REDE CEDES - PUBLICA‡•ES

  • View
    153

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of REDE CEDES - PUBLICA‡•ES

Publicaes da Rede CEDESBraslia - 2010

Presidente da Repblica Luiz Incio Lula da Silva Ministro do Esporte Orlando Silva de Jesus Jnior Secretrio Executivo do Ministrio do Esporte Waldemar Manoel Silva de Souza Secretria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer Rejane Penna Rodrigues Secretrio Nacional de Esporte Educacional Fbio Roberto Hansen Secretrio Nacional de Esporte de Alto Rendimento Ricardo Leyser Gonalves

Organizao Departamento de Cincia e Tecnologia do Esporte Secretaria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer Leila Mirtes Santos de Magalhes Pinto Patricia Zingoni Machado de Morais Elaborao Departamento de Cincia e Tecnologia do Esporte Secretaria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer Alisson Valentim Pereira de Souza Mariana de Melo Rabelo Helen Wernik Nascimento Maria Bernadete Falco da Silva Reviso Maria Bernadete Falco da Silva Projeto grfico, diagramao e capa Grfica Supernova Impresso Grfica Supernova

SUMRIOAPRESENTAOApresentao 1 | 04 Apresentao 2 | 05

INTRODUO - 06 PUBLICAES1 BRINCAR, JOGAR, VIVER: PROGRAMA ESPORTE E LAZER DA CIDADE | 09 2 BRINCAR, JOGAR, VIVER: LAZER E INTERSETORIALIDADE COM O PELC | 10 3 BRINCAR, JOGAR, VIVER: IX JOGOS DOS POVOS INDGENAS | 11 4 DOCUMENTRIO IX JOGOS DOS POVOS INDGENAS | 12 5 PRMIO BRASIL DE ESPORTE E LAZER DE INCLUSO SOCIAL: COLETNEA DOS PREMIADOS DE 2008 | 13 6 LEGADOS DE MEGAEVENTOS ESPORTIVOS | 14 7 JOGOS E CIDADES: ORDENAMENTO TERRITORIAL URBANO EM GRANDES EVENTOS ESPORTIVOS | 15 8 OLIMPISMO E EDUCAO OLMPICA NO BRASIL | 16 9 SOBRE LAZER E POLTICA: MANEIRAS DE VER, MANEIRAS DE FAZER | 17 10 POLTICAS DE LAZER E SUAS MLTIPLAS INTERFACES NO COTIDIANO URBANO | 18 11 POLTICA E LAZER: INTERFACES E PERSPECTIVAS | 19 12 ESPORTE E LAZER NA CIDADE DE SO LUS DO MARANHO: ELEMENTOS PARA CONSTRUO DE UMA POLTICA PBLICA | 20 13 POLTICAS PBLICAS DE ESPORTE E LAZER NA CIDADE DO RIO GRANDE | 21 14 IMPACTO DAS POLTICAS DE LAZER NA REGIO DO BAIRRO AERO RANCHO, CAMPO GRANDE MS | 22 15 NEOLIBERALISMO E POLTICAS DE LAZER - APONTAMENTOS CRTICOS: CINCO ANOS DE PESQUISA DO OBSERVATRIO DE POLTICAS SOCIAIS DE EDUCAO FSICA, ESPORTE E LAZER DO GRANDE ABC/GEPOSEF | 23 16 ESPORTE, EDUCAO, CORPO E SADE - APONTAMENTOS CRTICOS: CINCO ANOS DE PESQUISA DO OBSERVATRIO DE POLTICAS SOCIAIS DE EDUCAO FSICA, ESPORTE E LAZER DO GRANDE ABC/GEPOSEF | 24 17 ESTADO, POLTICA E EMANCIPAO HUMANA: LAZER, EDUCAO, ESPORTE E SADE COMO DIREITOS SOCIAIS | 25 18 CULTURA, EDUCAO, LAZER E ESPORTE: FUNDAMENTOS, BALANOS E ANOTAES CRTICAS | 26 19 PRAA PBLICA | 27 20 SEMINRIO NACIONAL DE POLTICAS PBLICAS DE ESPORTE E LAZER: RETROSPECTIVA HISTRICA | 28 21 ESPORTE E LAZER: SUBSDIOS PARA O DESENVOLVIMENTO E A GESTO DE POLTICAS PBLICAS | 29 22 GESTO DE POLTICAS DE ESPORTE E LAZER: EXPERINCIAS, INOVAES, POTENCIALIDADES E DESAFIOS | 30 23 LAZER, CULTURA E PATRIMNIO AMBIENTAL URBANO: POLTICAS PBLICAS | 31 24 ESPAOS E EQUIPAMENTOS DE LAZER EM REGIO METROPOLITANA | 32

