Click here to load reader

prova 26 - técnico(a) de manutenção júnior - área elétrica

  • View
    300

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of prova 26 - técnico(a) de manutenção júnior - área elétrica

26TCNICO(A) DE MANUTENO JNIOR REA ELTRICALEIA ATENTAMENTE AS INSTRUES ABAIXO.01 - Voc recebeu do fiscal o seguinte material:

a) este caderno, com o enunciado das 60 (sessenta) questes objetivas, sem repetio ou falha, com a seguinte distribuio: CONHECIMENTOS BSICOS LNGUA PORTUGUESA Questes 1 a 10 1,0 cada MATEMTICA Bloco 1 Questes 21 a 40 Pontuao 1,0 cada CONHECIMENTOS ESPECFICOS Bloco 2 Questes 41 a 50 Pontuao 1,0 cada Bloco 3 Questes 51 a 60 Pontuao 1,0 cada

Pontuao Questes Pontuao 11 a 20 1,0 cada

b) CARTO-RESPOSTA destinado s respostas das questes objetivas formuladas nas provas. 02 - Verifique se este material est em ordem e se o seu nome e nmero de inscrio conferem com os que aparecem no CARTO-RESPOSTA. Caso contrrio, notifique o fato IMEDIATAMENTE ao fiscal. 03 - Aps a conferncia, o candidato dever assinar, no espao prprio do CARTO-RESPOSTA, a caneta esferogrfica transparente de tinta na cor preta. 04 - No CARTO-RESPOSTA, a marcao das letras correspondentes s respostas certas deve ser feita cobrindo a letra e preenchendo todo o espao compreendido pelos crculos, a caneta esferogrfica transparente de tinta na cor preta, de forma contnua e densa. A LEITORA TICA sensvel a marcas escuras, portanto, preencha os campos de marcao completamente, sem deixar claros. Exemplo: 05 - Tenha muito cuidado com o CARTO-RESPOSTA, para no o DOBRAR, AMASSAR ou MANCHAR. O CARTO-RESPOSTA SOMENTE poder ser substitudo se, no ato da entrega ao candidato, j estiver danificado em suas margens superior e/ou inferior - BARRA DE RECONHECIMENTO PARA LEITURA TICA. 06 - Para cada uma das questes objetivas, so apresentadas 5 alternativas classificadas com as letras (A), (B), (C), (D) e (E); s uma responde adequadamente ao quesito proposto. Voc s deve assinalar UMA RESPOSTA: a marcao em mais de uma alternativa anula a questo, MESMO QUE UMA DAS RESPOSTAS ESTEJA CORRETA.

07 - As questes objetivas so identificadas pelo nmero que se situa acima de seu enunciado. 08 - SER ELIMINADO do Processo Seletivo Pblico o candidato que: a) se utilizar, durante a realizao das provas, de mquinas e/ou relgios de calcular, bem como de rdios gravadores, headphones, telefones celulares ou fontes de consulta de qualquer espcie; b) se ausentar da sala em que se realizam as provas levando consigo o CADERNO DE QUESTES e/ou o CARTO-RESPOSTA. c) no assinar a LISTA DE PRESENA e/ou o CARTO-RESPOSTA. Obs. O candidato s poder se ausentar do recinto das provas aps 1 (uma) hora contada a partir do efetivo incio das mesmas. Por motivos de segurana, o candidato NO PODER LEVAR O CADERNO DE QUESTES, a qualquer momento. 09 - Reserve os 30 (trinta) minutos finais para marcar seu CARTO-RESPOSTA. Os rascunhos e as marcaes assinaladas no CADERNO DE QUESTES NO SERO LEVADOS EM CONTA. 10 - Quando terminar, entregue ao fiscal o CADERNO DE QUESTES, o CARTO-RESPOSTA e ASSINE A LISTA DE PRESENA. 11 - O TEMPO DISPONVEL PARA ESTAS PROVAS DE QUESTES OBJETIVAS DE 4 (QUATRO) HORAS, includo o tempo para a marcao do seu CARTO-RESPOSTA. 12 - As questes e os gabaritos das Provas Objetivas sero divulgados no primeiro dia til aps a realizao das mesmas, no endereo eletrnico da FUNDAO CESGRANRIO (http://www.cesgranrio.org.br).

