of 20/20
Universidade Presbiteriana Mackenzie 1 A CONTRIBUIÇÃO DO E-LEARNING PARA O DESENVOLVIMENTO DE ESTUDANTES UNIVERSITÁRIOS Priscila Cipolini Maria (IC) e Natacha Bertoia da Silva (Orientadora) Apoio: PIVIC Mackenzie Resumo O propósito deste estudo foi identificar a contribuição do e-learning para o desenvolvimento de estudantes universitários, visto que estes precisam, muitas vezes, de conhecimentos e habilidades técnicas requeridas pelo mercado de trabalho, complementares aos desenvolvidos na Universidade. Neste contexto, o e-learning apresenta-se como uma modalidade de curso alternativa, com custo menor e maior flexibilidade que os tradicionais. Particularmente, o intuito de pesquisar o uso do e- learning pelos estudantes do ensino superior se justifica pelo grande número de alunos matriculados em universidades e por ser um público jovem, inteirado às novas tecnologias. Em termos metodológicos, realizou-se uma pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa, com estudantes de uma universidade localizada na Grande São Paulo do curso de administração de empresas, por meio de um questionário com perguntas fechadas, na sua maioria. Os resultados indicam que os cursos são oferecidos pelas empresas onde os alunos trabalham ou fazem estágios. Constatou-se com a pesquisa que apesar do e-learning ser uma modalidade de curso utilizada por parte dos universitários, apresenta-se como uma forma alternativa de aquisição dos conhecimentos. É interessante ressaltar que os mesmos acreditam que ainda exista muito preconceito em relação ao e- learning quando comparado aos métodos tradicionais de treinamento e desenvolvimento. Palavras-chave: aprendizagem, e-learning, universitários Abstract The purpose of this study was to identify the contribution of e-learning development of students, they often need knowledge and technical skills required by the labor market, complementary to those developed at the University. In this context, the e-learning is an alternative mode of course at a lower cost and more flexibility than traditional ones. Particularly, this research is justified by the large number of students studying at universities and for being young acquainted to new technologies. In methodological terms, it was a descriptive research with quantitative approach, with students of business administration from a university in São Paulo. The questionnaire with closed questions was the tool of data collection. The results indicate that the courses are offered by companies where students work. It was found through research that e-learning is a mode of course used by the student as an alternative way of acquiring knowledge. It is interesting to highlight they believe that there is much prejudice towards to e-learning compared to traditional methods of training and development. Key-words: individual learning, e-learning, graduate student

Priscila cipolini

  • View
    665

  • Download
    13

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Em parceria com a Professora Helena Abascal, publicamos os relatórios das pesquisas realizados por alunos da fau-Mackenzie, bolsistas PIBIC e PIVIC. O Projeto ARQUITETURA TAMBÉM É CIÊNCIA difunde trabalhos e os modos de produção científica no Mackenzie, visando fortalecer a cultura da pesquisa acadêmica. Assim é justo parabenizar os professores e colegas envolvidos e permitir que mais alunos vejam o que já se produziu e as muitas portas que ainda estão adiante no mundo da ciência, para os alunos da Arquitetura - mostrando que ARQUITETURA TAMBÉM É CIÊNCIA.

Text of Priscila cipolini

  • 1. Universidade Presbiteriana MackenzieA CONTRIBUIO DO E-LEARNING PARA O DESENVOLVIMENTO DEESTUDANTES UNIVERSITRIOSPriscila Cipolini Maria (IC) e Natacha Bertoia da Silva (Orientadora)Apoio: PIVIC MackenzieResumoO propsito deste estudo foi identificar a contribuio do e-learning para o desenvolvimento deestudantes universitrios, visto que estes precisam, muitas vezes, de conhecimentos e habilidadestcnicas requeridas pelo mercado de trabalho, complementares aos desenvolvidos na Universidade.Neste contexto, o e-learning apresenta-se como uma modalidade de curso alternativa, com customenor e maior flexibilidade que os tradicionais. Particularmente, o intuito de pesquisar o uso do e-learning pelos estudantes do ensino superior se justifica pelo grande nmero de alunos matriculadosem universidades e por ser um pblico jovem, inteirado s novas tecnologias. Em termosmetodolgicos, realizou-se uma pesquisa descritiva, com abordagem quantitativa, com estudantes deuma universidade localizada na Grande So Paulo do curso de administrao de empresas, por meiode um questionrio com perguntas fechadas, na sua maioria. Os resultados indicam que os cursosso oferecidos pelas empresas onde os alunos trabalham ou fazem estgios. Constatou-se com apesquisa que apesar do e-learning ser uma modalidade de curso utilizada por parte dosuniversitrios, apresenta-se como uma forma alternativa de aquisio dos conhecimentos. interessante ressaltar que os mesmos acreditam que ainda exista muito preconceito em relao ao e-learning quando comparado aos mtodos tradicionais de treinamento e desenvolvimento.Palavras-chave: aprendizagem, e-learning, universitriosAbstractThe purpose of this study was to identify the contribution of e-learning development of students,they often need knowledge and technical skills required by the labor market, complementary to thosedeveloped at the University. In this context, the e-learning is an alternative mode of course at a lowercost and more flexibility than traditional ones. Particularly, this research is justified by the large numberof students studying at universities and for being young acquainted to new technologies. Inmethodological terms, it was a descriptive research with quantitative approach, with students ofbusiness administration from a university in So Paulo. The questionnaire with closed questions wasthe tool of data collection. The results indicate that the courses are offered by companieswhere students work. It was found through research that e-learning is a mode of course used by thestudent as an alternative way of acquiring knowledge. It is interesting to highlight they believe thatthere is much prejudice towards to e-learning compared to traditional methods of training anddevelopment.Key-words: individual learning, e-learning, graduate student 1

2. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 20111. IntroduoDiante da dinmica no mundo dos negcios, as organizaes utilizam estratgias diversasbuscando aumentar suas competitividades. Segundo Teixeira e Zaccarelli (2007), com achegada da era ps-industrial (metade do sculo XX), novos competidores e mtodos deproduo chegam ao mercado e causam uma ruptura no antigo modelo taylorista aopriorizar a flexibilidade. De acordo com Castells (1999 apud Teixeira e Zaccarelli, 2007), nosanos 1990, a era da informtica acelerou o processo de envio de informaes, diminuindoas distncias entre as pessoas e organizaes.Desta maneira, as empresas so desafiadas a enfrentar uma concorrncia cada vez maisacirrada e atender clientes com nveis de exigncias crescentes. O sucesso e mesmo asobrevivncia dependem de solues inovadoras para algumas questes vitais, tais como:qualidade dos produtos e servios, agilidade e flexibilidade no atendimento aos clientes ecustos competitivos.Segundo Fischer (1998), o novo ambiente competitivo tem exigido das empresas uma novapostura estratgica que afeta no s os processos produtivos, mas tambm altera oprocesso de gesto de pessoas, sendo que comea a ser explorado o planejamentoestratgico, o trabalho em equipe, a qualidade total, a terceirizao, dentre outrosprogramas.Segundo Souza (2002), com as constantes transformaes pelas quais o mundo passa, asorganizaes mudaram vrios de seus procedimentos para se adaptar a essa novarealidade. Dentre essas mudanas, o autor cita o fato de que os empregados no esperammais passivamente pelo treinamento oferecido pela empresa, mas sim buscam eles prpriosformas de auto-aprendizado constante, estimulados pelas empresas.Dutra (2006) afirma, por um lado, que as organizaes dependem cada vez mais doenvolvimento e comprometimento das pessoas com seus objetivos estratgicos e negcios,o que implica em um investimento maior no desenvolvimento dos funcionrios por meio detcnicas de aprendizagem. Por outro lado, o autor observa que os indivduos esto cada vezmais conscientes de seus prprios objetivos e projetos profissionais, sendo desta forma,estimulados a se capacitarem por conta prpria para atingir tais propsitos. No entanto, aspessoas no dispem de tempo ou mesmo recursos para buscar este conhecimento, aopasso que precisam estar inteirados aos novos processos e demandas organizacionais.Teixeira (2002) tambm alerta que o setor de recursos humanos deve permitir aosfuncionrios assumir a responsabilidade do autodesenvolvimento, para que possamacompanhar as mudanas provocadas pela globalizao e se atualizar constantemente.2 3. Universidade Presbiteriana MackenzieEssa necessidade de capacitao profissional por parte dos indivduos inicia-se na procurapor uma vaga no mercado de trabalho, principalmente para os jovens em incio de carreira,visto que em processos seletivos, as empresas tm aumentado o nmero de requisitos eexigncias para seus cargos a fim de selecionar os melhores candidatos.Desta maneira, como o objetivo da universidade a educao num horizonte de mdio elongo prazo, visando diferenciar seus currculos, os indivduos buscam complementar estaformao acadmica com cursos de curto prazo como programas de capacitao eminformtica e de idiomas, por exemplo.Em muitos casos, instituies de ensino e empresas no oferecem cursos e treinamentossuficientes para atender plenamente s necessidades de seus alunos e funcionrios, numdescompasso, muitas vezes, do dinamismo do ambiente de trabalho. Segundo Kenski(2009), o surgimento de novos cargos, por conta das novas tecnologias, e deconhecimentos necessrios para exerc-los contribui para essa carncia educacional. Almdisso, o uso da internet e de programas especficos para determinadas atividades cadavez mais exigido pelas organizaes, o que demanda uma forma de aprendizado adaptadaa esta realidade.De acordo com Pinto (2003), o e-learning comea a ser implantado em meados dos anos90. Assim, sendo o e-learning uma estratgia nova de desenvolvimento e aprendizado dosindivduos, torna-se relevante aprofundar os estudos sobre a sua aplicabilidade e aceitao.Kenski (2009) afirma que essa necessidade de domnio da informtica no contextoorganizacional atual um dos fatores que estimulam e facilitam a utilizao do e-learningcomo ferramenta de aprendizado e desenvolvimento individual. O e-learning umamodalidade de curso distncia ideal para indivduos que no dispem de tempo ou muitosrecursos financeiros, e muitas vezes so oferecidos pelas prprias organizaes ouinstituies de ensino. Alm disso, favorece o contato das pessoas com a informtica, o que muito valorizado no mercado de trabalho atualmente por conta das transformaestecnolgicas.Particularmente, o intuito de pesquisar o uso do e-learning pelos estudantes do ensinosuperior se justifica pelo grande nmero de alunos matriculados em universidades e por serum pblico jovem, inteirado s novas tecnologias. Segundo dados do Censo da EducaoSuperior do Ministrio da Educao, em 2008 havia mais de um milho e trezentas milmatrculas em instituies de ensino superior no estado de So Paulo (INEP, 2009). Estenmero expressivo de universitrios sugere uma ampla concorrncia na procura por umavaga no mercado de trabalho ou mesmo dentro da organizao em que atuam, 3 4. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 2011evidenciando a necessidade de se diferenciar, buscando conhecimentos alm da formaoacadmica.Desta maneira, este trabalho busca responder o problema de pesquisa: o e-learningcontribui para o desenvolvimento de estudantes universitrios?Visando o cumprimento do o objetivo geral do estudo que identificar a contribuio do e-learning para o desenvolvimento de estudantes universitrios, definiu-se alguns objetivosespecficos: Analisar a percepo dos estudantes universitrios em relao aos programas de treinamento no formato e-learning; Verificar se o conhecimento transmitido pelo e-learning facilmente aplicvel e como est associado ao cotidiano dos estudantes; Analisar como o aprendizado pelo e-learning influencia no desenvolvimento profissional do universitrio.Desta maneira, este artigo est estruturado em cinco sees, incluindo esta introduo. Noreferencial terico, os principais conceitos relacionados ao tema so apresentados e, naseo seguinte, o mtodo de pesquisa utilizado detalhado. Na quarta seo, o perfil dosrespondentes explicitado, bem como os dados referentes a percepo da amostra sodemonstrados. A ltima seo, consideraes finais, aborda os principais resultados elimitaes do estudo.2. Referencial tericoEsse captulo tem como objetivo definir importantes conceitos relacionados ao tema dotrabalho, como aprendizagem, treinamento e e-learning.2.1. AprendizagemA partir da dcada de 90, o e-learning tornou-se uma das formas que as empresasencontraram para investir na aprendizagem individual de seus empregados para quecontribuam com seu capital intelectual.Aprendizagem, segundo Teixeira e Zaccarelli (2007, p.225), a compreenso por meio daexperincia, incluindo a aquisio de novos entendimentos [...] e transformando asexperincias em algo significativo. Os mesmos autores definem a aprendizagem em umnvel mais individual como um processo de aquisio de habilidades, conceitos econhecimentos que so armazenados em modelos mentais [...] podendo gerar ou nomudana de comportamento.4 5. Universidade Presbiteriana MackenzieTeixeira e Zaccarelli (2007) apresentam em seus estudos a teoria da aprendizagemexperiencial, de Kurt Lewin, onde so definidas quatro habilidades necessrias para oaprendizado individual: (1) a experincia concreta, ou vivncia de aes e atividades, pormeio das quais o indivduo recebe novas informaes; (2) a observao reflexiva, quando feita uma anlise sobre as causas e conseqncias trazidas por certas experincias e umatentativa de relacion-las a experincias passadas; (3) a conceitualizao abstrata, ouconcluso tirada sobre essas aes; (4) e a experimentao ativa, quando a pessoa colocaem prtica uma nova atitude, baseada em um novo comportamento com um novoaprendizado.Os autores destacam que cada indivduo pode aprender utilizando mais de algumas dessashabilidades do que de outras. Afirmam tambm que as empresas tem se empenhado emdescobrir como ocorre a incorporao da aprendizagem individual sua estrutura e, paraisso, investem em um ambiente de aprendizagem organizacional coerente com seus valores(TEIXEIRA; ZACCARELLI, 2007).Antonacopoulou (2001), em seu estudo sobre a aprendizagem de gerentes, lista uma sriede fatores que interferem nesse processo, em sua maioria de ordem social e psicolgica. Aautora destaca a necessidade de haver um clima e contexto favorveis ao desenvolvimentodessas novas habilidades. Segundo Stewart e Stewart (1981 apud Antonacopoulou, 2001),h ainda quatro fatores facilitadores da aprendizagem: o fato de o gerente estabelecer umaligao entre o que ele aprendeu e suas conseqncias; um feedback sobre seudesempenho; a prtica; e o auxlio em reas onde a capacidade analtica ruim.Da mesma forma, Antonacopoulou (2001) afirma que tambm existem fatores inibidores doprocesso de aprendizagem, em muitos casos impostos pelo prprio indivduo, mas quepodem ocorrer tambm por conta de um fluxo de comunicao deficiente, ou ainda por umaestrutura ou culturas organizacionais conflitantes com os elementos da aprendizagem.Finger e Brand (2001) apresentam em seu estudo o conceito de atividades deaprendizagem, ou atividades que contribuem para aumentar a capacidade de aprender daorganizao. Dentre esses elementos, destacam-se: as atividades de educao etreinamento, focadas na prtica imediata de seus conceitos; o uso ativo de fontes deaprendizagem dentro da organizao, como rotao de cargos, reunies e outros; o usoativo de fontes de aprendizagem fora da organizao, no caso de pesquisas de mercado,anlise de reclamaes, dentre outros; e a criao de um ambiente conducente aprendizagem, incluindo recompensas coletivas, gesto por objetivos e outros. Nota-se que,dentre os mtodos citados, aparece o ensino por meio de treinamento, que ser discutidoadiante.5 6. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 20112.2.TreinamentoUma das principais aplicaes do e-learning ocorre por meio de treinamentos, normalmenteoferecidos pelas organizaes. Marcondes (2007, p.260) afirma que o treinamento busca aaquisio e o aperfeioamento de conhecimentos e habilidades para o desempenho a curtoprazo.Segundo Marcondes (2007), as atividades de treinamento tm origem no incio do processode industrializao (fim do sculo XIX), com a chegada da produo em massa, e noTaylorismo, que exigiam pessoas qualificadas para trabalhar nos processos produtivos.De acordo com Chiavenato (1999), o treinamento um conjunto de recursos oferecidospelas empresas para desenvolver seu quadro pessoal, considerando que seus empregadostm infinita capacidade de aprender novos conhecimentos. O autor ainda define o conceitode treinamento como um processo educacional de curto prazo aplicado a maneirasistemtica e organizada, atravs do qual as pessoas aprendem conhecimentos, atitudes ehabilidades em funo de objetivos definidos.Vieira e Garcia (2002 apud Mascarenhas, 2009) mostram em seu estudo uma abordagemtradicional do conceito de treinamento, em que o trabalhador qualificado o que aprendesomente o necessrio para o exerccio de sua funo e seu treinamento focado em aesespecficas.Para Hinrichs (1976 apud Vargas e Abbad, 2006), o treinamento conceitua-se como oprocesso de ampliar ou desenvolver habilidades, para melhorar o nvel de proficincia deuma tarefa, sendo que essas habilidades devem contribuir para o alcance dos objetivos daorganizao, com uma mudana de comportamentos pela experincia. O treinamento deveser um processo sistemtico, conduzido intencionalmente pela organizao.Tendo ainda em vista os objetivos organizacionais, Picarelli (2002) afirma que em empresasbaseadas na gesto por competncias, as atividades da rea de treinamento edesenvolvimento so desenvolvidascom base nas competnciasnecessrias organizao, pois objetivam a proficincia nessas competncias e a progresso na carreira.De acordo com Ruas (2004), entretanto, a teoria adquirida em programas de formao etreinamento, embora imprescindvel, enfrenta dificuldades em ser aplicada no dia a dia dasorganizaes e no suficiente para o desenvolvimento de competncias individuais,mesmo com as inovaes apresentadas nos ltimos anos por esses programas. Segundo oautor, essas dificuldades ocorrem pelo fato de as empresas direcionarem muito seusprogramas para o conhecimento e no desenvolverem as habilidades e atitudes, a formaprtica do que aprendido.6 7. Universidade Presbiteriana MackenzieNo entanto, segundo Mascarenhas (2009), atualmente as empresas tm assumido umapostura mais dinmica em relao rea de treinamentos, buscando o crescimento pessoale profissional de seus empregados e o aumento de suas contribuies organizao.Porm, o autor critica o fato de as iniciativas de treinamento serem pontuais e localizadas,contingentes apenas para o processo produtivo, mas no garantirem a sobrevivncia daorganizao a longo prazo.Kanaane e Ortigoso (2001) ressaltam a necessidade de o treinamento ser dinmico, eafirmam que a tecnologia tem sido muito utilizada para esse fim, o que abre espao para ouso do e-learning como ferramenta de aperfeioamento profissional. Esse aspecto serdiscutido mais adiante.Rosenberg (2001 apud Vargas e Abbad, 2006) divide o processo de treinamento em quatroetapas. A primeira trata da mensurao da inteno de melhorar o desempenho de umelemento especfico, determinado aps uma avaliao das necessidades e objetivos daempresa.A etapa seguinte consiste na apurao da estratgia instrucional melhor adaptada aprendizagem requerida e s caractersticas do cliente; um desenho de como deve serrealizado o treinamento de forma a alcanar os resultados esperados.Na terceira etapa so definidos os meios utilizados para a execuo do treinamento (sala,de aula ou meios tecnolgicos, por exemplo). Pode ainda haver uma combinao de vriosmeios diferentes, se houver necessidade.Por fim, a ltima etapa trata de como ser feita a avaliao, o que pode envolver desdesimples procedimentos at exigncias de certificaes.2.3. E-learningOliveira Jr., Fleury e Child (2004) apontam a tecnologia da informao como uma facilitadorado compartilhamento de conhecimento, devido sobretudo velocidade e ao alcance que umfluxo de informao eletrnico pode atingir, e tambm pela facilidade em se gerenciar umestoque de conhecimento virtual.Por conta desse cenrio, o e-learning surge como uma alternativa vlida como ferramentade treinamento. Segundo Rosenberg (2001 apud Vargas e Abbad, 2006), o e-learningconsiste no uso das tecnologias da internet para a entrega de um amplo arranjo desolues que estimule o conhecimento e o desempenho. O autor afirma que esse mtodode ensino se baseia em trs critrios: trabalha em rede, permitindo atualizaesinstantneas de dados; chega ao usurio por um computador com uma tecnologia padro 7 8. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 2011de internet; e tem uma viso mais abrangente de solues de aprendizagem do que ostreinamentos tradicionais.De acordo com Verespej (2001 apud Vargas e Abbad, 2006), o e-learning melhoraproveitado no treinamento de novos empregados, na introduo de novos produtos e emcasos onde h um grande nmero de pessoas ou pessoas dispersas geograficamente.Rosenberg (2001 apud Vargas e Abbad, 2006) reitera que o e-learning tem uma propostamais abrangente do que treinar empregados usando cursos na web. Segundo o autor, umaestratgia de e-learning bem-sucedida deve englobar alguns aspectos: novas abordagens,como treinamento on-line e gesto do conhecimento; coordenao entre e-learning etreinamentopresencial; boa infra-estrutura; organizaobaseada na culturadeaprendizagem; desenvolvimento de um estudo piloto que mostre a importncia do e-learningpara a empresa; e apoio ao seu crescimento na funo de treinamento.Essa abordagem amplificada do e-learning, para Rosenberg (2001 apud Vargas e Abbad,2006), permite ao sistema apresentar solues tanto para treinamento como para gesto doconhecimento da organizao.De acordo com Teixeira (2002), as empresas globalizadas tm enfrentado dificuldades emseus treinamentos, como tradues de materiais e logstica de funcionrios, e aponta o e-learning como uma boa soluo para essas questes, afirmando que se trata da melhortecnologia de treinamento da atualidade. O autor aponta vantagens do uso do e-learning:treinamentos padronizados; implementao fcil e imediata; acesso livre para todos osempregados; resultados imediatos por meio de testes; possibilidade de