PROVA OBJETIVA 2013.2 - REVISADA

Embed Size (px)

Text of PROVA OBJETIVA 2013.2 - REVISADA

  • Processo Seletivo Vestibular 2013/2 - 08 de junho de 2013 Questes Objetivas

    2 | P g i n a

    PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2013/2

    DIREITO

    PORTUGUS

    Texto para as questes de 1 a 7 e 10.

    TEXTO I O DEVER DE REAGIR

    Nas sociedades primitivas, a nica forma de punir um assassino era pela vingana. O mtodo inclua o emprego da fora fsica e podia ser executado pelo ofendido, seu cl ou sua tribo. Nesse processo, no se discutia o que era crime quem podia ou no ser punido, nem as circunstncias em que o assassinato ocorrera em outras palavras, no se discutia a culpabilidade. A vingana era tambm indistinta, o que quer dizer que ningum se importava em dar ao crime uma punio proporcional sua gravidade. Tal conta no existia. Hoje existe. Mesmo assim, o jovem que matou o estudante Victor Hugo Deppman para roubar seu celular vai ficar no mais do que trs anos internado em uma instituio para menores, j que, na data em que cometeu o assassinato, estava a trs dias de completar 18 anos, idade da maioridade penal brasileira. Pode se dar a isso o nome de justia?

    Os defensores da manuteno desse patamar se apoiam em trs argumentos principais: antes dos 18 anos, os jovens ainda no esto plenamente conscientes de seus atos; a idade penal a mesma no Brasil desde 1940 e mud-la agora, sob a influncia de mais um crime brbaro, seria ceder emoo; baixar esse limite no diminuiria a criminalidade. A levar era conta o primeiro argumento, o psicanalista Contardo Calligaris, em sua coluna na Folha de So Paulo, lembrou que o Brasil teria de elevar a maioridade penal para 25 anos, j que s nessa fase que o crtex pr-frontal, a parte do crebro responsvel pela tomada de decises, est plenamente desenvolvido. A maturidade relativa aos olhos da lei. Os mesmos jovens inimputveis por serem menores de 18 anos tm discernimento para tomar decises como escolher o presidente da Repblica (16 anos) e manter relaes sexuais com um adulto sem que isso seja considerado estupro presumido (14 anos).

    Contra o argumento de que mudar a lei agora seria ceder emoo, preciso lembrar que alteraes na legislao impulsionadas pela indignao no so necessariamente ruins. O aumento do tempo necessrio para que um preso por crime hediondo

    passe do regime fechado para outro mais leve s foi implantado por causa da reao da sociedade ao assassinato brutal do menino Joo Hlio, no Rio, em 2007. Da mesma forma, a Lei da Ficha Limpa foi aprovada pelo Congresso no rastro da indignao popular com os seguidos escndalos de corrupo.

    Resta o terceiro argumento. verdade que no h estudos que comprovem uma relao direta entre a reduo da maioridade penal e a diminuio da criminalidade. Mas indiscutvel que a manuteno do atual patamar aumenta o contingente de jovens potencialmente "instrumentalizveis" por bandidos mais velhos interessados em driblar a lei. O nmero de menores em instituies de correo triplicou em uma dcada; de 7 600, em 2002, passou para 22000, em 2011. Essa exploso foi impulsionada principalmente por infratores internados por trfico de drogas.

    A proporcionalidade entre a ofensa e a punio uma conquista da civilizao e compe o que chamamos de Justia. Victor Deppman no avanou contra o seu assassino nem relutou em entregar-lhe seu celular. Morreu mesmo assim. O Brasil tem o dever de reagir por ele.

    (O DEVER de reagir. Veja, ed. 2318, ano 46, n.17, p. 96, 24 abr. 2013, com adaptaes)

    QUESTO 01

    Acerca do contedo do texto I, analise as assertivas abaixo:

    I H um paralelo entre a sociedade primitiva e a sociedade atual, no que tange s formas de punir. Tal paralelo revela a equiparao entre as sociedades. II O texto centra-se exclusivamente no caso do estudante Victor Hugo Deppman, que foi assassinado por ter seu celular roubado. III O conceito de maturidade mostra-se ecltico para o direito, pois, quando se trata de escolher representantes, o jovem de 16 anos tem maturidade; j, quando se trata de responder pelos crimes, o jovem de 16 anos no tem maturidade.

    Assinale a opo correta:

    a) I, II e III so corretas. b) I e II so corretas. c) I e III so corretas. d) II e III so corretas. e) Todas esto incorretas.

