Ppc Logistica

  • View
    260

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Ppc Logistica

Plano de CursoGraduao Tecnolgica em Logsticarea: Gesto2007

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

TECNLOGO EM LOGSTICA

Graduao Tecnolgica, qualificaes tecnolgicas intermedirias: 1 Graduao: Carga Horria: 1.1 Qualificao tecnolgica: Carga Horria: 1.2 Qualificao tecnolgica: Carga Horria: 1.3 Qualificao tecnolgica: Carga Horria: 1.4 Qualificao tecnolgica: Carga Horria: Tecnlogo em Logstica 1.600 horas Analista de Logstica 400 horas Coordenador de Gesto de Estoques e Armazenagem 800 horas Coordenador de Transportes e Distribuio 800 horas Coordenador de Suprimentos 1200 horas

2

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

1. Histrico da MantenedoraO Senac Servio Nacional de Aprendizagem Comercial foi criado pelo Decreto-lei n 8.621, de 10 de janeiro de 1946, que foi regulamentado pelo Decreto n 61.843, de 5 de dezembro de 1967. Esses dispositivos legais atriburam Confederao Nacional do Comrcio o encargo de organiz-lo e administr-lo, a partir de objetivos, estrutura e funcionamento gerais neles estabelecidos. O Senac foi organizado nacionalmente com uma Administrao Nacional e com Administraes Regionais estaduais autnomas, estrutura que at hoje persiste. O objetivo primeiro da Instituio era o de promover a aprendizagem comercial metdica para o menor aprendiz, bem como cursos prticos para os empregados adultos do Comrcio. Com a evoluo da realidade social, econmica e cultural e com o desenvolvimento organizacional interno, a ao institucional passou a manifestar-se de formas diversas. A nfase inicial aprendizagem e ao trabalho com o menor evoluiu para uma atuao de cunho mais escolar, com os Ginsios Comerciais e os Cursos Tcnicos Comerciais. Paralelamente, eram realizados cursos para os comercirios adultos, esforo que foi gradualmente se sobrepondo ao atendimento escolar aos menores. Outras clientelas foram sendo incorporadas ao da Entidade, que passou a atender, alm dos menores aprendizes e dos comercirios adultos, os candidatos a emprego, as pessoas que demandam preparao para o trabalho com gerao de renda e os trabalhadores em funes gerenciais, em nveis de exigncia cada vez mais altos. Essa incorporao incluiu o atendimento aos comerciantes, prestadores de servios e suas respectivas empresas, bem como a outras organizaes. Em compasso com essas mudanas, outras atividades educacionais, servios e produtos, alm dos cursos convencionais, foram gradativamente sendo oferecidas, tais como seminrios, oficinas, mostras, desfiles, concursos, certificaes, programas a distncia, assessorias, consultorias, livros e vdeos. Em decorrncia, os valores e as prticas da organizao tm evoludo dos modelos de servio pblico, de ensino escolar regular e assistencialista para os de administrao privada, de educao permanente e de entidade do terceiro setor. A Administrao Regional do Senac no Estado do Rio de Janeiro tem acompanhado essas transformaes e busca hoje um posicionamento de vanguarda, em termos organizacionais e de prestao de servios. Com uma trajetria de prestao de servios to longa, o Senac Rio tambm um ator importante na construo da Educao Profissional no pas. Atualmente atende a todos os nveis de Educao Profissional: da qualificao bsica ao nvel tcnico e, brevemente, tecnolgico. Em 1999, com a elaborao do Plano Estratgico e a definio de metas para os prximos 10 anos, desenhou-se uma nova estrutura organizacional, recentemente atualizada, composta por uma Diretoria Regional, duas Superintendncias (Administrativa e de Mercado) e duas Gerncias de coordenao. Onze Centros Especializados, cinco Centros Regionais e Unidades Polivalentes so responsveis pela operao da educao profissional e esto distribudos por todo o Estado do Rio de Janeiro. Os Centros Especializados atuam em reas especficas de desenvolvimento do conhecimento em Comrcio e Servios, mantendo uma ao corporativa que compreende a pesquisa e a abertura de novos mercados e a criao de produtos e servios, utilizando as mais modernas concepes e tecnologias de educao continuada. Tambm disponibilizam produtos e servios educacionais para a rede constituda pelos Centros Regionais e3

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Unidades Operacionais e do suporte na implementao dos servios. O Senac Rio conta, hoje, com os seguintes Centros Especializados em operao: Centro de Administrao e Desenvolvimento Empresarial; Centro de Turismo, Hotelaria, Gastronomia e Lazer; Centro de Informtica e Telecomunicaes; Centro de Cultura e Comunicao; Centro de Idiomas; Centro de Tecnologia em Moda Centro de Tecnologia em Beleza Centro de Tecnologia em Design; Centro de Educao em Sade; Centro de Tecnologia e Gesto Educacional; Centro de Atividades com Animais; Centro de Educao para o Trabalho e a Cidadania; Editora Senac Rio Os Centros Regionais e as Unidades Polivalentes atuam como modernos ambientes de aprendizagem, procurando diagnosticar e identificar-se com as caractersticas da populao local e com a vocao econmica da regio. Tm como funo prestao de servios e distribuio de produtos na regio de influncia direta da unidade e de coordenao das Unidades Operacionais a eles subordinadas, que prestam servios no espao de sua influncia geogrfica. So eles: Senac Niteri Senac Baixada Fluminense Senac Regio Norte Senac Regio Serrana Senac Mdio Paraba Centro Politcnico Senac Rio Unidades Polivalentes: Senac Madureira, Senac Marechal Floriano, Senac Campo Grande, Senac Bonsucesso Como reas de suporte da estrutura educacional, existem ainda as Gerncias Funcionais (Recursos Humanos, Materiais e Servios, Sistemas e Finanas) e as Assessorias (Comunicao e Marketing, Jurdica, Desenvolvimento Educacional, Planejamento e Desenvolvimento Corporativo e Projetos Especiais). A partir do ano de 2000, o Senac Rio construiu de uma forma original e participativa a sua Proposta Pedaggica. A Proposta Pedaggica alinha a instituio ao recente movimento de renovao e modernizao da Educao Profissional promovida pelo Conselho Nacional de Educao e pelo Ministrio da Educao, cujo processo de construo foi documentado em livro. A excelncia da Proposta j reconhecida. Motivou convites para apresentao de seu contedo em importantes encontros de Educao Profissional, tais como o Seminrio Internacional de Educao Profissional, promovido pelo MEC/SEMTEC (outubro de 2000) e o II Seminrio Catarinense de Educao Profissional, promovido pelo Conselho Estadual de Educao de Santa Catarina (agosto de 2001). A proposta e a prtica de Educao Profissional do Senac Rio tambm j foram objeto de avaliao externa. Em recente tese de doutorado apresentada ao Departamento de Educao da PUC Rio, a partir de um estudo de campo que comparou as propostas poltico pedaggicas de trs instituies lderes da Educao Profissional no Rio de Janeiro (Senai, Cefet-Qumica e Senac), a Professora Dra. Sandra Regina da Rocha Dutra conclui: apenas o Senac-RJ respeitou a construo da pedagogia das competncias conforme pretendida pelo MEC e CNE, a ponto inclusive de

4

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

formular uma proposta de avaliao diferenciada, bem no esprito de pressupostos sobre competncia1. A partir da construo da Proposta Pedaggica, desencadeou-se um intenso movimento de reformulao de programas, currculos, mtodos e procedimentos. Os currculos de 33 (trinta e trs) cursos tcnicos foram desenhados, atendendo a 11 das reas previstas na Resoluo CNE/CEB 04/99 (Artes, Comunicao, Design, Gesto, Imagem Pessoal, Informtica, Lazer e Desenvolvimento Social, Meio Ambiente, Sade, Telecomunicaes, e Turismo e Hospitalidade). Desses cursos, 33 j foram aprovados pelo Conselho Estadual de Educao do Rio de Janeiro e quase todos implementados em inmeros Centros Especializados, Centros Regionais e Unidades Polivalentes do Departamento Regional. Em 2001, tendo como suporte uma srie de pesquisas qualitativas (grupos focais) todos os currculos de qualificao bsica foram reformulados. Assim, todos os atuais programas seguem os princpios norteadores da Educao Profissional de nvel tcnico. Adotam, como princpio, o respeito aos valores estticos, polticos e ticos previstos no Parecer CNE/CEB 16/99. Esto voltados para a constituio de competncias. Tm uma organizao curricular modular que permite antecipar e ampliar a insero produtiva do jovem no mundo do trabalho, condio imprescindvel para uma vida digna. As competncias constitudas nos mdulos dos programas de Educao Profissional bsica podem ser aproveitadas no itinerrio de formao dos cursos tcnicos. Todos os programas esto orientados para a identidade dos perfis profissionais de concluso dos cursos. Esto previstas as estratgicas de atualizao permanente dos cursos e currculos, que foram desenhados de acordo com os critrios de flexibilidade, interdisciplinaridade e contextualizao, compondo rvores do conhecimento por reas ocupacionais. Em 2002, o Senac Rio iniciou a implementao de cursos do nvel tecnolgico. Esta iniciativa permitiu atender s j constatadas expectativas de formao superior da atual clientela de nvel mdio, atender demanda j manifestada de formao mais complexa de outros interessados e suprir exigncias de um mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Do ponto de vista interno, a implementao do nvel tecnolgico facilitada pela construo curricular anterior e adiciona qualidade e sinergia programao j existente. O presente projeto mais um passo de um novo estgio na desafiante jornada organizacional de contribuio para a reconstruo da Educao Profissional brasileira.

2. Justificativa do cursoH algumas dcadas, com uma economia fechada e um contexto inflacionrio e de baixa competio, as empresas brasileiras negligenciaram o processo logstico, gerando defasagem em relao s melhores prticas internacionais. Embora as foras armadas h muito reconhecessem o papel crtico da logstica, s recentemente as empresas se deram conta da logstica como um aspecto fundamental para a obteno de vantagem competitiva. Atualmente, em busca de uma gesto mais eficiente, muitas empresas tm deixado a inrcia de rotinas, aderindo s mudanas exigidas por um ambiente altamente dinmico e competitivo.