treinamentos emqualquer lugar e horrio; facilidade de traduo dos cursos; alcance a um grande nmero deempregados ao mesmo tempo e, reduo de custos com instrutores, locao de salas ematerial didtico.Henderson (2002) afirma que h trs tipos de aprendizagem por e-learning: aprendizadosncrono, aprendizado autodirecionado e aprendizado assncrono. No primeiro, as aulasacontecem em tempo real, o que possibilita maior interao entre instrutor e aluno, maspode causar problemas por conta de fusos horrios, que eventualmente pode ser diferentes.No segundo caso, o aprendizado autodirecionado, Henderson (2002) explica que o alunoaprende sozinho, tendo o material com um passo a passo sobre as aulas. O autor destacaque, embora permita ao aluno estudar conforme seu ritmo, a ausncia de um instrutor podedificultar o aprendizado, pois no h quem possa sanar dvidas que possam surgir.J no aprendizado assncrono ocorre uma mistura dos dois tipos anteriores, conformeHenderson (2002). H uma interao com um instrutor para tirar dvidas, mas os alunos8 9. Universidade Presbiteriana Mackenzieestudam sozinhos. Porm, esse mtodo pode gerar atrasos no andamento do curso, pelademora em responder s dvidas.3. MtodoPara este trabalho foi utilizada a abordagem quantitativa, que conforme Richardson (1999)pretende garantir a preciso dos resultados e evitar as distores de interpretao,mostrando anlises mais seguras. Trata-se de uma pesquisa descritiva que conforme Gil(1999, p. 44) tem como finalidade descrever as caractersticas de determinada populaoou fenmeno ou o estabelecimento de relaes entre variveis.Dentro de uma populao formada por estudantes do ensino superior, a amostra estudada composta por alunos de uma universidade localizada em Barueri (SP), dos cursosoferecidos pelo campus, de modo a evidenciar opinies de estudantes de diversas reas doconhecimento.A obteno dos dados foi realizada por meio de questionrio, conceituado por Marconi &Lakatos (2001, pg. 100) como um instrumento de coleta de dados constitudo por uma sriede perguntas, que devem ser respondidas por escrito e sem a presena do entrevistador. Aaplicao do questionrio (Apndice A) teve como objetivos levantar informaes a respeitodo perfil dos estudantes universitrios e verificar suas opinies sobre o sistema de ensino e-learning e como avaliam sua importncia para o desenvolvimento profissional.O instrumento teve predominantemente perguntas fechadas de mltipla escolha que permiteuma maior uniformidade nas dimenses de interesse do estudo (GIL, 1999; Marconi &Lakatos, 2001), facilitando o trabalho do pesquisador e a tabulao subseqente dos dados.No entanto, buscando compreender a percepo dos universitrios em relao ao e-learning, houve no questionrio perguntas abertas, possibilitando respostas sem restries.Antes da aplicao do questionrio aos alunos foi realizado um pr-teste com o objetivo deverificar se as perguntas estavam claras e objetivas.A partir das respostas do questionrio, foi elaborado um banco de dados com todas asinformaes. O mtodo de anlise dos dados caracteriza-se como estatstico que conformeMarconi e Lakatos (2001) permite obter, de conjuntos complexos, representaes simples ea verificao de relaes entre as variveis. Inicialmente as estatsticas descritivas foramutilizadas, destacando-se os resultados por meio de representaes percentuais e grficose; posteriormente outras tcnicas multivariadas tambm foram utilizadas, as quais foramdefinidas aps a elaborao do instrumento de coleta de dados.9 10. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 20114. Apresentao e anlise dos resultadosEssa parte ser dividida em dois tpicos: o primeiro apresentar dados gerais sobre aamostra analisada, e o segundo mostrar a percepo dos estudantes em relao aosistema e-learning de ensino, a fim de atender ao objetivo geral do estudo.4.1. Caracterizao da AmostraA pesquisa foi realizada com 175 estudantes de uma universidade localizada no municpiode Barueri/SP, integrantes dos cursos de Administrao e Comrcio Exterior. Optou-se porcoletar os dados apenas de estudantes dos dois ltimos anos da faculdade, visto acreditar-se que, nesta etapa, j estejam estagiando ou trabalhando, ou seja, com atuaoprofissional.Em relao amostra, o perfil desta composto de maneira uniforme por homens emulheres (54% e 46%, respectivamente), sendo que a maioria dos estudantes cursaAdministrao (63%) e est no 7 semestre (36%).A maioria dos entrevistados (92%) trabalha atualmente, sendo que metade (51%) est oupermaneceu na ltima empresa por um perodo de 1 a 3 anos. Grande parte dos estudantes(69%) exerce uma funo de nvel administrativo na empresa.4.2. Percepo dos universitrios sobre o e-learningVisto que o objetivo do estudo foi identificar a contribuio do e-learning para odesenvolvimento de estudantes universitrios, do total de 175 respondentes, somente 78(45%) afirmaram j ter realizado um curso por e-learning. Logo, os resultados apresentadosa seguir se referem a esses estudantes e suas opinies sobre o e-learning.A maioria dos entrevistados (62%) realizou os cursos na empresa onde trabalha, comincentivos da prpria empresa (46%). Isto demonstra que as empresas esto buscandonovas formas de treinamento e desenvolvimento dos seus colaboradores, principalmentecom uso de tecnologias, conforme apontado por Kanaane e Ortigoso (2001).Em relao quantidade de cursos realizados, o Grfico 1 apresenta que 24% dosrespondentes j realizaram at trs cursos, enquanto apenas 8% fez mais de 12 cursos pore-learning.10 11. Universidade Presbiteriana Mackenzie5% 8%8% Nenhum 1 a 3 cursos55%24%4 a 7 cursos 8 a 12 cursosMais de 12 cursosGrfico 1 Nmero de cursos e-learning realizadosQuando questionados sobre a principal razo para escolha do e-learning, 41% dosestudantes afirmaram