Regulamento Disciplinar Da PMSC

  • View
    69

  • Download
    37

Embed Size (px)

Text of Regulamento Disciplinar Da PMSC

ESTADO DE SANTA CATARINA

POLCIA MILITAR

ESTADO-MAIOR

6 Seo

REGULAMENTO DISCIPLINAR DA PMSC

DECRETO N. 12.112, de 16 de setembro de 1980

Junho de 1997

DECRETO 12.112 - de 16 de setembro de 1980

Aprova o Regulamento Disciplinar da Polcia Militar de Santa Catarina

(RDPMSC).

O GOVERNADOR DO ESTADO DE SANTA CATARINA, usando da competncia privativa que lhe confere o artigo 93, item III, da Constituio do Estado e tendo em vista o disposto no artigo 18, do Decreto-Lei n 667, de 02 de julho de 1969,

D E C R E T A :

Art. 1 - Fica aprovado o REGULAMENTO DISCIPLINAR DA POLCIA MILITAR DE SANTA CATARINA (RDPMSC) , que com este baixa.

Art. 2 - Este Decreto entra em vigor na data de sua publicao.

Art. 3 - Revogam-se as disposies em contrrio.

Florianpolis, 16 de setembro de 1980

JORGE KONDER BORNHAUSEN

(Transcrito do DOE n 11.562, de 17 de setembro de 1980)

REGULAMENTO DISCIPLINAR DA POLCIA MILITAR DO ESTADO DE SANTA CATARINA

(RDPMSC)

TTULO I

DISPOSIES GERAIS

CAPTULO I

GENERALIDADES

Art. 1 - O Regulamento Disciplinar da Polcia Militar do Estado de Santa Catarina tem por finalidade especificar e classificar as transgresses disciplinares, estabelecer normas relativas a amplitude e a aplicao das punies disciplinares, a classificao do comportamento policial-militar das praas e a interposio de recursos contra a aplicao das punies.

Pargrafo nico - So tambm tratadas, em parte, neste Regulamento, as recompensas especificadas no Estatuto dos Policiais-Militares.

Art. 2 - A camaradagem torna-se indispensvel formao e ao convvio da famlia policial-militar, cumprindo existir as melhores relaes sociais entre os policiais-militares.

Pargrafo nico - Incumbe aos superiores incentivar e manter a harmonia e a amizade entre seus subordinados.

Art. 3 - A civilidade parte da Educao Policial Militar e como tal de interesse vital para a disciplina consciente. Importa ao superior tratar os subordinados, em geral, e os recrutas em particular, com urbanidade e justia, interessando-se pelos seus problemas. Em contrapartida, o subordinado obrigado a todas as provas de respeito e deferncia para com seus superiores, de conformidade com os regulamentos policiais-militares.

Pargrafo nico - As demonstraes de camaradagem, cortesia e considerao, obrigatrias entre os policiais-militares, devem ser dispensadas aos militares das Foras Armadas e aos policiais-militares de outras Corporaes.

Art. 4 - Para efeito deste Regulamento, todas as Organizaes Policiais-Militares, tais como: Quartel do Comando Geral, Comandos de Policiamento, Diretorias, Estabelecimentos, Reparties, Escolas, Campos de Instruo, Centros de Formao e Aperfeioamento, Unidades Operacionais e outras, inclusive as de Bombeiros, sero denominadas de "OPM".

Pargrafo nico - Para efeito deste Regulamento, os Comandantes, Diretores ou Chefes de OPM sero denominados "Comandantes".

CAPTULO II

PRINCPIOS GERAIS DA HIERARQUIA E DA DISCIPLINA

Art. 5 - A hierarquia militar a ordenao da autoridade, em nveis diferentes, dentro da estrutura das Foras Armadas e das Foras Auxiliares, por postos e graduaes.

Pargrafo nico - A ordenao dos postos e graduaes na Polcia Militar se faz conforme preceitua o Estatuto dos Policiais-Militares.

Art. 6 - A disciplina policial-militar a rigorosa observncia e o acatamento integral das leis, regulamentos, normas e disposies, traduzindo-se pelo perfeito cumprimento do dever por parte de todos e de cada um dos componentes do organismo policial-militar.

1 - So manifestaes essenciais de disciplina:

1) a correo de atitudes;

2) a obedincia pronta s ordens dos superiores hierrquicos;

3) a dedicao integral ao servio;

4) a colaborao espontnea disciplina coletiva e eficincia da instituio;

5) a conscincia das responsabilidades;

6) a rigorosa observncia das prescries regulamentares.

2 - A disciplina e o respeito a hierarquia devem ser mantidos permanentemente pelos policiais-militares na ativa e na inatividade.

Art. 7 - As ordens devem ser prontamente obedecidas.

1 - Cabe ao policial-militar a inteira responsabilidade pelas ordens que der e pelas conseqncias que delas advierem.

2 - Cabe ao subordinado, ao receber uma ordem, solicitar os esclarecimentos necessrios ao seu total entendimento e compreenso.

3 - Quando a ordem importa em responsabilidade criminal para o executante, poder o mesmo solicitar sua confirmao por escrito, cumprido autoridade que a emitiu, atender solicitao.

4 - Cabe ao executante que exorbitar no cumprimento de ordem recebida a responsabilidade pelos excessos e abusos que cometer.

