pratica juridica 1

  • View
    119

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of pratica juridica 1

SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T APrtica Jurdica: AO DECLARATRIA DEINEXISTNCIA DE RELAO JURDICA TRIBUTRIAJos Valdemar Jaschke Antonio Guilherme de Almeida PortugalEXCELENTSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRGIO TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 04 REGIO PORTO ALEGRE RSRecurso Especial no 2008.04.00.932-4/PRAgravo deInstrumento n.Recorrente: TRANSPORTES IGAP LTDA Recorrido: UNIO FEDERALTRANSPORTES IGAP LTDA, j qualificada nos autos de recurso de AGRAVO DE INSTRUMENTO interposto em face de UNIO FEDERAL, autuado sob n. 2008.04.00.9324/PR, vem presena de Vossa Excelncia, por seu procurador infra firmado, irresignados com o acrdo prolatado, com fulcro no artigo 105, inc. III letras a da Constituio Federal, artigos 541 e seguintes do CPC, combinado com o artigo 255 do RISTJ, interpor o presente RECURSO ESPECIAL ao EGRGIO SUPERIOR TRIBUNAL DE JUSTIA, requerendo digne-se Vossa Excelncia receb-lo, determinando sua remessa quela Corte, a- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -fim de que dele conhecendo, d-lhe provimento nos termos das razes que seguem anexas.- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T ATermos em que pede deferimento. Londrina/PR, 31 de maro de 2008.Jos Valdemar Jaschke Antonio Guilherme de A. Portugal OAB/PR 22.939 31.107 OAB/PR- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T ARAZES DO RECURSO ESPECIALEgrgio Superior Tribunal de Justia Colenda Turma Eminente Ministro RelatorData Vnia, o venerando acrdo ora recorrido merece ser reavaliado porque seus subscritores no julgaram com o costumeiro acerto, na medida em que contrariou o comando expresso de lei federal negando-lhe vigncia.01 DOS FATOSTrata-se manejado TRIBUTRIA contra DE DECLARATRIAderecursodeagravo nosdeinstrumento de AO JURDICAdecisoexaradaautos RELAOINEXISTNCIADEpromovida perante a 01 Vara Federal Cvel deLondrina PR, autuada sob n. 2007.70.01.7072-0/PR cuja deciso do Egrgio Tribunal a quo converteu o agravo de instrumento em agravo retido com fulcro nos artigos 522 caput e artigo 527, II ambos do Cdigo de Processo Civil. Na reconhecimento demanda originria, a do direito ao Recorrente pretende o do PIS e darecolhimentoCOFINS sem a incluso do valor recolhido a ttulo de ICMS em suas bases de clculos, com ap. -- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T Acondenao da Unio Federal devoluo mediante restituio/compensao das quantias indevidamente pagas a tal ttulo nos ltimos 10 anos. Na inicial, a Recorrente formulou pedido de antecipao de tutela com base no artigo 273, I do CPC nos seguintes termos:seja concedida liminar inaudita altera parte no sentido excluso da de que seja autorizada a diferena apurada de ICMS dasparcelas vincendas a partir desta data ttulo da contribuio ao PIS e da COFINS, suspendendo a exigibilidade tributria nos termos do art. 151, diferena apurada inciso II do Cdigo Tributrio Nacional, assim como autorizar o depsito judicial da at o final julgamento processual; Seja concedida liminar inaudita altera parte para SUSPENDER A EXIGIBILIDADE dos crditos a ttulo de CONFINS e PIS referentes ao perodo controvertido da presente demanda, ou seja, outubro de 1997 at a data da concesso da liminar requerida no tpico anterior, ou, SUCESSIVAMENTE que seja concedida a liminar com a autorizao judicial para o PARCELAMENTO junto nos termos da lei, Receita e o Federal da depsito do valor parte incontroversa deste crdito, controverso. do presente remdio- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -O MM Juiz negou a antecipao de tutela requerida sob o seguinte fundamento:- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T A1. Com as peties das fls. 199 e 204 e os documentos que as reputo cumpridosos acompanham causa em R$ 200.000,00 (duzentos mil reais), considerando a indicao desse montante pela parte autora a ttulo de benefcio patrimonial pretendido. 2. Unio, com Trata-se pedido o suas da de de ao ordinria da tutela, ao adespachos das fls. 197 e 201, fixando o valor daajuizada por Transportes Igap Ltda. em face da antecipao do clculo, das objetivando ICMS em condenao reconhecimento bases R de direito comrecolhimento do PIS e da COFINS sem a incluso do devoluo mediante quantiasrestituio/compensao 10 (dez) anos.indevidamente recolhidas a tal ttulo, nos ltimosAlega que, nos termos do artigo 195, inciso I, da CF/88, a base de clculo das exaes consiste na receita ou faturamento, sendo que, no seu entender, a parcela relativa ao ICMS no configura receita/faturamento para efeitos tributrios. 3. Em juzo de cognio sumria, no antevejo a indispensvel plausibilidade jurdica da tese exposta pela Autora, autorizar a- Revista do Cursoantecipatria postulada. 