25 POLTICAS PBLICAS DE LAZER: FORMAO E DESENVOLVIMENTO DE PESSOAL | 33 26 PODER PBLICO, TERCEIRO SETOR E CONTROLE SOCIAL: INTERFACES NA CONSTRUO DE POLTICAS DE ESPORTES E LAZER | 34 27 AVALIAO DE POLTICAS E POLTICAS DE AVALIAO: QUESTES PARA O ESPORTE E O LAZER | 35 28 DIAGNSTICO DO ESPORTE E LAZER NA REGIO NORTE BRASILEIRA: O EXISTENTE E O NECESSRIO | 36 29 PAPPEL SOCIAL: PROGRAMA DE AVALIAO DE POLTICAS PBLICAS DE ESPORTE E LAZER | 37 30 TRABALHO PEDAGGICO E FORMAO DE PROFESSORES/MILITANTES CULTURAIS: CONSTRUINDO POLTICAS PBLICAS PARA A EDUCAO FSICA, ESPORTE E LAZER | 38 31 INFNCIAS NA METRPOLE | 39 32 PENSANDO SOBRE POLTICAS PBLICAS DE LAZER PARA JUVENTUDES EM CONTEXTOS DE VULNERABILIDADE SOCIAL: CONTRIBUIES A PARTIR DE PESQUISA EM RIBEIRO DAS NEVES | 40 33 ENVELHECIMENTO E VIDA SAUDVEL | 41 34 VIVENDO E ENVELHECENDO: RECORTES DE PRTICAS SOCIAIS NOS NCLEOS DE VIDA SAUDVEL | 42 35 GNERO E RAA: INCLUSO NO ESPORTE E LAZER | 43 36 PRTICAS CORPORAIS: GNESE DE UM MOVIMENTO INVESTIGATIVO EM EDUCAO FSICA | 44 37 PRTICAS CORPORAIS: TRILHANDO E COMPAR(TRILHANDO) AS AES EM EDUCAO FSICA | 45 38 PRTICAS CORPORAIS: EXPERINCIAS EM EDUCAO FSICA PARA UMA FORMAO HUMANA | 46 39 PRTICAS CORPORAIS: CONSTRUINDO OUTROS SABERES EM EDUCAO FSICA | 47 40 ESPORTE E LAZER NA CIDADE: PRTICAS CORPORAIS RE-SIGNIFICADAS | 48 41 ESPORTE E LAZER NA CIDADE: A PRTICA TEORIZADA E A TEORIA PRATICADA | 49 42 PRTICAS CORPORAIS NO CONTEXTO CONTEMPORNEO: (IN)TENSAS EXPERINCIAS | 50 43 MOVIMENTOS CORPORAIS NAS ESCOLAS: AS LUTAS | 51 44 DANA E DIVERSIDADE HUMANA | 52 45 ENSAIOS ALTERNATIVOS LATINO-AMERICANOS DE EDUCAO FSICA, ESPORTES E SADE | 53 46 CAMPOS DE VISIBILIDADE DA CAPOEIRA BAIANA: AS FESTAS POPULARES, AS ESCOLAS DE CAPOEIRA, O CINEMA E A ARTE (1955-1985) | 54 47 ETNO-DESPORTO INDGENA: CONTRIBUIES DA ANTROPOLOGIA SOCIAL | 55 48 ESPORTE E CINEMA: NOVOS OLHARES | 56 49 HISTRIA COMPARADA DO ESPORTE | 57 50 ESPORTE NA CIDADE: ESTUDOS ETNOGRFICOS SOBRE SOCIABILIDADES | 58 51 LEVANTAMENTO DA PRODUO SOBRE O FUTEBOL NAS CINCIAS HUMANAS E SOCIAIS DE 1980 A 2007 | 59 52 ENTRE O MAR E A MONTANHA: ESPORTE, AVENTURA E NATUREZA NO RIO DE JANEIRO | 60 53 EM BUSCA DE AVENTURA: MLTIPLOS OLHARES SOBRE ESPORTE, LAZER E NATUREZA | 61 54 LAZER, TURISMO E INCLUSO SOCIAL: FUNDAMENTOS & ESTRATGIAS DE INTERVENO COM IDOSOS | 62 55 POLTICAS DE LAZER E SADE EM ESPAOS URBANOS | 63 56 EDUCAO FSICA E SADE COLETIVA: POLTICAS DE FORMAO E PERSPECTIVAS DE INTERVENO | 64

