of 26/26
Problemas mais comuns observados em laudos emitidos para inspeções de cestos acoplados e cestas aéreas Workshop sobre inspeção de cestos acoplados e cestas aéreas Maio 2018

Problemas mais comuns observados em laudos emitidos para ... · Guindaste com Cesto Acoplado ... Laudo técnico •Inspeções e ensaios Eventuais: Laudo técnico . Laudo técnico

  • View
    214

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Problemas mais comuns observados em laudos emitidos para ... · Guindaste com Cesto Acoplado ......

Problemas mais comuns observados em laudos emitidos para inspees de cestos acoplados e cestas areas

Workshop sobre inspeo de cestos acoplados e cestas areas

Maio 2018

Classificao das inspees e ensaios

De acordo com as normas ABNT NBR 14768 e ABNT NBR 16092, as inspees e ensaios so classificadas como: Inspees e ensaios iniciais;

Devem ser realizadas antes do uso inicial de unidades novas ou modificadas.

Inspees e ensaios regulares; Devem ser realizados em intervalos regulares, so designadas

trs classificaes: Frequentes (intervalos dirios a mensais); Peridicos (intervalos de um a 12 meses); Eventuais (intervalos de um a 48 meses).

Responsabilidades

Inspees e ensaios iniciais Fabricante, servio autorizado do fabricante,

instalador final ou empresa credenciada pelo fabricante.

Inspees e ensaios regulares Frequentes: Operador do equipamento ou profissional

designado; Peridicos: Empresas especializadas, Laboratrios ou

Profissionais Legalmente Habilitados; Eventuais: Empresas especializadas, Laboratrios ou

Profissionais Legalmente Habilitados;

Registros das inspees e ensaios regulares

Inspees e ensaios frequentes: Registro em formulrio especfico SESMT_1170 - Inspees e Ensaios Frequentes em

Cesta Area (Anexo 1 da IT-RD-4.5.1-003)

SESMT_1171 - Inspees e Ensaios Frequentes em Guindaste com Cesto Acoplado (Anexo 2 da IT-RD-4.5.1-003).

Inspees e ensaios Peridicos: Laudo tcnico

Inspees e ensaios Eventuais: Laudo tcnico

Laudo tcnico Definio da ABNT NBR 13752 LAUDO: Pea na qual o perito, profissional habilitado, relata o que observou e d as suas concluses ou avalia, FUNDAMENTADAMENTE, o valor de coisas ou direitos. Definio da nova norma em elaborao Documento tcnico elaborado por profissional habilitado no qual so relatadas constataes, anlises e concluses de percias, exames, vistorias e avaliaes.

No laudo, o profissional habilitado:

Efetua o levantamento de todas as caractersticas que devem ser avaliadas e descreve a condio em que um determinado equipamento se encontra no momento da avaliao;

Relaciona os requisitos que so aplicveis, tais como especificaes do fabricante, normas ou leis, indicando se o equipamento cumpre ou no os requisitos;

Analisa, comprova e explica as caractersticas avaliadas e os problemas identificados; Emite uma concluso tcnica e indica quais pontos devem ser corrigidos;

Ao emitir um laudo, o profissional assume perante as autoridades a responsabilidade pelas informaes e pela concluso, indicando se o equipamento cumpre os requisitos, e pode ser operado com segurana, ou deve sofrer alteraes para se adequar aos requisitos.

Quem pode emitir laudos relativos a equipamentos mecnicos ou eltricos? Somente profissionais registrados no CREA ( Conselho Regional de Engenharia e Agronomia ) do Estado onde o servio est sendo realizado, que se enquadrem nas atribuies definidas por lei. No caso de equipamentos mecnicos, o profissional deve ser um Engenheiro Mecnico. No caso de equipamentos eltricos, o profissional deve ser um Engenheiro Eletricista.

Informaes MNIMAS obrigatrias

Conforme a IT-SESMT-4.5.1-003, um laudo deve conter no mnimo as seguintes informaes: Local e data de realizao (da inspeo e ensaios); Identificao (nome, endereo e telefone) da empresa ou laboratrio que realizou

os ensaios; Identificao do equipamento ensaiado contendo no mnimo: Marca, modelo, n

de srie, ano de fabricao, capacidade de carga por caamba; Identificao do veculo no qual o equipamento est montado, contendo no

mnimo: Marca, modelo, ano de fabricao e placa (DETRAN); Tipos de ensaios realizados e sua metodologia/normatizao; Resultados obtidos nos ensaios, com evidncias de que todos os itens do anexo 3

foram verificados e executados; Anlise e concluso quanto aos resultados obtidos, de acordo com os valores

previstos na legislao aplicvel; Assinatura e n do registro do Engenheiro Responsvel Tcnico no CREA; Anotao de Responsabilidade Tcnica - ART junto ao CREA (assinada e com

evidncia de pagamento).

Erros comuns encontrados em laudos apresentados

Falta nmero que identifique o documento; Falta numerao de pginas; Falta de informao sobre o local e a data que foram

realizadas as inspees e os ensaios; Informaes incompletas sobre a identificao do

equipamento ensaiado. (faltam informaes sobre a marca, modelo, n de srie, ano de fabricao, capacidade de carga)(1); (guindaste, cesto acoplado e cesta area)

Informaes incompletas sobre o veculo que o equipamento est montado (faltam informaes como marca, modelo, ano de fabricao e placa do veculo)(1);

(1) Nenhuma informao citada no laudo pode ficar em branco, mesmo no sendo obrigatria, se for citada tem que estar completa, caso contrrio deve ser retirada do laudo.

