Portifolio Individual 3 Semestre

  • Published on
    22-Jan-2016

  • View
    217

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Portifolio 4 semestre unopar ead

Transcript

ABNT - UNOPAR - Completo

3

Sistema de Ensino Presencial ConectadoANLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS

Cludia cristina fachi

Portflio Individual

JARU2015

cludia cristina fachi

Portflio Individual

Trabalho de Anlise e desenvolvimento de sistemas apresentado Universidade Norte do Paran - UNOPAR, como requisito parcial para a obteno de mdia bimestral na disciplina de Anlise Orientada a objetos ||; Banco de Dados ||; Orientada a Objetos; Programao Web |; Seminrio |V. Orientador: Prof . Roberto Y. Nishimura; Mrcio Roberto Chiaveli; Veronice de Freitas; Adriane Ap. Loper

JARU2015

SUMRIO1 INTRODUO32 OBJETIVO3

3 DESENVOLVIMENTO43.1 Definio de linguagem de modelagem unificada43.1.1Diagramas4

3.1.1.1 Principais diagrmas da UML4

4. Modelo relacional normalizado64.1 Tabela modelo relacional normalizado75. Programao orientada a objetos75.1 Conceitos da orientao a objetos7

6. Aplicaes web8

6.1.CSS38

6.1.1.Responce web design8

6.1.1.1.Dart8

6.1.1.1.1Boostrap8

7. CONCLUSO10

REFERNCIAS11

inTRODUOApresentar neste trabalho os contedos abordados no contexto semestral os conceitos, de Anlise Orientada a Objetos II ( UML e seus diagramas), Banco de Dados II( modelo relacional Normalizado (MRN)),Programao Orientada a Objetos(Orientao a objetos), Programao Web I.

2 OBJETIVOFundamentar os contedos semestrais descrevendo e exemplificando as caractersticas de Anlise Orientada a Objetos II( UML e seus diagramas), Banco de Dados II( modelo relacional Normalizado (MRN)),Programao Orientada a Objetos(Orientao a objetos), Programao Web I

3DESENVOLVIMENTO3.1 Linguagem de modelagem unificada (UML)Linguagem de modelagem unificada uma linguagem grfica padro utilizada na elaborao da estrutura de projetos de software e pode ser empregada para visualizar, especificar, construir e documentar os artefatos de sistemas de software.

A UML utilizada no desenvolvimento dos mais variados tipos de sistemas e abrange as caracterstica de qualquer sistema em seus diagramas possibilitando seu uso emdiferentes fases do desenvolvimento de um sistema, desde a especificao da anlise derequisitos at a finalizao com a fase de testes.O objetivo da UML descrever qualquer tipo de sistema, em termos de diagramas orientado a objetos.

3.1.1Diagramas:

Apresentaes grficas de um conjunto de elementos, geralmente representadas,como grficos de vrtices.3.1.1.1Principais Diagramas da UML:3.1.1.1.1Diagrama de ClassesEste diagrama tem grande funcionalidade na UML pois como o de caso de uso serve como apoio aos outros diagramas. O Diagrama de Classe mostra o conjunto de classes com seus atributos e mtodos e os relacionamentos entre classes,tem a funo de demonstrar a hierarquia de classes existentes em um sistema atravs de seus inter- relacionamentos. O diagrama de classes pode ser analisado de formas diferentes para o cliente demonstra informaes sobre o sistema a ser implementado ou ampliado, aos desenvolvedores do projeto informa a arquitetura do sistema a ser projetado cujo objetivo e priorizar a fase de implementao. Esse diagrama pode ser utilizado por desenvolvedores e para demonstrao aos clientes.

3.2Diagrama de ObjetosDescreve a estrutura esttica de um sistema em um determinado momento, pode ser utilizados para avaliar as informaes dos diagramas de classe pois um esta relacionado ao outro pois o diagrama de objetos exibe os valores armazenados pelos objetos de um Diagrama de Classes. destinado aos desenvolvedores de sistemas.

.

3.2.1 Diagrama de SequnciaDescreve as interaes entre as classes que tem o objetivo de mostrar como as mensagens entre os objetos so trocadas no decorrer do tempo enfatizando a ordem e os momentos nos quais as mensagens so enviadas aos objetos para a realizao de uma operao.destinado a desenvolvedores.

3.2.1.1Diagrama de Caso de UsoO diagrama de caso de uso tem a funo de descrever a funcionalidade proposta para a criao de um novo sistema, que ser projetado, e serve como auxiliar na comunicao entre os analistas e o cliente, pois descreve um cenrio que mostra as funcionalidades do sistema do ponto de vista do usurio. O cliente deve ver no diagrama de Casos de Uso as principais funcionalidades de seu sistema. destinado ao cliente.

