of 46/46
PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL – AULA 4 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL PROFESSOR: ANA LUIZA GAMA Aula 4

PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL – AULA 4 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL PROFESSOR: ANA LUIZA GAMA Aula 4 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL PROFESSOR:

  • View
    105

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL – AULA 4 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL PROFESSOR: ANA...

  • Slide 1
  • PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL PROFESSOR: ANA LUIZA GAMA Aula 4 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL PROFESSOR: ANA LUIZA GAMA Aula 4
  • Slide 2
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 EMENTA DA AULA 4 Direito Internacional Penal. O Tribunal Penal Internacional. O Estatuto de Roma. Jurisdio. A complementaridade. Legitimidade ativa e a responsabilidade individual. Competncia material. Competncia temporal. Entrega. Penas. Medidas de sada compulsria: algumas consideraes. Questes da OAB selecionadas. EMENTA DA AULA 4 Direito Internacional Penal. O Tribunal Penal Internacional. O Estatuto de Roma. Jurisdio. A complementaridade. Legitimidade ativa e a responsabilidade individual. Competncia material. Competncia temporal. Entrega. Penas. Medidas de sada compulsria: algumas consideraes. Questes da OAB selecionadas.
  • Slide 3
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 DIREITO INTERNACIONAL PENAL
  • Slide 4
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 DIREITO PENAL INTERNACIONAL: o conjunto de regras que disciplinam o direito de punir de um Estado frente aos outros Estados. NO BRASIL Art. 5 e 7 do Cdigo Penal Direito Internacional Penal: Tribunal Penal Internacional TPI (Aula 40)
  • Slide 5
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 TRIBUNAL PENAL INTERNACIONAL
  • Slide 6
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Estatuto de Roma (aprovado em 07/1998). Ratificao pelo Brasil Ratificao pelo Brasil: 20/06/2002 -Aprovado pelo decreto legislativo n 112 em 30.04.2002 e promulgado pelo decreto executivo n 4388 de 09/2002. -Projeto de lei: regulamentao no mbito interno Entrada em vigor : 01/07/2002 Art. 126 : 60 ratificaes Incio das atividades: 2003. Sede: Haia O TPI tribunal permanente: Art. 1 do Estatuto
  • Slide 7
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 permanente complementar criado, pelo presente instrumento, um Tribunal Penal Internacional (o Tribunal). O Tribunal ser uma instituio permanente, com jurisdio sobre as pessoas responsveis pelos crimes de maior gravidade com alcance internacional, de acordo com o presente Estatuto, e ser complementar das jurisdies penais nacionais. A competncia e o funcionamento do Tribunal reger-se-o pelo presente Estatuto. Artigo 1. - O TRIBUNAL
  • Slide 8
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Jurisdio... sobre pessoas que tenham praticado os crimes de maior gravidade com alcance internacional. (art. 1) Ter como finalidade processar e julgar toda a pessoa fsica que tenha cometido crimes graves contra os direitos humanos.
  • Slide 9
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Artigo 4. personalidade jurdica internacionalcapacidade jurdica exercer os seus poderes e funes, nos termos do presente Estatuto, no territrio de qualquer Estado Parte e, por acordo especial, no territrio de qualquer outro Estado. 1 - O Tribunal ter personalidade jurdica internacional. Possuir, igualmente, a capacidade jurdica necessria ao desempenho das suas funes e persecuo dos seus objetivos. 2 - O Tribunal poder exercer os seus poderes e funes, nos termos do presente Estatuto, no territrio de qualquer Estado Parte e, por acordo especial, no territrio de qualquer outro Estado.
  • Slide 10
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Complementaridade Complementaridade A corte no substitui a competncia dos Tribunais nacionais e no e no prevalece sobre ela. O T.P.I. ter jurisdio no territrio de qualquer Estado Parte e, por acordo especial, no territrio de qualquer outro Estado, porm sua competncia ser residual (complementaridade), posto que s poder apreciar a prtica do crime se o pas no estiver em condies de julg-lo ou quando negar-se a faz-lo.
