PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO – AULA 3 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 3 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO PROFESSORA:

  • View
    105

  • Download
    1

Embed Size (px)

Text of PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO – AULA 3 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS...

  • Slide 1
  • PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INS GERARDO Aula 3 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INS GERARDO Aula 3
  • Slide 2
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 EMENTA: 1)Contrato de Trabalho 2)Temporrio 3)Terceirizao 4)Cooperativa 5)Contrato de subempreitada
  • Slide 3
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 CONTRATO DE TRABALHO
  • Slide 4
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 CONTRATO DE TRABALHO art. 442 a 456, CLT Poder ser acordado tcita ou expressamente, verbalmente ou por escrito e por prazo determinado ou indeterminado (Art. 443, CLT) Poder ser acordado tcita ou expressamente, verbalmente ou por escrito e por prazo determinado ou indeterminado (Art. 443, CLT) Durao contrato por prazo indeterminado contrato por prazo determinado (a termo)
  • Slide 5
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 CONTRATO DE TRABALHO A TERMO (ART. 443, 2, CLT) O contrato de trabalho a termo s ser vlido em se tratando: a) De servio cuja natureza ou transitoriedade justifique a predeterminao do prazo b) De atividades empresarias transitrias c) Contrato de experincia AT 2 ANOS AT 90 DIAS
  • Slide 6
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 CONTRATO DE TRABALHO REGRAS GERAIS S pode haver uma nica prorrogao, sob pena de passar a ser por prazo indeterminado. (art. 451, CLT), e no pode ultrapassar o prazo mximo. Se o contrato continuar aps o prazo determinado, passa a ser por prazo indeterminado (art. 451, CLT) Entre dois contratos a termo tem que haver um lapso temporal de, no mnimo 6 (seis) meses, em regra, caso contrrio o contrato ser por prazo indeterminado. (art. 452, CLT)
  • Slide 7
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 Rompimento antecipado Art. 479, CLT se for o empregador que romper: pagamento de metade dos salrios at o termo final. Art. 480, CLT se for o empregado que romper: ter que pagar os prejuzo que causar ao empregador, cujo teto mximo desses prejuzos consiste no mesmo valor que o empregador pagaria. Art. 481, CLT contrato a termo com clusula assecuratria permite romper antes do prazo determinado, sem que seja devida a indenizao por perdas e danos. S. 163, TST
  • Slide 8
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 OUTROS CONTRATOS A TERMO - Aprendizagem art. 428 da CLT inaplicvel os artigos 479 e 480, CLT; - Contrato de safra art. 14, Lei n 5.889/73 c/c art. 19, pargrafo nico do Decreto n73.626/74 - Contrato de obra certa Lei n 2.959/56 - Contrato por prazo determinado previsto na Lei n 9.601/98 - inaplicvel os artigos 479 e 480, CLT;
  • Slide 9
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 Autorizao da contratao por Convenes ou Acordos Coletivos, independente dos motivos do art. 443, 2 da CLT; Finalidade: admisses que representem acrscimo no nmero de empregados. No se aplicam os art. 479, CLT e art. 480, CLT. A indenizao por rompimento antecipado do contrato ser prevista em Conveno ou Acordo Coletivo. Pode haver mais de uma prorrogao no se aplica o art. 451, CLT. No pode ultrapassar os dois anos (art. 3, Decreto 2.490/98); So garantidas as estabilidades da gestante, dirigente sindical, cipeiro, acidentado at o trmino do contrato. Contrato por prazo determi- nado da Lei n 9.601/98
  • Slide 10
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 TEMPORRIO TERCEIRIZAO COOPERATIVA SUBEMPREITADA
  • Slide 11
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 CONTRATO DE TRABALHO REGRA: EMPREGADO EMPREGADOR (Tomador) EXCEES: 1) TEMPORRIO S. 331, I, TST 2) TERCEIRIZAO S. 331, III, TST VNCULO DE EMPREGO
  • Slide 12