4. Modelo relacional normalizadoO modelo relacional normalizado (MRN), integrado ao projeto lgico deum banco de dados.O Processo de Normalizao de relaes tem a funo de analisar se o modelo relacional esta bem projetado no caso esteja so aplicadas as formas normais (1FN, 2FN, 3FN,...) e o processo de anlise identifica em qual forma normal uma relao se enquadra para aplicar a normalizao afim de se obter minimizao de redundncia, Minimizao de anomalias de insero, excluso e atualizao.Esquemas que no esto adequados as formas normais so decompostos em relaes menores para que sejam reavaliados a reestruturao da relao deve garantir duas propriedades: 1 Juno sem perda ou no aditiva, para gerao apenas de tuplas legtimas 2 Preservao da dependnciaO objetivo da normalizao dos dados corrigir problemas causados por falhas no projeto de implementao do banco de dados, buscando a eliminao de redundncias e evitando complicaes ao trabalhar com insero, eliminao e atualizao de dados, contribuindo para a estabilidade do modelo de dados, reduzindo-se consideravelmente as necessidades de manuteno.

4.1Primeira Forma Normal (1FN): 1 Forma normal: A relao estar na 1 FN se no tiver atributo representando agrupamento ou atributo repetitivo (multivalorado).relao.

4.1.1Segunda Forma Normal (2FN): Uma relao est na Segunda Forma Normal(2NF) se ela est na 1NF e todo atributo no chave plenamente dependente da chave primria

4.1.1.1 Terceira Forma Normal (3FN): Um esquema R est na 3FN se estiver na 2FN e se nenhum atributo no-primrio de R no for transitivamente dependente da chave primria.

4.1.1.1.1 Forma normal De Boyce Codd: Para uma tabela est na FNBC somente se estiver na 3FN e todo atributo no chave depender funcionalmente diretamente da chave primria, ou seja, no h dependncias entre atributos no chave..

A quarta e a quinta formas normais so utilizadas apenas em casos de extrema necessidade pois,4FN e 5FN baseiam-se em chaves e dependncias multivaloradas4.2 Quarta Forma normal: Tem a funo de eliminao da multiplicidade existentes nas relaes ou seja os relacionamentos ternrios ou n-rios.4.2.1 Quinta Forma normal: utilizada apenas caso ocorra uma combinao de N:N:N entre ao menos 3 entidades e se houver uma ocasio de relacionamento binrio entre elas.

RELAO DE VENDAS

Cod. produtoProduto descrioCusto Data/Venda

1020Cala Jeans 150,0030/08/2015

0007Blusa Renda 90,0023/09/2015

9933Vestido Seda 120,0005/10/2015

Tabela modelo relacional normalizado

5. Programao Orientada a Objetos.

um paradigma(Um paradigma um conjunto de regras que estabelecem fronteiras e descrevem como resolver problemas dentro desta fronteira) utilizado no desenvolvimento de software a partir de componentes individuais (objetos) proporcionando a construo de sistemas mais complexos. As vantagens de uma aplicao OO esto no fato de que Facilita a reutilizao de cdigo; Os modelos refletem o mundo real de maneira maisaproximada; Descrevem de maneira mais precisa os dados; A decomposio baseada em um processo natural; fcil compreenso e manuteno, pois pequenas mudanas nos requisitos no implicam em alteraes massivas no sistema em desenvolvimento

5.1Conceitos da Orientao a Objetos:

5.1.1 Objeto: Objetos so a chave para se compreender a tecnologia orientada aobjetos. Voc olha ao seu redor e tudo o que v so objetos: carro, mesa,5.1.1.1Mensagem:Um objeto por si s no significa muito em um sistema. Para ter algumsentido e valor esses objetos precisam interagir e comunicar-se entre si.Os objetos se comunicam por meio de mensagens.

5.1.1.1.1Atributo: o que caracteriza um objeto, a estrutura de dados que vai representar uma classe.

5. 2Classe: Uma classe um modelo (prottipo) que define as variveis(estado) e os mtodos (comportamento) comuns a todos os objetos domesmo tipo.No mundo real freqentemente percebemos vrios objetos de um mesmotipo. Usando os conceitos OO, percebesse que um carro em particular umainstncia da classe de objetos conhecida como carros.

5.2.1Herana: o mecanismo que uma classe (sub-classe) pode estender outra classe aproveitando seus comportamentos (mtodos) e variveis possveis (atributos).

5.2.1.1Polimorfismo: o ato de objetos responderem a mesma mensagem de forma diferente. Ele permite que referncias de tipos de classes abstratas representem o comportamento das classes concretas que referenciam.

5.2.1.1.1Encapsulamento: o ato de separar o programa em partes, a idia tornar o software mais flexvel, definir o que ser acessado por outros objetos. Sua implementao ocorre atravs do uso das palavras reservadas public, private e protected, seu objetivo controlar o acesso aos atributos e mtodos de uma classe.

6. Aplicaes web:6.1 CSS3 a mais nova verso das famosas Cascading Style Sheets (ou simplesmente CSS), onde se define estilos para pginas web com efeitos de transio, imagem, e outros, que do um estilo novo s pginas Web 2.0 em todos os aspectos de design do layout.6.1.1 Responsive Web Design Responsive Web Design (Web Design Responsivo) uma abordagem de web design destinada a elaborar sites para fornecer uma tima experincia de visualizao, fcil leitura e navegao com um mnimo de redimensionamento e visionamento, para uma ampla gama de dispositivos (de monitores de computador a telefones celulares).6.1.1.1Dart: um projeto open source do Google, cujo objetivo simplificar o desenvolvimento web. Ele pode ser executado tanto na web como no s