Reação Popular 251

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Jornal Reação Popular

Text of Reação Popular 251

  • Ministro da Integrao Nacional anuncia repasse de recursos

    PG. 3

    O jornal que fala a sua lngua16 de maro de 2013 - Ano 5 - Edio 251 R$ 0,20

    RPReao Popular

    PG. 4

    Decreto restringe trnsito de caminhes na Cidade

    Prefeitura quer que Sabesp desenvolva projeto habitacional para moradores dos Piles PG. 3

    Estrutura garante reintegrao de posse

    PG. 4

    PG. 2

    Escolas j recebem a Turma do Z Mforo

    PG. 2

    Mulher Identidade como Sujeito de Direitos lanado

  • O Reao Popular uma publi-cao semanal da 2L Fbrica de Idias Comunicao Social Ltda. CNPJ - 09.212.963/0001-02Circula em toda a Regio Metro-politana da Baixada Santista.Endereo: Rua 13 de Maio, 429, sala 21, Vila Nova, Cubato. CEP: 11525-040Telefones: (13) 3324-0313/ 3372-7348

    E-mail:reacaopopular2@gmail.com Editora: Cristiane S. de Oliviera - MTb 62737/SPProjeto grfico: Feberti

    Todos os artigos assinados so de responsabilidade de seus autores e no representam, necessariamente, a opinio do jornal.

    Expediente

    16 de maro de 2013 - Ano 5 - Edio 251Geral2

    Violncia, Direitos Humanos, Sade Pbli-ca e outros temas, sob a tica da valorizao fe-minina, sero debatidos em Rodas de Conversa semanais, at dezembro, no Centro de Refern-cia da Mulher (CRM) de Cubato. O lanamento do projeto ocorreu nes-ta tera-feira (12), com apresentao do traba-lho perante a secretria municipal de Assistncia Social, Simone Aparecida dos Santos Lopes. Outras palestras completaram o evento, que teve ainda homenagens a diversas personalidades e coque-tel, comemorativos ao primeiro ano de ativida-des do CRM, recm-com-pletado.

    Apresentado por Graa Maria Costa da Silva, presidente do Cen-tro de Direitos Humanos Irm Maria Dolores, o projeto est sendo exe-cutado com a finalida-de de ampliar o efetivo

    MULHERES

    Projeto Mulher Identidade como Sujeito de Direitos lanado no CRM de CubatoRodas de Conversa prosseguem at dezembro, toda segunda-feira

    acesso de mulheres a po-lticas pblicas setoriais e aos servios de Justi-a e Segurana Pblica de Cubato, envolvendo principalmente os servi-os de assistncia social atravs do Centro de Re-ferncia Especializada de Assistncia Social de Educao, Cultura, Tra-balho e Justia.

    Semanal - Com durao de dez meses, e realizado na forma de Rodas de Conversa, o projeto comeou a ser desenvolvido em fins de fevereiro, com reunies todas as segundas-feiras, das 14 s 15h30. A inten-o formar quatro gru-pos de 25 pessoas, e as mulheres interessadas, a partir dos 14 anos de ida-de, podem comear a par-ticipar desses encontros s comparecer ao CRM, na Rua Salgado Filho s/n, Jardim Costa e Silva. Quem necessitar, pode tambm contar nesse lo-cal com assistncia jur-

    dica e encaminhamento a rgos de apoio social. Durante os encontros, haver inclusive psic-loga ou assistente social, e a brinquedoteca fun-cionar com atividades cuturais para as crianas filhas das participantes.

    O projeto foi desen-volvido considerando que conforme o IBGE Cuba-to tem 59.993 mulheres (Censo 2010), muitas de-las imigrantes. Mais de 60% dos habitantes do municpio esto em con-dies de vulnerabilidade e extrema pobreza. As-sim, a inteno prestar apoio atravs de aes afirmativas para mulhe-

    res, oferecendo oportuni-dades de reconstruo de suas vidas, conforme suas necessidades.

    Para a secretria de Assistncia Social, o CRM foi uma conquista. Sem o empenho da Ad-ministrao Municipal e Petrobrs, no seria pos-svel construir esse tra-balho, desenvolver essas polticas pblicas para o trabalho efetivo com as mulheres vitimizadas. Vocs tm uma hist-ria aqui, so pioneiras, guerreiras, acrescentou Simone Aparecida, refe-rindo-se a todas as parti-cipantes.

    Da mesma forma,

    ao abrir a reunio, e refe-rindo-se ao primeiro ano de atividades do CRM, a presidente da Associao de Mulheres da Sociedade Civil Construindo G-nero, Silvia Carla Freitas Barreto, citou: Aqui est um pouco da histria des-te local. Cada um que aqui est faz parte dessa hist-ria.

    Tambm falou no encontro a presidente do Ncleo Cristo de Inte-grao, Proteo e Lazer da Criana, Adolescente e Famlia (Kerigma), Wilma Mota Pessoa, sendo pres-tadas homenagens a pes-soas que colaboraram com a instalao do CRM a

    comear por Alair de Carvalho Bossan, que na poca atuava como presidente da Con-gnero. Foram ainda prestadas homenagens ex-coordenadora de Polticas para Mulher, Roseli Maria de Olivei-ra, representao da Refinaria Presidente Bernardes de Cubato/Petrobrs (responsvel pela construo dessas instalaes) e prefeita Marcia Rosa (que efe-tivou o compromisso com a Congnero, via-bilizando o CRM), re-presentada no ato pela secretria de Assistn-cia Social.