Erros comuns encontrados em laudos apresentados

Falta de informao sobre a classificao da inspeo e ensaio realizado (Frequente, Peridico ou Eventual);

Falta de descrio da metodologia utilizada nos ensaios (cita uma norma mas no descreve a metodologia utilizada e no cumpre o que est descrito na norma);

Citao de normas de forma generalizada;

Citao de trecho de normas sem embasamento ou fora do contexto do que foi executado na inspeo e ensaio;

Execuo de procedimentos e ensaios no normatizados sem explicaes e justificativas tcnicas fundamentadas;

Erros comuns encontrados em laudos apresentados

Falta de evidncias de que os procedimentos e ensaios descritos no laudo foram realmente realizados (falta de fotos, dados e registros que comprovem o que est escrito);

Procedimentos descritos de forma muito genrica, pobre e pouco informativa, na maioria das vezes no formato de check-list;

Falta de dados referente a medies, conferncias e ajustes de itens que precisam deste tipo de interveno;

No citar valores de referncia recomendados pelos fabricantes, por normas ou especificaes tcnicas;

Erros comuns encontrados em laudos apresentados

No apresentar as informaes dos equipamentos utilizados em medies e no anexar cpia do laudo de calibrao;

ART no rastrevel. Faltando informaes necessrias para identificao do laudo emitido e do equipamento inspecionado;

No apresentar o parecer tcnico sobre o equipamento inspecionado e no indicar os pontos que devem ser corrigidos.

Alguns exemplos

Inspecionar as soldas crticas, conforme especificado pelo fabricante.

Como estamos recebendo:

Alguns exemplos

Como deveria ser:

Alguns exemplos

Verificar A presso hidrulica principal do equipamento, o ajuste e a

regulagem das demais vlvulas hidrulicas

Como estamos recebendo:

STATUS

OK

OK

Presso hidrlica

Vlvulas

ITEM

Alguns exemplos

Como deveria ser:

Valor de referncia Valor encontrado Valor ajustado

210 bar (1)208 bar

(ver foto 6)

210 bar

(ver foto 10)

30,3 lpm (1)26,5 lpm

(ver foto 7)

30,3 lpm

(ver foto 11)

70 a 140 bar (2)117 bar

(ver foto 8)

135 bar

(ver foto 12)

15 a 23 lpm (2)18,9 lpm

(ver foto 9)

22 lpm

(ver foto 13)

(1) Conforme manual do fabricante - pg. 3 - 5

(2) Conforme especificao tcnica 02.111-EG/RD-011c item 5.5.5

Presso do circuito

hidrulico principal

Vazo do circuito

hidrulico principal

ITEM

Presso do circuito

hidrulico de

ferramentas

Vazo do circuito

hidrulico de

ferramentas

Alguns exemplos

Alguns exemplos

Verificar As condies e o torque nos parafusos e outros tipos de

fixadores, de acordo com as recomendaes do fabricante;

Como estamos recebendo:

C NC NA

XTorque e condies dos parafusos

Item

Alguns exemplos

Como deveria ser:

Alguns exemplos

Alguns exemplos

Verificar Marcaes de instruo, advertncias operacionais e de identificao

para atestar a legibilidade e adequao;

Como estamos recebendo:

OK NC NAItem

Adesivos de advertncia e instrues

Alguns exemplos

Como deveria ser:

Alguns exemplos

Ensaio de desempenho funcional Verificar o funcionamento dos sistemas de bloqueio.

Como estamos recebendo: Recebemos os mais variados tipos de ensaios, sem nenhum embasamento em manuais, normas ou outra referncia tcnica. Decidimos no descrever os ensaios recebidos para no expor nenhum profissional ou empresa, uma vez que este no o nosso objetivo. Infelizmente, muitos dos ensaios apresentados nos laudos no verificam realmente o funcionamento dos sistemas de bloqueio.

Alguns exemplos Como deveria ser:

Alguns exemplos

Alguns exemplos

Assinatura do laudo de emisso acstica

Como estamos recebendo:

NOME DO INSPETOR ASSINATURAINSPETOR N1 FULANO DE TAL - ASNT XXXXX Fulano de TalINSPETOR N2 CICRANO DE TAL - ASNT XXXXX Cicrano de TalDATA

01/01/2018

LOCAL

BELO HORIZONTE

Alguns exemplos Como deveria ser:

NOME DO INSPETOR ASSINATURA

INSPETOR N1 FULANO DE TAL - SNQC XXXXX Fulano de TalINSPETOR N2 CICRANO DE TAL - SNQC XXXXX Cicrano de TalDATA

01/01/2018

LOCAL

BELO HORIZONTE

OBSERVAO: No laudo de Emisso Acstica deve haver a assinatura de um inspetor com nvel N2 ou N3, responsvel legalmente pelo laudo.

Documentao anexa obrigatria

Junto com o laudo de inspeo e ensaios, devem ser anexos os seguinte documentos: ART registrada no CREA;

Laudos de calibrao de instrumentos utilizados na inspeo e ensaios;

Laudo dos ensaios eltricos realizados na lana isolada e no liner da caamba de cestos acoplados e de cestas areas, assinado por Engenheiro Eletricista (aplicvel no caso de ensaios peridicos);

Laudo do ensaio de emisso acstica assinado por inspetor certificado com treinamento nvel N2 (mnimo), conforme ISO 9712 (aplicvel no caso de ensaios eventuais). OBSERVAO: S so aceitos laudos de profissionais com certificao SNQC.