Click here to load reader

Regimento Interno CEAC

  • View
    833

  • Download
    0

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Regimento Interno do CEAC

Text of Regimento Interno CEAC

  • 1. CENTRO ESPRITA AMOR E CARIDADEREGIMENTO INTERNOArt.1 - O Centro Esprita Amor e Caridade, de agora em diantedenominado CEAC foi fundado e destina-se a prestar auxliodoutrinrio, moral e material, dentro da filosofia Kardecista a seusfrequentadores, independentemente de credos, raas, tendnciaspolticas ou qualquer outro tipo de discriminao, ser regidopelos Estatutos e complementado por este Regimento Interno.Art.2 - Em nenhuma reunio, assemblia ou evento promovidopelo CEAC, ser utilizado o voto secreto para as eleies ouaprovaes de qualquer natureza.Art.3 - Aprovao de Verbasa) O presidente e Vice Presidentes podero aprovar despesas at o limite de 100% da renda auferida pelo CEAC;b) A Diretoria Executiva, em seu conjunto, poder aprovar despesas at o limite de 100% da renda auferida pelo CEAC;c) A Assemblia Geral dos Scios e a Diretoria Executiva podero aprovar qualquer valor que se torne necessrio.Art.4 - Presidentea) Representar o CEAC em juzo ou fora dele, ativa e passivamente;b) Dirigir as reunies da Diretoria e instalar as Assemblias Gerais, cujas convocaes lhe compete fazer, ressalvados os Direitos dos scios efetivos; 1

2. c) Acompanhar esupervisionaras atividadesdosdepartamentos instalados, podendo delegar poderes; d) Firmar junto com o tesoureiro, os documentos necessrios amovimentao dos numerrios disponveis em bancos; e) Praticar todos os atos inerentes ao seu cargo; f) Caber ao Presidente Executivo a formao da sua equipe,como lhe aprouver, com os confrades que estiveremdispostos a assumirem compromissos, em prol da Entidade; g) As atribuies de cada Diretor sero regidas pelo RegimentoInterno.Art. 5 - Vice Presidente: a) Substituir o Presidente em suas faltas ou impedimentos,auxiliando-o na administrao da Entidade; b) Coordenar e administrar o Patrimnio da Entidade; c) Assumir o mandato at o seu final em caso de vacncia.Art. 6. - Podero ser criados departamentos especializadosconforme as necessidades e ao porte do CEAC, podendo seroferecido direo do curso a colaboradores da Entidade ou deoutros centros espritas irmos, ou empresas, para que sepratiquem os princpios da Unificao.PARGRAFO NICO: Compete ao Presidente Executivodesignar e/ou dispensar os dirigentes dos departamentosinoperantes, com prvia anuncia dos demais diretoresexecutivos, que no estejam correspondendo com suasatribuies, observando, inclusive, os princpios de fraternidade,oferecendo o direito da ampla defesa e do contraditrio.2 3. Art. 7 - 1 Secretrioa) Elaborar todas as atas das reunies da Diretoria assinando- a em conjunto com o Presidente e todos os Diretores presentes reunio, aps sua leitura e aprovao, na mesma reunio se possvel ou na reunio seguinte;b) Registrar em cartrio todas as atas, documentos e papeis que assim o necessitam para efeitos legais;c) Manter arquivos de todos os papeis e documentos do CEAC organizados para consultas ou referenciais que se fizerem necessrias;d) Elaborar e manter registros e cadastros de todos os scios da Casa obtendo as informaes necessrias, com a Livraria e Biblioteca;e) O 2 Secretrio substituir o 1 Secretrio em suas faltas ou em sua vacncia;f) Participar de todas as reunies da Diretoria levando ao conhecimento da Presidncia todo o andamento de seu Departamento.Art. 9 1 Tesoureiroa) Manter livros caixa, razo e dirio em dia e apresentar balancetes, sempre que solicitado ou nas reunies mensais da Diretoria;b) Coletar e encaminhar para o contador, todas as notas fiscais e documentos necessrios para a elaborao da contabilidade da Casa; 3 4. c) Coletar as receitas nos vrios departamentos e eventos daCasa para serem processados e depositados em contacorrente em banco; d) Proceder ao pagamento de todas as despesas da Casadevidamente comprovadas e aprovadas pela