    TRNSITO

    Escolas comeam a receber visitada Turma do Z MforoProjeto a mais nova ferramenta de educao no trnsito na Cidade

    As UMEs Estado do Amazonas (tera-fei-ra) e Estado do Tocantins (quinta) foram as duas primeiras escolas que re-ceberam, em 2013, o tea-tro de bonecos da Turma do Z Mforo, atividade do Projeto Conhecer Educando para o Trn-sito, setor educacional da Companhia Municipal de Trnsito de Cubato (CMT).

    Este programa tem como pblico alvo crianas de 04 a 07 anos, das escolas municipais e estaduais. O objetivo conscientizar as crian-as sobre a importncia de conhecer e respeitar

    as regras de trnsito, atravs de diferentes lin-guagens ajustadas as si-tuaes do cotidiano de forma prazerosa.

    O grupo estar indo nas escolas, pas-sando informaes de como as pessoas devem se comportar no trn-sito, respeitando todos os envolvidos, motoris-tas, ciclistas, pedestres e motociclistas, expli-ca o superintendente da CMT, Marco Fernando da Cruz.

    Com esta ferra-menta, a CMT vai ensi-nar, de uma forma ldica e pedaggica, as leis de trnsito para as crianas.

    Passando estes ensina-mentos para os alunos que iremos garantir um trnsito seguro hoje e no futuro, afirma o supe-rintendente.

    Nas prximas se-manas, as UMEs Vila So Jos, Usina Henry Borden, Estado da Bahia e Estado de Gois rece-bero a visita dos bone-cos.

    O agendamento pode ser feito pelos re-presentantes das Escolas junto ao Projeto Conhe-cer - Educando Para o Trnsito, atravs do te-lefone 3361-1636 ou pelo e-mail set@cmtcubatao.sp.gov.br.

  • Cidade 316 de maro de 2013 - Ano 5 - Edio 251

    CHUVAS

    Prefeitura quer que Sabesp desenvolva projeto habitacional para PilesAnlise de documentos municipais mostra que empresa principal titular de rea onde est o ncleo habitacional

    Aps anlise cri-teriosa de diversos pro-cessos e documentos, a Prefeitura de Cubato identificou a titularidade do terreno que hoje abri-ga o ncleo habitacional de Piles. A rea perten-ce, em sua maior parte, Companhia de Sanea-mento Basico do Estado de So Paulo (Sabesp). Com base nestas infor-maes, a Municipali-dade ir cobrar da em-presa providncias para atender as famlias resi-dentes na regio. Ficaria sob a responsabilidade da Sabesp, por exemplo, o desenvolvimento de programa habitacional que atendesse de forma definitiva os moradores do local, que est em si-tuao irregular.

    Um dos documen-tos analisados o decreto estadual nmero 13.520, de 15/05/1979, assina-do pelo ento governa-dor Paulo Salim Maluf e publicado na edio do dia seguinte do Dirio Oficial do Estado. A pu-blicao declarou como

    sendo de utilidade p-blica, para fins de desa-propriao por parte da Sabesp, por via amig-vel ou judicial, dois ter-renos medindo respecti-vamente 41.604,25 m2 e 49.100,00 m2, situados na regio que hoje co-nhecida como Caminho dos Piles. Das 662 fa-mlias que vivem na re-gio, cerca de 400 esto em terreno de proprieda-de da companhia.

    Temos uma cida-de inteira para cuidar e assumimos nossas res-ponsabilidades. Por isso, vamos cobrar que a Sa-besp tambm faa a sua parte e d toda a assis-tncia aos moradores de Piles, que vivem h v-rios anos num local que por muito tempo pen-sou-se ser de competn-cia municipal, afirmou a prefeita Marcia Rosa.

    Outros processos municipais confirmam a titularidade da com-panhia perante a maior rea de Piles. As ou-tras partes do terreno tambm so de respon-

    sabilidade particular, e seus proprietrios sero convocados a assumir seus compromissos com os moradores. Segun-do a chefe do Executivo Municipal, a Prefeitura espera que esse processo seja resolvido por con-senso entre as partes. Vamos buscar o dilo-go, pois estamos em um momento de unio de foras para reconstruir a cidade. Mas no vamos hesitar em procurar os meios legais, caso seja necessrio, para que os direitos da populao se-jam respeitados.

    O Caminho de Pi-les foi um dos ncle-os mais atingidos pelas fortes chuvas de 22 de fevereiro, que deixaram centenas de desabrigados e desalojados. No lti-mo sbado (9), a prefeita Marcia Rosa vistoriou a rea acompanhada do ministro da Integrao Nacional, Fernando Be-zerra Coelho.

    Ao final do even-to, houve um incidente envolvendo uma pessoa

    que, reconhecidamente, invadiu uma das uni-dades das moradias do Bolso 9, cuja reintegra-o de posse determina-da pela justia est pre-vista para os prximos

    dias. Na tarde da ltima segunda-feira (11), um grupo de moradores de Piles esteve na prefei-tura para, em nome da comunidade, lamentar o ocorrido. Marcia Rosa

    minimizou o incidente e declarou que a popu-lao do bairro conhe-cida por ser acolhedora e ordeira, agradecendo o gesto de apreo e solida-riedade.

    RECUPERAO

    Ministro da Integrao Nacional anuncia liberao de recursosFernando Bezerra Coelho esteve em Cubato na manh de sbado (9)

    O ministro da Inte-grao Nacional, Fernando Bezerra Coelho, anunciou na manh deste sbado, em Cubato, dentre outras me-didas, a liberao imediata

    de R$ 1 milho para a recu-perao da cidade e assistn-cia s vtimas da tempestade que, no dia 22 de fevereiro, provocou inundaes em Cubato, causando estragos

    na rea urbana e desalo-jando centenas de pessoas. Ou