querer obter mais conhecimento, 26% consideraram a flexibilidade dehorrios e 17% visavam obter destaque profissional, como apresentado no Grfico 2. Cabedestacar que a questo do baixo custo no se apresentou relevante para os respondentes,visto que somente 8% optaram pelo curso ee-learning por este motivo. Outro motivo6%Recomendao de professores 0%Flexibilidade de horrios26%Baixo custo8% Obter destaque profissional 18%Obter mais conhecimento42%0% 10%20% 30%40%50%Grfico 2 Motivo para escolha do curso e-learningDos entrevistados, 37% consideram a flexibilidade e praticidade como pontos primordiais naescolha de um curso por ee-learning, enquanto 33% apontam a relevncia do tema do cursoe 24% escolhem pela relevncia do curso e/ou da instituio de ensino, como mostra o% curso11 12. VII Jornada de Inic Iniciao Cientfica - 2011Grfico 3. Quanto ao contedo, a maioria (65%) seleciona os cursos que faz pela relevnciauantodo tema para atuao profissional. Grfico 3 Motivos primordiais para escolha do curso e-learning learningFoi solicitada uma avaliao por parte dos estudantes quanto qualidade do cursos por e- doslearning de forma geral: 58% avaliaram os cursos como bons; 24% consideraramregulares; e 15% avaliaram como timos. Apenas 1% dos entrevistados atribuiu aoscursos os conceitos de ruim ou pssimo. Grfico 4 Percepo sobre mudanas aps realizar o cursoConforme apresenta o Grfico 4, 58% dos alunos, aps terem realizado o curso por e-learning, afirmaram ter adquirido mais conhecimento, informaes e preparo para o mercadode trabalho, enquanto 27% no notaram nenhuma mudana em sua carreira profissional.mudanaBoa parte dos estudantes (40%) acredita que h preconceito por parte do mercado detrabalho quanto qualidade do curso por e-learning. J 19% discordam e afirmam que o% 12 13. Universidade Presbiteriana Mackenziemercado reconhece e aceita como qualquer outro curso; outros 19 acreditam haver utros 19%resistncia na aceitao desse mtodo de ensino. O Grfico 5 ilustra essa situao.Grfico 5 Aceitao e reconhecimento dos cursos e-learningQuando questionados sobre os benefcios que um curso e-learning oferecido pela emp empresapoderiam trazer, quase metade da amostra (53zer, (53%) apontou a atualizao e aprendizado deconhecimentos especficos necessrios para os cargos que exercem. 22 consideraram anecessrios 22%comodidade para estudar no prprio trabalho, sem necessidade de locomoo. Tais dadosesto ilustrados no Grfico 6.Comodidade22% Aplicabilidade no trabalho10%Conhecimentos especficos53%Possibilidade de promoo 4%Reconhecimento interno 9% Relacionamentos com os colegas3%0% 10%20%30%40% 50%60%Grfico 6 Benefcios trazidos pelo e-learning oferecido pela empresaSobre a atualizao dos temas dos cursos e-learning em relao s necessidades domundo corporativo, 46% dos estudantes avaliaram que tais cursos esto apenasmoderadamente atualizados, enquanto 24% entendem que estejam adequados (muitoatualizados). Outros 19% apontam a necessidade de melhorias, ou seja, afirmam que oscursos esto pouco atualizados com o mercado de trabalho. 13 14. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 2011Por fim, a grande maioria dos estudantes (94%) afirma que fariam novamente um curso pore-learning.Dentre as perguntas abertas, foi solicitado aos estudantes que relacionassem o aprendizadoobtido pelo curso por e-learning ao cotidiano profissional. Alm de mencionar sobre apossibilidade de aplicao prtica do conhecimento adquirido, boa parte dos entrevistadosdisse que tais cursos se mostram eficientes ao auxiliar na melhor execuo de tarefasrotineiras. Da mesma forma, os estudantes relataram ter agregado mais conhecimentosobre assuntos especficos e, consequentemente, adquirido melhor preparo para enfrentarsituaes e tomar decises em suas empresas.Tambm foi solicitado aos respondentes que apontassem os pontos positivos e negativos deum curso e-learning. Dentre os principais aspectos positivos relatados esto a flexibilidadede tempo e local para realizao do curso, a praticidade, a facilidade de acesso e o baixocusto. J entre os pontos negativos, destacam-se o pouco reconhecimento por parte dasempresas em relao ao mtodo e a falta de interatividade com professores e outros alunos,o que pode prejudicar o estudante caso este tenha alguma dvida sobre o contedo.Em relao aos estudantes que nunca realizaram um curso e-learning, foi questionadosobre as principais razes pelas quais nunca fizeram um curso por este mtodo. Vriosmotivos foram apontados, sendo os principais a falta de oportunidade de fazer o curso, faltade interesse por parte do aluno, desconhecimento acerca do mtodo de ensino e apreferncia por aulas presenciais, por acreditarem ser mais eficientes.5. Consideraes finaisEste estudo teve como objetivo identificar a contribuio de cursos por e-learning para odesenvolvimento de estudantes universitrios, evidenciando o contato destes com essemtodo de ensino e o impacto que o conhecimento adquirido proporciona em suas carreiras.Com o objetivo de atender aos objetivos especficos determinados nesse artigo, a pesquisarealizada visou entender a opinio dos estudantes em relao a treinamentos e cursosministrados pelo sistema e-learning, verificar se seu contedo pode ser aplicado facilmenteno cotidiano profissional dos estudantes e de que forma esse conhecimento interferiu oupode interferir na carreira e no desenvolvimento desses alunos.Relacionando os resultados obtidos com a teoria apresentada nesse estudo, pode-se fazeralgumas observaes interessantes. Souza (2002) afirma que atualmente os estudantesesto procurando formas de capacitao profissional por conta prpria, sem necessidade deestmulos da empresa. A pesquisa realizada no refuta esta proposio, porm foiobservado que muitos estudantes no