Relacao de Medicamentos Padronizados Hu-ufsc

Embed Size (px)

Text of Relacao de Medicamentos Padronizados Hu-ufsc

1SERVIO PBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA HOSPITAL UNIVERSITRIO PROF. POLYDORO ERNANI DE SO THIAGO

RELAO DE MEDICAMENTOS PADRONIZADOSCOMISSO DE FARMCIA E TERAPUTICA

5 EDIO 2009

2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA HOSPITAL UNIVERSITRIO PROF. POLYDORO ERNANI DE SO THIAGO

Diretora Geral: Prof. Dra. Marisa Helena Csar Coral Vice - Diretor: Prof. Dr. Felipe Felcio Diretora de Medicina: Dra. Maria La Campos Diretora de Apoio Assistencial: Prof. Dra. Maria de Lourdes Rovaris Diretor de Administrao: Adm. Nlio Francisco Schmitt Diretora de Enfermagem: Prof. Dra. Francine Lima Gelbcke

3 COMISSO DE FARMCIA E TERAPUTICA

Dr. Alberto Trapani Jnior Diviso de Tocoginecologia Dr. Adriana Mello Barotto Centro de Informaes Toxicolgicas CIT/SC Enf. Jeane S. F. Wechi Diretoria de Enfermagem Dr. Luiz Alberto Nunes - Diviso de Clnica Cirrgica Dr. Margareth de Farias Schutel Diviso de Pediatria Dr. Maria La Campos Diretoria de Medicina e Comisso de Controle de Infeco Hospitalar (Presidente)

Farm. Simone Vieira Costa Servio de Farmcia Farm. Zuleide Gonzaga da Silva Besen Farmacovigilncia (Relatora)

4

APRESENTAOOs medicamentos constituem frequentemente um elemento essencial para recuperao da sade. Uma vez que a Constituio Federal estabelece que "a sade direito de todos e dever do Estado", entende-se que o acesso aos medicamentos deva ser garantido. No entanto, para que se consolide este direito, os servios de sade devem ser estruturados e organizados de modo a promover o acesso dos usurios aos medicamentos prescritos de forma racional. No Hospital Universitrio da Universidade Federal de Santa Catarina (HU/UFSC), a Comisso de Farmcia e Teraputica (CFT/HU/UFSC), anteriormente denominada de Comisso de Padronizao de Medicamentos, responsvel pela seleo e o desenvolvimento de polticas de utilizao dos medicamentos, tendo como proposta atuar como foro de discusso sobre os aspectos ralacionados ao tratamento medicamentoso, visando proporcionar a utilizao racional dos medicamentos e contribuir para o processo educativo dos profissionais de sade. A Relao de Medicamentos Padronizados, uma listagem dos frmacos disponveis no HU/UFSC, revisados com base na listagem anterior de medicamentos, edio 2003, e na Relao Nacional de Medicamentos Essenciais (RENAME) quarta edio, 2007. Apresenta, alm da listagem dos medicamentos, as orientaes para solicitao de medicamentos no padronizados, de uso restrito e de alterao da relao, bem como os critrios para incluso ou excluso de medicamentos. Esperamos que esse material possa servir de instrumento til no dia a dia dos profissionais de sade, mantendo o propsito da Comisso de Farmcia e Teraputica de garantir a disponibilidade de medicamentos com eficcia comprovada.

5

RELAO DE MEDICAMENTOSA Relao de Medicamentos Padronizados do HU/UFSC contempla os frmacos disponveis no hospital, para a assistncia ao paciente durante o perodo de internao e para outras demandas internas. Abrange um elenco de medicamentos necessrios ao tratamento da maioria das situaes clnicas de acordo com o perfil do hospital, e tem por objetivo orientar a prescrio mdica servindo de instrumento facilitador do uso racional de medicamentos. Os frmacos listados, foram especificados considerando a nomenclatura genrica (nome farmacolgico) de acordo com a Denominao Comum Brasileira (DCB), complementados pela formas farmacuticas, dosagens e/ou concentraes. A Relao de Medicamentos Padronizados est disponvel por meio do endereo eletrnico:http://www.hu.ufsc.br/~farmacia/relacao_medicamentos.php

