of 27 /27
PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4 PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

  • Upload
    barid

  • View
    28

  • Download
    1

Embed Size (px)

DESCRIPTION

PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4. EMENTA AULA 4: Modalidades de resposta do réu Fase instrutória Nulidades Fase decisória. Trâmites Iniciais Fase Postulatória. AUDIÊNCIA – FASE INICIAL. AUDIÊNCIA – FASE CONCILIATÓRIA. - PowerPoint PPT Presentation

Citation preview

Page 1: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

PROAB 2012.2

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

PROAB 2012.2DIREITO PROCESSUAL DO

TRABALHOPROFESSORA: MARIA INÊS

GERARDOAula 4

Page 2: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

EMENTA AULA 4:

1) Modalidades de resposta do réu2)Fase instrutória3)Nulidades4)Fase decisória

Page 3: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

Trâmites IniciaisFase Postulatória

Page 4: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

AUDIÊNCIA – FASE INICIAL

Page 5: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

AUDIÊNCIA – FASE CONCILIATÓRIA

Page 6: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

Defesa do Réu – apresentada oralmente

20 (vinte) minutos para aduzir sua defesa

(art. 847 CLT)

 Modalidades de resposta do Réu (art. 297 do CPC)

contestação, exceção e reconvenção.

Page 7: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

MODALIDADES DE RESPOSTA DO RÉU

Page 8: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

EXCEÇÃO: art. 799 a 802 CLT

EXCIPIENTE: quem apresenta a exceção

xEXCETO OU EXCEPTO: quem

responde

Page 9: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

EXCEÇÃO DE INCOMPETÊNCIA – Art. 799, §2º, CLT - proposta a ação fora do local competente, na audiência, no momento da defesa o Reclamado poderá opor exceção de incompetência. Se não fizer, o juízo que era inicialmente incompetente territorialmente passa a ser competente = PRORROGAÇÃO DA COMPETÊNCIA - O juiz não pode, de ofício, acolher sua incompetência territorial.

• As decisões sobre exceção de incompetência, em regra, não cabe recurso, salvo quando terminativa do feito. Ver: S. 214, TST

Page 10: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

CONTESTAÇÃO

CONTESTAÇÃO

• PRELIMINARES – antes da adentrar no mérito compete ao réu suscitar as preliminares previstas no art. 301, CPC.

• Incompetência absoluta – juiz pode pronunciar de ofício;

• OBS: Perempção – art. 731 e 732, CLT – Reclamante que der causa a dois arquivamentos, perde pelo prazo de seis meses o direito de demandar na Justiça do Trabalho.

• MÉRITO – Compete ao réu contestar todos os fatos alegados na inicial pois os fatos não contestados, presumem-se verdadeiros e independem de prova.

• PRELIMINARES – antes da adentrar no mérito compete ao réu suscitar as preliminares previstas no art. 301, CPC.

• Incompetência absoluta – juiz pode pronunciar de ofício;

• OBS: Perempção – art. 731 e 732, CLT – Reclamante que der causa a dois arquivamentos, perde pelo prazo de seis meses o direito de demandar na Justiça do Trabalho.

• MÉRITO – Compete ao réu contestar todos os fatos alegados na inicial pois os fatos não contestados, presumem-se verdadeiros e independem de prova.

Page 11: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

Depoimento Pessoal Testemunhal Documental Pericial Inspeção Judicial

FASE INSTRUTÓRIA E DECISÓRIA

Page 12: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

Cumpre o ônus de provar o fato

constitutivo do direito alegado.

(art. 333, I do CPC c/c art. 818 da

CLT).

Tem o ônus de provar os fatos modificativos, impeditivos e

extintivos do direito do autor

(art. 333, II do CPC c/c art. 818 da CLT).

Ônus da provaAutor Réu

Page 13: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

PROVA DOCUMENTAL – ALTERAÇÃO RECENTE DA CLT

Art. 830: O documento em cópia oferecido para prova poderá ser declarado autêntico pelo próprio advogado, sob sua responsabilidade pessoal.

Parágrafo único. Impugnada a autenticidade da cópia, a parte que a produziu será intimada para apresentar cópias devidamente autenticadas ou o original, cabendo ao serventuário competente proceder à conferência e certificar a conformidade entre esses documentos.”

(NR – Lei 11925 de 17/04/09)

Art. 830: O documento em cópia oferecido para prova poderá ser declarado autêntico pelo próprio advogado, sob sua responsabilidade pessoal.

Parágrafo único. Impugnada a autenticidade da cópia, a parte que a produziu será intimada para apresentar cópias devidamente autenticadas ou o original, cabendo ao serventuário competente proceder à conferência e certificar a conformidade entre esses documentos.”