presidncia; e) Manter os valores monetrios da casa em conta corrente debanco escolhido para tal; f) O 2 Tesoureiro substituir o 1 Tesoureiro em suas faltas ouem sua vacncia; g) Participar de todas as reunies da Diretoria levando aoconhecimento da Presidncia todo o andamento de seuDepartamento.Art.10 - Gestor de Patrimnioa) A Diretoria de Patrimnio ter incumbncia de manter todo o patrimnio do CEAC;b) Prover livro de registro de todos os bens mveis e imveis da Casa;c) Prover sistema de plaquetas, com numerao seqencial, para a identificao de todos os bens da Casa;d) Conferir periodicamente todos os bens mveis e imveis da Casa relatando Presidncia todas as ocorrncias encontradas;e) Zelar pela integridade e manuteno de todos os bens patrimoniais mveis, ou imveis da Casa, providenciando consertos ou reparos que se fizerem necessrios, aps obteno de oramentos para aprovao do Presidente ou da Assemblia Geral dos Scios, conforme seu valor;4 5. f) Participar de todas as reunies da Diretoria levando ao conhecimento da Presidncia todo o andamento de seu Departamento;g) O Gestor de Patrimnio ser o responsvel pela Cozinha, pela Manuteno e Conservao das instalaes da Casa.h) O Gestor de Patrimnio contratar servios ou servidores externos, para os trabalhos que se fizerem necessrios a Casa, procurando sempre, obter no mnimo trs (03) oramentos, para o fato;i) O Gestor de Patrimnio ser responsvel pela conservao, limpeza e obras do localArt.11 - Grupo de DoutrinaREA DOUTRINRIAREA DE ENSINO DOUTRINRIO:- EVANGELIZAO ADULTO / EVANGELIZAO INFANTIL /- EVANGELIZAO JUVENIL- PALESTRAS- TREINAMENTO E RECICLAGEM- REA DE ASSISTNCIA ESPIRITUAL:- REUNIES PBLICAS- ATENDIMENTO FRATERNO: - ORIENTAO EENCAMINHAMENTO- EVANGELHO NO LAR- REA MEDINICA:- PASSE (FLUIDOTERAPIA)- COLEGIADO 5 6. REA DE ENSINO DOUTRINRIO GRUPO DE DOUTRINA EQUIPE DIRIGENTE a) planejar, dirigir, normatizar e coordenar as atividades darea de Ensino Doutrinrio de acordo com planospreviamente estabelecidos em conjunto com o Grupo deDoutrina; b) coordenar e manter os cursos de Aprendizes do Evangelho,de Educao Medinica e suas extenses, o de Expositor eoutros definidos pelo Grupo de Doutrina; c) participar, em conjunto com a rea interessada, do preparo,escolha e designao de expositores; d) cumprir as demais obrigaes previstas no estatuto, nesteregimento e as delegadas pela Diretoria.DIRIGENTE DE CURSOS responde ao Grupo de Doutrina - aele compete: a) dirigir a aula desde o incio at o final, respeitando adisciplina do horrio; b) na abertura da aula, procurar harmonizar as mentes, criandoum clima propcio para o aprendizado, objetivo da reunio; c) fazer a leitura e breve comentrio do livro de preparao deambiente; d) fazer a passagem harmonicamente de uma fase para outra,envolvendo com muito amor as pessoas designadas para asdiversas fases da reunio; e) passar a palavra ao expositor; f) garantir a manuteno de padro vibratrio elevado notranscorrer da aula, estando atento para intervir emsituaes embaraosas como: perguntas fora do tema, 6 7. polmicas ou comportamento do expositor no condizentecom a doutrina.EXPOSITOR responde aos Dirigentes de Cursosa) Ministrar as aulas de acordo com orientaes do programa;b) Entregar relatrios semestrais ao Grupo de Doutrina;c) Manter a assiduidade, pontualidade e responsabilidade junto classe a que for designada, avisando.MONITOR responde aos Dirigentes de Cursosa) Controlar a presena dos alunos;b) Auxiliar o dirigente escalando participantes para as preces iniciais e finais e vibraes;c) Entrar em contato com os alunos que apresentarem duas faltas consecutivas para verificar o motivo da ausncia e incentiv-los a voltar; avisos. REA DE INFNCIA E JUVENTUDE GRUPO DE DOUTRINA EQUIPE DIRIGENTE:a) Planejar, dirigir e coordenar as atividades da rea da Infncia, Juventude e Mocidade aprovadas pelo Grupo de Doutrina;b) Coordenar e manter os cursos de evangelizadores para infncia e juventude;c) Dirigentes da mocidade;d) Expositores