2 de Direito - Ano II- 2007 - N.?suficientepara tutelap. -concesso daCom efeito, oE. STJ j pacificouseu entendimento sobre a matria aqui ventilada pela Requerente,- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T Ano sentido de que "a parcela relativa ao ICM inclui-se na base de clculo do PIS" (Smula n 68) e de que "a parcela relativa ao ICMS inclui-se na base de clculo do FINSOCIAL" (Smula n 94), antecessor da atual contribuio. Ressalte-se que a Lei n 9.718/98 no excluiu o ICMS da base de clculo da exao, exceto nos casos em que o imposto estadual cobrado pelo contribuinte na condio de substituto (artigo 3, 2, inciso I da Lei n 9.718/98), o que no representa o caso aqui analisado. A jurisprudncia do TRF da 4 Regio segue no mesmo sentido, conforme abaixo transcrito: tributrioTRIBUTRIO. PIS . BASE DE CLCULO. INCLUSO DOS VALORES DEVIDOS GUISA DO ICM. Tudo quanto entra na empresa a ttulo de preo pela venda de mercadorias receita dela, no tendo qualquer relevncia, em termos jurdicos, a parte que vai ser destinada ao pagamento de tributos. Conseqentemente, os valores devidos conta do imposto sobre operaes relativas circulao de mercadorias integram a base de clculo das contribuies para o PIS. (AC 94.04016357/RS, 1 Desembargador Federal Gilson Dipp, j. 30/10/96, p. 83.02 7)- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -Turma, Relator em 17/09/96, DJU dep. -TRIBUTRIO. COFINS . LCP CLCULO. ICMS. INCLUSO.70/91.BASEDECaso de aplicao das Sm. 21/TRF4Reg. e Sm. 94/STJ.- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T A(AC n 94.0427452-6/RS - 2 T., Rel. Juiz Jardim de Camargo, DJU de 18/06/1997, p. 45434). COFINS. INCLUSO DO ICMS NA BASE DE CLCULO. O ICMS, como parcela componente do preo da mercadoria, faz parte do faturamento e, portanto, integra a base de clculo da COFINS . Apelao improvida. (AC n 97.0015027-0/PR - 1 T., Rel. Juiz Volkmer de Castilho, DJU de 25/06/1997, p. 48407).No se ignora que a questo est sendo objeto de anlise Federal pelo no Supremo RE concluso tese defendida que de o Ocorre pedido n Tribunal240.785/MG, no qual, pelo voto de seis de seus Ministros, est prevalecendo favorvel pela presente data,demandante. em razo dejulgamento em referncia no foi concludo at a vista, havendo, em tese, a possibilidade razo pela qual este juzo, permanece alinhado ao ao de resultado por ora,final diverso pela modificao de votos j proferidos, menos antigo entendimentojurisprudencial acerca da matria em exame. 4. Ante o exposto, indefiro opedido de antecipao da tutela. 5. Cite-se, observadas as advertncias legais. 6. Aps, manifeste-se a parte autora- Revista do Cursosobre a contestao,- no prazo de 10 (dez) dias. de Direito - Ano II- 2007 N.? 2 -p. -7.Porderradeiro, versando alide exclusivamente sobre matria de direito, registrem-se para sentena.- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T A8. Intimemse. Londrina, 18 de dezembro de 2007. Oscar Alberto Mezzaroba Tomazoni Juiz FederalDessa deciso, a Recorrente interps o presente recurso de agravo de instrumento postulando o efeito ativo nos mesmos termos postulados na inicial mas cujo relator negou seguimento e o converteu em agravo retido nos seguintes termos:Trata-se de agravo de instrumento, com pedido de antecipao de tutela, contra deciso que indeferiu liminar, em ao ordinria, assim vazada (fl. 39):" (...) 2. Trata-se de ao ordinria ajuizada por Transportes Igap Ltda. em face da Unio, com o suas da pedido de antecipao da tutela, do clculo, das direito com ao a objetivando ICMS em condenao reconhecimento bases R derecolhimento do PIS e da COFINS sem a incluso do devoluo mediante quantiasrestituio/compensao 10 (dez) anos.indevidamente recolhidas a tal ttulo, nos ltimos- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -Alega que, nos termos do artigo 195, inciso I, dap. -CF/88, a base de clculo das exaes consiste na receita ou- Revista do Curso de Direito - Ano II- 2007 - N.? 2 -p. -SO C I E D A D E E DI R E I T O E M RE V I S T Afaturamento, sendo que, no seu entender, a parcela relativa ao ICMS no configura receita/faturamento efeitos tributrios. 3. Em juzo de cognio sumria, no antevejo a indispensvel plausibilidade jurdica da tese exposta pela Autora, autorizar a antecipatria postulada. Com efeito, o E. STJ j pacificou suficiente para tutela concesso da paraseu entendimento sobre a matria aqui ventilada pela Requerente, no sentido de que "a parcela relativa ao ICM inclui-se na base de clculo do PIS" (Smula n 68) e de que "a parcela relativa ao ICMS inclui-se na base de clculo do FINSOCIAL" (Smula n 94), antecessor da atual contribuio. Ressalte-se que a Lei n 9.718/98 no excluiu o ICMS da base de clculo da exao, exceto nos casos em que o imposto estadual cobrado pelo contribuinte na condio de substituto (artigo 3, 2, inciso I da Lei n 9.718/98), o que no representa o caso aqui analisado. A jurisprudncia do TRF da 4 Regio segue no mesmo sentido, conforme abaixo transcrito: TRIBUTRIO. PIS . BASE DE tributrioCL