(NR – Lei 11925 de 17/04/09)

Page 14: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

PROVA TESTEMUNHAL

ATÉ 3 PARA CADA PARTE

ATÉ 2 PARA CADA PARTE

ATÉ 6 PARA CADA PARTE

Art. 821, CLTArt. 821, CLT

Art. 821, CLTArt. 821, CLT

Art. 852-H, § 2º, CLTArt. 852-H, § 2º, CLT

Súmula nº 357, TST – Não torna suspeita a testemunha o simples fato de estar

litigando ou de ter litigado contra o mesmo empregador.

Page 15: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

PROVA TESTEMUNHAL

As testemunhas comparecerão à audiência independente de intimação

As que não comparecerem serão intimadas, ex officio, ou a requerimento da parte, ficando sujeita à condução coercitiva, além de multa, caso, sem motivo justificado, não atender à

intimação(art. 825, CLT)SALVO

SUMARÍSSIMO

Só será deferida a intimação da testemunha que, COMPROVADAMENTE convidada, deixar de comparecer. Não

comparecendo a testemunha intimada, o juiz poderá determinar sua imediata condução coercitiva.

(art. 852-H, §3º, CLT)

Só será deferida a intimação da testemunha que, COMPROVADAMENTE convidada, deixar de comparecer. Não

comparecendo a testemunha intimada, o juiz poderá determinar sua imediata condução coercitiva.

(art. 852-H, §3º, CLT)

Page 16: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

AUDIÊNCIAAusência reclamante

Art. 844, CLT – arquivamento = extinção sem resolução do mérito

S. 9, TST – A ausência do reclamante, quando adiada a instrução após contestada ação em audiência não importa em arquivamento do processo

S. 9, TST – A ausência do reclamante, quando adiada a instrução após contestada ação em audiência não importa em arquivamento do processo S. 74, I, TST – Aplica-se a confissão à parte que, expressamente, intimada com aquela cominação, não comparecer à audiência em prosseguimento, na qual deveria depor

Art. 343, §§ 1º e 2º, CPC – § 2º - Se a parte intimada não comparecer ou comparecendo se recusar a depor, o juiz lhe aplicará a pena de confissão

Page 17: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

AUDIÊNCIAAusência da reclamada

Art. 844, CLT – revelia e confissão da matéria de fato

1) A confissão não abrange matéria de direito.

2) A confissão tem que ser analisada em confronto com a prova – pré-constituída – S. 74, II do C. TST

3) A confissão não abrange fatos que lei exige a prova técnica.

Ex: insalubridade e periculosidade – art. 195, § 2º, CLT e OJ nº 278, SDI-I, TST – é obrigatória a prova pericial para comprovar a insalubridade e periculosidade.

Page 18: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

PRINCÍPIO DA CONVALIDAÇÃO OU DA PRECLUSÃO (ART. 795, CLT)

PRINCÍPIO DA CONVALIDAÇÃO OU DA PRECLUSÃO (ART. 795, CLT)

As nulidades não serão declaradas senão mediante provocação das partes, as quais deverão argui-las na primeira vez em que tiverem que falar em audiência ou nos autos, sob pena de preclusão. 

As nulidades não serão declaradas senão mediante provocação das partes, as quais deverão argui-las na primeira vez em que tiverem que falar em audiência ou nos autos, sob pena de preclusão. 

NULIDADES PROCESSUAIS(ART. 794 A 798, CLT)

NULIDADES PROCESSUAIS(ART. 794 A 798, CLT)

A nulidade do ato não

prejudicará senão os

posteriores que dele

dependam ou sejam

consequência

Page 19: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

EXCEÇÃO:EXCEÇÃO:

Deverá ser declarada de ofício a nulidade fundada em “incompetência de foro” (art. 795, §1º, CLT)

Deverá ser declarada de ofício a nulidade fundada em “incompetência de foro” (art. 795, §1º, CLT)

Trata-se de incompetência em razão da matéria (foro trabalhista)

Trata-se de incompetência em razão da matéria (foro trabalhista)

Page 20: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

PRINCÍPIO DA TRANSCENDÊNCIA OU DO PREJUÍZO (ART. 794, CLT)

PRINCÍPIO DA TRANSCENDÊNCIA OU DO PREJUÍZO (ART. 794, CLT)

Não haverá nulidade sem

prejuízo manifesto às

partes

Não haverá nulidade sem

prejuízo manifesto às

partes

A nulidade não será pronunciada:

a)Quando for possível suprir a faltab)Quando arguida por quem tiver dado causa

A nulidade não será pronunciada:

a)Quando for possível suprir a faltab)Quando arguida por quem tiver dado causa

Page 21: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

Encerrada a instrução cada parte tem até 10 minutos para razões finais orais.

