PORTUGUÊS - .Texto II – questões 3 e 4 1 Conceituação de poder. “O conceito fundamental da

  • View
    212

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of PORTUGUÊS - .Texto II – questões 3 e 4 1 Conceituação de poder. “O conceito fundamental da

  • UnB / CESPE IRBr Primeira Fase Teste de Pr-Seleo Concurso de Admisso Carreira de Diplomata -- Aplicao: 25/10/2003

    Cargo: Terceiro Secretrio da Carreira de Diplomata 1 / 13 permitida a reproduo apenas para fins didticos e desde que citada a fonte.

    De acordo com o comando de cada uma das questes de 1 a 30, marque, na folha de respostas, para cada item: o campo designadocom o cdigo C, caso julgue o item CERTO; o campo designado com o cdigo E, caso julgue o item ERRADO; ou o campodesignado com o cdigo SR, caso desconhea a resposta correta. Marque, obrigatoriamente, para cada item, um, e somente um, dostrs campos da folha de respostas, sob pena de arcar com os prejuzos decorrentes de marcaes indevidas. A marcao do campodesignado com o cdigo SR no implicar apenao. Para as devidas marcaes, use a folha de rascunho e, posteriormente, a folhade respostas, que o nico documento vlido para a correo da sua prova.

    PORTUGUS

    QUESTO 1

    Mistura lingstica

    Muita gente, em vrios pases, fala um pouco de ingls todo1dia sem perceber. Sem contar o informatiqus, cujos verbetes como megabyte, browser, hard disk, software so expresses domais puro ingls, muitas outras palavras do dia-a-dia de brasileiros,4franceses, alemes e, principalmente, japoneses tm origem noidioma breto. Futebol (football), sanduche (sandwich) e deletar(verbo criado a partir de to delete, suprimir) so exemplos7conhecidos de anglicismo (uso de expresses em ingls ouoriginadas dele) no portugus. Os alemes apertam o resetknopf(reset button ou boto de reset) para iniciar o computador. E os10franceses, conhecidos por sua ojeriza a estrangeirismos,despedem-se dos colegas de trabalho na sexta-feira dizendobon weekend.13

    A situao do japons particularmente curiosa. Estima-seque cerca de vinte mil palavras do vocabulrio moderno tenhamorigem no ingls. Sorvete aisukurimu, de ice cream. Ar16condicionado eacon, de air conditioner. E banheiro deixou de serobenjyo para se tornar toir, de toillet.

    A histria dessa imposio lingstica certamente desperta19animosidades. Na ndia, por exemplo, onde o ingls uma daslnguas oficiais, ele no muito ouvido nas ruas. Falar ingls aindalembra um passado de opresso.22

    Galileu, fev./2002, p. 37 (com adaptaes).

    Julgue os itens a seguir, que se referem s idias e s estruturas dotexto acima.

    A seleo de argumentos e do vocabulrio mostra o grau deengajamento do autor em face do assunto: paralelamente sfunes referencial e metalingstica, que veiculam informaesobjetivas, h marcadores lingsticos que deixam entreverelementos subjetivos.

    O autor organiza sintaticamente o perodo Sem contar (...) breto(R.2-6) a partir da oposio regra/exceo, em que a regra omais puro ingls, e a exceo, o ingls impuro ou degenerado.

    De acordo com a norma padro do portugus, correta asubstituio de cujos verbetes (R.2) por do qual os verbetes.

    Constata-se que a expresso inglesa reset button (R.10) estpresente tanto no vocbulo alemo como na expresso portuguesa,com a substituio de um de seus componentes.

    O autor empregou bon weekend (R.13) como um exemploelucidativo da idia de que os franceses tm ojeriza aestrangeirismos (R.11).

    Texto I questes 2 e 4

    PODER

    Etimologia. Sobre as formas verbais latinas potes,

    pode, potui, pude, pote

    ram, pudera, pote

    ro, poderei,

    potens, potentis, aquele que pode etc. (todos do verbo lat.

    posse, poder, ter o poder de, ser capaz de), forma-se o

    infinitivo lat. vulg. potere, poder, ter o poder de, ser capaz

    de, que conviveu com o lat. clss. posse at suplant-lo por

    volta do sc. VIII d.C. Pote

    re a origem do port. esp.

    poder, do sculo XII-XIII, it. potere, fr. pouvoir, ambos do

    sc. XII, ing. power, de 1297-1325, que j se registram

    como substantivo nessas datas. O vocbulo al. Macht traduz

    o port. esp. poder e demais vernacularizaes.

    Enciclopdia Mirador Internacional. So Paulo - Rio de Janeiro: Encyclopaedia

    Britannica do Brasil. Publicaes Ltda. 1977, p. 9.001 (com adaptaes).

    QUESTO 2

    Julgue os itens subseqentes, relativos ao sentido e s

    estruturas morfossinttica, semntica e discursiva do texto I.

    Segundo o verbete de enciclopdia acima, o vocbulo

    poder existe na lngua portuguesa desde o sculo XII

    e sua forma primitiva foi o vocbulo do latim clssico

    posse.

    Tm a mesma origem que a do portugus poder os

    vocbulos equivalentes do italiano, do francs e do

    ingls, respectivamente, potere, pouvoir e power.

    Pote

    re e poder tm descrio fontica muito

    semelhante, destacando-se as seguintes mudanas: a

    consoante surda /t/ do primeiro vocbulo se sonoriza no

    segundo; a vogal final do primeiro sofre queda.

