Prova gabarito soldado pmmg

  • View
    28.137

  • Download
    11

Embed Size (px)

Text of Prova gabarito soldado pmmg

  • 1. CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEO A BUSCA PELA EXCELNCIA EM CONCURSOS.CONCURSO PBLICO PARA ADMISSO AO CURSO DEFORMAO DE SOLDADOS DA POLCIA MILITAR DE MINASGERAIS (QPPM), PARA O ANO DE 2014 (CFSd QPPM/2014).CFSd QPPM/2014(Edital DRH/CRS n 14/2012, de 11 de dezembro de 2012)INSTRUES AOS CANDIDATOS1. Abra este caderno de prova somente quando autorizado.2. Esta prova contm 40 (quarenta) questes, valendo 5,00 (cinco) pontos cada e valor totalde 200 (duzentos) pontos.3. O tempo mximo permitido para a realizao da prova objetiva ser de 03 (trs) horasincluindo o preenchimento da folha de respostas.4. Responda as questes e marque a opo desejada na folha de respostas, usando caneta(tinta azul ou preta).5. Para cada questo existe somente uma resposta correta.6. Prova sem consulta.7. No ser admitido nenhum tipo de rasura na folha de respostas. As questes rasuradas ouem branco ou com dupla marcao sero consideradas nulas para o candidato.8. proibido o uso de mquinas calculadoras, telefones celulares ou outros similares.9. Iniciadas as provas, os candidatos somente podero deixar a sala, e a esta retornar,exclusivamente para uso de sanitrios ou bebedouros.10. Ao final da prova, entregue ao aplicador a folha de respostas, devidamente preenchida,assinada e conferida.DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOSCENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEONOME: _____________________________________________LOCAL DE PROVA: _________________ SALA: __________DATA: 28/04/2013

