QUEM É MANUEL ANTÓNIO PINA? Clicando Manuel António Pina em criança.

  • Published on
    07-Apr-2016

  • View
    216

  • Download
    1

Embed Size (px)

Transcript

Diapositivo 1

QUEM MANUEL ANTNIO PINA?Clicando

Manuel Antnio Pina em criana

Manuel Antnio Pinapensava de pernas para o ar

Ler um livro no mais importante que ver, por exemplo, um filme, apenas diferente. S que nessa diferena que est tudo, ou quase tudo.No s a liberdade de leres o livro como quiseres, de trs para diante ou de diante para trs, de voltares ao princpio ou de o fechares e recomeares a l-lo no dia seguinte, mas tambm a liberdade de te leres a ti mesmo nele, de imaginares tu (por mais pormenorizadamente que o autor os descreva) cada personagem, cada lugar, cada acontecimento. E de, nele, viajares, na companhia das palavras do escritor, por mundos reais e imaginrios, dentro e fora de ti, que s a ti pertencem, indo e vindo como e quando quiseres entre esses mundos e o teu mundo de todos os dias.Porque, num livro, s aparentemente o escritor quem conduz a histria, na realidade tu que vais ao volante, a histria ou poema que ls mais teu e dos teus sentimentos e tuas emoes que dos do escritor. De tal modo que, se voltares a ler o mesmo livro passado muito tempo, o livro j se transformou, j outro, s porque tu tambm j te transformaste e j s tambm outro. por isso que se diz que todos os livros so sempre muitos diferentes livros, tantos quantos as pessoas que os lerem ou tantos quantas as vezes que uma mesma pessoa os ler. E isso uma coisa maravilhosa, descobrir que ns, com a nossa imaginao e o nosso corao, que estamos a escrever os livros que lemos.

Manuel Antnio Pina entrevistado por uma aluna no anfiteatro da Escola Secundria de Augusto Gomes - Matosinhos

Poesia e Manuel Antnio Pina no anfiteatro da ESAG

Manuel Antnio Pina fala de Poesia no anfiteatro da ESAG

Manuel Antnio Pina com sentido de humor no anfiteatro da ESAG

Manuel Antnio Pina entrevistando o filsofo Agostinho da Silva

Manuel Antnio Pina O cidado do Norte de Portugal

Msica: Fernando Sor - Studio in do, op.31-n. - por A. SegoviaContextura: J. Alberto de OliveiraEdio: www.josealbertodeoliveira.blogspot.com

Recommended

View more >