Prova faseh medicina manhã JUNHO - 2009

Embed Size (px)

Text of Prova faseh medicina manhã JUNHO - 2009

Faculdade da Sade e Ecologia Humana

2o PROCESSO SELETIVO/2009LEIA COM ATENO AS INSTRUES DESTE CADERNO. Elas fazem parte da sua prova.Este caderno contm a Prova Objetiva das reas de Lngua Portuguesa e Literatura Brasileira e de Biologia. (A Prova de Redao compe um caderno parte.) Use como rascunho a Folha de Respostas reproduzida no final deste caderno. Ao receber a Folha de Respostas: . confira seu nome, seu nmero de inscrio e seu curso de opo; . assine, A TINTA, no espao prprio indicado. Ao transferir as respostas para a Folha de Respostas: . use apenas caneta esferogrfica azul ou preta; . preencha, sem forar o papel, toda a rea reservada letra correspondente resposta solicitada em cada questo; . assinale somente uma alternativa em cada questo. Sua resposta no ser computada se houver marcao de mais de uma alternativa, questes no assinaladas ou questes rasuradas. NO DEIXE NENHUMA QUESTO SEM RESPOSTA. A Folha de Respostas no deve ser dobrada, amassada ou rasurada. CUIDE BEM DELA, ELA A SUA PROVA. No perodo previsto para a realizao das Provas Objetivas e de Redao, est includo o tempo necessrio transferncia das respostas s questes para a Folha de Respostas e da verso final da redao para a Folha de Redao.

A 01 02 03 04

B

C

D

DURAO TOTAL DAS PROVAS OBJETIVA E DE REDAO: QUATRO HORAS

ATENOSenhor(a) Candidato(a),

Antes de comear a fazer esta Prova Objetiva, confira se este caderno contm, ao todo, 40 (quarenta) questes de mltipla escolha alternativas cada uma constituda de 4 (quatro)

, assim distribudas: 20 (vinte) questes de

Lngua Portuguesa e Literatura Brasileira e 20 (vinte) questes de Biologia, todas perfeitamente legveis. Havendo algum problema, informe-o imediatamente ao Aplicador de Provas, para que ele tome as providncias necessrias. Caso V.Sa. no observe essa recomendao, no lhe caber qualquer reclamao ou recurso posteriores.

2

Lngua Portuguesa e Literatura BrasileiraINSTRUO: As questes de 01 a 15 relacionam-se com o texto abaixo. Leia atentamente todo o texto antes de responder a elas.

DE ONDE VEM A

INTELIGNCIAO americano Thomas Harvey disse ter se sentido sortudo ao deparar com o corpo do fsico Albert Einstein em cima da mesa de autpsias do Hospital de Princeton, nos Estados Unidos. No se tratava apenas da empolgao de um patologista esses detetives da medicina que a cada nova necropsia procuram pelas causas de uma morte. Naquela manh de 18 de abril de 1955, sete horas depois de Einstein morrer, aos 76 anos, em decorrncia de um aneurisma abdominal, Harvey vislumbrou a possibilidade de uma descoberta histrica. Sem a autorizao em vida de Einstein ou de sua famlia, ele abriu o crnio de seu paciente mais ilustre. Sugou o liquor do crebro pelo nariz e com uma das mos envolveu o bolo de massa cinzenta que revolucionara a cincia ao redefinir os conceitos de espao e tempo. Harvey cortou as fibras que o prendiam ao corpo e o suspendeu. Acreditava que o crebro de 1,2 quilo em suas mos mais leve que o da mdia da populao responderia pergunta que j desafiava pensadores 400 anos antes de Cristo. Qual a essncia da inteligncia? Cinco dcadas depois do dia de sorte de Harvey, o crebro de Einstein dividido em 240 finas fatias flutua em dois potes de vidro no Centro Mdico de Princeton. Durante todos esses anos, Harvey dedicou-se a enviar alguns desses pedaos a vrios especialistas. Caberia a eles investigar o crebro de um gnio e divulgar para o mundo a receita de tanta inteligncia. Alguns deles arriscaram publicar seus achados. O primeiro: a regio encarregada da habilidade matemtica, chamada lobo parietal, era 15% maior no crebro de Einstein. A segunda concluso: as circunvolues, aquelas dobras que do uma aparncia rugosa ao crebro, eram distribudas em um padro que aproximava os neurnios, facilitando a transmisso de estmulos nervosos. A terceira descoberta: os neurnios eram mais bem alimentados. Einstein tinha uma proporo maior de clulas fornecedoras de nutrientes em seu crebro. Foram constataes curiosas, sem dvida. Mas pouco revelaram sobre o segredo da genialidade. Como garantir que as particularidades encontradas no crebro de Einstein foram responsveis por sua inteligncia fora do comum? H poucos crebros to geniais quanto o dele e um nmero muito menor chega s mos dos pesquisadores. Sem base de comparao, no h como provar cientificamente que um crebro com as mesmas caractersticas faria de algum um gnio. Um fim triste para o bem mais precioso de Einstein e para o ato ousado de Harvey que morreu em 2007, aos 94 anos, dizendo-se cansado da responsabilidade de ser o guardio de um crebro to privilegiado. Os cientistas de hoje podem no contar com uma matria-prima nobre como essa, mas ironicamente esto mais perto de revelar a essncia da inteligncia do que Harvey jamais esteve. Eles tm acesso direto a algo que confere brilho a um 3

5

10

15

20

25

30

35

crebro: as modernas tcnicas de ressonncia magntica. Essas tcnicas, 40 desenvolvidas na ltima dcada, colorem as regies ativadas durante a realizao de cada tarefa. E mostram a intrincada rede de interaes que produz a inteligncia.BUSCATO, Marcela. POCA. 11 de maio de 2009. (Texto adaptado).