MEDICAMENTOS PADRONIZADOSEstes medicamentos so divididos em: -Uso geral: So aqueles dispensados pelo servio de Farmcia mediante a prescrio mdica. Uso restrito: So frmacos que possuem as seguintes caractersticas: indicao muito especfica, potencial para induo de resistncia microbiana e/ou alto custo. Alm da prescrio, para serem dispensados requerem o preenchimento do Formulrio de Solicitao de Medicamento de Uso Restrito, autorizado pela Diretoria de Medicina, ou Formulrio de Solicitao de Antibiticos de Uso Restrito disponveis no endereo eletrnico: http://www.hu.ufsc.br/~farmacia/formularios.php e no Sistema Hospitalar (Prescrio Mdica), respectivamente.

MEDICAMENTOS NO PADRONIZADOSFrmacos de uso eventual, que no fazem parte da Relao de Medicamentos do hospital e por isso, no so mantidos em estoque. Para a solicitao de compra necessrio o preenchimento do Formulrio de Solicitao de Medicamento No Padronizado, autorizado pela Diretoria de Medicina, disponvel no endereo eletrnico: http://www.hu.ufsc.br/~farmacia/formularios.php.

6

PROCESSO DE REVISO E ATUALIZAO DA RELAO DE MEDICAMENTOSA Relao de Medicamentos foi elaborada a partir da necessidade de organizar e otimizar as alternativas farmacuticas, visando agilizar a prescrio mdica e racionalizar recursos. Com base na Relao Nacional de Medicamentos Essenciais- RENAME, a lista est em constante processo de reformulao buscando abrangncia e coerncia, ao mesmo tempo em que segue os preceitos da medicina baseada em evidncias. O corpo clnico do hospital pode solicitar modificao na Relao de Medicamentos no sentido de mante-la sempre atualizada. Para isso, necessrio o preenchimento do Formulrio de Solicitao Alterao de Medicamentos, disponvel no endereo eletrnico: http://www.hu.ufsc.br/~farmacia/formularios.php, anexando estudos que fundamentem a

solicitao. A Comisso analisar o pedido com base nos princpios tcnicos estabelecidos e em parecer de consultoria especfica, de acordo com a necessidade.

7 PRINCPIOS PARA A INCLUSO DE MEDICAMENTOS NA RELAO A CFT/HU/UFSC adota como base os princpios abaixo para orientar a tomada de deciso para a incluso de medicamentos. Estes princpios esto baseados nos conceitos de farmacologia clnica e no uso racional de medicamentos, conforme os descritos abaixo: - Frmacos de comprovada eficincia, ou seja, aqueles em que se quantificou atravs de ensaios clnicos randomizados e definiu-se efeito benfico na espcie humana. Na inexistncia desses estudos, privilegiar medicamentos com extensa experincia de emprego clnico; - Nas situaes em quem houverem medicamentos de igual eficincia, selecionar os de maior efetividade, ou seja, aqueles que apresentarem menor toxicidade relativa e maior comodidade de administrao; - Para os medicamentos de uma mesma classe farmacolgica, definir um representante com propriedades que atenda aos critrios cientficos supra citados. Em casos excepcionais, a Comisso se reserva no direito de incluir mais de um representante com propriedades equivalentes, para incentivar medicamentos; - Padronizar preferencialmente, as apresentaes com um nico medicamento. Para a insero de associaes de dois ou mais princpios ativos, os mesmos devero ser de comprovada utilidade; - Definir alguns medicamentos de uso restrito, liberados somente para indicaes especficas, considerando efeitos indicaes indesejveis muito precisas, risco com bem o definidos uso e/ou custo; - Considerar na incluso de novos frmacos, evidncias de eficincia superior, ressaltando os apresentados continuado; - Evitar o critrio de incluso pela "experincia pessoal" uma vez que no quantifica os benefcios do medicamento. a competitividade entre vrios fornecedores; - Considerar o nmero de apresentaes pelas embalagens que ofeream melhor aproveitamento de

8

Abreviaturas

A.AAmp. Bisn. Cps. Caps. Gel. Comp. Comp. Vag. Creme vag. CVC Drag. Env. ET Fr-amp. Fr. IA IT Pct. Pcte PD Sist. Sol. Sol. oft. Sup. Susp. SVC VI VR Xpe.