de reunio de pais;e) Coordenar e manter cursos destinados ao ensino da Doutrina Esprita infncia e juventude;f) Planejar e coordenar cursos e palestras de orientao familiar relativos rea; 7 8. g) Coordenar as confraternizaes e encontros de juventude e mocidades espritas, de acordo com as normas fixadas pelo Grupo de Doutrina;h) Cumprir e fazer cumprir as demais obrigaes previstas no estatuto e neste regimento.COORDENADORRESPONDE AO GRUPO DE DOUTRINA a ele compete:a) Planejar, elaborar, em conjunto com a equipe de evangelizadores, calendrio das atividades da rea;b) Incentivar o grupo para que sejam mantidas em funcionamento as aulas, criando tantas classes quantas forem necessrias, dentro das possibilidades da Casa;c) Acompanhar a matrcula e encaminhamento dos alunos para sua respectiva classes;d) Acompanhar a elaborao dos programas das aulas pelos evangelizadores dos diferentes ciclos;e) Acompanhar o andamento dos trabalhos de evangelizao, junto aos evangelizadores e alunos, supervisionando as aulas e programas a serem desenvolvidos nas classes;f) Promover a realizao de reunies de evangelizadores formando equipes de trabalho, procurando participar das reunies de elaborao de aulas e reviso de textos;g) Incentivar a realizao de reunies de pais, integrando-os no trabalho de evangelizao da Casa Esprita;h) Promover periodicamente reunies administrativas ou de organizao com os elementos da rea para que todos fiquem inteirados dos trabalhos em geral, seu planejamento e avaliao;i) Manter, juntamente com a equipe, contato, intercmbio e troca de informaes com rgos com os quais se filiem a Casa Esprita a fim de buscar atualizao de conhecimento doutrinrio e permuta de material didtico;j) Fazer a avaliao de todas as atividades da rea juntamente com o grupo de evangelizadores;k) Participar quando convocado, das reunies do Grupo de Doutrina.8 9. EVANGELIZADOR Responde ao Coordenador da reaa) Dedicar no mnimo, duas horas por semana ao trabalho de evangelizao;b) Preparar a aula com antecedncia procurando elabor-la com um ou mais companheiros de forma que haja um perfeito entrosamento de trabalho com o coordenador e seguindo a linha de pensamento da Casa no molde esprita- cristo;c) Estudar sistematicamente o evangelho e a doutrina bem como quaisquer outros temas de formao moral crist;d) Esforar-se no seu preparo constante para o trabalho, participando de cursos de preparao de evangelizadores e reunies de estudos;e) Prepara seu material didtico em conjunto com outros elementos, propiciando o surgimento de novos auxiliares;f) Manter a assiduidade, pontualidade e responsabilidade junto classe a que for designada, avisando ao coordenador, com antecedncia para que possa ser substitudo, quando precisar faltar. MONITOR Responde ao Coordenador da reaa) Desenvolver tarefas que auxiliem o trabalho de evangelizao, tais como: secretaria: controle de material didtico, arquivo das aulas, msicas e jogos e demais materiais necessrios evangelizao infantil: - grupos de msica: ajudar a ensinar msica aos alunos, grupos de jogos ajudar a criana a ensinar jogos para os alunos. Atividades complementares: colaborar na limpeza e manuteno das salas de aula e instalaes da Casa usadas pela rea;b) Fornecer o material da aula para os evangelizadores, servios de apoio, como confeco de cartazes, convites, avisos, atas de reunies, etc: 9 10. c) Manter semprea sintonia como trabalho dos evangelizadores. REA DE ASSISTNCIA ESPIRITUAL ATENDIMENTO FRATERNO COORDENADOR Responde ao Grupo de Doutrinaa) Dirigir e coordenar as atividades da rea de assistncia espiritual, aprovadas previamente em conjunto com o Grupo de Doutrina;b) Promover a realizao de treinamento para os mdiuns dedicados s tarefas de assistncia espiritual, visando ao desenvolvimento mais eficiente daqueles para os quais isto seja necessrio;c) Promover reunies mensais com os coordenadores para se capacitarem dos assuntos e problemas que surgirem e