1

TCNICO(A) DE MANUTENO JNIOR REA ELTRICA

EDITAL No 1 TRANSPETRO PSP RH - 3/2011

LNGUA PORTUGUESAA CARTA AUTOMTICA Mais de cem anos depois do surgimento do telefone, o comeo dos anos 90 nos oferece um meio de comunicao que, para muitos, resgata um pouco do romantismo da carta. A Internet no usa papel colorido e perfumado, e sequer precisa de selos, mas, para muitos, fez voltar moda o charme da comunicao por escrito. E, se o provedor no estiver com problemas, faz isso com o imediatismo do telefone. A rede tambm foi uma inveno que levou algum tempo para cair no gosto do pblico. Criada em 1993 para uso domstico, h muito ela j era usada por cientistas universitrios que queriam trocar informaes. Mas, s aps a difuso do computador domstico, realizada efetivamente h uns quatro ou cinco anos, que o pblico pde descobrir sua utilidade. Em The victorian internet, Tom Standage analisa o impacto da criao do telgrafo (surgido em 1837).Uma nova tecnologia de comunicao permitia s pessoas se comunicarem quase que instantaneamente, estando longa distncia (...) Isto revolucionou o mundo dos negcios.(...) Romances floresceram sob impacto do telgrafo. Cdigos secretos foram inventados por alguns usurios e desvendados por outros. (...) O governo e as leis tentaram controlar o novo meio e falharam. (...) Enquanto isto, pelos cabos, uma subcultura tecnolgica com seus usos e vocabulrio prprio se estabelecia.

1De acordo com o exposto no texto, a comunicao via Internet (A) foi concebida para atender ao uso domstico de modo restrito. (B) perdeu o romantismo da troca de cartas escritas a mo. (C) teve sua utilidade aceita de imediato pelo pblico. (D) tornou-se imediatista, exceto quando h problema no provedor. (E) representou uma revoluo similar do telgrafo em sua poca.

5

10

2Autoestrada na expresso a autoestrada do pensamento ( . 28) significa (A) (B) (C) (D) (E) diretriz canal expanso objetividade modernizao

15

20

3A substituio da palavra em destaque ALTERA o sentido do enunciado em: (A) Romances floresceram sob impacto do telgrafo. ( . 21) / Romances imergiram sob impacto do telgrafo. (B) Cdigos secretos foram inventados (...) ( . 21/22) / Cdigos secretos foram criados (C) O governo e as leis tentaram controlar (...) ( . 23) / O governo e as leis procuraram controlar (D) (...) tentaram controlar o novo meio e falharam. ( . 23-24) / tentaram controlar o novo meio e erraram. (E) (...) com seus usos e vocabulrio prprio se estabelecia. ( . 25-26) / com seus usos e vocabulrio peculiar se estabelecia.