1

Dutra, Sandra R. A Educao Profissional de nvel tcnico luz do modelo de competncias, uma anlise comparativa de trs propostas institucionais, Rio de Janeiro, tese de doutorado apresentada ao Departamento de Educao da PUC Rio, Junho de 2002, resumo (mmeo). 5

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Como conseqncia desse atraso na busca por excelncia operacional e competitividade, temos que a reviso, no s do modelo de operaes, mas tambm da prpria mentalidade logstica tornou-se uma tarefa muito mais difcil e de longo prazo. Isto porque a maioria das grandes empresas brasileiras experimentou um crescimento pouco ou nada estruturado com respeito viso integrada dos processos que compem a cadeia de abastecimento. Na prtica, decises importantes e estratgicas, no campo da gesto empresarial, eram tomadas sem se considerar o todo da empresa e as relaes na cadeia de suprimentos, desde o fornecimento da matria prima a indstria at a entrega efetiva do produto ao consumidor final. Durante certo tempo s desvantagens desse tipo de crescimento podem ter ficado mascaradas por operaes simples e um mercado ainda pouco exigente. No entanto, o indiscutvel aumento da complexidade dos negcios e as crescentes exigncias dos consumidores fizeram destacar a importncia de um sistema flexvel e capaz de responder rapidamente s flutuaes de mercado. Evidencia-se, nesse momento, a necessidade de planejamento detalhado e cientfico, luz da viso integrada da cadeia de suprimentos, principalmente das decises de mdio e longo prazo. nesse contexto que o mundo empresarial passa a demandar estudos e implementao de sistemas robustos para definies de estratgias de distribuio, polticas de estoque, modais de transporte, localizao e capacidade de instalaes, enfim, tudo aquilo que pode, de alguma forma, traduzir-se em vantagem competitiva. No entanto, ainda que os conceitos da logstica sejam de rpida compreenso, as mudanas, efetivamente, ocorrem de forma mais lenta e com alta dificuldade de implementao. Ao lado da complexidade intrnseca aos modelos necessrios, caminha outra, relativa ao lado humano e organizacional, que capaz de comprometer ou mesmo inviabilizar aes dessa natureza. Num mercado com elevado nvel de competitividade, agravado pela globalizao da economia e democratizao da tecnologia, gerir a cadeia de suprimentos com efetividade passou a ser fator de sobrevivncia. Nos ltimos anos houve grande evoluo dos conceitos e tecnologia de gesto, sendo necessrio desenvolvimento de profissionais que atendam a essa demanda. No Brasil, a par da evoluo verificada, ainda h carncia destes profissionais, notadamente em nveis tcnicos, que possam operacionalizar as atividades e melhorias necessrias. Planejar redes, arranjos inter e intraorganizacionais e, conseqentemente, a gesto da cadeia de suprimentos, assim como dominar as ferramentas operacionais e tticas da rea passa a ser diferencial competitivo, proporcionando s organizaes melhoria de competitividade, atravs da adoo de solues adequadas a cada situao.

3. ObjetivosAo oferecer este curso, o Senac Rio tem por objetivos: 1. Atender aos princpios da Educao enunciados pela Lei de Diretrizes e Bases da Educao Nacional, pelas Diretrizes Curriculares Nacionais da Educao Profissional de Nvel Superior e por sua Proposta Pedaggica: Respeito aos valores estticos, polticos e ticos; Desenvolvimento de competncias para a laboralidade; Flexibilidade, interdisciplinaridade e contextualidade; Identidade dos perfis profissionais de concluso de cursos; Atualizao permanente dos cursos e currculos;6

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

-

Liberdade de aprender, ensinar, pesquisar e divulgar a cultura, o pensamento, a arte e o saber; Garantia do padro de qualidade e compromisso com os resultados de aprendizagem; Vinculao da educao profissional com o trabalho, cincias, tecnologia e prticas sociais dos cidados; Valorizao de experincias extra-escolares; Ateno s tendncias e oportunidades do mercado de trabalho; Valorizao das formas de aprendizagem que levem autonomia intelectual e iniciativa de manter-se atualizado.

2. Desenvolver as competncias especficas relacionadas ao perfil de concluso da graduao tecnolgica em Logstica, que compem seu itinerrio profissional. 3. Propiciar condies para o desenvolvimento de profissionais, capazes de desenvolver atividades de planejamento, execuo, acompanhamento e avaliao relacionadas gesto da cadeia de suprimentos. 4. Possibilitar condies para a reflexo, a (re) construo do conhecimento e aprendizagem significativas que respaldem o desenvolvimento de projetos de ao prprios, que propiciem o engajamento pleno no mundo do trabalho.

4. Requisitos de acessoHaver trs formas complementares de acesso. A primeira ser prioritria utilizar os resultados do Exame Nacional do Ensino Mdio (ENEM). A segunda subsidiria e utilizar os resultados de um processo seletivo definido pela instituio. A terceira forma complementa as anteriores. Especificando:ENEM

Para matrcula o candidato utilizar o resultado do ENEM, desde que tenha obtido nota igual ou superior a 60% da nota mxima. A comprovao do resultado ser feita por meio de um documento a ser entregue, juntamente com o requerimento de matrcula. Neste documento, que tambm dever ser assinado pelo pai, pela me ou pelo responsvel, se o candidato for menor de 21 anos, o candidato autorizar ao SENAC Rio a obter, junto ao rgo responsvel pelo Banco de Resultado Oficial do ENEM, o desempenho por ele alcanado nos exames. Obedecido o critrio mnimo de entrada, os candidatos sero matriculados em ordem decrescente de classificao no ENEM at o limite do nmero de vagas previstas para candidatos que atendam a este critrio. O candidato dever ainda apresentar os seguintes documentos: Requerimento de Matrcula; Cdula de Identidade (fotocpia); Certido de Nascimento ou de Casamento (fotocpia); Documento que comprove a concluso do Ensino Mdio (duas vias, sendo o original ou fotocpia autenticada e mais fotocpia simples); Documento Militar, para o sexo masculino entre 18 e 45 anos (apresentao para anotao); Ttulo de Eleitor, com comprovante de voto na ltima eleio, para maiores de 18 anos (apresentao para anotao). Comprovante de pagamento da primeira parcela da semestralidade escolar; Uma fotografia atual.7

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

As inscries para o curso sero efetuadas em datas determinadas pela Unidade, respeitados os requisitos de acesso. As matrculas sero efetuadas conforme cronograma estabelecido pela Unidade e nos termos regimentais.Processo seletivo:

O processo seletivo ser classificatrio e poder ser realizado sob a forma de provas conforme Edital prprio (modelo em anexo). Os mesmos documentos acima referidos sero exigidos do candidato classificado no processo seletivo. Nas duas primeiras formas, a classificao obtida vlida para a matrcula no perodo letivo para o qual se realiza a seleo, tornando-se nulos seus efeitos se o candidato classificado deixar de requer-la ou, ao efetu-la, no apresentar a documentao regimental completa, dentro dos prazos fixados.Forma complementar

Na hiptese de restarem vagas ainda no preenchidas, a Faculdade de Tecnologia Senac Rio poder realizar novo processo seletivo ou preench-las com estudantes transferidos de outro curso ou instituio, ou ainda com portadores de diploma de graduao, obedecidas s normas cabveis, constantes de Regimento.

5. Perfil profissional de concluso5.1. Perfil do TecnlogoTecnlogo em Logstica Perfil:

O Tecnlogo em Logstica o profissional especializado em armazenagem, distribuio e transporte. Atuando na rea logstica de uma empresa, planeja e coordena a movimentao fsica e de informaes sobre as operaes multimodais de transporte, para proporcionar fluxo otimizado e de qualidade para peas, matrias-primas e produtos. Ele gerencia redes de distribuio e unidades logsticas, estabelecendo processos de compras, identificando fornecedores, negociando e estabelecendo padres de recebimento, armazenamento, movimentao e embalagem de materiais, podendo ainda ocupar-se do inventrio de estoques, sistemas de abastecimento, programao e monitoramento do fluxo de pedidos. responsvel pela gesto da cadeia de suprimentos, com viso estratgica e ao operacional sobre todas as etapas do processo.Competncias do perfil

Gerenciar a cadeia de suprimentos, com viso estratgica e ao operacional sobre todas as etapas do processo. Definir estratgias globais de atuao da empresa no que se refere Gesto da Cadeia de Suprimentos, a partir da anlise do ambiente scio-econmico Propor melhorias e otimizao de resultados, a partir da anlise crtica da organizao e da identificao de problemas e oportunidades, antecipando e promovendo a evoluo e alinhamento da empresa com o mercado. Implantar solues alternativas e inovadoras que promovam a qualidade do processo e o aperfeioamento contnuo de recursos humanos e tecnolgicos.

8

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

5.2. Perfil das qualificaes tecnolgicas5.2.1. Analista de Logstica Perfil:

Profissional responsvel pelo apoio operacional nas reas de transporte, distribuio, armazenagem e gesto de estoques, desenvolvendo atividades de suporte gesto, preenchendo documentos, acompanhando a execuo de atividades, consolidando dados e elaborando relatrios sob orientao. Dar apoio ao planejamento das reas de armazenagem, mediante organizao das informaes e elaborao de relatrios que dem suporte tomada de deciso sobre operaes logsticas. Executar as atividades operacionais relacionadas ao recebimento, conferncia e controle de materiais e produtos destinados armazenamento. Elaborar documentos e fornecer informaes diversas que possibilitem a atualizao do status das atividades relacionadas com as reas de interface. Colaborar na organizao da armazenagem de mercadorias, na etapa de execuo, de modo a facilitar movimentao, localizao e utilizao de espao, observadas as normas de segurana do trabalho. Controlar a movimentao de cargas, observando as normas de segurana no trabalho e os cuidados ambientais cabveis.

Competncias do perfil

5.2.2. Coordenador de Gesto de Estoques Armazenagem Perfil:

Profissional responsvel pelo planejamento e operacionalizao das atividades de armazenagem e gesto de estoques, interagindo com as reas de interface e fornecendo subsdios para o planejamento estratgico da empresa. Definir polticas de armazenagem e controle de estoques da empresa. Elaborar o plano de armazenagem e gesto de estoques, definindo estratgias de otimizao da cadeia de suprimentos, no que se refere sua funo e as interfaces com outras reas. Dimensionar recursos necessrios gesto e operacionalizao de armazenagem, considerando previses de demanda e tipologia de produtos e materiais. Definir e operacionalizar sistemticas de acompanhamento e avaliao de estoques. Definir, caracterizar e viabilizar a operacionalizao das funes de recebimento, armazenagem e distribuio de produtos e materiais, fsico, fiscal e financeiro.

