Prensas e Similares

  • View
    214

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

prensas e similares - proteção de máquinas

Text of Prensas e Similares

  • ASSESSORIA E TREINAMENTO EM SEGURANA DO

    TRABALHO

    ROGERIO SCHERER Tcnico de Segurana do Trabalho

    ARTHUR FERNANDO BONOW Engenheiro de Segurana

  • PRENSAS

  • O QUE UMA PRENSA?

    um equipamento usado para conformar, moldar, cortar, furar, cunhar

    e vazar peas. H uma grande variedade de prensas, seja no tipo, modelo, tamanho, na capacidade de

    aplicao de fora ou velocidade. No mercado, encontramos prensas com capacidade de carga de poucos quilos

    at prensas de mais de 50 000 toneladas de fora.

  • TIPOS DE PRENSA

    Prensas excntricas mecnicas;

    Prensas hidrulicas; Prensas de frico / percusso.

  • PRENSAS EXCNTRICAS MECNICAS

    So prensas com curso limitado, energia constante e fora varivel com relao altura de trabalho. So prensas ao de joelho, excntricas de corpo em C ou duplo montante (corpo em forma de H). Podem ser com transmisso direta do volante ou com reduo por engrenagens, com mesa, fixa ou regulvel, horizontal, inclinvel ou inclinada. So utilizadas nas estamparias onde no sejam requeridos repuxos profundos.

  • PRENSAS HIDRULICASPrensas com fora limitada e constante em qualquer ponto do curso. So utilizadas quando se deseja executar grandes repuxos, quando a fora de conformao deva ser a mesma em todo seu curso descendente, podendo-se alterar as velocidade de conformao.

  • PRENSA DE FRICO OU PERCUSSO

    Prensas com curso e energia varivel. Tambm so conhecidas como prensas tipo parafuso. Sua energia mxima e obtida no final do curso descendente. So utilizadas, de modo geral, para cunhagens de moedas e medalhas, e forjamento a quente de parafusos, vlvulas, etc.

  • COMO SE DIVIDE UMA PRENSA

    ESTRUTURA CADEIA

    CINEMTICA BIELA MARTELO ZONA DE

    PRENSAGEM

  • PONTOS VULNERVEIS EM PRENSAS

    PONTOS DE INSEGURANA, PONTOS ONDE PODE OCORRER UM ACIDENTE.

  • PRENSA EXCNTRICA COM ENGATE MECNICO OU POR

    CHAVETA CHAVETA ROTATIVA QUEBRAR E A

    PRENSA NO DESENGATAR; O PINO L QUEBRAR E A PRENSA SER

    ACIONADA ACIDENTALMENTE (REPICAR);

    QUEBRAR O EIXO E A BIELA CAIR NA CABEA DO OPERADOR;

    PRENDER A MO NA ALAVANCA DE EXTRAO DA PRENSA;

    ESTAMPO CAIR E ATINGIR OS MEMBROS DO OPERADOR.

  • SISTEMAS DE PROTEO

  • ELO SALVA-VIDA

  • DENTE TRAVA EIXO NA BIELA

  • PERIGO

    A MAIOR PARTE DOS ACIDENTES OCORRE QUANDO O OPERADOR J CONHECE BEM A SUA PRENSA E, NA INTIMIDADE, SE PERMITE DISTRAIR POR UM BREVE MOMENTO, CONVERSANDO COM O COLEGA DO LADO OU LEVANDO SEU PENSAMENTO PARA LONGE.

  • VOLANTES E ENGRENAGEM

  • PERIGO

    POR SE TRATAR DE PRENSA COM ENGATE MECNICO, NO POSSVEL PARAR A MQUINA ANTES DE TER TERMINADO O CURSO.

  • EXTRATOR DE MARTELO

  • PERIGO

    NECESSRIO LER CUIDADOSAMENTE E ENTENDER AS PLAQUETAS DE IDENTIFICAO QUE ESTO PRESAS NO CORPO DO EQUIPAMENTO.