2. CONCURSO PBLICO PARA ADMISSO AO CURSO DE FORMAO DE SOLDADOS DA PMMG (CFSd QPPM/2014).CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEO A BUSCA PELA EXCELNCIA EM CONCURSOS. 2 3. CONCURSO PBLICO PARA ADMISSO AO CURSO DE FORMAO DE SOLDADOS DA PMMG (CFSd QPPM/2014).CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEO A BUSCA PELA EXCELNCIA EM CONCURSOS. 3LNGUA PORTUGUESAA televiso e a volta s cavernasRoberto Pompeu de ToledoTende-se a esquecer, nestes tempos, que o melhor meio de comunicaoj inventado a palavra. Qual a minha porta? Est o leitor, ou a leitora, diantedos toaletes de um restaurante, um teatro ou hotel, e com frequnciaexperimentar um momento de vacilao. No que tenha dvida quanto ao prpriosexo. A dvida com relao queles sinais inscritos sobre cada uma das portas que querem dizer? Olha-se bem. Procura-se decifrar seu significado profundo.Enfim, vem a iluminao: ah, sim, este um boneco de calas. Sim, parece serisso. E aquela silhueta, ali ao lado, parece ser uma boneca de saia. Ento, esta aminha porta, concluir o leitor. E aquela a minha, concluir a leitora.A humanidade demorou milhes de anos para inventar a linguagem escritae vm agora as portas dos toaletes e a desinventam. Por que no escreverhomens e mulheres, reunio de letras que proporciona a segurana da clarezae do entendimento imediato? No. Algumas portas exibem silhuetas de calas esaias. Outras, desenhos de cartolas, luvas, bolsas, gravatas, cachimbos e outrosadereos de uso supostamente exclusivo de um sexo ou outro. Milhes de anos deprogresso da humanidade, at a inveno da comunicao escrita, so jogadosfora, porta dos toaletes.E, no entanto a palavra, a palavra escrita especialmente, continua sendoestupendo meio de comunicao. Deixa-se um bilhete para um colega de trabalhodizendo Fui para casa, e vazado nesses termos, com o uso dessas trs singelaspalavrinhas, ser sem dvida de entendimento mais fcil e unvoco do que sedesenhar uma casinha de um lado, um hominho de outro, e uma flecha indicandoo movimento de um para a outra. Vivemos um tempo de culto da imagem.Esquece-se o valor inestimvel da palavra.A comunicao escrita muito eficiente, inclusive porque tem o dom deatravessar os sculos. Tomemos Cames. Claro que se algum cinegrafistaamador tivesse registrado o naufrgio do poeta, perto da foz do rio Mekong, nosconfins da sia, e as cenas em que ele, como diz a lenda, procurava a salvaosimultnea da prpria vida e da obra, nadando com um brao e com o outrosegurando os originais dos Lusadas, acima da linha dgua para mant-los secos,seria um documento de grande valor. Teramos uma edio de gala do JornalNacional. Mas o filme s despertaria esse interesse porque Cames Cames.Ou seja, porque autor de uma obra escrita que atravessou os sculos. Camescomunica-se conosco, quatro sculos depois de sua morte, porque se utilizoudessa ferramenta insubstituvel que a palavra gravada num papel, ou numpapiro, ou numa prensa.O pensador italiano Norberto Bobbio, em seu ltimo livro publicado noBrasil (O tempo da memria), afirma que se irrita em falar ao telefone. Bobbio citaoutro italiano, Guido Ceronetti, que escreveu: Sempre que posso (...) fao 4. CONCURSO PBLICO PARA ADMISSO AO CURSO DE FORMAO DE SOLDADOS DA PMMG (CFSd QPPM/2014).CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEO A BUSCA PELA EXCELNCIA EM CONCURSOS. 4apaixonada apologia de escrever cartas entre seres pensantes, ainda noembrutecidos, que se comunicam apenas pelo telefone, ou ento por fax outelefone celular. (...) O homem que pensa de verdade escreve cartas aos amigos.O homem do sculo XX acostumou-se a pensar que o sculo XX maravilhoso. Em matria de cincia e tecnologia, suas conquistas seriaminigualveis. V l, o telefone representou um avano. Mas consideremos, por ummomento, o que ele ps a perder. O hbito de escrever cartas, como diz Ceronetti,e o exerccio de inteligncia que isso representa. A conversa direta, olho no olho.O hbito de fazer visitas, de procurar diretamente as pessoas. Com telefone, noteria havido este ponto alto da criao humana que o romance do sculo XIX. Osenredos tem base em visitas, encontros inesperados, notcias que chegam tarde.Com telefone, no h histria de Dostoievski, Balzac, Dickens ou Ea de Queirsque resista.A desvalorizao da comunicao escrita, em nosso tempo, comea numabanalidade como as portas dos toaletes e culmina neste smbolo do sculo que oculto da conquistas tecnolgicas do rdio ao telefone celular, no caso dascomunicaes. Ora, conquista por conquista, continua insupervel, no mesmoramo das comunicaes, em primeiro lugar a inveno de uma lngua comum, emcada determinada comunidade, e em segundo a reproduo dessa lngua emsignos escritos.Lorde Thomson of Monifieth, um ingls que j presidiu a IndependentBroadcasting Authority, rgo de superviso do sistema de rdio e televiso naGr-Bretanha, disse certa vez numa conferncia que lamenta no ter surgido nahistria da humanidade primeiro a televiso, e depois os tipos mveis deGutenberg. Penso que imprimir e ler representam formas mais avanadas decomunicao civilizada do que a transmisso de TV, afirmou. Esse lcido inglsconfessou que, em seus momentos sombrios, se sente incomodado com opensamento de que a humanidade caminhou milhes de anos para voltar ao pontode partida. Comeou magnetizada pelos desenhos nas paredes das cavernas eterminou magnetizada diante das figuras de alta definio nas paredes onde seembutem os aparelhos de televiso.TOLEDO, Roberto Pompeu de. Ensaio. Revista Veja, 25 jun. 1997. Abril S.A.1 QUESTO Assinale a alternativa que exprime CORRETAMENTE a opinio doautor:A. ( ) A linguagem escrita tornou-se dispensvel para a humanidade.B. ( ) A imagem o meio de comunicao dos tempos modernos com isso, apalavra perdeu seu valor inestimvel.C. ( ) A palavra o mais importante meio de comunicao.D. ( ) A leitura de Cames e a escrita de cartas devem ser substitudas por e-mails, mensagens de celulares e outras tecnologias que acompanhemnosso tempo. 5. CONCURSO PBLICO PARA ADMISSO AO CURSO DE FORMAO DE SOLDADOS DA PMMG (CFSd QPPM/2014).CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEO A BUSCA PELA EXCELNCIA EM CONCURSOS. 52 QUESTO Leia:E no entanto a palavra, a palavra escrita especialmente...Assinale a alternativa em que a expresso sublinhada NO foi substituda poroutra de valor equivalente:A. ( ) E contudo a palavra, a palavra escrita especialmente...B. ( ) E visto que a palavra, a palavra escrita especialmente...C. ( ) E todavia a palavra, a palavra escrita especialmente...D. ( ) E entretanto a palavra, a palavra escrita especialmente...3 QUESTO Assinale a alternativa que NO est de acordo com o texto:A. ( ) Para dar veracidade aos seus argumentos, o autor cita outros autoresimportantes.B. ( ) O texto encerra de modo impactante a ideia de que a televiso umretrocesso em relao conquista da escrita.C. ( ) O autor compara a ineficincia da comunicao escrita com a eficincia dacomunicao visual num caso muito particular: a identificao dosbanheiros masculino e feminino.D. ( ) O autor vale-se de certa dose de ironia ao citar Cames.4 QUESTO Leia:... e vazado nesses termos...Assinale a alternativa em que o termo em destaque pode ser substitudo por outrode igual valor:A. ( ) MoldadoB. ( ) LanadoC. ( ) DespejadoD. ( ) Oportuno 6. CONCURSO PBLICO PARA ADMISSO AO CURSO DE FORMAO DE SOLDADOS DA PMMG (CFSd QPPM/2014).CENTRO DE RECRUTAMENTO E SELEO A BUSCA PELA EXCELNCIA EM CONCURSOS. 65 QUESTO Assinale a alternativa que NO est de acordo com as ideias dotexto:A. ( ) O pensamento da humanidade caminhou anos at voltar para as cavernas,onde as figuras esto embutidas na televiso.B. ( ) A cincia e a tecnologia acabaram com antigos hbitos, como asconversas olho no olho, as visitas e a leitura de clssicos da literatura.C. ( ) A obra de Cames s pode ser totalmente compreendida agora, com oavano da comunicao escrita.D. ( ) A comunicao escrita tem seu declnio com a tecnologia atravs doscelulares.6 QUESTO Leia:... um hominho de outro.... A palavra sublinhada a forma popular do diminutivodo vocbulo homem. Assinale a forma erudita, culta, adequada a esse texto:A. ( ) homenzicoB. ( ) homenzarroC. ( ) homenzitoD. ( ) homnculoGRAMTICA7 QUESTO Quanto ao emprego dos pronomes, segundo o padro culto,marque a alternativa CORRETA:A. ( ) Jean, ns queremos falar consigo.B. ( ) Com ns outros tal problema no acontece.C. ( ) Havia pouco o que reduzir.D. ( ) Na rvore, para l da montanha, houve uma reunio de tropeiros, que fuiconvidado.8 QUESTO Marque a alternativa CORRETA. H zeugma na seguinteassertiva:A. ( ) Minha me trabalha numa empresa particular; eu, na pblica.B. ( ) Uma pessoa torpe, uma c