Click here to load reader

Regimento Interno Trt18

  • View
    691

  • Download
    0

Embed Size (px)

Text of Regimento Interno Trt18

REGIMENTO INTERNO TRT 18 REGIOPlaton Teixeira de Azevedo Neto

RGOS DA JUSTIA DO TRABALHO (ART.111, CF/88)

TST TRTs

JUZES DO TRABALHO

BREVE HISTRICOO Tribunal Regional do Trabalho da 18 Regio foi criado em 1989 (Lei n 7873/89), com jurisdio em todo o territrio do Estado de Gois e sede em Goinia. Foi oficialmente instalado em 30 de novembro de 1990, tendo como Presidente Instalador o Dr. Octvio Maldonado. Na poca, foram empossados sete dos oito juzes.

TRT 18 REGIOO primeiro Presidente eleito foi o Dr. Luiz Francisco

Guedes de Amorim, natural do Estado de Gois e oriundodo Quinto Constitucional, que exerceu o mandato de janeiro de 91 a janeiro de 93. Posteriormente, foram eleitos mais oito presidentes, com mandatos de dois anos, sendo o atual Presidente, Desembargador Mrio Srgio Bottazzo, eleito para cumprir mandato at janeiro de 2013.

Desor. Mrio Srgio Bottazzo Presidente Desor. Jlio Csar Cardoso de Brito VicePresidente (Ordem de antigidade) Desor. Platon Teixeira de Azevedo Filho Desora. Kathia M. Bomtempo de Albuquerque Desor. Elvecio Moura dos Santos Desor. Gentil Pio de Oliveira Desora. Elza Cndida da Silveira Desor. Aldon do Valle A. Taglialegna Desor. Breno Medeiros Desor. Paulo Srgio Pimenta Desor. Daniel Viana Jnior Desor. Geraldo R. do Nascimento Desor. Paulo Canag de Freitas Andrade

COMPOSIO ATUAL

VARAS DO TRABALHOO TRT da 18 Regio compreende, atualmente, 38 Varas do Trabalho instaladas, tendo hoje todos os municpios de Gois jurisdio trabalhista. Faltam 10

Varas para instalar. A nossa cidade de Goinia possui13 Varas do Trabalho, tendo mais 05 ainda a implementar. No interior, ao todo sero 30 Varas

quando todas estiverem em funcionamento.

VARAS DO TRABALHO18 Regio

NOVO FRUM

REGIMENTO INTERNOSegundo Hely Lopes Meireles, os regimentos so

atos administrativos normativos de atuao interna, dadoque se destinam a reger o funcionamento de rgos colegiados e de corporaes legislativas. Esclarece o

referido autor que os regimentos provm do poderhierrquico do Executivo, ou da capacidade de autoorganizao interna das corporaes legislativas e

judicirias, razo pela qual s se dirigem aos que seacham sujeitos disciplina do rgo que os expediu (Direito Administrativo Brasileiro, 27 edio, p. 177)

DECISO -STF

Na taxinomia das normas jurdicas o regimento interno dos tribunais se equipara lei. A prevalncia de uma ou de outro depende de matria regulada, pois so normas de igual categoria. Em matria processual prevalece a lei, no que tange ao funcionamento dos tribunais o regimento interno prepondera. Constituio, art. 5, LIV e LV, e 96, I, a. Relevncia jurdica da questo: precedente do STF e resoluo do Senado Federal. Razoabilidade da suspenso cautelar de norma que alterou a ordem dos julgamentos, que deferida at o julgamento da ao direta. Em 17/05/2006 o Pleno julgou procedente a ADI.

REGIMENTO INTERNO Artigo 7, IX, da Lei 8906/94. So direitos do advogado: Sustentar oralmente as razes de qualquer recurso ou processo, nas sesses de julgamento, aps o voto do relator, em instncia judicial ou administrativa, pelo prazo de quinze minutos, salvo se prazo maior for concedido. Declarado inconstitucional pelo STF.