  • Slide 11
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 indivduo Legitimidade passiva: indivduo que tenha praticado qualquer dos crimes previstos no Estatuto. Artigo 25. Responsabilidade criminal individual pessoas singulares. 1. De acordo com o presente Estatuto, o Tribunal ser competente para julgar as pessoas singulares.
  • Slide 12
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Competncia MATERIAL Competncia MATERIAL Art. 5: I - Crime de genocdio; Crime contra a humanidade; Crime de guerra; Crime de agresso. - No pressupe necessariamente a existncia de um conflito armado.
  • Slide 13
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Art. 5 II O Tribunal poder exercer a sua competncia em relao ao crime de agresso desde que, nos termos dos artigos 121. e 123., seja aprovada uma disposio em que se defina o crime e se enunciem as condies em que o Tribunal ter competncia relativamente a este crime. Tal disposio deve ser compatvel com as disposies pertinentes da Carta das Naes Unidas.
  • Slide 14
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Crime de genocdio Mesmo conceito da Conveno sobre genocdio. Crime de genocdio Mesmo conceito da Conveno sobre genocdio.
  • Slide 15
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Artigo 6 inteno Para os efeitos do presente Estatuto, entende-se por genocdio qualquer um dos atos que a seguir se enumeram, praticado com inteno de destruir, no todo ou em parte, um grupo nacional, tnico, rcico ou religioso, enquanto tal: a) Homicdio de membros do grupo; b) Ofensas graves integridade fsica ou mental de membros do grupo; c) Sujeio intencional do grupo a condies de vida pensadas para provocar a sua destruio fsica, total ou parcial; d) Imposio de medidas destinadas a impedir nascimentos no seio do grupo; e) Transferncia, fora, de crianas do grupo para outro grupo.
  • Slide 16
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. 1.Que o autor tenha submetido intencionalmente uma ou mais pessoas a certas condies de existncia. 2. Que esta pessoa ou pessoas tenha(m) pertencido a um grupo nacional, tnico, racial ou religioso determinado. 3. Que o autor tenha tido a inteno de destruir, total ou parcialmente este grupo nacional, tnico, racial ou religioso como tal. ELEMENTOS DO GENOCDIO SEGUNDO O T.P.I.
  • Slide 17
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. 4.Que as condies de existncia tenham tido o propsito de levar destruio fsica, total ou parcial, deste grupo. A expresso condies de existncia pode incluir, entre outras coisas, o fato de privar dos recursos indispensveis a sua sobrevivncia, como alimentos, servios mdicos ou expuls-los sistematicamente de suas casas 5. Que a conduta tenha tido lugar no contexto de um padro manifesto (sentido objetivo) de conduta similar dirigida contra este grupo ou tenha podido por si mesma causar esta destruio.
  • Slide 18
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Crime contra a humanidade J eram tipificados na codificao de normas j existentes no direito internacional. Crime contra a humanidade J eram tipificados na codificao de normas j existentes no direito internacional.
  • Slide 19
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Artigo 7. Para cometido no quadro de um ataque, generalizado ou sistemtico, contra qualquer populao civil Para os efeitos do presente Estatuto, entende-se por crime contra a Humanidade qualquer um dos atos seguintes, quando cometido no quadro de um ataque, generalizado ou sistemtico, contra qualquer populao civil, havendo conhecimento desse ataque: a)Homicdio; b)Extermnio; c) Escravido...
  • Slide 20
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. ELEMENTOS DO CRIME CONTRA A HUMANIDADE SEGUNDO O T.P.I. 1.Que o autor tenha causado a morte de uma ou mais. 2. Que a conduta tenha sido cometida como parte de um ataque generalizado e sistemtico dirigido contra uma populao civil. 3. Que o autor tenha tido conhecimento de que a conduta era parte de um ataque generalizado ou sistemtico dirigido contra uma populao ou tenha tido a inteno de que a conduta seja parte de um ataque deste tipo.