Aminocidos Ampola BisnagaCpsula Cpsula Gelatinosa Comprimido Comprimido Vaginal Creme Vaginal Com Vasoconstritor Drgea Envelope Endotraqueal Frasco-ampola Frasco Intraarticular Intratecal Pacote Paciente Peridural Sistema Soluo Soluo Oftlmica Supositrio Suspenso Sem Vasoconstritor Via Inalatria Via Retal Xarope

9

SUMRIOPG APRESENTAO RELAO DE MEDICAMENTOS MEDICAMENTOS PADRONIZADOS MEDICAMENTOS NO PADRONIZADOS PROCESSO DE REVISO E ATUALIZAO PRINCPIOS PARA A INCLUSO DE MEDICAMENTOS NA RELAO ABREVIATURAS 4 5 5 5 6 7 8

GRUPO A MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA CARDIOVASCULAR E RENAL 1. ANTIANGINOSOS 2. ANTIARRTMICOS 3. ANTIAGREGANTES PLAQUETRIOS 4. ANTI-HIPERTENSIVOS 5. BLOQUEADORES ADRENRGICOS 6. CARDIOTNICOS 7. DIURTICOS 8. TERAPIA VARICOSA 9. VASODILATADORES 16 16 16 17 17 17 17 18 18

GRUPO B MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA DIGESTIVO

1. ANTICIDOS, ANTI-SECRETORES 2. ANTIDIARRICOS 3. ANTIEMTICOS 4. ADSORVENTES 5. LAXATIVOS

18 18 18 19 19

10GRUPO C MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO METABOLISMO E NUTRIO 1. DILUENTES, ELETRLITOS E SOLUES DIVERSAS 19 20 20

2. NUTRIENTES PARENTRICOS3. VITAMINAS E OUTROS

GRUPO D MEDICAMENTOS ANTIMICROBIANOS E ANTIPARASITRIOS

1. AGENTES ANTIFNGICOS 2. AGENTES ANTIVIRAIS 3. AGENTES ANTIMALRICOS 4. AGENTES ANTI-HELMNTICOS 5. AGENTES ANTIMICOBACTRIAS 6. AMINOGLICOSDEOS 7. CARBAPENMICOS 8. CEFALOSPORINAS 9. CLORANFENICOL 10. GLICOPEPTDEOS 11. LINCOSAMDEOS 12. MACROLDEOS 13. METRONIDAZOL 14. OXAZOLIDINONA 15. PENICILINAS 16. QUINOLONAS E FLUOROQUINOLONAS 17. SULFAMDICOS + COMBINAES DE TRIMETOPRIMA 18. TETRACICLINAS 19. BETA-LACTMICOS

21 21 22 22 22 22 22 22 23 23 23 23 23 23 23 24 24 24 24

11GRUPO E ANTINEOPLSICOS

1. ALQUILANTES2. ANTIMETABLICOS 3. ANTIBIOTICOS 4. ADJUVANTES 5. AGENTES DIVERSOS GRUPO F

25 25 25 25 26

MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SANGUE E RGOS HEMATOPOITICOS 1. ANTIANMICOS 2. ANTICOAGULANTES 3. ANTINEUTROPNICO 4. COAGULANTES 5. TROMBOLTICOS 6. SUBSTITUTOS DO PLASMA 26 26 26 26 26 27

GRUPO G MEDICAMENTOS ANTIINFLAMATRIOS, ANTI-REUMTICOS E ANTIGOTOSOS 1. ANTIINFLAMATRIOS, ANTI-REUMTICOS E ANTIGOTOSOS 27

GRUPO H MEDICAMENTOS QUE ATUAM NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL E PERIFRICO

1. ANALGSICOS ANTIPIRTICOS 2. ANESTSICOS GERAIS 3. ANESTSICOS LOCAIS 4. ANSIOLTICOS, HIPNTICO