Após o juiz fará a última tentativa obrigatória de conciliação = art. 850 da CLT.

TRÂMITES FINAIS DO PROCESSOTRÂMITES FINAIS DO PROCESSO

Page 22: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

Terminativa – provimento judicial que, sem apreciar o mérito, extingue o procedimento no primeiro grau de jurisdição (art. 267 CPC).

Definitiva – ato pelo qual o juiz resolve o mérito, sem, contudo, extinguir o processo (art. 269 CPC).  - As partes serão intimadas da sentença na própria audiência em que é proferida (art. 852 da CLT).

No caso de revelia o revel será intimado na forma do art. 841, §1º da CLT (notificação postal).

SENTENÇA

Page 23: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

APLICANDOOS

CONHECIMENTOS

Page 24: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

(OAB/FGV - VI EXAME NACIONAL UNIFICADO 2011.3) No processo trabalhista, a compensação ou retenção

(A) só poderá ser arguida como matéria de defesa.

(B) poderá ser arguida em qualquer fase do processo, mesmo na execução definitiva da sentença.

(C) poderá ser arguida em qualquer momento, até que a sentença seja proferida pelo juiz de 1ª instância.

(D) poderá ser arguida em qualquer momento, até que a sentença tenha transitado em julgado.

(OAB/FGV - VI EXAME NACIONAL UNIFICADO 2011.3) No processo trabalhista, a compensação ou retenção

(A) só poderá ser arguida como matéria de defesa.

(B) poderá ser arguida em qualquer fase do processo, mesmo na execução definitiva da sentença.

(C) poderá ser arguida em qualquer momento, até que a sentença seja proferida pelo juiz de 1ª instância.

(D) poderá ser arguida em qualquer momento, até que a sentença tenha transitado em julgado.

Page 25: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

(OAB/FGV – V EXAME NACIONAL UNIFICADO 2011.2) A respeito da prova testemunhal no processo do trabalho, é correto afirmar que

(A) em se tratando de ação trabalhista pelo rito ordinário ou sumaríssimo, as partes poderão ouvir no máximo três testemunhas cada; sendo inquérito, o número é elevado para seis.

(B) apenas as testemunhas arroladas previamente poderão comparecer à audiência a fim de serem ouvidas.

(OAB/FGV – V EXAME NACIONAL UNIFICADO 2011.2) A respeito da prova testemunhal no processo do trabalho, é correto afirmar que

(A) em se tratando de ação trabalhista pelo rito ordinário ou sumaríssimo, as partes poderão ouvir no máximo três testemunhas cada; sendo inquérito, o número é elevado para seis.

(B) apenas as testemunhas arroladas previamente poderão comparecer à audiência a fim de serem ouvidas.

Page 26: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

(C) no processo do trabalho sumaríssimo, a simples ausência da testemunha na audiência enseja a sua condução coercitiva.

(D) as testemunhas comparecerão à audiência independentemente de intimação e, no caso de não comparecimento, serão intimadas ex officio ou a requerimento da parte.

(C) no processo do trabalho sumaríssimo, a simples ausência da testemunha na audiência enseja a sua condução coercitiva.

(D) as testemunhas comparecerão à audiência independentemente de intimação e, no caso de não comparecimento, serão intimadas ex officio ou a requerimento da parte.

Page 27: PROAB 2012.2 DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO PROFESSORA: MARIA INÊS GERARDO Aula 4

RESPONSABILIDADE CIVIL

AULA 1

PROAB 2012.2 – Professora Maria Inês Gerardo

DIREITO PROCESSUAL DO TRABALHO – AULA 4

(OAB/FGV - VI EXAME NACIONAL UNIFICADO 2011.3 – DUQUE DE CAXIAS) No Processo do Trabalho, em relação ao ônus da prova, assinale a alternativa correta.(A) É do empregador quanto à alegação de inexistência de vínculo de emprego, se admitida a prestação de serviços com outra qualidade.(B) É sempre do empregador nas reclamações versando sobre horas extras.(C) É sempre da parte que fizer a alegação, não importando o comportamento da parte contrária a respeito.(D) É sempre do empregador nas reclamações versando sobre equiparação salarial.

(OAB/FGV - VI EXAME NACIONAL UNIFICADO 2011.3 – DUQUE DE CAXIAS) No Processo do Trabalho, em relação ao ônus da prova, assinale a alternativa correta.(A) É do empregador quanto à alegação de inexistência de vínculo de emprego, se admitida a prestação de serviços com outra qualidade.(B) É sempre do empregador nas reclamações versando sobre horas extras.(C) É sempre da parte que fizer a alegação, não importando o comportamento da parte contrária a respeito.(D) É sempre do empregador nas reclamações versando sobre equiparação salarial.