  • PRENSA MECNICA COM FREIO / FRICO

    SEM OS DISPOSITIVOS DE SEGURANA, A PRENSA PODE REPICAR.

    A QUEBRA DOS PARAFUSOS ESFRICOS, FAZENDO O MARTELO DESCER.

    O ESTAMPO CAIR E ATINGIR OS MEMBROS DO OPERADOR.

    OUTROS.

  • SISTEMAS DE SEGURANA

  • PRENSA HIDRULICA SEM OS DISPOSITIVOS DE

    SEGURANA A PRENSA PODE FUNCIONAR ACIDENTALMENTE.

    O ESTAMPO CAIR E ATINGIR OS MEMBROS DO OPERADOR.

    O MARTELO PODE CAIR DEVIDO RUPTURA DE MANGUEIRAS OU TUBOS.

    OUTROS.

  • SISTEMAS DE SEGURANA

  • PRENSA DE FREIO/FRICO

  • PRENSA DE FREIO/FRICO

    O FUSO QUEBRAR E O VOLANTE HORIZONTAL CAIR.

    AS CINTAS DE COURO SEREM ARREMESSADAS.

    OS PARAFUSOS DO MARTELO SEREM ARREMESSADOS.

    O BRAO DE ACIONAMENTO ESCAPAR E ATINGIR O OPERADOR.

    OUTROS.

  • PRENSA PROTEGIDA

  • DOBRADEIRAS

  • DOBRADEIRAS

  • GUILHOTINAS

  • GUILHOTINAS

  • MARTELOS DE FORJAR

  • MARTELO DE QUEDA

  • DISPOSITIVOS DE SEGURANA

  • ENCLAUSURAMENTO DA ZONA DE PRENSAGEM

  • ENCLAUSURAMENTO DA ZONA DE PRENSAGEM

  • ENCLAUSURAMENTO DE PARTES DO CORPO DA MQUINA

  • MO MECNICA

  • MO MECNICA

  • FERRAMENTA OU MATRIZ FECHADA

  • SISTEMA DE GAVETA

  • SISTEMA DE ALIMENTAO POR GRAVIDADE

  • ALIMENTAO POR ESTEIRA, SENSORES E REMOO

    PNEUMTICA

  • ALIMENTAO POR ESTEIRA, SENSORES E REMOO

    PNEUMTICA

  • SISTEMA DE BANDEJA ROTATIVA

  • COMANDO BIMANUAL COM SIMULTANEIDADE E AUTO-TESTE

  • COMANDO BIMANUAL COM SIMULTANEIDADE E AUTO-TESTE

  • PEDAL DE ACIONAMENTO COM PROTEO

  • VLVULAS DE SEGURANA

  • VLVULAS DE SEGURANA PARA PRENSAS

    As vlvulas de segurana devem ser utilizadas para o comando do freio/embreagem em prensas mecnicas para reduzir ao mnimo a possibilidade de repetio de golpes ou acionamentos inesperados devido falha no comando pneumtico. As vlvulas de segurana tm dois conjuntos internos, acionados por solenides independentes. Quando um dos conjuntos apresenta falha, o outro assegura a parada da prensa. Aps a falha, o sistema de monitorao impede qualquer acionamento adicional.

  • EMBREAGEM FREIO

    FREIO E EMBREAGEM CONJUGADOS

    POSIO INICIAL

  • FREIO E EMBREAGEM CONJUGADOS

    EMBREAGEM FREIOATUADO

  • EMBREAGEM FREIO

    SADA

    ENTRADA

    ESCAPE

    POSIO INICIAL

    VLVULA 3/2 VIAS CONVENCIONAL

  • SADA

    ENTRADA

    ESCAPE

    ATUADO

    VLVULA 3/2 VIAS CONVENCIONAL

    EMBREAGEM FREIO

    Causas da provvel repetio de golpe da prensa:- travamento na posio aberta;

    - retorno lento retardandoa despressurizao;

    - fechamento parcialprovocando vazamentos

  • 1954

    1962

    1957

    1976

    1980

    1995

    2000

    EVOLUO DAS VLVULAS DE SEGURANA

    As vlvulas de segurana para prensas so utilizadas desde a dcada de 50. Ao longo do tempo os projetos foram aperfeioados para atender as rigorosas exigncias de segurana.