Competncias do perfil

5.2.3. Coordenador de Transportes e Distribuio Perfil:

Profissional responsvel pelo planejamento e operacionalizao das atividades de transporte e distribuio, interagindo com as reas de interface e fornecendo subsdios para o planejamento estratgico da empresa.9

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Competncias do perfil

Definir polticas de transportes e distribuio da empresa. Elaborar o plano de transportes e distribuio, definindo estratgias de otimizao da cadeia de suprimentos, no que se refere sua funo e as interfaces com outras reas. Dimensionar recursos necessrios gesto e operacionalizao de transporte e distribuio, considerando previses de demanda e tipologia de produtos e materiais. Definir e operacionalizar sistemticas de acompanhamento e avaliao de transporte e distribuio. Definir, caracterizar e viabilizar a operacionalizao das funes de transporte e distribuio de produtos e materiais, fsico, fiscal e financeiro.

5.2.4. Coordenador de Suprimentos Perfil:

Profissional responsvel pela gesto de armazenagem, estoques, transportes e distribuio, definindo polticas, elaborando planejamento, implantando procedimentos e processos, acompanhando e avaliando as atividades. Definir polticas de transportes, distribuio, gesto de estoques e armazenagem da empresa. Elaborar o plano de transportes, distribuio, gesto de estoques e armazenagem, definindo estratgias de otimizao da cadeia de suprimentos, no que se refere sua funo e as interfaces com outras reas. Dimensionar recursos necessrios gesto e operacionalizao de transportes, distribuio, gesto de estoques e armazenagem, considerando previses de demanda e tipologia de produtos e materiais. Definir e operacionalizar sistemticas de acompanhamento e avaliao de transportes, distribuio, gesto de estoques e armazenagem. Definir, caracterizar e viabilizar a operacionalizao das funes de transportes, distribuio, gesto de estoques e armazenagem de produtos e materiais, fsico, fiscal e financeiro.

Competncias do perfil

6. Organizao curricularOs programas de desenvolvimento profissional do Senac Rio tm uma estrutura modular especialmente desenhada para antecipar e ampliar a insero do estudante no mundo do trabalho. Os mdulos dessa estrutura conduzem a qualificaes tecnolgicas intermedirias que, no seu conjunto, configuram uma graduao tecnolgica. Essas mesmas qualificaes, por sua vez, podem ser oferecidas de forma independente, respeitados os requisitos estabelecidos pelo mercado. Essa perspectiva norteia o processo de aproveitamento de competncias, cujo Protocolo de Avaliao (PAC) deve considerar o perfil estabelecido em cada qualificao, conforme prev a legislao vigente.10

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

A estrutura curricular de cada mdulo deve propiciar a constituio das competncias envolvidas no perfil de qualificao, o que implica em um trabalho articulado entre todos os docentes, atravs de um ou mais projetos ou aes integradoras. Estes projetos devem propiciar tanto a constituio das competncias profissionais especficas mais complexas da qualificao tecnolgica, quanto constituio de competncias essenciais ao desempenho profissional. Os mdulos de Qualificao Tecnolgica tero durao varivel, de acordo com as competncias a constituir, bem como as Unidades Curriculares que os compem, sempre articulados por aes especiais ou projetos relacionados diretamente com a situao de trabalho tpica da qualificao tecnolgica pretendida. A Graduao Tecnolgica compreende o conjunto das qualificaes tecnolgicas que compem a estrutura curricular do curso. O perfil profissional de concluso deve contemplar as competncias previstas na legislao educacional vigente, bem como as normas estabelecidas pelos Conselhos Profissionais. A durao mnima de cada graduao tecnolgica e respectiva organizao curricular atender ao determinado no Parecer CNE/CES N 436/2001, no Parecer CNE/CP N 29/2002 e Resoluo CNE/CP N 3/2002, anexa e Portaria ministerial Normativa N 12, de 14 de agosto de 2006. Essa organizao curricular: - Propicia um movimento crescente de incluso-aprofundamento-ampliao das competncias de cada funo/subfuno da rea de, de um mdulo para outro; - Favorece a melhoria da qualidade dos servios prestados e permite antecipar a insero produtiva do participante no mundo do trabalho, para que possa atuar como analista de logstica; coordenador de armazenagem e gesto de estoques, coordenador de transportes e distribuio; e coordenador de suprimentos. - Est inserida num desenho curricular amplo, que abrange e integra outras subreas, tendo em vista propiciar aos estudantes opes de itinerrios profissionais. - Constitui-se de mdulos que tm em sua composio unidades curriculares articuladas por uma ao ou projeto integrador e que tambm podero ser oferecidas em ambientes reais de trabalho ou por meio de atividades no presenciais, tais como: visitas tcnicas, estudos e pesquisas, participao em eventos especficos, vivncias etc. Foi estruturada a partir da anlise do perfil profissional pretendido e respectivas competncias, de modo a assegurar a integrao entre seus diversos componentes, na perspectiva da contextualizao e interdisciplinaridade, conforme a legislao educacional em vigor.

11

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

6.1. Estrutura curricular A graduao tecnolgica em Logstica ter a seguinte estrutura curricular:Mdulo Mdulo 1 Apoio gesto da Cadeia de Suprimentos Durao em horas 400

Qualificao Tecnolgica: Analista de Logstica (mdulo 1) = 400h

Mdulo 2

Gesto de Estoques e Armazenagem

400

Qualificao Tecnolgica: Coordenador de Gesto de Estoques e Armazenagem (mdulos 1 e 2) = 800h

Mdulo 3

Gesto de Transportes e Distribuio

400

Qualificao Tecnolgica: Coordenador de Transportes e Distribuio (mdulos 1 e 3) = 800h Qualificao Tecnolgica: Coordenador de Suprimentos (mdulos 1, 2 e 3) = 1.200h

Mdulo 4

Gesto da Cadeia Logstica (supply chain)

400 1.600

Graduao Tecnolgica: Tecnlogo em Logstica (mdulos 1, 2, 3 e 4) = 1.600h

6.2. Composio dos Mdulos:Mdulo 1: Apoio Gesto da Cadeia de SuprimentosUnidades curriculares Fundamentos de Logstica Redao Empresarial Ingls Tcnico Legislao Aplicada Logstica Operaes de Estoque e Armazenagem Movimentao e Transporte de Cargas Clculos Aplicados Logstica (Matemtica e Estatstica Bsica)Desenho simplificado da cadeia logstica de uma empresa, com os principais processos de armazenagem, gesto de estoques, transporte e distribuio. Inclui definio de processos com reas afins (internas) e Clientes e Fornecedores.

Apoio Gesto da Cadeia de Suprimentos

Durao em horas 40 40 40 60 60 60 40 60 400

Projeto integrador

Durao total do mdulo

Mdulo 2: Gesto de Estoques e ArmazenagemUnidades curriculares Sistemas de Armazenagem e Administrao de Materiais Polticas de Armazenagem e Gesto de Estoques Gesto de Recursos Humanos em processos de estoque e armazenagem Tecnologia da Informao e Gesto de Estoques Legislao Comercial e Tributria Aplicada Gesto de Estoques e Armazenagem Preveno e Controle de Perdas em Armazenagem Produtos, Meio Ambiente e Higiene e Segurana do TrabalhoDesenvolvimento de projeto de implantao de rea de armazenagem, incluindo definio de polticas que orientam o estabelecimento dessa atividade. Sero definidos recursos a serem utilizados (humanos, financeiros, tecnolgicos, materiais) e exerccio de formao de custos.

Durao em horas 80 40 40 60 40 20 40 80 400

Gesto de Estoques e Armazenagem

Projeto integrador

Durao total do mdulo

12

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Mdulo 3: Gesto de Transportes e DistribuioUnidades curriculares Modalidades de Transportes, Caractersticas e Fatores de Deciso Polticas de Transportes e Distribuio Gesto de Recursos Humanos em processos de transporte e distribuio Tecnologia da Informao e Gesto de Transportes e Distribuio Legislao Comercial e Tributria Aplicada a Transportes e Distribuio Preveno e Controle de Perdas em Transportes e Distribuio Gerenciamento de Frota e Distribuio: Planejamento, Acompanhamento e Avaliao Projeto de dimensionamento e otimizao de utilizao de frotas, incluindo exerccios de terceirizao e aproveitamento de recursos tecnolgicos, incluindo estabelecimento de polticas e etapas das atividades. Durao total do mdulo Durao em horas 80 40 40 60 40 20 40

Gesto de Transportes e Distribuio

Projeto integrador

80 400

Mdulo 4: Gesto da Cadeia Logstica (supply chain)Unidades curriculares Administrao e Suplly Chain Management Gesto de Compras Otimizao da Cadeia de Suprimentos: Anlise de Processos Contabilidade, Custos e Formao de Preos Macro e Micro Economia Aplicadas Gesto da Qualidade Responsabilidade Social e Ambiental Estatstica Aplicada Logstica Desenho de uma cadeia de suprimentos, identificando pontos crticos e propondo melhorias e otimizao de utilizao de recursos, considerando as polticas adotadas e parmetros adotados em planejamento Durao total do mdulo Durao em horas 40 40 40 40 40 40 40 40 80 400

Gesto da Cadeia Logstica (supply chain)

Projeto integrador

A estrutura Graduao Tecnolgica composta pelo conjunto das qualificaes tecnolgicas intermedirias que integram a estrutura curricular do curso.