tinham conhecimento do sistema de ensino por e- 14 15. Universidade Presbiteriana Mackenzielearning por no terem se interessado pela ferramenta ou por falta de oportunidade departicipar desse tipo de treinamento.Ruas (2004) relata que a teoria aplicada em treinamentos enfrenta dificuldades em seraplicada no cotidiano dos empregados; no entanto, os estudantes entrevistados que jrealizaram um curso e-learning afirmaram que a teoria aprendida facilmente aplicvel nodia-a-dia e ajuda a resolver problemas corriqueiros.Por outro lado, de acordo com Mascarenhas (2009) os programas de treinamento dasempresas pecam por serem muito pontuais e eficientes apenas em situaes decontingncia, deixando de considerar a sustentabilidade da empresa longo prazo. Issopde ser observado nas respostas dos alunos, que sempre mencionaram o fato dos cursosserem eficientes em situaes rotineiras, mas no comentaram a respeito da influncia doscontedos longo prazo.Teixeira (2002) destacou em seu estudo a possibilidade de acessar um treinamento por e-learning em qualquer horrio e local como uma das vantagens desse mtodo de ensino, eesse foi justamente o ponto positivo mais apontado pelos estudantes em relao a essesistema.Durante a elaborao da pesquisa, algumas limitaes existiram, como a pouca literaturanacional disponvel referente ao sistema e-learning e a dificuldade de coleta de dados juntoaos universitrios. Outro ponto a ser destacado o baixo nmero de respondentes,principalmente daqueles que j utilizaram o sistema e-learning como ferramenta detreinamento e desenvolvimento, no sendo possvel aprofundar as anlises com tcnicasestatsticas mais robustas.Visto que este estudo buscou identificar a percepo dos universitrios em sobre o curso e-learning; como sugesto para estudos futuros, poderia ser analisado como as empresas tminvestido nesse tipo de curso, ou mesmo traar um paralelo entre este tipo de curso e ostradicionais.Logo, constatou-se com a pesquisa que apesar do e-learning ser uma modalidade de cursoutilizada por parte dos universitrios, apresenta-se como uma forma alternativa de aquisiodos conhecimentos. interessante ressaltar que os mesmos acreditam que ainda existamuito preconceito em relao ao e-learning quando comparado aos mtodos tradicionais detreinamento e desenvolvimento.15 16. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 2011Referncias bibliogrficasAGUIAR, Bruno Souza et al. A influncia do e-learning na carreira e empregabilidade doindivduo. 2009. 74 f. Trabalho de Graduao Interdisciplinar (Bacharelado emAdministrao de Empresas) Universidade Presbiteriana Mackenzie. So Paulo, 2009.ANTONACOPOULOU, Elena. Desenvolvendo gerentes aprendizes dentro de organizaesde aprendizagem: o caso de trs ds bancos varejistas. In: Smith, Mark Easterby et al.Aprendizagem organizacional e organizao de aprendizagem: Desenvolvimento naTeoria e na Prtica. So Paulo: Atlas, 2001.CHIAVENATO, Idalberto. Treinamento e Desenvolvimento de Recursos Humanos Como incrementar Talentos na Empresa. 4 ed. So Paulo: Atlas, 1999.DUTRA, J.S. Gesto de pessoas: modelos, processos, tendncias e perspectivas. SoPaulo: Atlas, 2009.FINGER, M.; BRAND, S. B. Conceito de organizao de aprendizagem aplicado transformao do setor pblico: contribuies conceituais ao desenvolvimento da teoria. In:EASTERBY-SMITH, M.; BURGOYNE, J.; ARAUJO, L. Aprendizagem Organizacional eOrganizao de Aprendizagem: Desenvolvimento na Teoria e na Prtica. So Paulo:Atlas, 2001.FISCHER, A. L. A constituio do modelo competitivo de gesto de pessoas. SoPaulo: PPGA/FEA-USP, 1998.GIL, A. C. Mtodos e tcnicas de pesquisa social. So Paulo: Atlas, 1999.HENDERSON, Allan J. The e-learning question and answer book : a survival guide fortrainers and business managers. New York: AMACOM, 2002.INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANSIO TEIXEIRA.Censo daEducaoSuperior, 2008. Braslia, 2009. Disponvel em:.Acesso em: 30 abr. 2010.KANAANE, Roberto. ORTIGOSO, Sandra. Manual de Treinamento e desenvolvimento dopotencial Humano. So Paulo: Atlas, 2001.KENSKY, Jlia Moreira. O uso do e-learning no desenvolvimento de competnciasgerenciais: anlise crtica de uma experincia empresarial. 2009. 144 f. Dissertao(Mestrado em Administrao de Empresas) Universidade Presbiteriana Mackenzie, SoPaulo, 2009.MARCONDES, R. C. Desenvolvendo pessoas: do treinamento e desenvolvimento universidade corporativa. In: HANASHIRO, Darcy Mititko Mori; TEIXEIRA, Maria LuisaMendes ; ZACCARELLI, Laura Menegon . (Org.). Gesto do fator humano: uma visobaseada em stakeholders. So Paulo: Saraiva, 2007, v. 1.MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia do Trabalho Cientfico. So Paulo: Atlas,2001.MASCARENHAS, Andr Ofenhejm. Gesto estratgica de pessoas. So Paulo: CenguageLearning, 2009.OLIVEIRA JUNIOR, M. M. ; FLEURY, M. T. ; CHILD, J. . Compartilhando Conhecimentosem Negcios Internacionais. In: Fleury, M. T.; Oliveira Jr, M. M.. (Org.). Gesto Estratgicado Conhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competncias. SoPaulo: Ed. Atlas, 2004.PICARELLI, Vicente Filho. Gesto por competncias. In: BOOG, Gustavo G. et al. Manualde gesto de pessoas e equipes: estratgias e tendncias. So Paulo: Editora Gente,2002, v.1.16 17. Universidade Presbiteriana MackenziePINTO, Andr. Este adolescente chamado e-learning. In: TERRA, Jos Cludio Cyrineu.Gesto do conhecimento e e-learning na prtica. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.RICHARDSON, Roberto Jarry. Pesquisa social: mtodos e tcnicas. 