Questo 1As idias contidas no texto foram apresentadas e desenvolvidas a partir de A) um documento. B) um relato. C) uma citao. D) uma sugesto.

Questo 2Sem a autorizao em vida de Einstein ou de sua famlia, ele (Thomas Harvey) abriu o crnio de seu paciente mais ilustre. (linhas 7-9) No texto, a ao explicitada nessa frase foi considerada, literalmente, como A) arriscada. B) curiosa. C) engenhosa. D) ousada.

Questo 3Sem a autorizao em vida de Einstein ou de sua famlia, ele (Thomas Harvey) abriu o crnio de seu paciente mais ilustre. (linhas 7-9) Considerando o que est expresso no texto, CORRETO afirmar que a ao revelada nessa frase teve um propsito A) autopromocional. B) cientfico. C) comercial. D) publicitrio.

4

Questo 4A leitura do texto permite afirmar que o ato perpetrado por T. Harvey mostrou-se, para o que ele pretendia, A) adequado. B) desastroso. C) insuficiente. D) nocivo.

Questo 5Como garantir que as particularidades encontradas no crebro de Einstein foram responsveis por sua inteligncia fora do comum? (linhas 28-29) Por essa frase pode-se entender que, com relao aos diversos achados dos cientistas, NO houve preocupao especfica com A) adequao das descobertas. B) exatido dos conhecimentos. C) prudncia nas afirmaes. D) repercusso das informaes.

Questo 6Sem base de comparao, no h como provar cientificamente que um crebro com as mesmas caractersticas faria de algum um gnio. (linhas 31-33) CORRETO considerar que a afirmao contida nessa frase revela que as pesquisas mencionadas no texto foram prejudicadas por A) escassez de dados. B) impreciso de frmulas. C) multiplicidade de propsitos. D) superficialidade dos estudos.

5

Questo 7Os cientistas de hoje [...] esto mais perto de revelar a essncia da inteligncia do que Harvey jamais esteve. (linhas 36-38) Considerando informaes explicitadas no texto, pode-se afirmar que a informao expressa nessa frase baseia-se, principalmente, na aluso a A) avanos tecnolgicos. B) descobertas mais recentes. C) procedimentos sistemticos. D) teorias mais evoludas.

Questo 8E mostram a intrincada rede de interaes que produz a inteligncia. (linha 41) A palavra sublinhada pode ser adequadamente substituda, nessa frase, por A) comparaes. B) parentescos. C) relaes. D) semelhanas.

Questo 9(Harvey) [...] envolveu o bolo de massa cinzenta que revolucionara a cincia ao redefinir os conceitos de espao e tempo. (linhas 10-11) A forma verbal sublinhada nessa frase pode ser adequadamente substituda por A) tenha revolucionado. B) ter revolucionado. C) teria revolucionado. D) tinha revolucionado.

6

Questo 10Harvey cortou as fibras que o prendiam ao corpo e o suspendeu. (linha 11) Os pronomes sublinhados nessa frase referem-se, no texto, a A) bolo (de massa cinzenta). B) crebro. C) liquor. D) nariz.

Questo 11Alguns deles arriscaram publicar seus achados. (linhas 19-20) A palavra sublinhada ser adequadamente classificada nessa frase como um A) adjetivo. B) pronome. C) substantivo. D) verbo.

Questo 12[...] as circunvolues [...] eram distribudas em um padro que aproximava os neurnios [...] (linhas 22-23) A forma verbal sublinhada nessa frase pode ser adequadamente substituda por A) distribuam-se. B) distribuem-se. C) distribuam-se. D) distriburam-se.

7

Questo 13Mas pouco revelaram sobre o segredo da genialidade. (linhas 27-28) A conjuno sublinhada confere a essa frase, em relao ao perodo que a antecede, um sentido de A) alternncia. B) concluso. C) explicao. D) oposio.

Questo 14Como garantir que as particularidades encontradas no crebro de Einstein foram responsveis por sua inteligncia fora do comum? (linhas 28-29) A expresso sublinhada tem, nessa frase, a funo de A) conectar. B) indefinir. C) qualificar. D) substituir.

Questo 15Essas tcnicas [...] colorem as regies ativadas durante a realizao de cada tarefa. (linhas 39-40) A expresso sublinhada tem, nessa frase, um sentido de A) condio. B) consequncia. C) modo. D) tempo.

8

Questo 16Assinale a alternativa CORRETA relativamente obra Antes do baile verde, de Lygia Fagundes Telles. A) Constitui um tipo de narrao que contm todos os elementos bsicos do romance. B) A tragdia das narrativas molda o ceticismo como principal caracterstica de seus personagens. C) Os relatos apresentam um conflito inicial, mas evoluem para uma situao de equilbrio. D) Explora fatos corriqueiros sob pontos de vista capazes de os desnaturalizar frente ao leitor.

Questo 17Assinale a alternativa que contm elementos de intertextualidade. A) Ele riu tambm, mas logo ficou srio. Sentou-se diante dela, juntou as pernas e col