of 15 /15
RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha da Rosa Sérgio Menna Barreto UNIDADE DE FISIOLOGIA PULMONAR HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

Embed Size (px)

Citation preview

Page 1: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO

DAS VIAS AÉREAS

Maria Ângela Fontoura Moreira

Pauline Zanin

Renata Heck

Letícia Cunha da Rosa

Sérgio Menna Barreto

UNIDADE DE FISIOLOGIA PULMONAR

HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

Page 2: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

INTRODUÇÃO

A redução da relação VEF1/CVF tem sido utilizada para definir obstrução. Os pontos de corte para normalidade variam dependendo da publicação.

Hansen, Sun and Wassermann – Chest 131, 2007.

O GOLD (Global Iniciative for Chronic Obstructive Disease) atualizado em 2006 considera 70% o limite da normalidade.

Antonio Couto e Manuel José Ferreira em seu livro “Estudo Funcional Respiratório“, 2004, citam 70% como ponto de corte.

Robert Hyatt em seu livro “Pulmonary Function Tests” consideram valores de 75%-80% para adultos normais, descrescendo com a idade.

Pride menciona 70%-75% em seu capítulo de testes de inspiração e expiração forçada – Clinics in Chest Medicine, 2001

Page 3: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

OBJETIVO

Avaliar os diferentes critérios utilizados na avaliação da relação VEF1/CVF em um grupo de pacientes com a CVF e VEF1 normais.

A relação VEF1/CVF é um parâmetro útil, mas como a CVF é menos reprodutível que o VEF1, a variabilidade da relação também é maior que do VEF1. Os valores variam com a idade, dificultando a definição dos pontos de corte - Pride

Page 4: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

METODOLOGIA

Exames de pacientes adultos da Unidade de Fisologia Pulmonar do HC de POA

Espirometria com CVF e VEF1 normais

Tabela de previstos de Crapo

Espirometro da marca Jaeger

Grupos por faixa etária: 20-29 anos, 30-39 anos, 40-49 anos, 50-59anos, 60-69 anos e acima de 70 anos

Critérios para normalidade: VEF1/CVF de 70%, 75% ou utilizando-se o LIP da tabela

Page 5: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha
Page 6: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

Grupo: 185 pacientes

Média de idade: 52 anos

71 homens e 114 mulheres

RESULTADOS

Page 7: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

DIVISÃO PELA FAIXA ETÁRIA

1827

3544

30 31

01020304050

20-29 30-39 40-49 50-59 60-69 Acimade 70

Nº D

E PA

CIEN

TES

RESULTADOS

Page 8: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

VALORES MÉDIOS DA RELAÇÃO VEF1/CVF

86,97

83,98 83,9982,14

80,42 80,09

76788082848688

20-29 30-39 40-49 50-59 60-69 Acimade 70

FAIXA ETÁRIA

VE

F1

/CV

F (

%)

RESULTADOS

Page 9: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

PACIENTES ENTRE 20-29 ANOS

18 18 18

0

5

10

15

20

VEF1/CVF 70% VEF1/CVF 75% LIP

CRITÉRIOS

PA

CIE

NT

ES

18 PACIENTES LIP: 77,13%

RESULTADOS

Page 10: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

PACIENTES ENTRE 30-39 ANOS

26

25

24

23

24

25

26

27

VEF1/CVF 70% VEF1/CVF 75% LIP

CRITÉRIOS

PA

CIE

NT

ES

27 PACIENTES LIP: 75,78%

RESULTADOS

Page 11: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

PACIENTES ENTRE 40-49 ANOS

34

33

34

32,5

33

33,5

34

34,5

VEF1/CVF70%

VEF1/CVF75%

LIP

CRITÉRIOS

PA

CIE

NT

ES

35 PACIENTES LIP: 73,72%

RESULTADOS

Page 12: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

PACIENTES ENTRE 50-59 ANOS

44

4142

39404142434445

VEF1/CVF 70% VEF1/CVF 75% LIP

CRITÉRIOS

PA

CIE

NT

ES

44 PACIENTES LIP: 73,72%

RESULTADOS

Page 13: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

PACIENTES ENTRE 60- 69 ANOS

30

26

30

24

26

28

30

32

VEF1/CVF70%

VEF1/CVF75%

LIP

CRITÉRIOS

PA

CIE

NT

ES

30 PACIENTES LIP: 69,68%

RESULTADOS

Page 14: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

PACIENTES ACIMA DE 70 ANOS

2823

30

0

10

20

30

40

VEF1/CVF 70% VEF1/CVF 75% LIP

CRITÉRIOS

PA

CIE

NT

ES

31 PACIENTES LIP: 67,91%

RESULTADOS

Page 15: RELAÇÃO VEF1/CVF: UM CRITÉRIO VARIAVEL NA AVALIAÇÃO DA OBSTRUÇÃO DAS VIAS AÉREAS Maria Ângela Fontoura Moreira Pauline Zanin Renata Heck Letícia Cunha

CONCLUSÃO

Observamos um decréscimo na relação VEF1/CVF com a idade, assim como do limite inferior previsto. Entre 20 e 29 anos todos os critérios foram adequados, entre 30 e 69 anos o valor de 70% mostrou-se mais abrangente e acima de 70 anos a utilização do limite inferior previsto foi mais exato.