13

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

6.3. Detalhamento das Competncias das Unidades Curriculares 6.3.1. Graduao Tecnolgica em Logstica Mdulo I: Apoio gesto da Cadeia de Suprimentos Durao: 400 horas 1. Unidade curricular: Fundamentos de Logstica Competncias: Registrar e fornecer informaes necessrias ao planejamento de ocupao dos espaos de armazenagem. Preencher documentos necessrios ao planejamento dos espaos e distribuio das mercadorias. Consolidar dados, sob orientao, para subsidiar o planejamento, proporcionando melhor aproveitamento de recursos. Pesquisar e auxiliar em estudos de utilizao de equipamentos e tecnologias a serem utilizados nas operaes de armazenagem. Levantar dados que possibilitem subsidiar as decises em relao a estudos de custos e armazenagem. Emitir relatrios consolidados de entrada e sada de mercadorias, considerando sua importncia no contexto da cadeia de suprimentos. Registrar e fornecer informaes necessrias ao estabelecimento de relacionamento entre a rea de compras e de gesto de estoques e armazenagem. Preencher documentos e planilhas de controle de nveis de estoques, comparando com padres definidos pela rea de compras. Receber e consolidar pedidos de compras x documentos de recebimentos de mercadorias. Manter histrico de informaes de compras x recebimentos. Aplicar mtodos de armazenagem e conservao de mercadorias. Aplicar mtodos de movimentao de mercadorias. Obedecer a normas de Higiene e Segurana do Trabalho. Preencher documentao de movimentao de cargas. Calcular a efetividade de movimentao de mercadorias, incluindo clculo de perdas, considerando repercusses na validao da cadeia de suprimentos e reflexos na satisfao de clientes internos e externos. Etapas da cadeia de suprimentos Planejamento integrado Importncia da Logstica para obteno de resultados Tipos de custos logsticos Tipos de Mquinas e equipamentos Sistemas de Armazenagem Cadeia de suprimentos Importncia da Logstica para obteno de resultados Importncia do entendimento de reas de interface e problemas potenciais Conceitos de planejamento integrado Tipos de Subsistemas de informaes operacionais e gerenciais Tipos de Mquinas e equipamentos Normas Gerais de Higiene e Segurana do Trabalho Conceitos de planejamento integrado

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

2. Unidade curricular: Redao Empresarial Competncias: Elaborar relatrios e documentos tcnicos conforme os padres da organizao, utilizando linguagem adequada, com lgica e coerncia. Tcnicas de redao14

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Modelos de documentos empresariais: cartas, memorandos, circulares, requerimentos, declaraes e relatrios.

3. Unidade curricular: Ingls Tcnico Competncias: Ler e interpretar textos de apoio tcnico. Realizar comunicao bsica, como atendimento inicial, encaminhamento, cumprimentos iniciais e despedidas. Elaborar, sob orientao, comunicaes breves em ingls. Leitura e compreenso de textos tcnicos. Glossrio de termos tcnicos Modelos de documentos empresariais: cartas, memorandos, circulares, requerimentos, declaraes e relatrios.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

4. Unidade curricular: Legislao Aplicada Logstica Competncias: Relacionar produtos ou grupos de produtos e cargas tributrias correspondentes, para efeitos de planejamento de armazenagem. Fornecer informaes sobre aspectos legais a serem considerados no planejamento de espaos de armazenagem. Elaborar relatrios de no conformidade no recebimento de materiais e produtos, informando a gerencia as irregularidades verificadas, a partir de definies estabelecidas e de acordo com a legislao em vigor. Elaborar relatrios de no conformidade, subsidiando a gerncia nas negociaes com rea de compras, para efeitos de orientao a fornecedores. Elaborar comunicao de alteraes da legislao com impacto nas operaes logsticas Colaborar na disseminao da informao e aplicao de normas e regulamentos legais, no que se refere ao armazenamento de mercadorias e produtos, assim como na aplicao e utilizao de equipamentos. Elaborar estudos, sob orientao, do impacto de novas tcnicas e metodologias relacionadas legislao que rege as operaes logsticas. Registrar no conformidades e elaborar relatrios consolidados, informando a gerncia para efeitos de correo de inadequaes.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais: Legislao que regulamenta planejamento, armazenagem e transporte de mercadorias: comercial; tributria, Ambiental. Normas e Regulamentos Internos

5. Unidade curricular: Operaes de Estoque e Armazenagem Competncias: Colaborar no dimensionamento e organizao dos espaos fsicos, instalaes e equipamentos destinados ao recebimento de recursos materiais. Elaborar e emitir relatrios de indicadores de desempenho, envolvendo Giro, cobertura de estoques e nvel de servio a Clientes. Elaborar relatrios do fluxo de materiais e produtos, envolvendo posio de estoques, entradas e sadas, obsoletos. Avaliar, com base em parmetros estabelecidos, e Informar sobre previso de movimentao de cargas, espao de utilizao e circulao. Registrar e controlar as entradas e sadas de materiais do almoxarifado e/ou do estoque, utilizando procedimentos manuais ou informatizados. Conferir documentao de carga, incluindo clculo de valores de impostos e fretes. Emitir romaneios de carga, picking (separao de pedidos) e programao de entregas de mercadorias. Controlar a chegada do produto ao destino e o eventual retorno por devoluo.15

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Apurar, registrar e corrigir ocorrncias de avarias, faltas ou extravios de mercadorias. Elaborar relatrios de estoque (inventrios), ocorrncias de avarias, faltas ou extravios. Avaliar posio dos estoques existentes. Elaborar cadastro de fornecedores. Fazer o levantamento das necessidades de compra com base em parmetros definidos. Elaborar cadastro de produto, com parmetros de quantidades mnimas de pedido de compras para efeitos de transporte, armazenagem e distribuio. Receber e processar pedidos de compras. Elaborar e emitir pedidos de reposio de estoque. Interagir com a rea financeira quanto s verbas oramentrias. Classificar mercadorias por tipo (Alimentos e no alimentos, perecveis, perigosos) e sugerir opes de armazenagem otimizadas. Elaborar estudos de codificao de produtos para armazenagem e localizao para separao. Movimentar mercadorias conforme sua natureza, tipo e classe, observando volume, peso e densidade, bem como os smbolos e demais marcas nelas contidas, preservando a sua integridade fsica e observando a segurana no trabalho e os cuidados ambientais cabveis. Controlar a adequada movimentao na armazenagem de mercadorias, a fim de evitar avarias, faltas ou extravios e custos extraordinrios. Controlar o uso de equipamentos de segurana individual. Controlar e acompanhar a adequada movimentao de mercadorias transportadas, a fim de evitar avarias, faltas ou extravios e custos extraordinrios. Elaborar estudos de Integrao das atividades de recebimento e despacho de mercadorias, maximizando os recursos disponveis para o melhor atendimento e ao menor custo. Sugerir melhorias nos processos de recebimento, armazenagem, separao e distribuio de mercadorias. Elaborar estudos de composio de custos de cada etapa dos processos, indicando possibilidades de reduo e otimizao de utilizao de recursos. Elaborao de Mapas, fluxogramas, layout Leitura e Interpretao de Plantas Baixas Elaborao de fluxo do processo. Manuseio e movimentao de cargas: recebimento e entrega de mercadorias (romaneios, picking e programao de entregas (roteirizao)) Fichas ou Software de controle de Estoque de Carga Atendimento a clientes Relatrios e mapas (saldos, faltas e avarias) Mtodo de Pareto (ABC) Documentao legal Cadastro de fornecedores Tcnicas de Negociao Pedidos de compras e/ou reposio de estoques Padronizao de quantidades mnimas de estocagem e distribuio Fluxogramas e cronogramas Oramento operacional Sistemas e mtodos de armazenagem (Fifo) Sistemas de codificao de produtos Sistemas e equipamentos de movimentao de cargas Equipamentos e aplicao (utilizao) Smbolos e marcas (preservao da integridade fsica segurana no trabalho e os cuidados ambientais) Higiene e segurana Controle de custos e dos Investimentos fsicos. Controles de Higiene e segurana Mapas, planilhas, fluxogramas e cronogramas

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

16

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Diferentes tipos de custos logsticos e suas correlaes com as atividades a serem desenvolvidas Composio de custos Gastos, custos e investimentos Controle e acompanhamento de custos

6. Unidade curricular: Movimentao e Transporte de Cargas Competncias: Fornecer informaes sobre movimentao de carga. Colaborar na elaborao de planilhas de custos de transportes. Elaborar relatrios do fluxo de transporte de mercadorias. Elaborar tabelas para fins de informao sobre transporte. Sugerir utilizao de transporte por modalidade e tipos de veculos. Elaborar roteiros de entregas, picking (separao de mercadorias por Cliente e NF) e romaneios (relao de cargas por veculo). Conferir e registrar ocorrncias de avarias, faltas ou extravios de mercadorias, elaborando relatrios. Indicar providncias necessrias em casos de inconsistncia fsica ou documental para fins de regularizao (logstica reversa). Fornecer rea de compras dados que orientem sobre lotes mnimos de pedidos por produto (SKU). Elaborar sistemas de separao de mercadorias e transporte interno. Elaborar fluxos de movimentao interna de mercadorias, otimizando utilizao de mercadorias. Elaborar estudos de sistemticas de unificao de embalagens para efeitos de transporte interno. Movimentar mercadorias conforme sua natureza, tipo e classe, observando volume, peso e densidade, bem como os smbolos e demais marcas nelas contidas, preservando a sua integridade fsica e observando a segurana no trabalho e os cuidados ambientais cabveis. Controlar o uso de equipamentos de segurana individual. Controlar a adequada movimentao de mercadorias, a fim de evitar avarias, faltas ou extravios e custos extraordinrios. Modalidades de Transporte (Multimodalidade) Tipos de veculos transportadores Frota prpria x Frota terceirizada Mapas, planilhas e fluxogramas Relatrios e tabelas. Relatrios de ocorrncias em transporte ou armazenagem Relatrios de contagem de inventrio (estoques) Mapas e relatrios estatsticos Mtodo de Pareto (ABC) Mapa de posio de estoques Cadastro de fornecedores Tcnicas de Negociao Pedidos de compras Lotes econmicos de compras de produtos Fluxogramas e cronogramas Relatrios de ocorrncias Sistemas de separao de mercadorias Sistemas de transporte e otimizao de utilizao de equipamentos Sistemas de unificao de cargas e otimizao de embalagens Mapas e tabelas Movimentao fsica de cargas slidas, lquidas e gasosas, txicas e perigosas Smbolos e marcas Higiene e segurana Composio de custo17

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Critrios e controle de Planilhas de apurao de custos de transporte.

7. Unidade curricular: Clculos Aplicados Logstica (Matemtica e Estatstica Bsica) Competncias: Elaborar relatrios estatsticos sobre mercadorias, materiais e produtos. Elaborar tabelas para fins de relatrio de estoque. Fornecer informaes sobre estoque e sua movimentao quantitativa. Elaborar relatrios de estoque (inventrios), ocorrncias de avarias, faltas ou extravios. Elaborar tabelas para fins de emisso de relatrio. Elaborar tabelas de produtos e lotes mnimos de embalagens de compra, armazenagem e distribuio. Calcular pesos, dimenses, reas e volumes de mercadorias para sua adequada armazenagem e movimentao. Calcular capacidade de equipamentos destinados movimentao de mercadorias. Porcentagem Clculo de reas, permetro e volume Sistema Internacional de medidas e converses entre sistema mtrico decimal e o sistema ingls. Tabelas e grficos Clculo de indicadores de gesto Dados de distribuio de freqncia Medidas de tendncia central e desvio padro Planilhas e grficos Clculo de impostos Clculo de fretes Leitura, interpretao e elaborao de tabelas demonstrativas Clculo de lotes mnimos de embalagens (ou lotes econmicos para efeitos de armazenagem e transporte). Clculo de tempos e movimentos Clculo de capacidade de equipamentos Sistema Internacional de medidas - converses entre sistema mtrico decimal e o sistema ingls.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

8. Projeto Integrador: Operao logstica em uma empresa

Atividade:Desenhar a cadeia logstica de uma empresa, destacando os principais processos de armazenagem, gesto de estoques, transportes e distribuio, incluindo interfaces com reas afins e fornecedores e clientes.

