Projeto Ferro Caraj£Œs ... £© o projeto Ferro Caraj£Œs S11D, que a partir de 2016, uma vez obtida a

  • View
    0

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Projeto Ferro Caraj£Œs ... £© o projeto Ferro Caraj£Œs S11D, que...

  • Projeto Ferro Carajás S11D

    Um novo impulso ao desenvolvimento sustentável do Brasil

  • Projeto Ferro Carajás S11D Um novo impulso ao desenvolvimento sustentável do Brasil

  • 4

  • 5

    Esta publicação da Vale tem o objetivo de apresentar à sociedade

    o projeto Ferro Carajás S11D.

    O projeto representa a expansão da atividade de extração e beneficiamento

    de minério de ferro no Complexo Minerador de Carajás, em operação

    desde 1985. Desde então, além de produzir o melhor minério de ferro do

    mundo, abastecendo o mercado nacional e internacional, a atuação da Vale

    nos municípios de Parauapebas e Canaã dos Carajás, no sudeste do Pará,

    proporcionou à região Norte do Brasil um forte ciclo de desenvolvimento

    econômico e social, com benefícios igualmente importantes para a preservação

    do meio ambiente.

    Por meio das experiências vividas em Carajás, e de projeções sobre a expansão

    do complexo minerador, a Vale pretende compartilhar com a sociedade, nesta

    publicação, a importância do projeto S11D para a existência de mais um ciclo de

    desenvolvimento sustentável nos estados do Pará e do Maranhão – onde se situa

    o Terminal Portuário de Ponta da Madeira – e para a continuidade da inserção

    do Brasil como um agente importante no mercado mundial de minério de ferro.

    Os dados quantitativos do projeto S11D aqui informados são estimativas

    e devem ser considerados como tal.

    Junho de 2012

    Apresentação

  • 6

  • 7

    O Complexo Minerador de Carajás

    O projeto Ferro Carajás S11D

    Desenvolvimento econômico

    Preservação ambiental

    Benefícios sociais

    Inovação e tecnologia

    Índice 08 10 18 26 34 42

    A gê

    nc ia

    V al

    e

  • 8

    Parauapebas

    Açailândia

    Santa Inês

    São Luís

    Marabá

    Carajás S11D

    Canaã dos Carajás

    O Complexo Minerador de Carajás

    Futuras instalações do Complexo Mina/Usina

    Instalações de apoio

    Expansão da Estrada de Ferro Carajás

    Remodelação de linhas existentes

    504 Km

    226 Km

  • 9

    Complexo Minerador de Carajás

    S11D

    Estrada de Ferro Carajás

    Rodovia

    Construção do Ramal Ferroviário Sudeste do Pará

    101 Km

    Expansão do Terminal Portuário de Ponta da Madeira

    Construção da Rodovia do Município de Canaã dos Carajás

    A gê

    nc ia

    V al

    e

    Sa lv

    ia no

    M ac

    ha do

    / A

    gê nc

    ia V

    al e

  • 10

  • 11

    O projeto Ferro Carajás S11D

    Maria do Socorro / Agência Vale

  • 12

    Um empreendimento de dimensões superlativas, que

    representará o maior volume de investimento privado

    no Brasil nesta década, promete dar um novo impulso

    ao desenvolvimento econômico e social nos estados

    do Pará e do Maranhão, contribuindo, ainda, para a

    preservação ambiental no bioma amazônico. Esse

    é o projeto Ferro Carajás S11D, que a partir de 2016,

    uma vez obtida a Licença de Operação e confirmado

    o cronograma de implantação, aumentará a

    quantidade de minério de ferro extraída do Complexo

    Minerador de Carajás, no sudeste paraense.

    A Vale chegou por lá no início da década de 1980, quando

    a ideia de extrair riquezas do solo de uma área florestal

    parecia inusitada. Ao longo dessas três décadas de atuação,

    a operação se mostrou um sucesso, contribuindo

    para a melhoria da vida da população dos arredores,

    fortalecendo a economia brasileira e contendo

    a expansão da pecuária predatória.

    Daquela “aventura” já longínqua, iniciada com a produção

    anual de um milhão de toneladas de minério de ferro e

    uma usina de beneficiamento semi-industrial, até 2011,

    quando se obteve um novo recorde de 109,8 milhões

    de toneladas produzidas, a Vale viveu uma trajetória

    de desafios e muito aprendizado na região.

