Click here to load reader

Relatório actividades contas gerencia 2013

  • View
    215

  • Download
    2

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Relatório Actividades e Contas de Gerência 2013

Text of Relatório actividades contas gerencia 2013

  • 3

    ndice

    Relatrio de Atividades 2013

    Apresentao .................................................... 5

    A Associao em Nmeros ............................... 7

    rgos Sociais ................................................. 11

    Nota de Abertura ............................................ 13

    Relatrio de Atividades .................................. 15

    rea da 1 e 2 Infncia .......................... 16

    rea da 3 Infncia e Juventude ............. 19

    rea Scio-Comunitria .......................... 22

    rea de Idosos ........................................ 27

    Outras reas ........................................... 36

    Contas de Gerncia 2013 ............................... 41

    Anexo ...................................................... 47

    Certificao e Parecer do Conselho Fiscal ...... 69

  • Apresentao

  • 6

    Apresentao

    Relatrio de Atividades 2013

    A Associao Lus Pereira da Mota, tambm designada por ALPM uma Instituio Particular de Solidariedade Social, sem fins lucrativos, dirigindo a sua atividade para as crianas, jovens, idosos e famlias.

    Com sede em Loures, Rua Avelar Brotero/Praceta Antnio Francisco da Silva Penetra, foi de acordo com os estatutos fundada em 30 de Dezembro de 1915, contudo tal como cada vez mais conhecemos j existia dcadas como Irmandade Terceiros de S. Francisco.

    Ao longo da 1 e 2 Republica e at ao 25 de Abril de 1974 desenvolveu a sua ao apoiando os desvalidos da sorte, atravs da distribuio de alimentos quando a fome grassava em Loures, medicamentos, guarida e garantindo um funeral digno quando nem isso era possvel garantir por parte das famlias.

    Aps 25 de Abril e ao longo destes ltimos 40 anos foi capaz de se adaptar realidade social criando respostas para o combate pobreza e excluso social, contribuindo para a criao de uma sociedade mais justa e solidria.

    Foi assim que ao longo destes 40 anos foi criando estruturas de apoio Comunidade, intervindo sempre que no existiam ou eram insuficientes as respostas para a resoluo dos problemas que foram surgindo.

    Foi a criao de estruturas de apoio Infncia (creche, creche familiar, Pr escolar, Atividades de Tempos Livres).

    Foi a criao de estruturas de apoio Comunidade.

    Foi a interveno junto das famlias realojadas nos Bairros Sociais atravs de projetos de luta contra a Pobreza.

    Foi a criao de estruturas de apoio aos Idosos (Centros de Convvio, Centros de Dia, Servios de Apoio Domicilirio e Lares).

    Foi a criao de estruturas de apoio a crianas em risco e toxicodependentes.

    Foi o apoio s famlias atravs do Apoio Social, Rendimento Social de Insero e Cantina Social.

    Foi a capacitao de competncias sociais e profissionais no mbito da formao profissional. A ao da ALPM tem-se pautado pela definio de objetivos claros em torno da melhoria contnua da qualidade dos servios prestados procurando dar resposta s necessidades reais das pessoas que a procuram.

    Os objetivos da ALPM so:

    Contribuir para a preveno e reparao de vulnerabilidades sociais como situaes de risco, dependncia, excluso e carncia econmica;

    Contribuir para a incluso social e melhoria da qualidade de vida da Comunidade.

    Promover o desenvolvimento de competncias pessoais, sociais e profissionais para a autonomia dos indivduos e das famlias;

    Desenvolver estruturas de proteo aos idosos;

    Colaborar com as famlias na educao das suas crianas e jovens;

    Colaborar com os demais organismos na resoluo dos problemas que pela sua natureza estrutural interfiram direta ou indiretamente com os fins prosseguidos pela ALPM.

  • A Associao em Nmeros

  • 8

    A Associao em Nmeros

    Relatrio de Atividades 2013

    10 milhes de euros de patrimnio

    5,6 milhes de euros de oramento de explorao para 2014

    12 viaturas ligeiras

    7 viaturas ligeiras de mercadorias

    1 Autocarro

    1 Carrinha adaptada

    reas de Interveno

    1 e 2 Infncia 72 crianas em creche familiar 74 crianas em creche 200 crianas em Pr escolar