Competncias: Dar apoio ao planejamento das reas de armazenagem, mediante organizao das informaes e elaborao de relatrios que dem suporte tomada de deciso sobre operaes logsticas. Executar as atividades operacionais relacionadas ao recebimento, conferncia e controle de materiais e produtos destinados armazenamento. Elaborar documentos e fornecer informaes diversas que possibilitem a atualizao do status das atividades relacionadas com as reas de interface. Colaborar na organizao da armazenagem de mercadorias, na etapa de execuo, de modo a facilitar movimentao, localizao e utilizao de espao, observadas as normas de segurana do trabalho. Controlar a movimentao de cargas, observando as normas de segurana no trabalho e os cuidados ambientais cabveis. Este componente curricular explora de forma integrada todas as bases do mdulo.18

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Mdulo II: Gesto de Estoques e Armazenagem Durao: 400 horas 1. Unidade curricular: Sistemas de Armazenagem e Administrao de Materiais Competncias: Definir as grandes regras que iro orientar a escolha do sistema a ser adotado para armazenagem de produtos e materiais e controle de estoques. Definir sistemas de armazenamento a serem utilizados. Elaborar projeto de armazenagem e gesto de estoques Efetuar estudos de mercado sobre a evoluo dos processos de armazenagem para consolidar Benchmarking. Efetuar e orientar estudos de desenho e anlise de processos, identificando pontos crticos e potencial de melhoria, para subsidiar o planejamento. Elaborar estudos para definio de mquinas e equipamentos a serem utilizados nas reas de armazenamento, a partir de demanda real e estimada, de normas, regulamentos e tipos de produtos. Elaborar estudos que orientem a escolha e definio de recursos tecnolgicos e materiais necessrios realizao das atividades. Orientar a elaborao de estudos que possibilitem a escolha e desenvolvimento de sistemas de acompanhamento e avaliao de estoques. Definir e implantar os processos para os sistemas adotados. Realizar simulaes de operaes e avaliar resultados. Elaborar estudos de unitizao de cargas e criar processo de aplicao dos conceitos. Calcular custos de armazenagem e gesto de estoques. Tipos de Armazenamento: alternativas e tcnicas de armazenagem Sistemas de controle de estoques Tipificao de produtos e caractersticas de armazenagem Tipos de Embalagens e formas de armazenamento Legislao que regulamenta armazenamento por tipo de produto Anlise de Risco Teoria de restries Clculo de carga de trabalho Clculo de demanda Tipos de mquinas e equipamentos: aplicaes e capacidades Etapas de um sistema de armazenamento Funes de administrao de materiais Contabilidade de custos Sistemas de avaliao de estoques: preo mdio, ltima entrada, padro, marginal... Tipos de custos: direto e indireto Classificao ABC Regra de pareto Sistemas de roteirizao Unitizao de cargas

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

2. Unidade curricular: Polticas de Armazenagem e Gesto de Estoques Competncias: Definir as polticas a serem adotadas na armazenagem e gesto de estoques. Aplicar polticas de armazenagem e gesto de estoques nas definies do planejamento a ser elaborado. Verificar influncias das polticas adotadas na otimizao dos processos de armazenamento e gesto de estoques. Definir os parmetros para dimensionamento de recursos necessrios.19

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Definir os nveis de servio ao cliente que sero adotados, sendo base para o dimensionamento de recursos. Definir formas de operacionalizao e ndices de acompanhamento e avaliao de estoques. Verificar e adequar os processos operacionais s polticas definidas. A influncia dos parmetros e nveis de servio adotados no dimensionamento dos recursos Clculo e escolha de parmetros de controle de estoques Nvel de Servio em Armazenagem e Transportes Poltica Gesto da Qualidade Estabelecimento de parcerias: uma poltica fundamental para obteno de resultados Influncia dos parmetros e nveis de servio adotados no dimensionamento dos recursos Poltica de desenvolvimento de talentos x crescimento organizacional.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

3.

Unidade curricular: Gesto de Recursos Humanos em processos de estoque earmazenagem

Competncias: Definir perfil dos profissionais da rea de armazenagem e estoque. Definir filosofia de trabalho. Definir regras de atuao para os profissionais da rea. Elaborar plano de utilizao de recursos humanos. Elaborar programa de formao e desenvolvimento de recursos humanos, a partir de perfis profissiogrficos e atividades a serem desenvolvidas. Definir funes, responsabilidades e competncias em armazenamento e gesto de estoques. Elaborar estudos de viabilidade de adoo de terceirizao de servios. Elaborar estudos para dimensionamento do quadro de pessoal a ser alocado na execuo das atividades operacionais e administrativas, funo de volume de trabalho real e estimado. Definir e aplicar treinamento e acompanhamento de recursos humanos no trabalho. Definir funes e responsabilidades de acompanhamento e avaliao de armazenagem e gesto de estoques Avaliar atuao de recursos humanos nos resultados das atividades. Definir sistemtica de acompanhamento e avaliao de servios terceirizados. Definir e aplicar treinamento e acompanhamento de recursos humanos no trabalho. Definir funes e responsabilidades nas diversas funes operacionais e de gesto. Avaliao de desempenho Carga de trabalho e distribuio de atividades Cultura organizacional e estilos de atuao Diagnstico de necessidades de treinamento e desenvolvimento Gesto de Conhecimento Metodologias e tcnicas para qualificao e desenvolvimento de recursos humanos Modelos de Gesto de Recursos Humanos Previso de demanda e carga de trabalho Sistemas de acompanhamento e avaliao de servios terceirizados Tcnicas de dimensionamento de quadro de pessoal

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

4. Unidade curricular: Tecnologia da Informao e Gesto de Estoques Competncias: Definir as tecnologias considerando as polticas definidas. Definir e estabelecer regras de estruturao e manuteno de banco de dados.20

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Selecionar as tecnologias a serem utilizadas na armazenagem e gesto de estoques. Definir estrutura de troca de informaes com Fornecedores e Clientes internos e externos. Elaborar estudos de viabilidade de adoo de tecnologia ao processo. Selecionar e implantar as tecnologias a serem utilizadas na armazenagem e gesto de estoques. Definir padres de avaliao e acompanhamento dos estoques. Elaborar relatrios consolidados de avaliao de estoques. Informar e relatar desempenho s reas de interface. Implantar as tecnologias selecionadas para a execuo das atividades operacionais. Elaborar relatrios consolidados de desempenho dos sistemas, evidenciando melhorias necessrias e correes de procedimentos. Implantar e avaliar troca de informaes com fornecedores e clientes internos e externos. Banco de dados e modelo relacional (Data warehousing) Comrcio eletrnico Fluxo de informao e resultados Fundamentos dos sistemas de informao Indicadores de dimensionamento de recursos tecnolgicos Indicadores de utilizao de recursos tecnolgicos Tipos fundamentais de sistemas de informao Utilizao estratgica da TI na gerao de diferencial competitivo

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

5.

Unidade curricular: Legislao Comercial e Tributria Aplicada Gesto deEstoques e Armazenagem

Competncias: Utilizar regras e normas legais na definio de regras de armazenagem e estoques. Utilizar regras e normas legais no dimensionamento dos recursos necessrios. Elaborar estudos de otimizao na gesto de tributos, notadamente nos fatos geradores, suspenso de tributos e restituio de crditos tributrios. Avaliar possibilidades de isenes fiscais, redues de alquotas e outros benefcios fiscais na otimizao da utilizao dos recursos. Utilizar regras e normas legais no dimensionamento dos recursos necessrios. Realizar estudos de impacto de impostos e taxas no dimensionamento dos recursos. Avaliar impacto da incidncia de impostos e taxas na valorizao de estoques. Acompanhar aplicao de regras e normas tributrias na emisso de documentos legais. Calcular incidncia de impostos e taxas nos custos de armazenagem e gesto de estoques. Calcular impacto de benefcios conquistados em relao aplicao de taxas e impostos. Elaborar relatrios consolidados dos recolhimentos de taxas e impostos. Clculos de incidncia de impostos e regimes especiais Cdigo Civil Legislao Comercial Legislao Tributria

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

6.

Unidade curricular: Preveno e Controle de Perdas em Armazenagem Competncias:Definir as regras e procedimentos para preveno e controle de perdas. Elaborar plano de preveno e controle de perdas. Elaborar estudos comparativos com o mercado de diferenciao por reduo de perdas e estabelecer estratgias para reduo dos ndices internos. Elaborar estudos do impacto de perdas nos resultados operacionais. Estabelecer, no plano, metas de reduo de perdas.21

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Inserir no dimensionamento e otimizao de recursos ndices de perdas do setor e internos. Avaliar impacto das perdas no custo dos estoques. Avaliar a efetividade das aes de reduo de perdas. Implantar, acompanhar e avaliar procedimentos de preveno e controle de perdas. Calcular perdas e identificar causas, em cada etapa do processo. Elaborar relatrios consolidados com ndices de perdas e proposio de solues. Metodologia de clculo de perdas Sistemas e tecnologias de preveno e controle de perdas Tipos de perdas em armazenagem e gesto de estoques: desperdcio de materiais, de capital, de tempo, de oportunidade de talento humano

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

7. Unidade curricular: Produtos, Meio Ambiente e Higiene e Segurana do Trabalho Competncias: Definir regras de preveno de acidentes no trabalho. Definir regras de preveno de acidentes ambientais e proteo do meio ambiente. Definir regras de tratamento de restos e resduos e avarias. Elaborar plano de marketing social. Elaborar estudos e adotar estratgias de aproveitamento de restos, sobras e avarias: reciclagem, reaproveitamento e reutilizao. Elaborar estudos para dimensionamento das necessidades de proteo ambiental. Elaborar estudos para dimensionamento das necessidades de proteo dos recursos humanos no ambiente de trabalho. Realizar registros de no conformidades relativas a inadequaes de procedimentos, consolidar e adotar aes corretivas e preventivas. Elaborar procedimentos de preveno de acidentes do trabalho e adotar medidas de acompanhamento desses procedimentos, atuando sobre inadequaes. Realizar registros de no conformidades relativas a inadequaes de procedimentos, consolidar e adotar aes corretivas e preventivas. Responsabilidade Social Legislao de Higiene e Segurana do Trabalho Legislao Ambiental Legislao Comercial Legislao de HST Normas de proteo do meio ambiente Tipologia de produtos (perigosos, controlados, perecveis...), influncias e riscos.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

8. Projeto integrador: Projeto de armazenagem e gesto de estoques Atividade: Elaborar plano de armazenagem, incluindo definies de polticas que norteiam o estabelecimento dessa atividade, recursos a serem utilizados e ganhos de produtividades. Definir polticas de armazenagem e controle de estoques da empresa Elaborar o plano de armazenagem e gesto de estoques, definindo estratgias de otimizao da cadeia de suprimentos, no que se refere sua funo e as interfaces com outras reas. Dimensionar recursos necessrios gesto e operacionalizao de armazenagem, considerando previses de demanda e tipologia de produtos e materiais. Definir e operacionalizar sistemticas de acompanhamento e avaliao de estoques Definir, caracterizar e viabilizar a operacionalizao das funes de recebimento, armazenagem e distribuio de produtos e materiais, fsico, fiscal e financeiro.n22

Competncias:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais: Este componente curricular explora de forma integrada todas as bases do mdulo.

