Click here to load reader

PPRA & PCMSO Programa de Academias de Ginástica e Atividades Afins Luiz Roberto Pires Domingues Junior

  • View
    104

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of PPRA & PCMSO Programa de Academias de Ginástica e Atividades Afins Luiz Roberto Pires...

  • Slide 1
  • PPRA & PCMSO Programa de Academias de Ginstica e Atividades Afins Luiz Roberto Pires Domingues Junior
  • Slide 2
  • PRECE DO ESTRESSADO Ajude-me sempre a dar 100% no trabalho: 12% na segunda; 23% na tera; 40% na quarta; 20% na quinta; 5% na sexta.
  • Slide 3
  • Ningum pode alegar ignorncia da lei para justificar seu Descumprimento.(Cdigo Civil) Decreto-lei n. 4.657, de 4 de setembro de 1942.(Cdigo Civil) Art. 1. Salvo disposio contrria, a lei comea a vigorar em todo o pas quarenta e cinco dias depois de oficialmente publicada. Se a lei no especificar o prazo para que a mesma entre em vigor (vacatio legis), teremos por base este artigo da LICC, que determina que entre em vigor 45 dias depois de oficialmente publicada. Art. 3. Ningum se escusa de cumprir a lei, alegando que no a conhece. A lei depois de tornada publica atravs de publicao oficial, respeitando o perodo de vacatio legis se houver, passa a vigorar para todos, no podendo ningum alegar ignorncia para justificar seu descumprimento.
  • Slide 4
  • Amparo Legal CLT Captulo V 9.1.1 Esta Norma Regulamentadora - NR estabelece a obrigatoriedade da elaborao e implementao, por parte de todos os empregadores e instituies que admitam trabalhadores como empregados, do Programa de Preveno de Riscos Ambientais - PPRA, visando preservao da sade e da integridade dos trabalhadores, atravs da antecipao, reconhecimento, avaliao e consequente controle da ocorrncia de riscos ambientais existentes ou que venham a existir no ambiente de trabalho, tendo em considerao a proteo do meio ambiente e dos recursos naturais.
  • Slide 5
  • Amparo Legal Lei n 5.027/1966 Cdigo Sanitrio do Distrito Federal Art. 91. O rgo de sade pblica executar diretamente ou promover, de acordo com outras autoridades, programa de controle dos acidentes pessoais. Art. 92. O rgo de sade pblica promover estudos e pesquisas para esclarecimento dos problemas de interesse sanitrio no Distrito Federal e estimular a iniciativa pblica ou privada nesse sentido. Art. 99. A autoridade sanitria competente para reconhecer e solucionar todas as questes relativas sade pblica no Distrito Federal, ainda que no previstas nesta Lei, respeitada a competncia dos rgos federais especficos.
  • Slide 6
  • Amparo Legal Decreto n 32.568/2010 Regulamento do Cdigo Sanitrio Art. 17. Nos estabelecimentos de trabalho que ofeream perigo sade, a juzo da autoridade sanitria, os proprietrios sero obrigados a executar os melhoramentos necessrios ou remover ou fechar os estabelecimentos que no forem saneveis. 1 Nos estabelecimentos de trabalho onde seja constatada a presena de riscos ocupacionais capazes de gerar agravos sade e/ou a integridade fsica dos trabalhadores, a juzo da autoridade sanitria, os proprietrios sero obrigados a apresentar o Programa de Preveno de Riscos Ambientais PPRA, com o respectivo cronograma de aes recomendadas para sanear os postos de trabalho, e o Programa de Controle Mdico de Sade Ocupacional PCMSO.
  • Slide 7
  • Penalidades - Multa Ministrio do Trabalho e Emprego
  • Slide 8
  • Penalidades Art. 266. As infraes sanitrias, sem prejuzo das sanes de natureza civil ou penal cabveis, sero punidas, alternativa ou cumulativamente, com as penalidades de: I advertncia; II obrigao de fazer: c. retirar materiais em desuso e/ou estranhos atividade desenvolvida pelo estabelecimento; d. recolhimento de produtos em desacordo com a legislao sanitria; ou e. outra obrigao pertinente, capaz de eliminar, reduzir ou prevenir riscos, a critrio da autoridade sanitria competente; III apreenso do produto; IV inutilizao de produto; V interdio de produto ou equipamento; VII interdio parcial ou total do estabelecimento; VIII cancelamento da Licena Sanitria; XII multa.
  • Slide 9
  • Penalidades Art. 266 XXIX transgredir outras normas legais e regulamentares destinadas proteo da sade: pena advertncia, obrigao de fazer, apreenso, inutilizao e/ou interdio do produto; suspenso de venda e/ou fabricao do produto, cancelamento do registro do produto; interdio parcial ou total do estabelecimento, cancelamento de autorizao para funcionamento da empresa, cancelamento da Licena Sanitria do estabelecimento, proibio de propaganda e/ou multa;
  • Slide 10