25

30

35

40

45

50

Igual impacto teve a Internet. Antes do telgrafo, batizado de a autoestrada do pensamento, o ritmo de vida era superlento. As pessoas saam para viajar de navio e no se ouviam notcias delas durante anos. Os pases que quisessem saber se haviam ou no ganho determinada batalha esperavam meses pelos mensageiros, enviados no lombo dos cavalos. Neste mundo em que reinava a Rainha Vitria (1819-1901), o telgrafo provocou a maior revoluo das comunicaes desde o aparecimento da imprensa. A Internet no chegou a tanto. Mas nada encurta tanto distncias como entrar num chat com algum que esteja na Noruega, por exemplo. Se o telgrafo era a autoestrada do pensamento, talvez a rede possa ser a superautoestrada. Dos pensamentos e das abobrinhas. As tecnologias de conversao realmente mudam as conversas. Apesar de ser de fundamental utilidade para o trabalho e a pesquisa, o correio feito pela rede permite um tipo de conversa diferente daquela que ocorre por telefone. Talvez um dia, no futuro, pesquisadores analisem as razes pelas quais a rede, rpida e imediata e sem o vivo colorido identificador da voz, se presta a bate-papos (via e-mails, chats, comunicadores instantneos) at mais informais do que os que fazemos por telefone.CAMARGO, Maria Slvia. 24 dias por hora. Rio de Janeiro: Rocco, 2000. p. 135-137. Adaptado.

4A mudana na pontuao mantm o sentido da frase original, preservando a norma-padro da lngua, em: (A) (...) realizada efetivamente h uns quatro ou cinco anos, ( . 14) / realizada efetivamente h uns quatro, ou cinco anos, (B) (...) analisa o impacto da criao do telgrafo (surgido em 1837). ( . 16-17) / analisa o impacto da criao do telgrafo: surgido em 1837. (C) Romances floresceram sob impacto do telgrafo. Cdigos secretos foram inventados (...) ( . 21-22) / Romances floresceram sob impacto do telgrafo, cdigos secretos foram inventados (D) Igual impacto teve a Internet. ( . 27) / Igual impacto, teve a Internet. (E) (...) no se ouviam notcias delas durante anos. ( . 30) / no se ouviam notcias, delas, durante anos.

TCNICO(A) DE MANUTENO JNIOR REA ELTRICA

2

5O termo destacado na sentena substitudo corretamente pelo pronome da expresso ao lado, de acordo com a norma-padro em: (A) A Internet no usa papel (...) ( . 4) no o usa. (B) (...) faz isso com o imediatismo do telefone. ( . 8) faz-lo como imediatismo do telefone. (C) (...) permitia s pessoas (...) ( . 18) Permita-as. (D) (...) em que reinava a Rainha Vitria (...) ( . 34) Em que reinava-a. (E) (...) provocou a maior revoluo (...) ( . 35) provocou-lhe.

9A sentena em que a expresso em negrito est usada de acordo com a norma-padro : (A) O provedor que comprei o plano demonstra eficincia. (B) As pessoas dos quais compareceram desconheciam informtica. (C) O desejo de que a Internet ficasse mais rpida se realizou. (D) O menino, o cujo pai trabalha em informtica, vir ajudar-nos. (E) A matria aonde me dei mal foi programao.

10 6Considere a frase abaixo. O chefe de vrios departamentos identifica a mudana no cenrio da informtica. A palavra identifica pode ser substituda, mantendo o sentido da sentena, pelo verbo ver, flexionado de acordo com a norma-padro, por (A) (B) (C) (D) (E) vm veem vem v viram A formao do plural est de acordo com a norma-padro em (A) gua-marinha gua-marinhas (B) navio-escola navio-escolas (C) alto-mar alto-mares (D) salva-vida salva-vidas (E) vice-almirante vices-almirantes

MATEMTICA11A tabela abaixo apresenta o preo da bandeirada (taxa fixa paga pelo passageiro) e do quilmetro rodado em quatro capitais brasileiras. Capital Boa Vista Vitria Natal Rio de Janeiro Bandeirada (R$) 2,50 3,40 3,88 4,40 km rodado (R$) 2,86 1,85 2,02 1,60

7De acordo com a ortografia da lngua portuguesa, associe as palavras esquerda letra ou ao dgrafo propostos direita. I II III IV exce__o marginali__ar e__tranho m__imo P Q R S T ss z s x

As associaes corretas so: (A) I P , II R , III T , IV S (B) I Q , II P , III T , IV R (C) I R , II S , III T , IV P (D) I S , II Q , III R , IV T (E