Mdulo III: Gesto de Transportes e Distribuio Durao: 400 horas 1. Unidade curricular: Modalidades de Transportes, Caractersticas e Fatores deDeciso

Competncias: Definir as grandes regras que iro orientar a escolha do sistema a ser adotado para transporte e distribuio de produtos e materiais e controle de estoques. Definir sistemas de transporte e modais a serem utilizados. Estabelecer e elaborar projeto de transportes e distribuio. Efetuar estudos de mercado sobre a evoluo dos processos de transporte e distribuio, para consolidar Benchmarking. Efetuar e orientar estudos de desenho e anlise de processos, identificando pontos crticos e potencial de melhoria. Realizar estudos, para definio de veculos, mquinas e equipamentos a serem utilizados nas atividades de transporte e distribuio, a partir de demanda real e estimada assim como de normas, regulamentos e tipologia de produtos. Efetuar estudos que orientem a escolha e definio de recursos tecnolgicos e materiais necessrios realizao das atividades. Orientar a elaborao de estudos que possibilitem a escolha e desenvolvimento de sistemas de acompanhamento e avaliao de transporte e distribuio. Definir e aplicar sistemticas de acompanhamento e avaliao de transporte e distribuio. Definir e implantar os processos para os sistemas adotados. Realizar simulaes de operaes e avaliar resultados. Realizar estudos de unitizao de cargas e criar processo de aplicao dos conceitos. Calcular custos de transporte e distribuio. Clculo de carga de trabalho Clculo de demanda Contabilidade de custos Etapas de um sistema de transporte e distribuio Etapas do processo de transporte e distribuio Formao de custos e preos de fretes Frota prpria x Frota terceirizada: caracterstica, vantagens e desvantagens Funes de transporte e distribuio Legislao que regulamenta de transporte e distribuio Modalidades de Transporte e Conceitos de Transporte Multimodal Regra de pareto Sistemas de avaliao de frotas: preo mdio, ltima entrada, padro, marginal... Sistemas de controle de frotas de veculos Sistemas de gerenciamento de manuteno de veculos e equipamentos Sistemas de roteirizao Teoria de restries Tipologia de produtos Tipos de custos: direto e indireto Tipos de embalagens e formas de acondicionamento Tipos de veculos e suas aplicaes Tipos de veculos, mquinas, equipamentos e aplicaes Unitizao de cargas

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

2. Unidade curricular: Polticas de Transportes e Distribuio23

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Competncias: Definir as polticas a serem adotadas no transporte e distribuio. Aplicar polticas de transporte e distribuio no processo de planejamento. Verificar influncias das polticas adotadas na otimizao dos processos de transporte e distribuio. Definir os parmetros para dimensionamento de recursos necessrios. Definir os nveis de servio ao cliente que sero adotados, sendo base para o dimensionamento de recursos. Definir formas de operacionalizao e ndices de acompanhamento e avaliao de transporte e distribuio. Verificar e adequar os processos operacionais s polticas definidas. A influncia dos parmetros e nveis de servio adotados no dimensionamento dos recursos Clculo e escolha de parmetros de controle de estoques Clculo e escolha de parmetros de transportes e distribuio Nvel de Servio em transporte e distribuio Poltica Gesto da Qualidade Estabelecimento de parcerias: uma poltica fundamental para obteno de resultados Influncia dos parmetros e nveis de servio adotados no dimensionamento dos recursos Poltica de desenvolvimento de talentos x crescimento organizacional

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

3. Unidade curricular: Gesto de Recursos Humanos em processos de transporte edistribuio

Competncias: Definir perfil dos profissionais da rea de transporte e distribuio. Definir filosofia de trabalho. Definir regras de atuao para os profissionais da rea. Elaborar plano de utilizao de recursos humanos. Elaborar programa de formao e desenvolvimento de recursos humanos, a partir de perfis profissiogrficos e atividades a serem desenvolvidas. Definir funes, responsabilidades e competncias de transporte e distribuio. Elaborar estudos de viabilidade de adoo de terceirizao de servios. Elaborar estudos para dimensionamento do quadro de pessoal a ser alocado na execuo das atividades operacionais e administrativas, funo de volume de trabalho real e estimado. Definir e aplicar treinamento e acompanhamento de recursos humanos no trabalho. Definir funes e responsabilidades de acompanhamento e avaliao de transporte e distribuio. Avaliar atuao de recursos humanos nos resultados das atividades. Definir sistemtica de acompanhamento e avaliao de servios terceirizados. Definir e aplicar treinamento e acompanhamento de recursos humanos no trabalho. Definir funes e responsabilidades nas diversas funes operacionais e de gesto. Incentivar e possibilitar estabelecimento de redes de relacionamento. Avaliao de desempenho Carga de trabalho e distribuio de atividades Comunicao e efetividade: relao direta com produtividade Cultura organizacional e estilos de atuao Diagnstico de necessidades de treinamento e desenvolvimento Gesto de Conhecimento Metodologias e tcnicas para qualificao e desenvolvimento de recursos humanos Modelos de Gesto de Recursos Humanos Previso de demanda e carga de trabalho24

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Redes de relacionamento (NetWork) Sistemas de acompanhamento e avaliao de servios terceirizados Tcnicas de dimensionamento de quadro de pessoal

4. Unidade curricular: Tecnologia da Informao e Gesto de Transportes eDistribuio

Competncias: Definir as tecnologias considerando as polticas estabelecidas. Definir regras de estruturao e manuteno de banco de dados. Identificar e selecionar as tecnologias a serem utilizadas em transporte e distribuio. Definir estrutura de troca de informaes com fornecedores e clientes internos e externos. Efetuar estudos de viabilidade de adoo de tecnologia ao processo. Selecionar e implantar as tecnologias a serem utilizadas transporte e distribuio. Definir padres de avaliao e acompanhamento do transporte e distribuio. Elaborar relatrios consolidados de avaliao de transporte e distribuio. Informar e relatar desempenho s reas de interface. Implantar as tecnologias selecionadas para a execuo das atividades operacionais. Elaborar relatrios consolidados de desempenho dos sistemas, evidenciando melhorias necessrias e correes de procedimentos. Implantar e avaliar troca de informaes com fornecedores e clientes internos e externos. Banco de dados e modelo relacional (Data warehousing) Comrcio eletrnico Fluxo de informao e resultados Fundamentos dos sistemas de informao Indicadores de dimensionamento de recursos tecnolgicos Indicadores de utilizao de recursos tecnolgicos Tipos fundamentais de sistemas de informao Utilizao estratgica da TI na gerao de diferencial competitivo

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

5. Unidade curricular: Legislao Comercial e Tributria Aplicada a Transportes e Distribuio

Competncias: Utilizar regras e normas legais na poltica de transporte e distribuio. Utilizar regras e normas legais no dimensionamento dos recursos necessrios. Elaborar estudos de otimizao na gesto de tributos, notadamente nos fatos geradores, suspenso de tributos e restituio de crditos tributrios. Avaliar possibilidades de isenes fiscais, redues de alquotas e outros benefcios fiscais na otimizao da utilizao dos recursos. Elaborar estudos de viabilidade de adoo de servios terceirizados. Utilizar regras e normas legais no dimensionamento dos recursos necessrios. Realizar estudos de impacto de impostos e taxas no dimensionamento dos recursos. Avaliar impacto da incidncia de impostos e taxas nos custos de transporte e distribuio. Acompanhar aplicao de regras e normas tributrias na emisso de documentos legais. Calcular incidncia de impostos e taxas nos custos de transporte e distribuio de mercadorias e produtos. Calcular impacto de benefcios conquistados em relao aplicao de taxas e impostos. Elaborar relatrios consolidados dos recolhimentos de taxas e impostos. Clculos de incidncia de impostos e regimes especiais Cdigo Civil Legislao Comercial Legislao Tributria25

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

6. Unidade curricular: Preveno e Controle de Perdas em Transportes e Distribuio Competncias: Definir regras e procedimentos para preveno e controle de perdas. Elaborar plano de preveno e controle de perdas. Fazer estudos comparativos de mercado sobre diferenciao por reduo de perdas e estabelecer estratgias para reduo dos ndices internos. Efetuar estudos do impacto de perdas nos resultados operacionais. Definir metas de reduo de perdas. Inserir ndices de perdas no dimensionamento e otimizao de recursos. Definir metodologia de acompanhamento de perdas. Avaliar impacto das perdas nos custos de transporte e distribuio. Avaliar a efetividade das aes de reduo de perdas. Implantar, acompanhar e avaliar procedimentos de preveno e controle de perdas. Calcular perdas e identificar causas, em cada etapa do processo. Elaborar relatrios consolidados com ndices de perdas e proposio de solues. Metodologia de clculo de perdas Sistemas e tecnologias de preveno e controle de perdas Tipos de perdas em transporte e distribuio: desperdcio de materiais, de capital, de tempo, de oportunidade, de capacidade, de talento humano.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