  • Slide 21
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. ELEMENTOS DO CRIME CONTRA A HUMANIDADE SEGUNDO O T.P.I. Por "ataque contra uma populao civil" entende-se qualquer conduta que envolva a prtica mltipla de atos referidos no pargrafo 1o contra uma populao civil, de acordo com a poltica de um Estado ou de uma organizao de praticar esses atos ou tendo em vista a prossecuo dessa poltica;
  • Slide 22
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 CRIMES DE GUERRA Rol extenso. Novidades: armas qumicas e outras hostilidade. CRIMES DE GUERRA Rol extenso. Novidades: armas qumicas e outras hostilidade.
  • Slide 23
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Artigo 8. parte integrante de um plano ou de uma poltica ou como parte de uma prtica em larga escala desse tipo de crimes 1 - O Tribunal ter competncia para julgar os crimes de guerra, em particular quando cometidos como parte integrante de um plano ou de uma poltica ou como parte de uma prtica em larga escala desse tipo de crimes. 2 - Para os efeitos do presente Estatuto, entende-se por crimes de guerra:
  • Slide 24
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 a) As violaes graves s Convenes de Genebra, de 12 de Agosto de 1949, a saber, qualquer um dos seguintes atos, dirigidos contra pessoas ou bens protegidos nos termos da Conveno de Genebra que for pertinente:
  • Slide 25
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Artigo 8., 2, a:.... xvii) Utilizar veneno ou armas envenenadas; xviii) Utilizar gases asfixiantes, txicos ou similares, ou qualquer lquido, material ou dispositivo anlogo;
  • Slide 26
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. ELEMENTOS DO CRIME DE GUERRA SEGUNDO O T.P.I. 1. Que o autor tenha causado a morte de uma ou mais pessoas. 2 Que essa pessoa ou pessoas esteja(m) protegida(s) em virtude de uma ou mais Convenes de Genebra de 1949. 3.Que o autor estivesse consciente das circunstncias de fato que estabeleciam esta proteo. 4. Que a conduta tenha tido lugar no contexto de um conflito armado internacional e tenha se relacionado com ele.
  • Slide 27
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. INTERPRETAO DOS ELEMENTOS SEGUNDO O T.P.I. - Os crimes do pargrafo 2 sero interpretados segundo o marco estabelecido pelo direito internacional dos conflitos armados com incluso, conforme o caso, do direito internacional aplicvel aos conflitos armados no mar.
  • Slide 28
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4. INTERPRETAO DOS ELEMENTOS SEGUNDO O T.P.I. - No se exige que o autor tenha feito uma avaliao de direito acerca da existncia de um conflito armado nem de seu carter internacional ou no internacional; - Neste contexto, no se exige que o autor esteja consciente dos fatos que tenham determinado que o conflito tenha carter internacional ou no internacional; - Unicamente se exige o conhecimento das circunstncias de fato que tenham determinado a existncia de um conflito armado, implcito nas palavras tenha tido lugar no contexto de, e que seja relacionado a ele.
  • Slide 29
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 CRIMES DE AGRESSO Como no houve possibilidade de chegar a um acordo sobre a tipificao dos crimes de agresso, o Estatuto prev que os Estados parte podero fazer alteraes (conferncia de reviso art. 121 e 122 do Estatuto) no sentido de se definir o crime as condies suas condies.
  • Slide 30
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Competncia temporal (ratione temporis) Artigo 11. 1. O Tribunal s ter competncia relativamente aos crimes cometidos aps a entrada em vigor do presente Estatuto.
  • Slide 31
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Competncia temporal (ratione temporis) 2. Se um Estado se tornar Parte no presente Estatuto depois da sua entrada em vigor, o Tribunal s poder exercer a sua competncia em relao a crimes cometidos depois da entrada em vigor do presente Estatuto relativamente a esse Estado, a menos que este tenha feito uma declarao nos termos do n. 3 do artigo 12.