    Em primeiro lugar, aprendeu a gerir os impactos sociais

    que um empreendimento desse vulto representa para

    os municípios envolvidos. Ao mesmo tempo que aumenta

    exponencialmente as ofertas de trabalho e o nível de renda

    das pessoas, induz a ocorrência de fluxos migratórios

    Benefícios econômicos, sociais e ambientais apresentados em Carajás desde 1985 atestam o potencial transformador do projeto da Vale

    Um novo ciclo de desenvolvimento

  • 13

    que podem levar problemas para uma área despreparada.

    Por isso, a empresa investe no relacionamento com

    as comunidades e iniciativas de cunho social, por

    meio da Fundação Vale (ver detalhes na página 36);

    desenvolve programas de qualificação de mão de obra,

    de empreendedorismo local, e investe em infraestrutura.

    Na área ambiental, todo o cuidado é pouco quando

    se está operando em meio a riquezas naturais de valor

    inestimável para o Brasil e o mundo. O compromisso

    da Vale com o respeito ao meio ambiente motivou

    investimentos diretos em áreas próprias e públicas,

    contribuindo atualmente para a preservação de mais de

    8 mil km², metade deles na Floresta Nacional de Carajás,

    que cedeu apenas 3% de sua área para o complexo

    minerador (ver detalhes na página 28).

    Por sua vez, a experiência da empresa em Carajás

    permitiu o desenvolvimento de tecnologias produtivas

    e logísticas que diminuirão muito o impacto ambiental

    do futuro empreendimento, em termos de recursos

    naturais utilizados e emissão de poluentes. Quando

    estiverem operacionais, a mina e a usina do projeto S11D

    produzirão com economia de 93% no consumo de água,

    77% no uso de combustível e 50% de redução na emissão

    de gases de efeito estufa, se comparadas aos métodos

    convencionais. A nova área de extração também será

    mais eficiente no consumo de energia elétrica (ver

    detalhes na página 44).

    Simulações do projeto Ferro Carajás S11D

  • 14

    Carajás representou também uma mudança de patamar para

    a economia do sudeste do Pará. Parauapebas, por exemplo, se

    tornou o primeiro município em exportações no Brasil, com o

    aumento na arrecadação tributária decorrente das atividades

    econômicas geradas a partir da mineração, e no número de

    empregos qualificados. Movimento semelhante, embora em

    menor escala, ocorreu ao longo da Estrada de Ferro Carajás e

    em São Luís do Maranhão, por onde a produção de minério é

    embarcada para o exterior. O projeto S11D promete um novo

    ciclo de desenvolvimento, gerando 30.000 empregos nos

    estados do Pará e Maranhão - esse número congrega todos

    os trabalhadores necessários desde a implantação da usina,

    passando pela expansão da ferrovia e do Terminal Portuário

    de Ponta da Madeira (ver detalhes na página 17).

    Projeto estratégico para a Vale e o Brasil

    Atualmente, a Vale realiza, em Carajás, a operação simultânea

    de quatro minas de ferro a céu aberto, e tem outra em fase

    de abertura. O complexo é o maior produtor de minério de

    ferro no planeta, além de possuir um produto com alto teor

    de ferro (cerca de 66%) e baixa concentração de impurezas.

    O S11D fornecerá 90 milhões de toneladas métricas

    de minério de ferro por ano. Quando estiver em plena

    capacidade, a produção total de minério da Vale no Pará

    deverá alcançar 230 milhões de toneladas por ano.

    A produção atenderá a demanda mundial aquecida pelos

    crescentes investimentos em construção civil, máquinas,

    equipamentos, aviões, celulares e outros elementos essenciais

    no dia a dia que têm o minério de ferro como ingrediente.

    A nova produção paraense de minério de ferro, em conjunto

    com os demais empreendimentos previstos para a região,

    posicionará o sudeste do Pará em patamar de importância

    equivalente à do Quadrilátero Ferrífero, localizado em Minas

    Gerais. O projeto S11D permitirá que a Vale mantenha sua

    posição de líder mundial no fornecimento de minério de ferro.

    O projeto recebeu esse nome em referência à sua localização

    (corpo S11, Bloco D). O potencial mineral do corpo S11

    é de 10 bilhões de toneladas de minério de ferro, sendo

    que o bloco D, isoladamente, possui 2,78 bilhões de

    toneladas de reserva a ser minerada pela Vale.

    Produção de minério de ferro no Complexo Minerador de Carajás (em milhões de toneladas)

    * projeção incluindo a produção estimada do S11D, de 90 milhões de toneladas por ano

    Operação de S11D a plena capacidade

    0

    230

    110

    1985

    1

    230 *

    2011

    109,8

  • 15

    Resultado de cinco anos de estudos ambientais e de

    engen