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 INTERMEDIAO DE MO-DE-OBRA = TEMPORRIO (Lei n 6.019/74 Smula n 331, I do TST) TEMPORRIO TOMADOR DOS SERVIOS EMPRESA DE TRABALHO TEMPORRIO (urbana) 3 MESES CONTRATO ESCRITO DIREITOS (art. 11) CONTRATO ESCRITO (art. 9) MOTIVOS DA CONTRATAO REMUNERAO Pessoa fsica ou jurdica
  • Slide 13
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 INTERMEDIAO DE MO-DE-OBRA = TEMPORRIO (Lei n 6.019/74 Smula n 331, I do TST) Motivos: acrscimo extraordinrio de servios substituio de pessoal regular e permanente
  • Slide 14
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 INTERMEDIAO DE MO-DE-OBRA = TEMPORRIO (Lei n 6.019/74 Smula n 331, I do TST) REGRAS GERAIS O contrato de trabalho temporrio pode ser prorrogado uma nica vez, pelo mesmo perodo, desde que comprove a necessidade de prorrogao. Proibio clusula de reserva proibio da contratao do temporrio pela empresa tomadora dos servios ao fim do prazo em que o temporrio tenha sido colocado sua disposio (art. 11, pargrafo nico, da Lei n 6.019/74) vedado empresa de trabalho temporrio cobrar do trabalhador qualquer importncia, mesmo ttulo de mediao (art. 18, da Lei n 6.019/74)
  • Slide 15
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 INTERMEDIAO DE MO-DE-OBRA = TEMPORRIO (Lei n 6.019/74 Smula n 331, I do TST) TOMADOR DOS SERVIOS RESPONSABILIDADE SUBSIDIRIA S. 331, IV, TST ART. 16 LEI N 6.019/74 FALNCIA responsabilidade solidria RESPONSABILIDADE SUBSIDIRIA S. 331, IV, TST ART. 16 LEI N 6.019/74 FALNCIA responsabilidade solidria
  • Slide 16
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 TERCEIRIZAO (Smula n 331, III do TST) TERCEIRIZAO (Smula n 331, III do TST) EMPRESA PRESTADORA DE SERVIOS EMPREGADO TOMADOR DOS SERVIOS
  • Slide 17
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 TERCEIRIZAO Terceirizao lcita (S.331, III do TST) Atividade-meio do tomador E Inexistncia de pessoalidade e subordinao direta entre o trabalhador e o tomador dos servios Consequncia O tomador dos servios tem responsabilidade subsidiria S.331,IV TST S. 331, V, TST A responsabilidade subsidiria do tomador de servios abrange todas as verbas decorrentes da condenao referentes ao perodo da prestao laboral.
  • Slide 18
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 TERCEIRIZAO Terceirizao ilcita Atividade-fim do tomador ou Existncia de pessoalidade e subordinao direta entre o trabalhador e o tomador dos servios Consequncia Forma-se o vnculo de emprego diretamente com o tomador dos servios, salvo se o tomador for ente pblico (S. 331, III TST)
  • Slide 19
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 TERCEIRIZAO Terceirizao lcita ou ilcita Consequncia Responsabilidade subsidiria somente (S. 331, II e IV TST) TOMADOR DE SERVIOS ENTE PBLICO ADC 16 Declarou constitucional o art. 71, 1 da Lei n 8.666/93, mas no proibiu a condenao subsidiria do ente pblico. S. 331,V, TST - Os entes pblicos respondem subsidiariamente, caso evidenciada a sua conduta culposa no cumprimento das obrigaes da Lei n. 8.666/93, especialmente na fiscalizao do cumprimento das obrigaes contratuais e legais da prestadora de servio como empregadora. A aludida responsabilidade no decorre de mero inadimplemento das obrigaes trabalhistas assumidas pela empresa regularmente contratada.
  • Slide 20
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 INTERMEDIAO POR MEIO DE COOPERATIVA (ART. 442, PARGRAFO NICO, CLT) INTERMEDIAO POR MEIO DE COOPERATIVA (ART. 442, PARGRAFO NICO, CLT) COOPERATIVA COOPERATIVADO TOMADOR DOS SERVIOS Lcita = no pode existir subordinao jurdica, caso contrrio formar vnculo empregatcio com o tomador, salvo se o tomador for ente pblico.
  • Slide 21
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.1 DIREITO DO TRABALHO AULA 3 CONTRATO DE EMPREITADA (ART. 455, CLT) OJ 191, SDI-I, TST CONTRATO DE EMPREITADA (ART. 455, CLT) OJ 191, SDI-I, TST SUBEMPREITEIRA EMPREITEIRA PRINCIPAL DONO DA OBRA No responde, salvo se for empresa construtora ou incorporadora

Recommended

View more >