Questao Previa Em DIP

  • View
    678

  • Download
    8

Embed Size (px)

DESCRIPTION

resumo de parte da materia

Text of Questao Previa Em DIP

  • A QUESTO PRVIA EM DIP

  • 1. O Problema no DireitoInternacional Privado

  • Configurao do problema e as suasimplicaes; autonomizao do

    problema por Wengler Doutrina corrente: nexo de prejudicialidade

    entre duas questes: a principal est sujeita a um direito estrangeiro, como conectar a questoprejudicial?

    - de harmonia com o sistema de conflitos do foro (respeito pelas regras estipuladas peloDireito de Conflitos); ou

    - de acordo com o sistema de conflitos da lexcausae (em nome da aplicao da justiamaterial desta lei, para respeitar o regime aplicado questo principal).

    De acordo com esta teoria, o problema da questoprvia pura e simplesmente um problema de Direito dos Conflitos

  • Doutrina da conexo autnoma decidir a questo em conformidade com a lei quelhe for aplicvel segundo o sistema de conflitos do foro (tudo deve passar-se como se o problema surgisse a ttuloprincipal). Autnoma porque independenteda lex causae;

    Doutrina da conexo subordinada recorre s regras de conflitos do ordenamento que, de acordo com as regras de conflitos do Estado do foro, o ordenamento competente para reger a questo principal.

  • Primeiro autor a autonomizar e teorizar o problema: Wengler

    Temos uma situao jurdica que, alm de produzir osseus efeitos prprios e directos, por fora da lei que a rege, ainda susceptvel de produzir consequncias ouefeitos ulteriores, por fora da lei reguladora de umaoutra situao jurdica (v.g. situao jurdica matrimonial, situao jurdica de filiao consequnciassucessrias).

    Identificou o problema como um problema de interpretao e aplicao de normas materiais aplicveisa certa questo principal (e no um problema de determinao da lei competente, que j estdeterminada).

  • Determinao do contedo do conceitoprejudicial. Substituio.

    Problema de interpretao da norma material que, aotratar da constituio, modificao ou extino darelao jurdica condicionada, se reportapressuponentemente relao jurdica condicionante.

    Conceitos: cnjuge, filho, descendente, herdeiro.

    Ex.: situao jurdica da filiao (pressuposto daconsequncia sucessria dos arts. 1979. ss.) a constituda em conformidade com o nosso direitomaterial ou toda a filiao que se haja constitudo de acordo com uma lei estrangeira, nomeadamente a designada pela nossa regra de conflitos como a competente em matria de filiao?

  • Problema de substituio: saber se se podesubstituir a uma relao de direito interno, considerada pela lei interna como condioprejudicial de um efeito jurdico determinado, uma relao anloga de direito estrangeiro (o direito definido como competente para a questo prvia).

    S nos casos em que o direito interno aplicvel a uma relao (condicionada) e tomacomo pressuposto da constituio, modificaoou extino dela uma outra relao(condicionante) que pode ser submetida peloDIP do foro a uma lei estrangeira.

  • No aplicvel nos casos em que est emcausa apenas o reconhecimento dasituao jurdica cuja constituio foideferida competncia de uma lei estrangeira pelo nosso DIP.

    No tem aqui relevncia uma situaojurdica criada no estrangeiro de acordocom a lei competente e, por isso, reconhecida no Estado do foro.

    Caso Ponnoucannamalle v. Nadimoutoupoulle.

  • No se trata de um problema de Direito de Conflitos, mas de um problema de direitomaterial;

    um problema de interpretao e aplicao de uma regra de direito material no contexto do respectivo ordenamento.

    A situao jurdica condicionante, que reconhecida no Estado do foro, no relevanecessariamente como pressuposto das consequncias jurdicas ulteriores estatudaspelas normas materiais do mesmo Estado quese referem situao condicionada, sendo a inversa tambm possvel.

  • 2. O problema da questo prviacomo problema da determinao

    de um pressuposto de facto

  • A doutrina corrente distingue entre o problemada substituio (problema de direito material, de equivalncia de contedos) e o da questoprvia (problema de direito de conflitos ou de choice of law).

