Quando vale a pena usar as TIC nas escolas públicas? Seminário ProInfo e TV Escola/2008 – Edição Nordeste

  • View
    214

  • Download
    2

Embed Size (px)

Text of Quando vale a pena usar as TIC nas escolas públicas? Seminário ProInfo e TV Escola/2008 –...

Tecnologias de Informao e Comunicao na Escola

Quando vale a pena usar as TIC nas escolas pblicas?Seminrio ProInfo e TV Escola/2008

Edio Nordeste

1Quando as TIC forem utilizadas como recursos de transformao da escola pblica para uma escola conectada com as necessidades do mundo

2potencializando a compreenso de fatos e fenmenos da realidade;

valorizando os diferentes sujeitos e a prpria democratizao dos saberes;

abrindo novas possibilidades de relao com o mundo das cincias, da cultura e do trabalho.

Isso significa ter lugar no mundo de hoje!!!Quando as TIC se tornam poderosas ferramentas para facilitar a aprendizagem das crianas e adolescentes da escola pblica:3Quando as TIC se tornam poderosos recursos para facilitar o trabalho do Professor com:Recursos interativos para potencializar as intervenes e trocas com alunos e professores;Ferramentas de acompanhamento e avaliao dos processos de aprendizagem individuais;Ferramentas de busca de informaes;

4Situao Atual no Mundo e no Brasil

E a Tecnologia Digital?Como Ajuda?5LinguagemOral Escrita imagtica InformticaDigital (Hipermdia )ImpressaRdio Televiso VdeoJornal revistas livrosEletrnicaInternetMdia LinearMdia ReticularCinemaEm diferentes pocas NOVAS TECNOLOGIAS passaram a fazer parte dos ambientes educacionaisE OU6Atividades na sala

Qual a relao entre luz e sombras? 4 srieAtividade disparadora: vdeo

Atividades no ptio Descobertas: preciso a presena da luz e de um objeto para se ter sombra Em dias nublados, no possvel ver as sombras, pois h ausncia de luz do sol. A eclipse um fenmeno da natureza que ocorre no claro e no escuro. A sombra a possibilidade de refletir um objeto a partir da influncia da luz. A sombra das rvores no igual durante o dia porque o sol se movimenta. Sombra um reflexo das imagens;qualquer objeto que ficar contra a luz, cria sombra;a luz que faz criar a sombra 7Um aluno ficou pensativo e em seguida discordou da turma. Os alunos olharam para ele com um sorriso de desdm, quase deboche, quando ele se levantou, pegou o quadrado, a lanterna e

Momento interessante:Perguntei se um carto quadrado sempre daria sombra quadrada. Pedi que eles pensassem. A maioria respondeu que sim.

8Registro das atividadesNovos questionamentos:

E de noite no h sombras? 9O que aconteceria se os alunos apenas tivessem aulas sobre as sombras e luz, aprendessem um pouco sobre elas sem que suas concepes viessem tona?

Suas concepes anteriores continuariam existindo em desordenadas idias contraditrias a respeito das sombras e da luz. Poderiam decorar o que o professor diz, passar na prova e voltar tranquilamente a pensar como pensavam at ento.

Caractersticas do desenvolvimento por substituio e no por transformao: As idias menos maduras no so totalmente erradicadas, permanecendo como um modo potencial de pensamento;

A criana precisa estar mentalmente pronta para a concepo nova e socialmente validada, para que esta possa realmente tornar-se parte de seu pensamento.10Favorecem o acolhimento de interesses dos alunos;

Desafiam os estudantes a examinar temas ou aspectos nos quais a escola no costumam se deter normalmente e que so levantados pela mdia;

Envolvem o aluno com a realidade local e global; Valorizao dos interesses e necessidades dos alunos;11Agregam alunos com diferentes interesses e nveis de capacidade,no impondo normas nicas de rendimento nos resultados possveis;

Colocam o aluno em um papel ativo: pesquisar, expor, observar, entrevistar, participar em simulaes, argumentar facilita a defesa de diferentes pontos de vista;

Favorecem a interao entre alunos, professores e comunidades diferenciadas, descobrindo alternativas de soluo diferentes para problemas semelhantes.

Respeito e valorizao das diferenas12Permitem ao aluno tomar decises quanto ao modo o trabalho;

Oportunizam, aos estudantes, planejar com outros e participar em seu desenvolvimento e resultados;

Exigem dos alunos que escrevam de novo, revisem e aperfeioem seus esforos iniciais, aproveitando sugestes e cooperaes;

Abrigam a aceitao de um certo risco de sucesso, fracasso ou crtica.Autonomia e trabalho coletivo13E para o Professor?Importncia cada vez maior da mediao entre alunos, objetos de aprendizagem e TIC;Concretizao de situaes impossveis de acontecer na sala de aula;Facilitao dos registros acerca dos alunos;Formao de redes entre pares e especialistas;Atualizao permanente;14WEB 2O termo designa o que alguns chamam de nova fase do desenvolvimento de aplicaes para a Web.

Envolvimento do usurio A interao parte essencial, por exemplo, em blogs e wikis, onde o contedo feito pelo usurio.

Acessibilidade a Web como plataforma. Voc pode acessar as aplicaes independente de Sistema Operacional, navegador ou hardware e de qualquer lugar que esteja, sem necessidade de guardar arquivos no computador.

15WEB 2Recursos mais conhecidosBlog um sistema onde cada um publica textos, imagens, som com arquivamento cronolgico, e normalmente permite que visitantes comentem cada postagem. Wiki Sistema colaborativo de produo de contedo. Pode ser usado como enciclopdia (Wikipdia), portal de notcias (Wikinews), dicionrio (Wikicionrio), mapa (Wikimapia). Google Docs Processador de textos online.

16WEB 2Recursos mais conhecidosPodcast A palavra vem da juno de Ipod com Broadcast. um meio de publicao de programas personalizados de udio, gravados em mp3.

Vdeos disponibilizados pela internet.

17

18Obrigada!Beatriz Corso Magdalena beamag@terra.com.br

Iris Elisabeth Tempel Costa irisetc@gmail.com

19