Art. 96. Compete privativamente: I - aos tribunais: a) eleger seus rgos diretivos e elaborar seus regimentos internos, com observncia das normas de processo e das garantias processuais das partes, dispondo sobre a competncia e o funcionamento dos respectivos rgos jurisdicionais e administrativos...

NORMAS INTERNAS Regimento Interno: dispe sobre a organizao do Tribunal, distribuio de processos, julgamento de recursos, diretrizes gerais das Varas do Trabalho, aplicao de penalidades a magistrados e regras gerais do TRT da 18 Regio

Regulamento Geral: estabelece a estrutura administrativa e define as atribuies dos rgos do Tribunal. Fixa, tambm, a competncia dos servidores do Tribunal e estabelece ainda regras para provimento dos cargos e regras dos concursos

NORMAS INTERNAS Provimento Geral Consolidado: regula a distribuio dos feitos, protocolo de peties, a atividade das Secretarias das Varas e do Tribunal, pautas e audincias das Varas, normas relativas execuo, dentre outros assuntos

Normas esparsas: emanadas do Pleno, da Presidncia ou da Corregedoria

REGIMENTO INTERNO(Aprovado pela Resoluo Administrativa n 39/2002 e publicado no Dirio da Justia do Estado de Gois de 26/04/2002 e republicado, por incorreo, no Dirio da Justia do Estado de Gois)

NDICE SISTEMTICO TTULO I DA 18 REGIO (art. 1) TTULO II DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO (arts. 2 a 89) Captulo I - Da Organizao do Tribunal (arts. 2 a 7) Captulo II - Da Direo (arts. 8 a 12) Captulo III - Do Tribunal Pleno (arts. 13 a 14)

REGIMENTO INTERNOCaptulo IV - Da Comisso de Acompanhamento de Juzes No-Vitalcios (arts. 15 a 16) Captulo V - Da Presidncia (arts. 17 a 18) Captulo VI - Da Vice-Presidncia (arts. 19 a 20) Captulo VII - Do Corregedor (arts. 21 a 22)

REGIMENTO INTERNOCaptulo VIII - Da Ordem do Servio no Tribunal (arts. 23 a 78) Seo I - Da Distribuio dos Processos (arts. 23 a 32) Seo II - Do Relator (art. 33) Seo III - Do Revisor (art. 34) Seo IV - Das Pautas (arts. 35 a 39) Seo V - Das Sesses do Tribunal (arts. 40 a 71)

REGIMENTO INTERNOSeo VI - Dos Acrdos (arts. 72 a 75)

Seo VII - Das Audincias (arts. 76 a 78)Captulo IX - Do Processo no Tribunal (arts. 79 a 81) Captulo X - Dos Recursos para o Tribunal (art. 82)

REGIMENTO INTERNOCaptulo XI - Do Pedido de Correio (arts. 83 a 88) Captulo XII - Da Uniformizao de Jurisprudncia (art. 89) TTULO III DAS VARAS DO TRABALHO (arts. 90 a 94) TTULO IV DO PROCEDIMENTO DISCIPLINAR RELATIVO AOS MAGISTRADOS DE 1 GRAU (arts. 95 a 98) TTULO V DISPOSIES GERAIS E TRANSITRIAS (arts. 99 a 105)

REGIMENTO INTERNOTtulo I DA 18 REGIO Art. 1 So rgos da Justia do Trabalho da 18 Regio: I - O Tribunal Regional do Trabalho; II - Os Juzes do Trabalho.CF/88 - Art. 111. So rgos da Justia do Trabalho: I - o Tribunal Superior do Trabalho; II - os Tribunais Regionais do Trabalho; III - Juzes do Trabalho

ORGANIZAO DO TRIBUNALTtulo II DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO Captulo I DA ORGANIZAO DO TRIBUNAL Art. 2 So rgos do Tribunal Regional do Trabalho da 18 Regio: I - Tribunal Pleno; II - Turmas; III - Presidncia; IV - Corregedoria Regional. Pargrafo nico. Para o exerccio de suas funes, o Tribunal funcionar em sua composio plena e em Turmas, na forma da lei e das disposies deste Regimento.