  • Penalidades - VISA Art. 267. A pena de multa consiste no pagamento das seguintes quantias: I nas infraes leves, de R$ 1.000,00 (um mil reais) a R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais); II nas infraes graves, de R$ 50.000,01 (cinquenta mil reais e um centavo) a R$ 200.000,00 (duzentos mil reais); III nas infraes gravssimas, de R$ 200.000,01 (duzentos mil reais e um centavo) a R$500.000,00 (quinhentos mil reais). 1 As multas impostas em auto de imposio de penalidade podero sofrer reduo de 50% (cinquenta por cento) caso o infrator efetue o pagamento no prazo de 30 (trinta) dias, contados da data em que for notificado, implicando na desistncia tcita de defesa ou recurso. 2 Aos valores das multas previstas neste Decreto aplicarse o coeficiente de atualizao monetria referido no Pargrafo nico do artigo 2 da Lei Federal n 6.205, de 29 de abril de 1.975, ou outra que venha a substitula.
  • Slide 11
  • Penalidades Lei n 6.437/1977 A rt. 10... XXIX - transgredir outras normas legais e regulamentares destinadas proteo da sade: pena - advertncia, apreenso, inutilizao e/ou interdio do produto; suspenso de venda e/ou fabricao do produto, cancelamento do registro do produto; interdio parcial ou total do estabelecimento, cancelamento de autorizao para funcionamento da empresa, cancelamento do alvar de licenciamento do estabelecimento, proibio de propaganda e/ou multa; (Redao dada pela Medida Provisria n 2.190-34, de 2001)(Redao dada pela Medida Provisria n 2.190-34, de 2001)
  • Slide 12
  • Penalidades Lei 6.437/1977 Art. 2 - Sem prejuzo das sanes de natureza civil ou penal cabveis, as infraes sanitrias sero punidas, alternativa ou cumulativamente, com as penalidades de: 1 o -A. A pena de multa consiste no pagamento das seguintes quantias: (Includo pela Lei n 9.695, de 1998) (Includo pela Lei n 9.695, de 1998) I - nas infraes leves, de R$ 2.000,00 (dois mil reais) a R$ 20.000,00 (vinte mil reais); (Includo pela Lei n 9.695, de 1998) (Includo pela Lei n 9.695, de 1998) II - nas infraes graves, de R$ 20.000,00 (vinte mil reais) a R$ 50.000,00 (cinqenta mil reais) ; (Includo pela Lei n 9.695, de 1998)(Includo pela Lei n 9.695, de 1998) III - nas infraes gravssimas, de R$ 50.000,00 (cinqenta mil reais) a R$ 200.000,00 (duzentos mil reais). (Includo pela Lei n 9.695, de 1998)(Includo pela Lei n 9.695, de 1998) 1 o -B. As multas previstas neste artigo sero aplicadas em dobro em caso de reincidncia. (Includo pela Lei n 9.695, de 1998)(Includo pela Lei n 9.695, de 1998)
  • Slide 13
  • Atuao da Vigilncia Sanitria Art. 6 Esto includas ainda no campo de atuao do Sistema nico de Sade (SUS): I - a execuo de aes: a) de vigilncia sanitria; c) de sade do trabalhador; e 1 Entende-se por vigilncia sanitria um conjunto de aes capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos sade e de intervir nos problemas sanitrios decorrentes do meio ambiente, da produo e circulao de bens e da prestao de servios de interesse da sade, abrangendo: 3 Entende-se por sade do trabalhador, para fins desta lei, um conjunto de atividades que se destina, atravs das aes de vigilncia epidemiolgica e vigilncia sanitria, promoo e proteo da sade dos trabalhadores, assim como visa recuperao e reabilitao da sade dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condies de trabalho...
  • Slide 14
  • Portaria 3120/1998 6.2 - A interveno (inspeo/fiscalizao sanitria) A interveno, realizada em conjunto com os representantes dos trabalhadores, de outras instituies, e sob a responsabilidade administrativa da equipe da Secretaria Estadual e/ou Municipal de Sade, dever considerar, na inspeo sanitria em sade do trabalhador, a observncia das normas e legislaes que regulamentam a relao entre o trabalho e a sade, de qualquer origem, especialmente na esfera da sade, do trabalho, da previdncia, do meio ambiente e das internacionais ratificadas pelo Brasil.
  • Slide 15
  • Programa de Preveno de Risco Ambiental - PPRA
  • Slide 16
  • Conceitos: Programa: Planejamento de atividades, e a realizao das prprias atividades desse planejamento. Preveno: Medida tomada para evitar perigos ou danos; Risco: Perigo circunstncia potencialmente capaz de acarretar algum tipo de perdas (danos ou prejuzos): humano, patrimonial e ambiental. Salvaguardas aes ou medidas que visam evitar a consumao dos perigos. Risco avaliao do perigo, associando-se a probabilidade da ocorrncia de um evento adverso e o potencial de gravidade das suas consequncias. Risco = probabilidade x potencial de gravidade frequncia x consequncia Ambiente: As condies fsicas, morais, emocionais etc. em que se est ou se vive.
  • Slide 17
  • Situao ou condio que introduz um certo potencial para provocar perdas.
  • Slide 18
  • a avaliao do perigo, associando-se probabilidade da ocorrncia de um evento adverso e a gravidade de suas consequncias.
  • Slide 19
  • um evento indesejvel que poderia causar perda.
  • Slide 20
  • o evento indesejvel que causar perdas, ou seja danos pessoais, danos materiais, danos ao meio ambiente, perdas no processo, perdas de produtos, etc.
  • Slide 21
  • Slide 22
  • Slide 23
  • Slide 24
  • Sl