3. ed. So Paulo:Atlas, 1999.RUAS, R. Desenvolvimento de competncias gerenciais e contribuio da aprendizagemorganizacional. In: FLEURY, M. T. L.; OLIVEIRA JR, M. de M. Gesto estratgica doconhecimento: integrando aprendizagem, conhecimento e competncias. So Paulo:Atlas, 2004.SOUZA, Csar. Os novos paradigmas de um mundo em transformao. In: BOOG, GustavoG. et al. Manual de gesto de pessoas e equipes: estratgias e tendncias. So Paulo:Editora Gente, 2002, v.1.TEIXEIRA, Maria Luisa Mendes; ZACCARELLI, Laura Menegon. A nova ambinciacompetitiva. In: HANASHIRO, Darcy Mitiko Mori et al. Gesto do fator humano: uma visobaseada em stakeholders. So Paulo: Saraiva, 2007.TEIXEIRA, Vicente Carlos. Os desafios de recursos humanos diante da globalizao dosnegcios. In: BOOG, Gustavo G. et al. Manual de gesto de pessoas e equipes:estratgias e tendncias. So Paulo: Editora Gente, 2002, v.1.VARGAS, M.R.M.; ABBAD, G.S. Bases Conceituais em treinamento, desenvolvimento eeducao - TD&E. In: BORGES-ANDRADE, J.E.;ABBAD, G.S.;MOURO, L. Treinamento,Desenvolvimento e Educao em Organizaes e Trabalho: fundamentos para agesto de pessoas. Porto Alegre: Artmed, 2006.Contato: [email protected] e [email protected]; [email protected] 17 18. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 2011Apndice A Questionrio1) Sexo: a) ( ) Feminino b) ( ) Masculino2) Curso: a) ( ) Administrao b) ( ) Comrcio Exterior3) Semestre: _________4) Qual sua faixa etria? a) ( ) Menos de 20 anos b) ( ) De 21 a 25 anos c) ( ) De 26 a 30 anos d) ( ) De 31 a 35 anos e) ( ) Mais de 35 anos5) Voc trabalha atualmente? a) ( ) Sim b) ( ) No c) ( ) No, mas j trabalhei anteriormente6) Qual o seu tempo de empresa, ou por quanto tempo voc permaneceu no seu ltimo emprego? a) ( ) Menos de um ano b) ( ) De 1 a 3 anos c) ( ) De 4 a 7 anos d) ( ) De 8 a 10 anos e) ( ) Mais de 10 anos7) Em qual nvel voc atua ou atuou na empresa? a) ( ) Operacional b) ( ) Administrativo c) ( ) Gerencial8) Quantos cursos voc j fez utilizando a ferramenta e-learning? a) ( ) Nenhum (pule para a pergunta 22) b) ( ) De 01 a 03 c) ( ) De 04 a 07 d) ( ) De 08 a 12 e) ( ) Mais de 129) Onde voc realizou o curso ou a maioria dos cursos por e-learning? a) ( ) Na empresa em que trabalho/trabalhei b) ( ) Em uma instituio de ensino c) ( ) Em empresas de recrutamento (CIEE, por exemplo) d) ( ) Outros:_____________________________________________________________________10) Nos cursos realizados, o incentivo (financeiro e aprendizado) partiu:a) ( ) Da empresa 18 19. Universidade Presbiteriana Mackenzie b) ( ) De iniciativa prpria c) ( ) Iniciativa prpria, mas com recursos (financeiros e/ou de acesso internet) daempresa.11) Qual foi o principal motivo para a escolha do e-learning como ferramenta deaprendizado? (Assinale apenas uma alternativa)a) ( ) Para obter mais conhecimentob) ( ) Para obter destaque profissionalc) ( ) Baixo custod) ( ) Flexibilidade de horriose) ( ) Por recomendao de professoresf) ( ) Outro motivo:_____________________________________________________________________12) Na sua opinio, o que primordial ao escolher um curso por meio do e-learning?(Assinale apenas uma alternativa)a) ( ) Relevncia do curso/instituiob) ( ) Relevncia do tema do cursoc) ( ) Flexibilidade e praticidaded) ( ) Durao do cursoe) ( ) Valor do investimentof) ( ) Possibilidade de interagir com professores e/ou alunosg) ( ) Outro:_____________________________________________________________________13) Em relao ao contedo do curso, qual o fator principal no momento daescolha? (Assinale apenas uma alternativa)a) ( ) Contedo relevante para a atuao profissional atualb) ( ) Interesse pessoalc) ( ) Conhecimento importante para a formao e no oferecido pela universidade14) De modo geral, como voc avalia a qualidade dos treinamentos em e-learningquanto ao contedo?a) ( ) timab) ( ) Boac) ( ) Regulard) ( ) Ruime) ( ) Pssima15) Voc acredita que tenha havido alguma mudana na sua vida profissional aps terrealizado um curso e-learning? Como?a) ( ) Aumentei meus conhecimentos, adquiri mais informaes, tenho mais preparo.b) ( ) Tive reconhecimento na empresa onde trabalho.c) ( ) Surgiram novas oportunidades de emprego.d) ( ) Nada mudou.16) Qual a sua percepo, quanto aceitao e reconhecimento desta modalidade deensino pelo mercado de trabalho?a) ( ) O mercado aceita e reconhece como qualquer outro cursob) ( ) Existe resistncia19 20. VII Jornada de Iniciao Cientfica - 2011 c) ( ) Existe preconceito quanto qualidade do mesmo d) ( ) No reconhecido e) ( ) No sei responder17) Em sua percepo, quais os benefcios que um curso e-learning oferecido por suaempresa traz ou pode trazer para voc? (Assinale apenas uma alternativa)a) ( ) Criao de relacionamentos com colegas de trabalhob) ( ) Reconhecimento internoc) ( ) Possibilidade de promood) ( ) Atualizao e aprendizado de conhecimentos especficose) ( ) Aplicabilidade do contedo no trabalhof) ( ) Comodidade para estudar e aprimorar meus conhecimentos no horrio de trabalho, sem necessidade de locomoo18) Em que medida voc acredita que os conhecimentos transmitidos pelo e-learningso atualizados conforme a realidade do mundo corporativo?a) ( ) Muitob) ( ) Poucoc) ( ) Moderadamented) ( ) No sei responder19) De que forma o aprendizado adquirido pelo e-learning pode ser aplicado no seucotidiano profissional?______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________20) Quais os pontos positivos e negativos do curso por e-learning?Positivos:_________________________________________________________________________________________________________________________________Negativos:_________________________________________________________________________________________________________________________________21) Voc faria outro curso por e-learning?a) ( ) Simb) ( ) No Pergunta para quem nunca fez um curso por e-learning:22) Quais so as principais razes de voc nunca ter feito um curso por e-learning?______________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________________20