trimestrais com todos os colaboradores para instrues e troca de experincias, com vistas melhoria do atendimento.d) Cumprir as demais obrigaes previstas no estatuto, neste regimento e as delegadas pela Diretoria;e) Elaborar as atas de reunies desta rea;f) Orientar o registro dos colaboradores do Departamento;g) Elaborar estatsticas que devero apontar os dias de maior fluxo de pessoas e quais as sesses mais recomendadas com a finalidade de aprimorar o grau de atendimento ao pblico a quem se serve.COORDENADOR DE ORIENTAO E ENCAMINHAMENTO ATENDENTE FRATERNOa) Responde ao coordenador. o colaborador que j passou pelo estgio de pelo menos um ano como Entrevistador; 10 11. b) Tem por finalidade atender em entrevista simples, ou exame espiritual, crianas, adolescentes e adultos. Orient-los e encaminh-los aos trabalhos de Assistncia Espiritual e, quando apresentarem condies de melhor equilbrio vibratrio, convid-los a matricularem-se nos cursos da Casa Esprita;c) Orientar e encaminhar aqueles em que foi constatada a necessidade de exame espiritual;d) Encaminhar para as escolas aqueles que, aps ou durante a freqncia regular s sesses de Assistncia Espiritual, aceitarem a sugesto para esse encaminhamento.ENTREVISTADOR responde ao Coordenador de Orientao e Encaminhamento o colaborador com a funo de atender os interessados,pesquisando de forma rpida, sucinta e objetiva, a causa de seusproblemas atuais. Deve encaminh-los s sesses deAssistncia Espiritual, dar-lhes orientao doutrinria evanglicanos casos mais simples e transferir aos CoordenadoresOrientadores o atendimento dos casos que reclamarem exameespiritual. O Entrevistador deve atender aos seguintes requisitos:a) Ter comportamento irrepreensvel;b) Conhecer as tcnicas e os objetivos das entrevistas;c) Saber como orientar e encaminhar as pessoas;d) Ser mais exigente para consigo mesmo;e) Manter disciplina e objetividade em seu trabalho;f) Conhecer os trabalhos da Casa Esprita;g) Saber, perfeitamente, a misso do entrevistador esprita, para compreender a alma humana;h) No ter pressa para terminar o trabalho, fazendo-o de afogadilho, porque tem sempre algo para fazer em seguida.11 12. ATENDENTE responde ao Coordenador de Orientao e Encaminhamento o colaborador encarregado de encaminhar aos entrevistadoresas pessoas que procuram o Departamento. A ele compete:Fornecer mensagens espritas as pessoas que aguardam a vezde serem atendidas, esclarecendo os benefcios da leitura emeditao da mensagem como preparao para a entrevista.RECEPCIONISTA responde ao Coordenador de Orientao e EncaminhamentoSua funo informar s pessoas que procuram a Casa. aprimeira pessoa que se relaciona com o assistido, sendoresponsvel pela impresso que este ter da Casa Esprita. Porisso sua tarefa de grande importncia e, at mesmo difcil, emvista que ir receber pessoas com muitas indagaes eproblemas s vezes bem srios. A ele compete:a) Verificar se as pessoas desejam receber assistncia espiritual ou se querem renovar a ficha anteriormente fornecida:b) Explicar os dias e horrios que foram designados na ficha se questionado pelo assistido. GRUPO MEDINICO responde ao CoordenadorCOLEGIADO importante existir um grupo de mdiuns especialmentepreparado, para examinar, com a participao efetiva do PlanoEspiritual, e orientar casos graves que lhe forem encaminhadospelos Coordenadores, atravs da ficha prpria. Essa atividadetem uma movimentao grande de fichas e cartes, por isso tudodeve ser registrado e acompanhado com carinho. 