  • Slide 32
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Competncia Pessoal Competncia Pessoal Art. 12, 2, b. No leva em conta a nacionalidade do imputado. Corresponde ao espao terrestre, martimo e terrestre. Art. 12, 2, a : embarcaes
  • Slide 33
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Direito aplicvel Direito aplicvel Art. 21 O Tribunal aplicar: o presente Estatuto a) Em primeiro lugar, o presente Estatuto, os Elementos Constitutivos do Crime* e o Regulamento Processual; *Ao ou omisso, tpica, antijurdica e culpvel (Art. 9)
  • Slide 34
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Direito aplicvel Direito aplicvel tratados e os princpios e normas de direito internacional aplicveis b) Em segundo lugar, se for o caso, os tratados e os princpios e normas de direito internacional aplicveis, incluindo os princpios estabelecidos no direito internacional dos conflitos armados*; * Conveno de Genebra e Protocolos
  • Slide 35
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Direito aplicvel Direito aplicvel princpios gerais do direito direito interno dos Estados que exerceriam normalmente a sua jurisdio relativamente ao crime c) Na falta destes, os princpios gerais do direito que o Tribunal retire do direito interno dos diferentes sistemas jurdicos existentes, incluindo, se for o caso, o direito interno dos Estados que exerceriam normalmente a sua jurisdio relativamente ao crime, sempre que esses princpios no sejam incompatveis com o presente Estatuto, com o direito internacional nem com as normas e padres internacionalmente reconhecidos.
  • Slide 36
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Princpios gerais aplicveis Princpios gerais aplicveis No bis in idem art. 20. Nullum crimen sine lege art. 22. Nulla poena sine lege art. 23. No retroatividade ratione personae art. 24
  • Slide 37
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Abertura de Casos (artigos 13,14 e 15) Abertura de Casos (artigos 13,14 e 15). Estados-parte.. Conselho de Segurana.. Procurador.
  • Slide 38
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Decises (art. 75, 75 e 81) Decises (art. 75, 75 e 81). Absolutria e condenatria.. Reparao de Danos art. 79 (Fundo). Recurso: Apelao (tb. decises interlocutrias).
  • Slide 39
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 PENAS PENAS Artigo 77. 1. Sem prejuzo do disposto no artigo 110., o Tribunal pode impor pessoa condenada por um dos crimes previstos no artigo 5. do presente Estatuto uma das seguintes penas: a) Pena de priso por um nmero determinado de anos, at ao limite mximo de 30 anos; ou b) Pena de priso perptua, se o elevado grau da ilicitude do facto e as condies pessoais do condenado o justificarem.
  • Slide 40
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 PENAS PENAS 2 - Alm da pena de priso, o Tribunal poder aplicar: a) Uma multa, de acordo com os critrios previstos no Regulamento Processual; b) A perda de produtos, bens e haveres provenientes, direta ou indiretamente, do crime, sem prejuzo dos direitos de terceiros que tenham agido de boa f. Fundo a favor da vtimas Art. 79
  • Slide 41
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 Entrega: Art. 89 e 102 (no extradio) Entrega: Art. 89 e 102 (no extradio) Artigo 102. Termos usados Para os fins do presente Estatuto: a) Por entrega entende-se a entrega de uma pessoa por um Estado ao Tribunal, nos termos do presente Estatuto; b) Por extradio entende-se a entrega de uma pessoa por um Estado a outro Estado, conforme previsto num tratado, numa conveno ou no direito interno.