ORGANIZAO DO TRIBUNALArt. 3 O Tribunal tem o tratamento de "Egrgio"; seus juzes, de "Excelncia". Art. 4 Nas sesses, os Desembargadores Federais do Trabalho usaro vestes talares, conforme modelo que for aprovado.

Pargrafo nico. O representante do Ministrio Pblico queparticipar de sesses do Tribunal tambm usar veste talar; os advogados que se dirigirem ao Tribunal, para fins de sustentao oral, devero trajar beca.

SESSES - ASSENTOArt. 5 Nas sesses, o Presidente tomar assento no centro da mesa principal; sua direita, tomar assento o representante do Ministrio Publico, sua esquerda, o Secretrio.

Pargrafo nico. O Vice-Presidente tomar assento na primeira cadeira da bancada direita da mesa central; o juiz mais antigo, na primeira cadeira da bancada esquerda e assim sucessivamente, obedecida a antigidade entre os Desembargadores Federais do Trabalho.

DESEMBARGADORES DO TRABALHORESOLUO ADMINISTRATIVA N 63/2006 Decidiu alterar o ttulo dos membros do TRT de Juiz do Tribunal para Desembargador Federal do Trabalho. Resoluo 104, de 25 de maio de 2012, do CSJT.

Art. 1 Os vocbulos de tratamento dos magistrados de 1 e 2 instncia no mbito da Justia do Trabalho so uniformizados em Juiz do Trabalho Substituto, Juiz Titular de Vara do Trabalho e Desembargador do Trabalho.

ANTIGIDADEArt. 6 A antigidade dos Desembargadores Federais do Trabalho ser determinada: I - pela data do incio do exerccio; II - pela data da posse; III - pela data da nomeao; IV - pela antigidade na carreira de magistrado, para os juzes oriundos da magistratura; na classe anterior, para os juzes oriundos do Ministrio Pblico ou da advocacia; V - pela idade.

MEMORIZAO: EX PO NOM TEM IDADE

CARREIRA DE JUIZCARREIRA DE JUIZ DO TRABALHO: Juiz do Trabalho Substituto Juiz Titular Desembargador do Trabalho (DT) Antigidade: Incio do exerccio, posse,

nomeao, observada a classificao noconcurso Permuta e remoo entre Tribunais diversos: final da fila

POSSE - DFTArt. 7 Os Desembargadores Federais do Trabalho tomaro posse perante o Tribunal Pleno, em sesso solene especial e exclusivamente convocada para esta finalidade. 1 - Publicado o ato de nomeao, poder o juiz tomar posse perante o Presidente do Tribunal, assumindo plenamente suas funes, sendo o ato de posse referendado na sesso solene prevista no "caput" deste artigo. 2 - A sesso solene dever ocorrer no prazo de 30 (trinta) dias da publicao do ato de nomeao, ou de 30 (trinta) dias do ato de posse a ser referendado, podendo ser prorrogada quando recair em recesso do Tribunal ou representar situao excepcional, a critrio do Presidente.

DA DIREO DO TRIBUNALCaptulo II DA DIREO

Art. 8 Constituem cargos de direo do Tribunal o de

Presidente e o de Vice-Presidente.

MEMORIZAO: PREVI

Obs.: 1 e 2 pargrafos revogados pela RA n 105/2011

DIREO DO TRIBUNALArt. 9 O mandato do Presidente e do Vice-Presidente do Tribunal ser de dois anos, iniciando-se no dia 30 de janeiro dos anos mpares ou, caso seja domingo ou feriado, no primeiro dia til subseqente.

ELEIO PRES. E VICEArt. 10. O Presidente e o VicePresidente do Tribunal sero eleitos, obedecido o critrio de antigidade, dentre aqueles que ainda no exerceram os referidos cargos, sendo que o mais antigo concorrer Presidncia e o imediato na a