7. Unidade curricular: Gerenciamento de Frota e Distribuio: Planejamento,Acompanhamento e Avaliao

Competncias: Definir regras gerais de montagem da estrutura de distribuio. Fazer Plano de Negcio considerando os sistemas e modalidades de transportes e aplicando conceitos de formao de redes no planejamento da rea. Identificar custos envolvidos com transportes e distribuio e aplicar no planejamento. Elaborar plano de manuteno, conforme polticas adotadas pela empresa. Elaborar plano de preveno a acidentes. Dimensionar tamanho e especificidades da frota de veculo e equipamentos de transportes, considerando equipamentos e modalidades de transporte, demandas e regies de abrangncia. Definir modalidades de seguros para recursos humanos, equipamentos e cargas. Definir processo de alocao de veculos e aproveitamento da capacidade da frota. Definir sistemtica de acompanhamento do desempenho da frota e equipamentos. Executar o transporte de cargas. Registrar e acompanhar o desempenho da frota. Contratar fretes e seguros na distribuio fsica. Elaborar roteiros de movimentao da frota. Calcular custos de transportes. Aplicar a legislao vigente. Executar planos de manuteno de veculos e equipamentos. Emitir relatrios de movimentao da frota e cargas. Gerar indicadores de desempenho e sugerir aes de melhoria. Ferramentas para acompanhamento e avaliao de frota Formao de preos de frete por modalidade; Apropriao de custos Frotas prpria ou terceirizadas: avaliao de viabilidade Projeto de redes de transportes Sistemas de manuteno de frotas Sistemas de transportes: modalidades de transporte: conceitos e caracterstica Tecnologia da informao aplicada ao acompanhamento de frotas: acompanhamento de veculos e cargas26

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Teoria de redes aplicada ao transporte e distribuio: cobertura de arcos, cobertura de ns, teoria de filas

8. Projeto Integrador: Projeto de dimensionamento e otimizao de utilizao de frotas Atividade: Elaborao de projeto de dimensionamento e otimizao de utilizao de frotas, incluindo exerccios de terceirizao e aproveitamento de recursos tecnolgicos, incluindo estabelecimento de polticas e etapas das atividades Definir polticas de transportes e distribuio da empresa Elaborar o plano de transportes e distribuio, definindo estratgias de otimizao da cadeia de suprimentos, no que se refere sua funo e as interfaces com outras reas. Dimensionar recursos necessrios gesto e operacionalizao de transporte e distribuio, considerando previses de demanda e tipologia de produtos e materiais. Definir e operacionalizar sistemticas de acompanhamento e avaliao de transporte e distribuio Definir, caracterizar e viabilizar a operacionalizao das funes de transporte e distribuio de produtos e materiais, fsico, fiscal e financeiro. Este componente curricular explora de forma integrada todas as bases do mdulo.

Competncias:

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

Mdulo IV: Gesto da Cadeia de Suprimentos Durao: 400 horas 1. Unidade curricular: Administrao e Suplly Chain Management Competncias: Definir as regras gerais de relacionamento entre todas as etapas da cadeia de suprimentos. Definir todas as etapas da cadeia de suprimentos, prevendo atividades e sistemticas de acompanhamento e controle, com enfoque sistmico. Efetuar planejamento considerando agregao de valor ao produto e aproveitamento total dos recursos. Definir, a partir das previses de demanda, recursos necessrios s operaes da cadeia de suprimentos, incluindo recursos para relacionamento com reas de interface, internas e externas organizao. Desenhar as sistemticas de acompanhamento e avaliao dos processos desenvolvidos e atividades inerentes rea. Determinar metodologia de operacionalizao das sistemticas de gesto da cadeia de suprimentos. Definir metodologia de execuo das atividades que compem a cadeia de suprimentos, incluindo processos de tomada de ao sobre inadequaes verificadas e aproveitamento de oportunidades de melhorias. Monitorar dados e informaes de custos, fluxos de trabalho e resultados globais. Administrao ontem e hoje Ambiente organizacional e cultura As organizaes e as pessoas Blocos da cadeia logstica: conceitos, funes e tendncias Estratgias organizacionais e competitivas Evoluo da Logstica Fluxos globais na organizao dos negcios Integrao entre os elementos que compem a cadeia de suprimentos27

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Liderana x motivao Medidas de desempenho logsticos Planejamento organizacional Pontos crticos e medidas preventivas Redes logsticas: objetivos, conceitos e tcnicas de modelagem Servio ao Cliente Teorias Administrativas e sua evoluo

2. Unidade curricular: Gesto de Compras Competncias: Elaborar polticas da cadeia de suprimentos, considerando as atividades de aquisio de materiais e produtos e relacionamento com fornecedores. Considerar no estabelecimento das polticas pontos de atratividade e desenvolvimento de fornecedores. Alinhar polticas da cadeia de suprimentos polticas de compras. Incluir nas definies de planejamento conceitos de compras, suas funes e relacionamento com Clientes internos e externos. Propor estratgias de otimizao da cadeia de suprimentos e obteno de resultados, levando em conta o papel dos fornecedores. Determinar recursos necessrios considerando caractersticas e polticas adotadas na aquisio de materiais e produtos, como giro de estoques, relacionamento com fornecedores. Utilizar o potencial de compras para o estabelecimento de diferencial competitivo. Estabelecer relacionamento com rea de compras, alinhando aes de aquisio de mercadorias com sistemticas de transportes, distribuio e armazenagem de mercadorias e produtos. Estabelecer processo de mensurao de resultados e retorno rea de compras para consolidao de diferencial competitivo. Avaliar a efetividade nas relaes com a rea de compras e operacionalizar sugestes de melhoria. Canais de distribuio x influncia de Fornecedores Certificao de Fornecedores Compras e seu papel estratgico nas organizaes Lotes mnimos de compras por produto Desenvolvimento de Fornecedores Estabelecimento de parcerias estratgicas O papel de Compras na formao de custos e gerao de diferencial competitivo Polticas de relacionamento com Fornecedores Regras de previses de demanda e planejamento de vendas Tipos de Fornecedores e suas caractersticas

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

3. Unidade curricular: Otimizao da Cadeia de Suprimentos: Anlise de Processos Competncias: Definir polticas da organizao na perspectiva da melhoria contnua. Prever modelos de anlise de processos. Efetuar planejamento considerando modelos de anlise de processos e melhoria contnua. Determinar metodologia de armazenagem de dados no planejamento do trabalho. Elaborar modelos de anlise de processos e mensurao de resultados. Definir fluxos de trabalho e pontos crticos. Incluir no dimensionamento de recursos, banco de dados estratgico, que possibilite gerao de histrico e avaliao de resultados. Elaborar metodologia de aplicao dos modelos propostos de anlise dos processos. Definir metodologia de preparao e tratamento de dados.28

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Aplicar modelos de tratamento de dados e realizar estudos de distribuio de probabilidades Sugerir mudanas e melhorias no processo. Caractersticas de produtos e sua influncia no estabelecimento de sistemticas de trabalho e dimensionamento de recursos Melhoria contnua e produtividade Metodologia de desenho de processos e identificao de pontos crticos Mtodos de formulao de problemas Tcnicas de mensurao de resultados

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

4. Unidade curricular: Contabilidade, Custos e Formao de Preos Competncias: Estabelecer regras de formao de custos e determinao de preos de venda. Estabelecer regras para elaborao de oramentos e plano de investimentos. Elaborar estudos de impactos financeiros no planejamento da cadeia de suprimentos. Elaborar oramento e planos de investimentos. Elaborar estudos de impactos financeiros na otimizao da cadeia de suprimentos. Elaborar desenho dos processos e aplicao dos modelos de avaliao financeira e contbil. Acompanhar realizao do oramento e planejamento de investimentos. Avaliar e revisar oramento e planejamento de investimentos. CMV, quebra de inventrio, correo monetria e balano Conceitos de matemtica financeira: juros, fluxo de caixa, meios de pagamento Conceitos fundamentais da contabilidade; registro de fatos contbeis; regimes de apurao por caixa e competncia Determinao de preos de venda, clculo de margens comercial e financeira, anlise de ponto de equilbrio Elaborao de oramento e plano de investimentos Origem de custos, classificao, tipos, formas de apurao Valorao do inventrio

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

5. Unidade curricular: Macro e Micro Economia Aplicadas Competncias: Alinhar polticas da organizao com as polticas de mercado. Efetuar planejamento da cadeia logstica levando em conta informaes do movimento do mercado nacional e internacional. Desenhar cenrios, identificando variveis e fatores endgenos e exgenos. Avaliar impactos dos movimentos do mercado no dimensionamento de recursos. Buscar informaes gerais no mercado que possam subsidiar melhorias e otimizao da cadeia de suprimentos. Agentes econmicos Contabilidade nacional e balano de pagamentos Economia de mercado Equilbrio e estruturas de mercado Indicadores macro econmicos: PIB, Renda per capita, curvas de evoluo Poltica monetria e influncia nos resultados Sistemas de cmbio Teoria de oferta x demanda e elasticidade

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

29

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

6. Unidade curricular: Gesto da Qualidade Competncias: Determinar requisitos da qualidade na definio das polticas gerais da cadeia de suprimentos. Alinhar polticas da empresa com as prticas do mercado. Buscar no mercado informaes da evoluo dos conceitos de qualidade e inserir no planejamento da cadeia de suprimentos. Compreender os conceitos de qualidade, ter conhecimento das metodologias atuais de mensurao de resultados e prever sua operacionalizao. Desenvolver indicadores de gesto da qualidade. Elaborar metodologia de aplicao dos conceitos de qualidade, incluindo preparao de recursos humanos. Desenvolver ferramentas de gesto da qualidade. Formar e coordenar grupos de melhoria contnua. Colocar em execuo as metodologias de melhoria contnua. Consolidar aes de melhoria. Fomentar, acompanhar e avaliar resultados dos grupos de melhoria contnua. Realizar correes de inadequaes. Certificaes Evoluo do conceito e tendncias de mercado Formao de grupos de melhoria contnua Garantia da qualidade Melhoria contnua Qualidade da Organizao e o ser humano como fator de sucesso Qualidade e produtividade Requisitos da qualidade Sistemas de qualidade