57 CENRIOS LDICOS EM UNIDADES DE SADE DA FAMLIA: REFLEXES E PERSPECTIVAS | 65 58 DE PORTAS ABERTAS PARA O LAZER: A CULTURA LDICA NAS COMUNIDADES DE BAIRRO | 66 59 RECREAO, ESPORTE E LAZER: ESPAO, TEMPO E ATITUDE | 67 60 LAZER NA AMRICA LATINA / TIEMPO LIBRE, OCIO Y RECREACIN EN LATINOAMRICA | 68 61 GARIMPANDO MEMRIAS: ESPORTE, EDUCAO FSICA, LAZER E DANA | 69 62 NOS RECNDITOS DA MEMRIA: O ACERVO PESSOAL DE INEZIL PENNA MARINHO | 70 63 LAZER, ESPORTE E EDUCAO FSICA: PESQUISAS E INTERVENES DA REDE CEDES/UFJF | 71 64 EDUCAO FSICA E PRODUO DE CONHECIMENTO | 72 65 NUTESES - NCLEO BRASILEIRO DE DISSERTAES E TESES EM EDUCAO FSICA E ESPORTES: PRODUO CIENTFICA EM EDUCAO FSICA E ESPORTES | 73 66 NUTESES - NCLEO BRASILEIRO DE DISSERTAES E TESES EM EDUCAO FSICA E ESPORTES: PRODUO CIENTFICA RELACIONADA PESSOA PORTADORA DE DEFICINCIA | 74 67 NUTESES - NCLEO BRASILEIRO DE DISSERTAES E TESES EM EDUCAO FSICA E ESPORTES: PRODUO CIENTFICA EM EDUCAO FSICA E ESPORTES | 75 68 BOLETIM EDUCAO FSICA | 76 69 OBSERVATRIO DA MDIA ESPORTIVA: A COBERTURA JORNALSTICA DOS JOGOS ABERTOS DE SANTA CATARINA | 77 70 OBSERVANDO O PAN RIO/2007 NA MDIA | 78 71 TORCEDORES, MDIA E POLTICAS PBLICAS DE ESPORTE E LAZER: NO DISTRITO FEDERAL | 79

PROJETOS DE PESQUISA DA REDE CEDES - 80 a 85

APRESENTAO 1

Nos ltimos anos o esporte e o lazer vm assumindo papel de destaque no Brasil, o que implica maior responsabilidade do poder pblico. A criao, em 2003, do Ministrio do Esporte como rgo especfico para implementar e consolidar polticas pblicas para estas reas foi, sem dvida alguma, uma grande conquista. O Brasil, ao sediar megaeventos esportivos de relevncia mundial como a Copa do Mundo 2014 e os Jogos Olmpicos e Paraolmpicos de 2016, chama para si, tambm, o compromisso de desenvolver o esporte e o lazer, no s no que tange a infraestrutura esportiva e eventos, mas tambm na garantia do direito de acesso a todos os cidados brasileiros, conforme prev a Constituio de 1988. Entretanto, esse acesso precisa ser qualificado, o que elevar a cultura esportiva dos brasileiros, necessitando, para tal, de desenvolvimento de cincia e de tecnologia aliada a aes educativas na rea. Ao possibilitar a produo cientfica, o registro e a socializao dos resultados de pesquisas, a Secretaria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer (SNDEL) contribui para o avano do fomento e da difuso de conhecimentos na perspectiva da qualificao das polticas pblicas de esporte e lazer. E se este conhecimento for construdo de forma interdisciplinar, atendendo demandas intersetoriais, compreendendo no s o debate temtico que estabelece como tambm a socializao dos contedos sistematizados, o resultado dos argumentos e debates produzidos de forma participativa e democrtica, ter maiores condies de contribuio para as polticas pblicas desenvolvidas pelo Ministrio do Esporte. Por isso, confiamos que a publicao que temos o prazer de apresentar neste momento ter papel estratgico no alcance de objetivos emblemticos para nossa rea, como a mobilizao para a democratizao das prticas de esporte e lazer e o fomento a conhecimentos que possam ampliar a compreenso da importncia, benefcios e limites dessa poltica, contribuindo, tambm para a consolidao do esporte e do lazer na agenda da Cincia e Tecnologia do Governo Brasileiro. Faam boa leitura das publicaes aqui apresentadas, fruto do trabalho desenvolvido por nossa Secretaria, especialmente pela Rede CEDES, que coordenada pelo nosso Departamento de Cincia e Tecnologia do Esporte/DCTEC.

Rejane Penna Rodrigues Secretria Nacional de Desenvolvimento de Esporte e de Lazer Ministrio do Esporte

04

APRESENTAO 2

A cincia nada mais que o senso comum refinado e disciplinado. G. Myrdal

At bem pouco tempo atrs, pensar em polticas pblicas de esporte e de lazer era sinnimo de aes pautadas apenas pelo senso comum. Cada municpio, estado e at mesmo a Unio agia conforme seu processo de desenvolvimento na rea ou, o que era mais comum, de acordo com a vontade dos gestores de cada perodo. O resultado eram polticas pblicas que se limitavam a realizar alguns eventos em datas comemorativas, distribuir uniformes, trofus e medalhas, realizar competies esportivas, ou mesmo apoiar uma equipe de esporte de rendimento, quase sempre restrita ao futebol. O direito social e universal de acesso ao esporte e ao lazer ficava limitado aos espaos privados, ou seja, usufrua desse direito quem pudesse pagar. Pouca era a produo cientfica n