  • Processo Seletivo Vestibular 2013/2 - 08 de junho de 2013 Questes Objetivas

    3 | P g i n a

    PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2013/2

    DIREITO

    QUESTO 02

    No texto O DEVER DE REAGIR , h diversos argumentos que sustentam a tese defendida pelo autor. Verifique as assertivas a seguir:

    I Recorrer fala do psicanalista Contardo Calligaris, para mostrar que a parte de nosso crebro que responsvel pela tomada de deciso s estar plenamente desenvolvida aos 25 anos, portanto at l no possvel assegurar de fato que a pessoa seja responsvel pelos atos que comete. II Em se tratando de maturidade, isso relativo aos olhos da lei. H maturidade para votar, mas no h maturidade para discernir o certo do errado. III A emoo no um fator prejudicial na mobilizao para se alterar uma dada legislao. IV A manuteno da maioridade aos 18 anos tem aumentado o nmero de jovens que se iniciam na criminalidade mais cedo, pois so instrumentos mais eficazes para bandidos mais velhos que querem contornar a lei. V O crime contra Victor Deppman no pode ficar impune, o Brasil tem que reagir por ele e fazer a mudana para a reduo da maioridade a qualquer custo. Acerca do que certo (C) ou errado (E) nos itens apresentados, assinale a opo correta.

    a) I C; II E; III C; IV C; V E. b) I C; II C; III E; IV C; V E. c) I E; II C; III C; IV C; V C. d) I E; II C; III E; IV E; V E. e) I E; II C; III C; IV C; V E.

    QUESTO 03

    Verifique as anlises gramaticais apresentadas:

    I Na construo a seguir Os mesmos jovens inimputveis por serem menores de 18 anos tm discernimento para tomar decises como escolher o presidente da Repblica (16 anos) e manter relaes sexuais com um adulto sem que isso seja considerado estupro presumido (14 anos). (3 parg.) , as oraes sublinhadas so subordinadas substantivas completivas nominais, reduzidas de infinitivo, mas tambm mantm entre si uma relao de coordenao tanto que ambas esto conectadas ao termo discernimento. II Em preciso lembrar que alteraes na legislao impulsionadas pela indignao no so necessariamente ruins. (4 parg.), a orao

    sublinhada orao subordinada substantiva subjetiva. III Em Victor Deppman no avanou contra o seu assassino nem relutou em entregar-lhe seu celular. (6 parg.), o perodo apresentado consta de duas oraes coordenadas e de uma orao subordinada que classificada como orao subordinada substantiva objetiva indireta, reduzida de infinitivo.

    Assinale a opo correta:

    a) apenas o item I apresenta anlise correta. b) os itens I e II apresentam anlises corretas. c) os itens II e III apresentam anlises corretas. d) os itens I e III apresentam anlises corretas. e) todos os itens apresentam anlises corretas.

    QUESTO 04

    Nas sociedades primitivas a forma de punir um assassino era bastante distinta da forma que ocorre hoje na sociedade civil brasileira. A partir da compreenso de como ocorria a punio, assinale o dito popular ou o princpio bblico que no se adequa a essa concepo.

    a) Olho por olho, dente por dente. b) Tudo o que o homem semear isso tambm

    ceifar.

    c) Quem tudo quer tudo perde. d) Quem com ferro fere, com ferro ser ferido. e) Quem semeia vento colhe tempestade.

    QUESTO 05

    Observe as assertivas a seguir:

    I Em Pode se dar a isso o nome de justia? (1 parg.), a pergunta proferida com efeito retrico revela a indignao do autor diante do fato narrado do jovem Victor Hugo Deppman. II possvel assegurar a existncia de ironia em Os mesmos jovens inimputveis por serem menores de 18 anos tm discernimento para tomar decises como escolher o presidente da Repblica (16 anos) e manter relaes sexuais com um adulto sem que isso seja considerado estupro presumido (14 anos). (3 parg.) III O emprego das aspas em instrumentalizveis (Mas indiscutvel que a manuteno do atual patamar aumenta o contingente de jovens potencialmente "instrumentalizveis" por bandidos mais velhos interessados em driblar a lei) refere-se

  • Processo Seletivo Vestibular 2013/2 - 08 de junho de 2013 Questes Objetivas

    4 | P g i n a

    PROCESSO SELETIVO VESTIBULAR 2013/2

    DIREITO

    a um comentrio feito ao prprio texto, tendo em vista que remete noo de coisificao dos jovens.

    Assinale a alternativa correta:

    a) Todas esto corretas. b) I e II esto corretas. c) I e III esto corretas. d) II e III esto corretas. e) Todas esto incorretas.

    QUESTO 06

    Marque a alternativa incorreta quanto s construes lingusticas, s gramaticais e s semnticas.

    a) O emprego do pretrito mais que perfeito em Nesse processo, no se discutia o que era crime quem podia ou no ser punido, nem as circunstncias em que o assassinato ocorrera [...] (1 parg.) est em consonncia com a norma padro da lngua portuguesa, visto que remete a um fato que ocorreu antes da discusso do que seria crime ou no.

    b) A expresso mesmo assim (Mesmo assim, o jovem que matou o estudante Victor Hugo Deppman para roubar seu celular [...]) , introduz uma concepo divergente da que foi aludida anteriormente Hoje existe (1 parg.).

    c) Na construo Contra o argumento de que mudar a lei agora seria ceder emoo [...] (4 parg.) , o futuro do pretrito do verbo SER remete a um fato real que poderia ocorrer num futuro, mas que no se concretizar.

    d) Na construo verdade que no h estudos que comprovem uma relao direta entre a reduo da maioridade penal e a diminuio da criminalidade (5 parg.) , a expresso sublinhada trata-se de um articulador coesivo que visa tecer um comentrio acerca do prprio enunciado.

    e) Em A maturidade relativa aos olhos da lei (3parg.), h um proces