12 13. REA DE PASSESTem como finalidade atender, atravs de sesses de assistnciaespiritual, as pessoas que lhe so encaminhadas pelaCoordenao Orientao e Encaminhamento, sesses essasorganizadas e orientadas segundo os preceitos da DoutrinaEsprita contidos na Codificao de Kardec e regras e mtodoscontidos nos diversos livros adotados nos cursos mantidos pelaFederao Esprita do Estado de So Paulo.COORDENADOR responde ao Grupo de DoutrinaA ele compete:a) Responder pela rea;b) Programar reunies mensais com os supervisores, para se capacitarem dos assuntos e problemas que surgirem;c) Programar reunies trimestrais com todos os servidores do setor para instruo e troca de experincias, visando a melhoria do atendimento.DIRIGENTE responde ao Coordenador a ele compete:a) A responsabilidade pela boa conduta de cada trabalhador, pela correta aplicao do passe, pela manuteno de ambiente propcio assistncia espiritual, pelo incentivo e amparo aos colaboradores que dirige;b) Preparar e manter um bom ambiente na sala dos assistidos;c) Incentivar os companheiros assiduidade e motiv-los para o trabalho para impedir o seu afastamento ou desero;d) Cuidar para que o padro de atendimento do trabalho de assistncia que dirige seja mantido;e) Vigiar a correta aplicao do passe usando o tempo disponvel antes do incio ou aps o encerramento dos trabalhos para corrigir ou demonstrar o passe;f) Avisar os colaboradores da necessidade de comunicarem ao departamento quando forem se ausentar do trabalho por mais de quatro semanas; 13 14. g) Avisar aos colaboradores que quando precisarem de orientao devero dirigir-se ao coordenador de orientao e encaminhamento para consulta;h) Conhecer as normas gerais da casa para poder orientar os colaboradores na maneira de agir em qualquer ocorrncia;i) No coletar nem permitir coleta de dinheiro ou bens para trabalhos na casa;j) No tomar parte nos trabalhos como mdium. Havendo a necessidade premente de faz-lo, nomear um substituto para seu posto enquanto durar a necessidade.AUXILIAR DO DIRIGENTE o colaborador direto do dirigente A ele compete:Colaborar estreitamente com o dirigente, podendo, entre outras,executarem a tarefa de expositor, cabendo-lhe ainda substituir odirigente em suas faltas ou impedimentos e, nesse caso, deversolicitar ao Coordenador da rea de Passes a designao de umcolaborador para substitu-lo pelo tempo em que perdurar a faltaou impedimento do dirigente;EXPOSITOR responde ao Coordenador da rea de Assistncia EspiritualA ele competea) Realizar pequenas palestras evanglico-doutrinrias aos assistidos, segundo roteiro preestabelecido, antes dos passes e tratamentos espirituais, respondendo pelos conceitos emitidos e pela observncia dos temas fornecidos;b) Dever ter slidos conhecimentos doutrinrios, clareza de expresso e boa dico;c) Dever ter feito ou estar freqentando cursos, entre os quais, o de Expositor;d) Manter a assiduidade, pontualidade e responsabilidade junto classe a que for designada, avisando ao coordenador, com antecedncia para que possa ser substitudo, quando precisar faltar.14 15. MDIUM responde ao Coordenador da rea de Assistncia EspiritualA ele competea) A realizao de tarefas correlatas de acordo com a sua capacidade Medinica (incorporao, vidncia, audio, doao, etc.) aps ter efetuado curso de Educao Medinica, Curso de Passes ou Treinamento Especializado;b) Para a realizao das tarefas que lhe forem designadas, devero chegar 15 minutos antes do incio do trabalho, devendo preparar-se desde o lar, mantendo sempre o equilbrio e o dever de Orar e Vigiar, tendo muita disciplina e responsabilidade;c) O trabalhador medinico que apresentar qualquer desequilbrio da ordem moral, espiritual ou material que venha a interferir na execuo de suas funes na Casa Esprita, dever ser encaminhado rea de Assistncia Espiritual para tratamento adequado ao problema que vivncia.Art.12 - Gestor de Relaes Sociaisa) Auxiliar o Presidente em suas atribuies externas a Casa ou sempre que for solicitado para tal;b) Manter contatos com firmas, pessoas ou entidades ao CEAC;c) Recepcionarvisitantes,convidados,conferencistas, delegaes, etc., tomando providencias necessrias para o melhor atendimento e acomodaes dos mesmos;d) Organizar e promover a divulgao das atividades da Casa ou nas quais a mesma esteja envolvida;e) Realizar conferencia semanas de estudos e feiras de livros com o objetivo da divulgao da Doutrina Esprita;15 16. f) Estabelecer