Raphael Samu

  • View
    222

  • Download
    3

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Catlogo: Raphael Samu e os mosaicos murais

Transcript

  • S A M

  • S A M RAPHAEL SAME OS MOSAICOS MURAIS

    EXPERINCIAS EM ARTE PBLICA

  • 4

  • Marcela Belo

    RAPHAEL SAME OS MOSAICOS MURAIS EXPERINCIAS EM ARTE PBLICA

    Editora: Proex UFES

    Vitria2013

  • FICHA TCNICA

    Pesquisadora do ProjetoMarcela Belo

    FotografiaMarcela Belo

    TextoJos Cirillo

    Projeto GrficoDirecta Design

    Impresso e acabamentoGSA Grfica e Editora

    Tiragem2.000 exemplares (distribuio gratuita)

    ESTADO DO ESPRITO SANTO

    GovernadorRenato Casagrande

    Vice-GovernadorGivaldo Vieira

    Secretrio de Estado da CulturaMaurcio Jos da Silva

    Subsecretrio de Estado da CulturaErlon Jos Paschoal

    Subsecretria de Estado de Patrimnio CulturalJoelma Consulo Fonseca e Silva

    Catalogao na Publicao

    G635

    CDU 929 (815.2)

    Gonalves, Marcela Belo (1982- )

    Raphael Sam e os mosaicos murais: experincias em arte pblica /

    Marcela Belo Gonalves. __ Vitria: ProEx UFES, 2013.

    58 p. : il. 17 x 25 cm.

    ISBN: 978-85-65276-03-0

    1.Arte pblica. 2. Arte de rua. 3. Arte mural. 4. Mosaico. I. Gonalves,

    Marcela Belo. II. Sam, Raphael. III. Esprito Santo (ESTADO). Secretaria de

    Estado da Cultura.

  • 854

    3432

    5224

    38

    28

    13

    36

    48

    30

    44

    20

    404222

    26

    46 12

    50

  • SUMRIO

    Apresentao

    Da Intimidade do Ateli Crtica Poltica

    Edifcio Alexandre Buaiz

    Residncia Enseada do Su

    Edifcio Ames

    Edifcio Talitha

    Edifcio Comodoro

    Edifcio Churchill

    Edifcio Cau

    Edifcio Aldebaran

    Residncia Jardim da Penha (Mural 1)

    Residncia Jardim da Penha (Mural 2)

    Residncia Bento Ferreira

    Residncia Praia do Canto

    Residncia Centro de Vitria

    Residncia Centro de Vitria

    Antiga Sede da Capitania dos Portos

    Buaiz Alimentos

    Departamento de Estradas de Rodagem do Esprito Santo (Mural 1)

    Departamento de Estradas de Rodagem do Esprito Santo (Mural 2)

    Colgio Sagrado Corao de Maria

    Universidade Federal do Esprito Santo

    Crdito de Fotografias, Agradecimentos e Notas

    11

    12

    12

    13

    20

    22

    24

    26

    28

    30

    32

    34

    36

    38

    40

    42

    44

    46

    48

    50

    52

    54

    58

    SUMRIO

  • 1 0

  • 1 1

    APRESENTAO

    Toda cidade carrega sobre si mltiplos significados que se sobrepem, se intercomunicam e geram sentidos diversos para seus habitantes e visitantes. A vivncia esttica , inegavelmente, uma das formas de perceber o espao urbano e ser

    afetado por ele. Nesse sentido, a arte pblica, aquela materializada

    principalmente sob forma de monumentos, possibilita uma afetao

    cotidiana dos transeuntes da urbis contribuindo para a constituio de

    identidades e de pertencimento.

    A presente publicao cumpre o papel de reunir e difundir a obra

    de um artista de fundamental importncia para a memria visual de

    Vitria: Raphael Sam. De maneira generosa, esse criador espalhou os

    seus mosaicos por residncias, edifcios comerciais e prdios pblicos.

    Vindo de So Paulo para o Esprito Santo na dcada de 1960, Raphael

    Sam realizou obras em um perodo marcado pelo crescimento

    urbanstico da nossa capital.

    Conforme o competente trabalho da pesquisadora Marcela Belo

    Gonalves, constatamos que alguns dos trabalhos do artista j no

    existem, outros requerem reparos, e alguns esto em um timo estado.

    Tal diversidade de conservao s reafirma a necessidade desse tipo

    de inventrio e catalogao para a memria dessa produo artstica.

    Vale ressaltar que este catlogo foi contemplado pelo Edital n

    32/2012 da Secretaria de Estado da Cultura do Esprito Santo destinado

    a projetos para inventrio, conservao e reproduo de acervo. O

    nosso desejo que, a partir deste trabalho de pesquisa e difuso, os

    cidados de Vitria deem o devido reconhecimento e perpetuem a

    memria artstica de cidade presente na obra de Raphael Sam.