    Para a doutrina corrente existem doispressupostos:1- que a questo principal no esteja sujeita aodireito material da lex fori;2- que o DIP da lex fori se refira autonomamente questo jurdica que surge como questoprejudicial, ou seja, que esta seja conectadaautonomamente pelo legislador do foro.

  • Para Wengler trata-se SEMPRE de um problema de determinao de um pressuposto de facto da hiptese destanorma.

    resolver uma quaestio facti, no se trata de

    uma choice of law

    Questo prvia pode surgir mesmo nahiptese de ser a lei material do foro a

    reguladora da questo principal

  • Wengler ou a doutrina corrente?

    Para aceitar como vlida a doutrina correntetemos de responder afirmativamente a duasquestes:

    1. Para os efeitos ulteriores em que se traduz a repercusso de uma situao jurdicacondicionante sobre uma situao jurdicacondicionada sujeita lei de Macau S terrelevncia a situao condicionante que devaser reconhecida em Macau por fora do nossoDIP?

    2. Uma situao jurdica condicionantereconhecida nestes termos sernecessariamente relevante para esses efeitosulteriores?

  • Trs ordens de razo para rejeitar a doutrinatradicional:

    1- A doutrina corrente admite a possibilidade de se suscitar um problema de substituio;

    2- Se, por efeito da qualificao, se atribui a umacerta lei um determinado mbito de competncia, deve aceitar-se que pertence a esta lei regular tudo o que se encontra dentrodeste mbito de competncia; caso a lex foriinterferisse com o seu Direito de Conflitos nadeciso da questo prvia, isso seriaequivalente a retirar em parte aquilo queanteriormente lhe fora adjudicado pelo mesmoDireito de Conflitos - incoerncia.

  • 3- a remisso pressuponente semprereferncia a um quid facti;Mesmo que essa referncia alcance um dado normativo configurado por uma lei diferente daquela a que pertence a normaremetente, tal no significa uma atribuiode competncia a essa lei; aos juzos de valor materiais da lei que estamos a aplicar que devemos pedir a definio do significado e alcance dessa referncia.

  • 3. Delimitao do mbito daquesto prvia

  • Defeito da doutrina corrente: no deuconta da distino entre refernciapressuponente e referncia prpria do Direito de Conflitos.

    Delimitao das genunas hipteses de questo prvia.

    Doutrina tradicional: segundo que lei se h-de decidir a questo prvia?

    1- DIP da lex causae (harmonia jurdicainternacional) conexo subordinada; ou

    2- DIP da lex fori (princpio da harmoniainterna) conexo autnoma.

  • A regra da conexo subordinada nopode valer em todas as situaes sob pena de se prejudicar intoleravelmente a harmonia material de decises, ou seja, incoerncias entre vrias decises sobre a mesma questo no ordenamento do foro.

    Verdadeira natureza e configurao do problema da questo prvia: o critrio dareferncia pressuponente.

  • Excluem-se do mbito da questo todasaquelas hipteses em que se trata de um efeito prprio e no de um efeito ulterior da situao jurdica preliminar

    Casos em que, por fora do DIP do foro,

    diferentes leis so chamadas a reger a constituio e o contedo da mesma

    situao jurdica

  • Em todos os casos em que, do ponto de vista do Direito dos Conflitos, no deixada lex causae da questo principal a liberdade de determinar as caractersticas ou a configuraoparticular que deve possuir a situaojurdica prejudicial e, portanto, a liberdadede pr um problema de substituio, tambm no possvel suscitar-se um genuno problema de questo prvia.

  • Assim: onde h referncia pressuponenteh questo prvia onde estapossibilidade existe, h uma refernciapressuponente.

    Genuno problema de questo prvia: a lei material reguladora da questo principal reporta-se situao jurdicacondicionante como a um puro facto e como a um facto no autnomo (como a um facto-pressuposto).

  • Factos causais vs factos pressupostos.

    Questo prvia: no se est a reconhecerfactos jurdicos ou seus efeitos prprios, est-se a conhecer da sua verificao ouno, da qual depende a produo de outros efeitos.