programao de palestras e de expositores internos ou externos da Casa de interesse da coletividade, a luz do Espiritismo;g) Participar de todas as reunies da Diretoria levando ao conhecimento da Presidncia todo o andamento de seu Departamento.h) O Gestor de Relaes Sociais supervisionar as reas seguintes:j) Departamentos: Livraria e Biblioteca, e Coordenadores dos trabalhos dirios;k) O Coordenador da Livraria e Biblioteca ter sob sua responsabilidade a compra, venda, locao, emprstimo de livros, revistas, fitas de vdeo, CDs, DVDs, sempre relacionados com a Doutrina Esprita;l) O Coordenador da Livraria e Biblioteca dever providenciar auxiliares, para o atendimento, em cada dia da semana, que houver trabalhos pblicos na Casa;m)Sob responsabilidade do Atendente da Livraria eBiblioteca, estar o recebimento das mensalidades, doaese contribuies a Casa;n) O Coordenador da Livraria e Biblioteca devero manter controles das vendas, locaes, emprstimos de livros, CDs e DVDs bem como dos recebimentos de doaes, contribuies e mensalidades que devero ser repassados Tesouraria, periodicamente;o) Participar de todas as reunies da Diretoria levando ao conhecimento da Presidncia todo o andamento de seu Departamento. 16 17. Art.13 - Gestor de Assistncia Social a) Em virtude de seu tamanho, o Departamento Assistencialser dirigido pelo Gestor de Assistncia Social que escolherum substituto que o possa ajudar e o representar em suasfaltas e impedimentos; b) Os diversos setores do Departamento Assistencial serosupervisionados por pessoas capacitadas que, de boavontade, queiram dar a sua colaborao no trabalho, emfavor do irmo necessitado; c) As pessoas, auxiliares do Departamento Assistencial, teroatribuies prprias e cargos definidos pelo Diretor deAssistncia Social; d) As vagas que ocorrerem no quadro de auxiliares seropreenchidas, em qualquer poca, obedecendo-se as normase critrios estabelecidos no Art.3 item a; e) Dever ser mantida uma escriturao sobre o atendimento atodos os necessitados anotando-se o mximo deinformaes sobre cada necessitado, para controle da Casae para que estes dados possam servir para estatsticas bemcomo para a solicitao de auxlios a entidadesgovernamentais e firmas em geral; f) Mensalmente e no fim de cada ms, por ocasio dasreunies mensais e no fim do exerccio fiscal anual, osresponsveis, apresentaro Diretoria, um resumo de suasatividades; g) O Diretor de Assistncia Social escolher um trabalhadorpara que o mesmo se incumba da coleta e da distribuio decestas bsicas aos assistidos da Casa. Este trabalhadordever manter controle escrito das entradas e sadas dosprodutos adquiridos. Os valores que lhe forem doadosdevero ser repassados Tesouraria; 17 18. h) Participar de todas as reunies da Diretoria levando aoconhecimento da Presidncia todo o andamento de seuDepartamento.Art.14 Normas e Procedimentos Gerais1 - Dos Trabalhadoresa) Os trabalhadores devero chegar para o trabalho quinze minutos antes do inicio do mesmo para higienizao e harmonizao, sendo orientados a chegar no horrio marcado para no quebrar a harmonizao do grupo que j se higienizou. Depois da harmonizao, evitar a entrada e sada de outras pessoas no recinto at que o trabalho com o pblico seja iniciado;b) vetado ao trabalhador levar para salas de trabalhos questes pessoais ou criar polemica quanto ao que foi lido sobre a doutrina;c) Se o trabalhador se afastar ou faltar por duas semanas consecutivas, ele far harmonizao na sua sala de trabalho ficando na funo de sustentao. No caso do trabalhador faltar trs vezes consecutivas ou mais, ele dever automaticamente ser encaminhado a tratamento espiritual e posteriormente, assumir sua funo;d) necessrio ao trabalhador uma vez por ano fazer tratamento de desobsesso, podendo se quiser, nesse perodo, se afastar da casa (frias, motivos pessoais) ou ficar assistindo as palestras. Observando a orientao acima para aqueles que se afastarem. Este controle ser feito pelo dirigente da