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

7. Unidade curricular: Responsabilidade Social e Ambiental Competncias: Alinhar polticas da organizao aos conceitos de responsabilidade social e ambiental. Planejar a cadeia de suprimentos considerando responsabilidade social e ambiental. Buscar solues alternativas para a melhoria das aes sociais e ambientais. Transformar problemas em potencial de melhoria e imagem. Incluir no dimensionamento de recursos e otimizao da cadeia de suprimentos os conceitos de responsabilidade social e ambiental. Considerar as normas e exigncias de responsabilidade social e ambiental. Elaborar metodologia de execuo das atividades considerando as polticas adotadas pela organizao e indicadores de desempenho. Acompanhar a aplicao dos conceitos de responsabilidade social e ambiental. Verificar a obedincia das exigncias legais e internas relacionadas proteo do meio ambiente e desenvolvimento de responsabilidade social. Acompanhar os resultados dos projetos de responsabilidade social e ambiental Avaliao de Riscos Balano Social Certificaes Elaborao de projetos de responsabilidade ambiental Elaborao de projetos sociais Exemplos de Empresas que se destacam Indicadores de responsabilidade social e ambiental Legislao Aplicada Marketing Social Normas e Certificaes Problemas sociais: conceitos e principais caractersticas30

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

8. Unidade curricular: Estatstica Aplicada Logstica Competncias: Elaborar estudos estatsticos relacionados s diversas variveis que influenciam a cadeia de suprimentos, buscando subsdios ao planejamento. Utilizar informaes de sries temporais e probabilidades no dimensionamento de recursos. Estabelecer correlaes das variveis para efeito de tomada de deciso. Definir dados estatsticos para escolha de padres de acompanhamento. Colocar em prtica as sistemticas definidas para acompanhamento dos processos utilizando informaes com tratamento estatstico. Avaliar atividades desenvolvidas com base em informaes de desempenho com tratamento estatstico. Adotar aes corretivas para soluo de inadequaes e ajustes na obteno de resultados. Clculo de probabilidades CEP Controle Estatstico de Processos Amostras Estimao Medidas de disperso Medidas de tendncias (mdia, mediana e moda) Regresses Sries temporais Testes de hipteses

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

9. Projeto integrador: Desenho detalhado de uma cadeia de suprimentos Atividade: Desenho de uma cadeia de suprimentos, identificando pontos crticos e propondo melhorias e otimizao de utilizao de recursos, considerando as polticas adotadas e parmetros adotados em planejamento.Atividades no presenciais:

Pesquisa Tcnica em sites e revistas especializadas Visitas tcnicas a empresas Produto: Arquivo prtico do material pesquisado e produzido referente desenho da cadeia de suprimentos, incluindo planilhas, fluxogramas e cronogramas.

Competncias: Definir polticas da Cadeia Logstica (supply chain) para a empresa Elaborar Plano estratgico de trabalho, definindo estratgias de otimizao da Cadeia Logstica (supply chain) Dimensionar recursos necessrios gesto e operacionalizao da Cadeia Logstica (supply chain), considerando previses de demanda. Definir e operacionalizar sistemticas de gesto da Cadeia Logstica (supply chain) Definir, caracterizar e viabilizar a operacionalizao das funes da cadeia logstica (supply chain) para a empresa. Este componente curricular explora de forma integrada todas as bases do mdulo.

Bases Tecnolgicas, cientficas e instrumentais:

6.4. Matriz de articulao (ver anexo 1)

31

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

7. Indicaes Metodolgicas e prticas pedaggicas previstasA prtica pedaggica inerente ao currculo ora proposto deve promover o saber fazer e o saber ser, no como reproduo automtica e alienada de tcnicas, regras, processos, valores e normas, mas como expresso concreta do saber pensar. O desenho do currculo do curso de Tecnlogo em Logstica reflete uma ampla viso de educao profissional, uma coerente perspectiva metodolgica e condiciona a opo por determinadas prticas pedaggicas no desenvolvimento das unidades curriculares. Com base na Proposta Pedaggica Institucional, pode-se assumir, que os currculos no so fins, mas colocam-se a servio do desenvolvimento de competncias, sendo essas caracterizadas pela capacidade de, atravs de esquemas mentais ou de funes operatrias, mobilizar, articular e colocar em ao valores, conhecimentos e habilidades. Colocar o currculo como meio de constituio de competncias significa, necessariamente, adotar uma prtica pedaggica que propicie, essencialmente, o exerccio contnuo e contextualizado desses processos de mobilizao, articulao e aplicao. 2 Assim, o curso Tecnlogo em Logstica foi desenhado tendo em vista a constituio de competncias e estruturado a partir de um eixo de projetos, problemas e/ou desafios significativos do contexto produtivo da rea, envolvendo situaes simuladas ou, sempre que possvel, situaes reais. Nessa perspectiva, foram previstos quatro (4) projetos integradores dos componentes curriculares de cada semestre letivo: - Operao logstica em uma empresa - Desenhar a cadeia logstica de uma empresa, destacando os principais processos de armazenagem, gesto de estoques, transportes e distribuio, incluindo interfaces com reas afins e fornecedores e clientes. Isso envolve o estudo da cadeia logstica em uma empresa, desenhando, de maneira simplificada, os principais processos de armazenagem, gesto de estoques, transportes e distribuio, incluindo interfaces com reas afins e fornecedores e clientes. Devem ser detalhados os principais documentos de alimentao da base de dados e exemplificados relatrios de gesto; - Projeto de armazenagem e gesto de estoques - Elaborar plano de armazenagem, incluindo definies de polticas que norteiam o estabelecimento dessa atividade, recursos a serem utilizados e ganhos de produtividades. Tambm devem ser exercitadas formao de custos de armazenagem e gesto de estoques (financeiros, materiais, tecnolgicos, recursos humanos etc.). - Projeto de dimensionamento e otimizao de utilizao de frotas - Elaborao de projeto de dimensionamento e otimizao de utilizao de frotas, incluindo exerccios de terceirizao e aproveitamento de recursos tecnolgicos, estabelecimento de polticas e etapas das atividades - Desenho detalhado de uma cadeia de suprimentos - Desenho de uma cadeia de suprimentos, identificando pontos crticos e propondo melhorias e otimizao de utilizao de recursos, considerando as polticas adotadas e parmetros adotados em planejamento. Este projeto ainda envolve atividades no presenciais de pesquisa tcnica em sites e publicaes especializadas, devendo tambm gerar o seguinte produto: Arquivo prtico do material pesquisado e produzido referente desenho da cadeia de suprimentos, incluindo planilhas, fluxogramas e cronogramas.2

MEC/SEMTEC, Referenciais Curriculares Nacionais para a Educao Profissional de Nvel Tcnico, Braslia, DF, p.25. 32

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

Cada um desses projetos independente e, ao mesmo tempo, todos eles so integrados e ordenados em uma linha de crescente complexidade. Os projetos articulam as demais unidades curriculares destinadas ao desenvolvimento de competncias mais especficas e nelas focadas, de modo a facilitar a constituio das mais complexas, atribudas aos projetos. Nesse sentido: - a prtica pedaggica deve oferecer desafios acessveis aos participantes, por meio de perguntas, problemas e casos relacionados realidade, experincia e/ou a conhecimentos prvios destes, facilitando a atribuio de significado; - as perguntas e atividades devem ser crtico-funcionais, voltadas aplicao em situaes reais de trabalho; - sero estimulados estudos em ambientes de aprendizagem, atividades em laboratrio, atividades prticas monitoradas, visitas tcnicas a empresas e organizaes do setor, estgio profissional supervisionado, quando necessrio; - importante oferecer ajudas didticas para a elaborao e aplicao de conceitos e princpios, utilizando ilustraes, exemplos, modelos, orientaes variadas etc., bem como favorecer a troca de idias entre os participantes, estimulando-os a encontrar novas possibilidades de aplicao dos conhecimentos em situaes reais do contexto profissional; - a metodologia deve favorecer a integrao entre teoria e prtica, por meio da dinmica ao-reflexo-ao, a partir de situaes desafiadoras que demandem a apropriao, articulao e aplicao dos conhecimentos, valores e habilidades em situaes variadas, cenrio imprescindvel para a constituio de competncias profissionais. Assim, a metodologia adotada deve envolver anlise e soluo de problemas, estudo de casos, projetos, pesquisas e outras estratgias didticas que integrem teoria e prtica e focalizem o contexto do trabalho, de modo a estimular a percepo analtica e a contextualizao de informaes, o raciocnio hipottico, a soluo de problemas, a apropriao de conhecimentos prvios e a construo de novos valores e saberes, na perspectiva destacada em epgrafe. A prtica pedaggica assim concebida deve permitir que o educando, partindo da sua experincia de vida, de sua identidade cultural e da interao com os outros, possa tomar conscincia de seu ambiente, da sociedade e do sistema produtivo, percebendose como cidado coadjuvante do processo de transformao da realidade, e como profissional comprometido com a sade e qualidade de vida de pessoas e comunidades. No que concerne especificamente prtica profissional, na perspectiva de educao profissional adotada, o espao e o ambiente estritamente escolares so insuficientes para a mudana proposta e para a conseqente produo de conhecimento dela derivada. O espao de aprendizagem precisa ser e ser ampliado para abranger as atividades produtivas e sociais reais onde as funes profissionais ganham sentido e o profissional a ser formado possa enfrentar os desafios capazes de desenvolverem as competncias necessrias tarefa de transformao e criao. Assim, os projetos devem ser desenvolvidos como forma de superao de problemas e desafios reais, e sero vivenciados em instalaes especficas das Unidades da Faculdade Senac Rio e em instalaes de organizaes do setor produtivo. Os projetos sero sempre relacionados prestao de efetivos servios de Gesto da Cadeia de Suprimentos. A prestao destes servios poder ser coordenada por uma Empresa Jnior de Consultoria, gerenciada e operada por participantes e docentes da Faculdade de Tecnologia Senac Rio. a) O projeto ser desenvolvido em situao real, envolvendo:33

SERVIO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Administrao Regional no Estado do Rio de Janeiro

-

-

Diviso dos estudantes em grupos de projeto. Busca e seleo do campo de aplicao (empresa, instituio, rgo pblico). Diagnstico das necessidades do cliente. O diagnstico ser desenvolvido em campo. Envolver visitas dirigidas, entrevistas, reunies, anlises documentais e outros procedimentos que forem indicados em cada caso especfico. Traduo das necessidades do cliente em resultados de projeto. Definio das estratgias para a consecuo dos resultados. Elaborao de uma proposta preliminar para anlise do cliente. Elaborao da proposta final de interveno, envolvendo inclusive especificao das atividades, cronograma de execuo e oramento. Negociao da proposta com o cliente. Implementao da proposta (quando for o caso). Avaliao dos resultados do projeto, tendo em vista as necessidades do cliente. Avaliao da constituio das competncias previstas para o projeto.

b) Outros componentes curriculares: - Definio da(s) competncia(s) prevista(s) no Plano de Curso a ser(em) constitud