    Embora com diferentes normalizaes, as vlvulas desegurana so de uso obrigatrio nos Estados Unidos,Canad, Japo, Europa e em muitos outros pases.

  • ESCAPE

    ENTRADA

    SADA

    POSIO INICIAL

    VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO PARALELO

  • ATUADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    SADA

    VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO PARALELO

  • FALHA

    ESCAPE

    ENTRADA

    SADA

    VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO PARALELO

    Passagem pequena para

    reduzir o vazamento e a

    presso residual (contra-presso)

    Como necessrio reduzir a passagempara diminuir a presso residual, a vazona pressurizao pequena comparadacom a construo de fluxo cruzado.

  • VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO CRUZADO

    POSIO INICIAL

    ESCAPE

    SADA

    ENTRADA

    H cerca de 25 anos,as vlvulas com fluxo cruzado substituram as de fluxo paralelo, uma vez que oferecem menor presso residual e pressurizao com passagem plena.

  • VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO CRUZADO

    POSIO INICIAL

    ESCAPE

    SADA

    ENTRADA

    H cerca de 25 anos,as vlvulas com fluxo cruzado substituram as de fluxo paralelo, uma vez que oferecem menor presso residual e pressurizao com passagem plena.

  • VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO CRUZADO

    ATUADA

    SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    Pressurizao com passagem

    plena

  • VLVULA DE SEGURANA COM FLUXO CRUZADO

    FALHA

    SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    Pequeno vazamento, a presso residual menor que 2% da

    presso de entrada, assegurando a

    despressurizao do freio/embreagem

  • VLVULA DE SEGURANA COM

    MONITORAOTIPO E-P

  • VLVULA DE SEGURANA TIPO E-P

    SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    POSIO INICIAL

    Permanece equilibrado durante a operao normal da vlvula

  • VLVULA DE SEGURANA TIPO E-P

    SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    ATUADA

    Permanece equilibrado durante a operao normal da vlvula

  • VLVULA DE SEGURANA TIPO E-P

    Caractersticas:-Monitorao esttica-Bloqueio em caso de falha-Exige reset aps a falha

    SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    FALHA

    O contato do micro-switchabre impedindo um novo acionamento. O reset deve ser acionado para voltar a operar.

  • VLVULA DESEGURANAMONITORADAATRAVS DE

    PRESSOSTATOS

  • SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    POSIO INICIAL

    VLVULA DE SEGURANA MONITORADA ATRAVS DE PRESSOSTATOS

    A atuao simultneados pressostatos monitorada por um controlador eletrnico(PLC)

  • SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    ATUADA

    VLVULA DE SEGURANA MONITORADA ATRAVS DE PRESSOSTATOS

    A atuao simultneados pressostatos monitorada por um controlador eletrnico(PLC)

  • Caractersticas:- monitorao dinmica- exige a utilizao de um

    controlador eletrnico(PLC) para monitorar os pressostatos;

    - bloqueio e reset atravsdo PLC

    SADA

    ESCAPE

    ENTRADA

    FALHA

    VLVULA DE SEGURANA MONITORADA ATRAVS DE PRESSOSTATOS

    Falha, o pressostatocontinua atuado

  • CROSSMIRRORVLVULAS DE SEGURANA DE LTIMA GERAO PARA O ACIONAMENTO DE PRENSAS MECNICAS.Caractersticas:

    Fluxo cruzado, portanto com presso residual menor que 2%;

    Monitorao dinmica totalmente pneumtica;

    Bloqueio pneumtico em caso de falha (no utiliza pressostato, micro-switch ou outros meios estticos);

    No existe n