sala. O trabalhador, sentindo qualquer perturbao estranha deve imediatamente se desligar dos trabalhos para tratamento de modo a no contaminar o ambiente; 18 19. e) O trabalhador passista no pode fumar beber ou ingerir qualquer outro tipo de droga que venha interferir na sua organizao mental, impedindo o intercmbio espiritual ou dificultando-o;f) Os trabalhadores devero ser escolhidos conforme o desempenho nos cursos da casa e/ou demonstrao de sua experincia e formao atravs de certificado da casa que veio;g) O trabalhador dever vestir-se e comportar-se com simplicidade, no chamando a ateno para si, de maneira a constranger os companheiros e o assistido, isto evitar roupas muito extravagantes e ou exibindo as formas do corpo ou demonstrando seu poder aquisitivo, bem como moderar o tom de voz e a linguagem;h) O trabalhador de qualquer funo deve fazer suas preces imediatamente ao chegar e ao sair (individual ou coletivamente) dentro de sua rea para que a luz e a paz se faam em todos os cmodos;i) Todos os trabalhadores devem conhecer todos os trabalhos da casa e seus horrios para poderem informar os visitantes e assistidos principalmente aqueles que trabalham na recepo e no atendimento fraterno;j) O trabalhador deve ser educado com os companheiros e assistidos, sem, contudo, exagerar nos gestos fraternos. Ns no estamos livres da maledicncia e a Casa precisa ter sua moral refletida em seus trabalhadores;k) O trabalhador que vier de outra Casa, ao ser admitido dever preencher a Declarao de Voluntrio, e ser orientado a utilizar crach de identificao e seguir todos os procedimentos da Casa relatados no Regimento Interno;l) Os trabalhadores passistas (trabalhos de harmonizao) devero chegar quinze minutos antes do seu incio, fazer a 19 20. higienizao (troca de passe e leitura), e retornar ao salopara assistir a palestra procurando manter a vibraoadquirida na sala de passe;m) Ser afastado do quadro de trabalhadores qualquer umque colocar a casa em desarmonia com comportamentocontrrio doutrina, bem como inserir praticas estranhas mesma e se opor as orientaes espirituais para si, para ogrupo ou para a casa. O caso ser levado ao conhecimentodo Departamento Doutrinrio para providncias;n) O trabalhador dever comunicar sua ausncia do trabalho com pelo menos 24h de antecedncia, se possvel, ao dirigente do mesmo, para que seja providenciado substituto. 2 - Das Exposiesa) As exposies do CEAC, por orientao espiritual, so preparatrias para o tratamento levando ao assistido uma mensagem de alento, conforto, consolo, paz, alegria, amor e esperana contida no Evangelho;b) As palestras de sexta- feiras tero temas livres desde que estejam luz do espiritismo;c) A conduta moral do expositor dever ser impecvel dentro e fora da casa, porque ele o mensageiro do Cristo e representante moral da casa.20 21. 3 - Dos TrabalhadoresO CEAC dispe dos seguintes trabalhos: Segunda-Feira14:00hsAssistncia Social19:30hsSesso aberta ao publico e passes de auxlio sade e harmonizao Tera-FeiraDas 14:00hs as 16:00hs Cursos19:30hsSesso aberta ao Pblico e passes de higienizao e harmonizaoQuarta-Feira15:00hsSesso aberta ao pblico e passes de higienizao e harmonizaoDas 19:30hs as 21:30hs CursosQuinta-FeiraDas 14:00 as 16:00hs Cursos19:30hsSesso para tratamentos especficos Sexta-Feira14:00hsSesso aberta ao pblico e passes de harmonizao e auxlio a sade19:30hsSesso aberta ao pblico e passes de higienizao e harmonizaoSbados CursosArt. 13 - O presente Regimento poder ser reformado a qualquer tempo, pelaAssemblia Geral desde que as reformas no atinjam, sob pena de nulidade, asdisposies que dizem respeito natureza esprita da associao, a no vitaliciedadedos cargos e funes e a destinao social, sempre esprita, do patrimnioArt. 14 - Este Regimento aprovado em Assemblia Geral entrar em vigor na data dasua aprovao e ser levado ao competente registro do pblico para produzir seusefeitos legais. Caraguatatuba,..... de ....... de 2011. 21