior). Desta forma, dado um n qualquer da lista, podemos acessar ambos os ns adjacentes: o prximo e o anterior. A figura 2.15 ilustra este tipo de lista.

Figura 1.4

2.1.2.1 ALOCAO ENCADEADA X ALOCAO DUPLAMENTE ENCADEADA estrutura de lista simplesmente encadeada vista na seo anterior caracteriza-se por formar um encadeamento simples entre os seus ns. Dessa forma, cada n desta lista contm uma referncia para o n seguinte, o que nos permite percorrer toda alista encadeada a partir do primeiro n (do incio para o fim). Porm, neste tipo de lista, no temos uma eficincia para percorrer a lista do fim para o incio. Ainda mais, a remoo de um elemento de uma lista simplesmente encadeada tambm uma tarefa difcil. Mesmo conhecendo a posio do elemento a ser removido, teremos que percorrer toda a lista, n por n, a fim de encontrarmos o elemento anterior, pois, dado um determinado n, no temos como acessar diretamente o n anterior. A fim de solucionar esses problemas, podemos utilizar uma estrutura de dados conhecida como lista duplamente encadeadas. A principal vantagem de se utilizar listas duplamente encadeadas que, devido existncia da referncia para o n anterior e o posterior, podemos percorrer facilmente toda a lista em qualquer direo (do incio para o fim e do fim para o incio). Comisso, facilita a implementao da maioria das operaes possveis em cima de listas. Entretanto, uma lista duplamente encadeada ocupa ainda mais espao em memria, pois cada n conter uma referncia amais (para o n anterior).

A

7

3 DATA BASES E PROPRIEDADES ACID

Um banco de dados (DB ou Data Base) uma coleo de informaes que serelacionam a fim de formar um sentido. So de vital importncia dentro das organizaes e empresas. Para se trabalhar e gerenciar um banco de dados preciso ter em mo um SGBD, ou seja, um Sistema Gerenciador de Banco de dados. O SGBD nos permite inserir, alterar, excluir e manter os dados dentro de uma base de dados. Em uma base de dados, sempre que iniciamos algum comando (inserir, alterar, atualizar e excluir) executado um conjunto de procedimentos denominados de transaes. A integridade de uma transao de banco de dados depende exclusivamente de 4 propriedade conhecidas como ACID. A sigla ACID a juno das iniciais dos nomes das 4 propriedade que so: Atomicidade, Consistncia, Isolamento e Durabilidade. Atomicidade: Tem a funo de garantir que a transao seja indivisvel. Isso que dizer que, ou a transao ser executada totalmente ou no ser executada. Consistncia: Garante todas as regras de negocio estabelecidas no banco de dados sero obedecidas para que a transao ocorra com sucesso. Isolamento: Garante que uma transao no sofrer interferncia de nenhuma outra transao concorrente. Durabilidade: Garante que o que foi salvo no ser mais perdido.

3.1 BANCO DE DADOS RELACIONAL COM POO

Podemos definir banco de dados como sendo uma coleo organizada dedados utilizados com a finalidade de modelar algum tipo de negcio ou processo organizacional. Um modelo de banco de dados relacional armazena dados dentro de tabelas que se utilizam de relacionamentos para estabelecer algumas regras de negcio e de acesso aos dados. O problema que um banco de dados relacional incompatvel com a programao orientada a objetos. Para resolver esse probleminha foi inventado o mtodo OMR (Modelig Obejct relational mapping ou Mapeamento Objeto Relacional), essa tcnica permite a comunicao entre um banco de dados relacional com a Programao Orientada a Objetos. Mais abaixo veremos mais afundo essa tcnica que muito utilizada na POO.

8

3.2 ORM (OBEJCT RELATIONAL MAPPING)

A traduo em portugus significa Mapeamento objeto-relacional, no softwarede computador uma tcnica de programao para a converso de dados entre sistemas incompatveis