    Maurcio Jos da Silva - Secretrio de Estado da Cultura do Esprito Santo

  • 1 2

    DA INTIMIDADE DO ATELI CRTICA POLTICA: um cone da arte pblica em vitria (es)

    Raphael Sam, filho de pais do Leste Europeu, nasceu em So Paulo

    em 1929. Iniciou sua formao nas artes em 1948, ingressou em

    1949 na Escola de Belas Artes de So Paulo, atuou desde cedo em

    ambientes das artes, como a II Bienal de So Paulo. Formou-se em

    escultura em 1955, embora com ampla experincia em gravura e mosaico, j

    em sua graduao. Esse conhecimento de trabalhar com tesselas levou-lhe a

    ser convidado para prestar servios junto Cia Vidrotil, em So Bernardo do

    Campo, onde permaneceu at 1961. Durante este perodo na Vidrotil, Sam

    aprimorou seus conhecimentos sobre a produo de obras murais em tesselas

    de vidro, tendo executado trabalhos para artistas importantes da arte brasileira,

    como Di Cavalcante, Lvio Abramo, Clovis Graciano e Cndido Portinari.

    Sua histria no Esprito Santo se mescla com a prpria histria do Centro de

    Artes da Universidade Federal do Esprito Santo (UFES), tendo sido membro da

    implantao do primeiro Conselho Universitrio da UFES. Atuou como professor

    de gravura e histria da arte, criando, posteriormente, a disciplina de Mosaico;

    lecionou na universidade de 1961 a 1989. Sua produo de painis e murais

    em mosaico no estado antecede a sua mudana definitiva para c e amplia-se

    com a criao da Oficina de Mosaico, no curso de Artes, criando assim mosaicos

    murais em propriedades pblicas e particulares: como para o Departamento de

    Estradas de Rodagem (DER-ES), para o edifcio da Real Caf, da Indstria Buaiz

    Alimentos e diversas residncias.

    na intimidade dos edifcios (figura 1a) que a obra musiva de Sam revela uma

    tendncia do seu projeto potico para uma interface com a cultura capixaba e

    com a cidade ambas em franco desenvolvimento no momento de sua vinda

    para o estado. Sua obra vai ganhando em refinamento tcnico, cresce em

    dimenso e caminha para o exterior, entrega-se s ruas (figura 1b), volta-se

    para a cidade. O tema do trabalho no campo ou do mar recorrente nesta fase.

    Identificao1: Mural do Edifcio Alexandre Buaiz

    Ano de Execuo: 1959

    Tcnica: Mosaico

    Dimenso: 3,00 x 1,80 m

    Endereo: Avenida Presidente Florentino vidos, n 502,

    Parque Moscoso Vitria ES Cep: 29.018-190

    Localizao: Hall de entrada do Edifcio

    Proprietrio: Condomnio do Edifcio Alexandre Buaiz

    Estado de Conservao: Arruinado

    Figura 1a - Mosaico de Sam em Vitria, ES (1959,destrudo)

  • 1 3

    Identificao: Mural residencial - Pescadores

    Ano de Execuo: 1962

    Tcnica: Mosaico

    Dimenso: Desconhecida

    Endereo: Rua Desembargador Ferreira Coelho, n 304,

    Enseada do Su Vitria ES Cep: 29.052-210

    Localizao: Varanda da residncia (fachada)

    Proprietrio: Particular

    Estado de Conservao: Arruinado

    Figura 2a - Mosaico de Sam em Vitria, ES (1962,destrudo)

  • 1 4

    A imagem geradora em seu processo de criao toma para

    si o imaginrio capixaba, mediado por sua percepo desta

    nova realidade geogrfica, reconfigurando seu projeto potico.

    Falar sobre o projeto potico de Raphael Sam no uma

    tarefa simples, tanto pelas particularidades que envolvem o seu

    procedimento de trabalho - que tem uma histria milenar que

    nos remete Mesopotmia -, quanto pelo hibridismo de sua

    obra que vai da gravura a obras de interveno na imagem

    da cidade. A escolha aqui, dada pelo prprio limite deste

    texto, um recorte, uma breve reflexo, sobre seu processo

    criativo, apontando algumas tendncias e intencionalidades

    de um projeto potico contaminado pela experincia de

    trabalhar para grandes artistas em So Paulo o que lhe deu

    no apenas o aprimoramento tcnico, mas principalmente, a

    vivncia de procedimentos criativos com artistas de destaque

    na arte brasileira; ao, esta, mediada pelo mais tradicional

    mtodo de ensino do fazer artstico: a relao mestre x aprendiz

    - possibilitada pela sua funo na Vidrotil -. Destaca-se, desse

    perodo, a experincia esttica voltada para a ocupao de

    espaos coletivos e pblicos, nos painis de Di Cavalcante e

    Clovis Graciano, por exemplo.

    Sam conduzido, ainda em So Paulo, por um processo de

    contaminao pela esttica urbana, de formao de imagens

    da cidade, e no poderia esquecer isto na estruturao de sua

    obra. Como os artistas para os quais trabalhou, ele experimenta

    diversas linguagens, mas a interface de seu projeto potico

    com a cidade que nos interessa aqui.

    Falamos de uma produo artstica de Sam que

    se enquadra numa perspectiva ampliada do que

    entendido como espao pblico. Alves2 (2006), ao

    debater sobre a escultura pblica no Rio Grande do

    Sul, conceitua espao pblico como sendo aquele para

    cujo acesso o expectador necessita da livre circulao.

    Para este autor, para apreciar a arte em espao pblico,

    no necessria permisso, nem pagamento, nem

    tampouco atravessar muros, grades, etc. neste ponto

    que desenvolvemos a tese de que a obra de Raphael

    Sam tem uma tendncia para o espao pblico,

    quando esta sai do interior de seu ateli, ou de espaos

    internos de edificaes monofamiliares (residncias)

    ou multifamiliares (edifcios), para