    O vocbulo alemo Macht no tem a mesma origem

    do vocbulo portugus poder, mas tem o mesmo

    significado.

    Est em conformidade com a significao proposta no

    verbete e est expressa de acordo com as normas da

    lngua escrita culta do portugus a seguinte assero:

    Os vocbulos latinos posse e pote

    re tm o mesmo

    significado, mas pertencem a variantes lingsticas

    diferentes, respectivamente, clssica e vulgar.

  • UnB / CESPE IRBr Primeira Fase Teste de Pr-Seleo Concurso de Admisso Carreira de Diplomata -- Aplicao: 25/10/2003

    Cargo: Terceiro Secretrio da Carreira de Diplomata 2 / 13 permitida a reproduo apenas para fins didticos e desde que citada a fonte.

    Texto II questes 3 e 4

    Conceituao de poder. O conceito fundamental da cincia1social o poder, no mesmo sentido em que a energia o conceitofundamental da fsica afirma, em livro hoje clssico, ofilsofo ingls Bertrand Russel. Se no h dvida acerca da4importncia do fato poder, nem de sua expresso nas cinciassociais, as dificuldades so inmeras, para definir-lhe a naturezae a substncia. O prprio termo poder encontra impugnadores7entre socilogos e cientistas polticos, que chegam arecomendar-lhe o banimento cientfico; e no raro se emprega,com aproximada sinonmia, nas expresses influncia, controle,10autoridade, liderana, comando. Prevalece, todavia, nos estudosrecentes, apenas o parentesco entre os dois primeiros termos poder e influncia , reservadas as outras categorias para13fenmenos especficos, embora conexos ao conceito bsico, que o poder.

    Idem, ibidem.

    QUESTO 3

    Julgue os itens seguintes, referentes conceituao de poder expressano texto II.

    A conceituao de poder permanece a mesma e est expressade acordo com as normas da escrita padro, se reescrita doseguinte modo: O conceito fundamental da fsica a energia,assim como o poder o conceito fundamental da cinciasocial.

    Em discurso indireto, o trecho O conceito (...) Russel (R. 1-4)permanecer correto, de acordo com a escrita padro, e manteras idias da redao original se for reescrito da seguinte forma:Em livro hoje clssico, o filsofo ingls Bertrand Russelafirmou que o conceito fundamental da cincia social seria opoder, no mesmo sentido que a energia foi o conceitofundamental da fsica.

    O bom entendimento do emprego do conectivo nem (R.5) sugereque esse vocbulo pode ser substitudo, nesse contexto, por e no.

    O pronome lhe (R.6) refere-se a (d)o fato poder (R.5). Na linha 9, se emprega equivale, segundo anlise tradicional,

    a empregado e tem como sujeito (elptico) O prprio termopoder (R.7).

    QUESTO 4

    A respeito da compreenso e da interpretao dos textos I e II e dosrecursos semnticos e discursivos neles utilizados, julgue os itens quese seguem.

    O vocbulo poder e seus sinnimos, conforme apresentados notexto II, mantm os dois sentidos do infinitivo pote

    re,apresentados no texto I, como, por exemplo, em O gerente pode(= tem o poder de) dispensar o funcionrio e em Ele pode (= capaz de) escrever com a mo esquerda.

    Entende-se, no texto II, em Se no h dvida acerca daimportncia do fato poder, nem de sua expresso nas cinciassociais (R.4-6), que o vocbulo Se estabelece uma condiopara que a assero que vem a seguir ocorra.

    Demonstra adequao escrita culta padro e bom entendimentodo sentido expresso no trecho O prprio (...) comando (R.7-11)do texto II a seguinte frase: Socilogos e cientistas polticosrecomendam a abolio do termo poder, impugnando-o eempregando, em seu lugar, sinnimos aproximados.

    Entende-se, nos dois ltimos perodos do texto II, que, em estudosanteriores, vrios sinnimos de poder eram empregados em seulugar, mas esses vocbulos tiveram o sentido especializado,exceto um, que mantm o parentesco.

    Ambos os textos veiculam a informao de que, em cada uma dasvrias lnguas citadas, o termo poder (verbo e nome) temsinnimo(s) que pode(m) substitu-lo.

    Texto III questes 5 e 6

    Nas relaes de poder, o indivduo A determina a1conduta do indivduo B, na medida em que B desejaevitar as sanes que aquele empregaria se B tentasseevitar o cumprimento de suas prescries e ordens. No4vnculo de influncia, a manifestao de A sobre B, isentade sanes diretas, varia desde a autoridade, o controle, aliderana at a ameaa de sanes, enquanto que a7coero se apresenta no caso limite o poder em todaa sua amplitude.

    O fenmeno do poder e das relaes de comando10e obedincia no se exaure no fato poltico. Ao contrrio,o poder poltico se enquadra no campo mais amplo dopoder social: as probabilidades de impor a outrem a13prpria vontade (de um indivduo, de uma associao, deum grupo ou de um quadro administrativo) alcanamtodos os setores da vida coletiva. No espectro das relaes16quantitativas, separam-se setores particulares. Poder desde o controle at a liderana, desde a influncia at aautoridade pode manifestar-se mesmo na atividade19artstica, tanto quanto na economia.

    Idem, ibidem (com adaptaes).

    QUESTO 5

    Com referncia compreenso e interpretao do texto III,julgue os