CAPTULO III

ESFERA DA AO DO REGULAMENTO DISCIPLINAR E COMPETNCIA PARA A SUA APLICAO

Art. 8 - Esto sujeitos a este Regulamento, os policiais-militares na ativa e os na inatividade.

1 - O disposto neste Regulamento aplica-se no que couber aos Capeles Policiais-Militares.

2 - Os alunos de rgos especficos de formao de policiais-militares tambm esto sujeitos aos regulamentos, normas e prescries das OPM em que estejam matriculados.

3 - As disposies deste Regulamento aplicam-se aos policiais-militares na inatividade quando, ainda no meio civil, se conduzam, inclusive por manifestaes atravs da imprensa, de modo a prejudicar os princpios da hierarquia, da disciplina, do respeito e do decoro policial-militar.

Art. 9 - A competncia para aplicar as prescries contidas neste regulamento conferida ao cargo e no ao grau hierrquico, sendo competentes para aplic-las:

(Alterado pelo Decreto n 3.913, de 4 Out. 89)

1) O Governador do Estado, a todos os integrantes da Polcia Militar;

2) O Comandante Geral, a todos os integrantes da Polcia Militar;

3) O Chefe da Casa Militar, aos que estiverem sob a sua chefia;

4) O Chefe do Estado-Maior da PM, o Subchefe do Estado-Maior da PM, os Comandantes de Policiamento Regionais, os Diretores, o Ajudante-Geral, O Comandante do Centro de Ensino, O Chefe da Assessoria Militar da Secretaria de Segurana Pblica, o Chefe da Assessoria Parlamentar e o Chefe da Assessoria Judiciria, aos que servirem sob suas ordens;

5) Os Comandantes de Unidade Operacional PM ou de Bombeiro, a nvel de Batalho, os comandantes ou chefes de rgos de Apoio da Polcia Militar e o Comandante do Batalho de Comando e Servio, aos que servirem sob suas ordens;

6) Os comandantes das Subunidades Operacionais PM ou de Bombeiros, a nvel de Companhia, aos que servirem sob suas ordens;

7) Os comandantes de Peloto ou Seo de Combate a Incndio destacados, aos que servirem sob suas ordens.

Pargrafo nico - A competncia conferida aos chefes de rgos de apoio e Assessores limitar-se- as ocorrncias relacionadas as atividades inerentes ao servio e suas reparties.

Art. 10 - Todo Policial-Militar que tiver conhecimento de um fato contrrio disciplina dever participar ao seu chefe imediato, por escrito ou verbalmente. Neste ltimo caso, deve confirmar a participao, por escrito, no prazo mximo de 48 horas.

1 - A parte deve ser clara, concisa e precisa; deve conter os dados capazes de identificar as pessoas ou coisas envolvidas, o local, a data e hora da ocorrncia e caracterizar as circunstncias que a envolveram, sem tecer comentrios ou opinies pessoais.

2 - Quando, para preservao da disciplina e do decoro da Corporao, a ocorrncia exigir uma pronta interveno, mesmo sem possuir ascendncia funcional sobre o transgressor, a autoridade policial-militar de maior antigidade que presenciar ou tiver conhecimento do fato dever tomar imediatas e enrgicas providncias, inclusive prend-lo "em nome da autoridade competente", dando cincia a esta, pelo meio mais rpido, da ocorrncia e das providncias em seu nome tomadas.

3 - Nos casos de participao de ocorrncias com policial-militar de OPM diversa daquela a que pertence o signatrio da parte, deve este, direta ou indiretamente, ser notificado da soluo dada, no prazo mximo de oito dias teis. Expirando este prazo, deve o signatrio da parte informar a ocorrncia referida autoridade a que estiver subordinado.

4 - A autoridade, a que a parte disciplinar dirigida, deve dar a soluo no prazo mximo de oito dias teis, ouvindo, sempre que possvel, o transgressor e, se julgar necessrio as pessoas envolvidas, obedecidas as demais prescries regulamentares. Na impossibilidade de solucion-la neste prazo, o seu motivo dever ser necessariamente publicado em boletim e neste caso, o prazo poder ser prorrogado at 30 dias.

5 - A autoridade que receber a parte, no sendo competente para solucion-la, deve encaminh-la a seu superior imediato.

Art. 11 - No caso de ocorrncia disciplinar envolvendo policiais-militares de mais de uma OPM, caber ao Comandante imediatamente superior da linha de subordinao apurar (ou determinar a apurao) dos fatos, procedendo a seguir de conformidade com o Art. 10 e seus pargrafos, do presente Regulamento, com os que no sirvam sob a sua linha de subordinao funcional.

Pargrafo nico - No caso de ocorrncia disciplinar envolvendo militares (FA) e policiais-militares, a autoridade policial-militar competente dever tomar as medidas disciplinares referentes aos elementos a ela subordinados, informando o escalo superior sobre a ocorrncia, as medidas tomadas e o que foi por ela apurado, dando cincia tambm do fato ao Comandante Militar interessado.

CAPTULO IV

ESPECIFICAO DAS TRANSGRESSES

Art. 12 - Transgresso disciplinar qualquer violao dos princpios da tica, dos deveres e das obrigaes policiais-militares na sua manifestao elementar e simples e qualquer omisso ou ao contrria aos preceitos