  • Slide 42
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 QUESTES DA OAB
  • Slide 43
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 35 EXAME. Questo 11 Acerca de tribunais internacionais e de sua repercusso, assinale a opo correta. a)O Tribunal Penal Internacional prev a possibilidade de aplicao da pena de morte, ao passo que a Constituio brasileira probe tal aplicao. b)O 4. do art. 5. da Constituio Federal prev a submisso do Brasil jurisdio de tribunais penais internacionais e tribunais de direitos humanos. c)O Estatuto de Roma no permite reservas nem a retirada dos Estados-membros do tratado. d)O Estatuto de Roma, que criou o Tribunal Penal Internacional, estabelece uma diferena entre entrega e extradio, operando a primeira entre um Estado e o mencionado tribunal e a segunda, entre Estados 35 EXAME. Questo 11 Acerca de tribunais internacionais e de sua repercusso, assinale a opo correta. a)O Tribunal Penal Internacional prev a possibilidade de aplicao da pena de morte, ao passo que a Constituio brasileira probe tal aplicao. b)O 4. do art. 5. da Constituio Federal prev a submisso do Brasil jurisdio de tribunais penais internacionais e tribunais de direitos humanos. c)O Estatuto de Roma no permite reservas nem a retirada dos Estados-membros do tratado. d)O Estatuto de Roma, que criou o Tribunal Penal Internacional, estabelece uma diferena entre entrega e extradio, operando a primeira entre um Estado e o mencionado tribunal e a segunda, entre Estados
  • Slide 44
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 41 EXAME. Questo 12 Acerca da condio jurdica dos estrangeiros e dos nacionais no direito brasileiro, assinale a opo correta. A)Os estrangeiros de qualquer nacionalidade residentes na Repblica Federativa do Brasil h mais de quinze anos ininterruptos so automaticamente considerados brasileiros naturalizados, independentemente de qualquer condio ou exigncias. B) vedada a extradio de nacionais, salvo em caso de comprovado envolvimento em trfico ilcito de entorpecentes, em terrorismo ou em crimes definidos em lei, como os hediondos. 41 EXAME. Questo 12 Acerca da condio jurdica dos estrangeiros e dos nacionais no direito brasileiro, assinale a opo correta. A)Os estrangeiros de qualquer nacionalidade residentes na Repblica Federativa do Brasil h mais de quinze anos ininterruptos so automaticamente considerados brasileiros naturalizados, independentemente de qualquer condio ou exigncias. B) vedada a extradio de nacionais, salvo em caso de comprovado envolvimento em trfico ilcito de entorpecentes, em terrorismo ou em crimes definidos em lei, como os hediondos.
  • Slide 45
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 C) A CF dispe expressamente sobre a possibilidade de expulso de estrangeiro que praticar atividade nociva ordem pblica e ao interesse nacional, salvo se estiverem presentes, simultaneamente, os seguintes requisitos: cnjuge brasileiro e filho brasileiro dependente da economia paterna. D) O Brasil por ter ratificado integralmente o Estatuto de Roma que criou o Tribunal Penal Internacional, tem o compromisso de entregar ao tribunal os indivduos contra os quais tenham sido expedidos pedidos de deteno e entrega, mesmo que eles possuam, originalmente,nacionalidade brasileira. C) A CF dispe expressamente sobre a possibilidade de expulso de estrangeiro que praticar atividade nociva ordem pblica e ao interesse nacional, salvo se estiverem presentes, simultaneamente, os seguintes requisitos: cnjuge brasileiro e filho brasileiro dependente da economia paterna. D) O Brasil por ter ratificado integralmente o Estatuto de Roma que criou o Tribunal Penal Internacional, tem o compromisso de entregar ao tribunal os indivduos contra os quais tenham sido expedidos pedidos de deteno e entrega, mesmo que eles possuam, originalmente,nacionalidade brasileira.
  • Slide 46
  • RESPONSABILIDADE CIVIL AULA 1 PROAB 2012.2 DIREITO INTERNACIONAL AULA 4 32 EXAME. Questo 95 O Tribunal Penal Internacional tem jurisdio sobre pessoas responsveis pelos crimes de maior gravidade com alcance internacional (art. 1 do Estatuto de Roma, 1998). So crimes de competncia desse tribunal: a.genocdio, crimes contra a humanidade, crimes de guerra e crime de agresso. b.trfico de drogas, crime organizado transnacional e crimes contra a humanidade. c.crime de agresso, trfico de crianas e mulheres e atos de terrorismo. d.crimes de guerra, violao dos direitos humanos e trfico de drogas. 32 EXAME. Questo 95 O Tribunal Penal Internacional tem jurisdio sobre pessoas responsveis pelos crimes de maior gravidade com alcance internacional (art. 1 do Estatuto de Roma, 1998). So crimes de competncia desse tribunal: a.genocdio, crimes contra a humanidade, crimes de guerra e crime de agresso. b.trfico de drogas, crime organizado transnacional e crimes contra a humanidade. c.crime de agresso, trfico de crianas e mulheres e atos de terrorismo. d.crimes de guerra, violao dos direitos humanos e trfico de drogas.