    3 Infncia e Juventude 94 crianas/jovens em ATL

    rea de Idosos

    199 Idosos em Lar (em Loures e Apelao) 95 Idosos em Apoio Domicilirio (em Loures e Apelao) 50 Idosos em Centro de Dia (em Loures e Apelao) 50 Idosos em Centro de Convvio (em Loures)

    rea Socio Comunitria

    200 Famlias em Apoio Social 150 Famlias em RSI 16 crianas em Centro de Acolhimento Temporrio para Crianas em risco 120 refeies dirias em Cantina Social - Banco de Ajudas tcnicas com 41 emprstimos de camas articuladas e cadeira de rodas - Cedncia de roupas, mobilirio e eletrodomsticos a 141 utentes

    265 colaboradores 31 voluntrios

    1.126 refeies dirias fornecidas (almoo e jantar) Dezembro/2013 349.940 refeies fornecidas em 2013 (almoo e

    jantar)

  • 9

    A Associao em Nmeros

    Relatrio de Atividades 2013

    Protocolos/Parcerias

    Agrupamento de Escolas n1 de Loures Associao para a Integrao de Pessoas com Necessidades Especiais Cabeleireira Elsa Costa Cmara Municipal de Loures Centro de Emprego (IEFP) Centro de Sade de Loures Clinica Sorrir Sempre Colgio Pedro Arrupe Curpi-Apelao Crescer Ser Direo Geral de Reinsero Social Entrajuda Banco Alimentar Banco Bens Doados Consultadoria em Gesto Escola Ensino Artstico Catujal Escola Profissional Gustave Eiffel Escola Superior Tecnologias e Sade Farmcia Anamar Fundao Agir Hoje Fundao Ernesto Roma Gesloures Hospital Beatriz ngelo ISCTE J.I. Nosso Mundo Junta de Freguesia de Loures Luso-Formatar/Escola Profissional de Artes, Tecnologia e Desporto Ministrio do Trabalho e Solidariedade Ministrio da Educao Modelo Continente NOL (Novo Oculista de Loures) Ordem dos Advogados Deleg. Loures Ordem dos Psiclogos Pastelaria Rebuado Pingo Doce Projeto Escolhas PSP Rede Social Rotary Club de Loures Saber Infinito Servilusa Universidade Lusfona

    Participao em estruturas da Comunidade

    CPCJ Comisso Social Inter Freguesias de Camarate, Apelao e Unhos Comisso Social Inter Freguesias de Loures, Lousa, Fanhes e Bucelas Conselho Local de Ao Social Conselho Municipal de Educao Conselho Municipal de Juventude Conselho Municipal de Proteo Civil Conselho Municipal de Segurana Conselho Geral do Agrupamento de Escolas n1 de Loures

  • rgos Sociais

  • 12

    rgos Sociais

    Relatrio de Atividades 2013

    Mesa da Assembleia Geral

    P r e s i d e n t e Jos Antnio de Carvalho Barreira Scio n 284

    1 Secretrio Antnio Alberto Mendes Maurcio Scio n 281

    2 Secretrio Manuel Carpinteiro da Cruz Scio n 152

    Direo

    P r e s i d e n t e Jos Maria Silva Loureno Scio n 79

    Vice-Presidente Jorge Manuel Firmino Batista Scio n 2424

    S e c r e t r i o Maria Adelaide Cruz Scia n 2367

    T e s o u r e i r o Lus Patrcio da Silva Scio n 395

    V o g a i s Carla Maria Batista Scia n 1005

    Lcia Maria Henriques Silva Scia n 3609

    Nelson Manuel Malcata Simes Scio n 2628

    S u p l e n t e s Jos Manuel Bastos Dias Scio n 658

    Manuel Fialho Forjaz Rodrigues Scio n 2366

    Conselho Fiscal

    P r e s i d e n t e Eugnio Andr da Purificao Carvalho Scio n 268

    V o g a i s Ernesto Vicente Malvas Pereira Scio n 60

    Domingos Capito Esteves Scio n 24

    S u p l e n t e s Vtor Manuel Maria Pereira Scio n 379

    Antnio Augusto Lus dos Santos Scio n 180

  • Nota de Abertura

  • 14

    Nota de Abertura

    Relatrio de Atividades 2013

    O agravamento da situao econmica e social durante o ano de 2013 e a necessidade de serem completados os projetos que estamos a desenvolver obrigou-nos a um grande esforo para vencer as barreiras e cumprir com os objetivos propostos.

    Ao longo dos anos sempre as IPSSs estiveram na linha da frente como Entidades intervenientes na resoluo dos mais variados problemas sociais com que no dia-a-dia so confrontadas.

    A ALPM durante 2013 mais uma vez deu prioridade ao combate pobreza e excluso social, no deixando de dar toda a ateno a uma gesto equilibrada procurando garantir a manuteno e aumento dos postos de trabalho.

    Foi um ano de grandes decises: realamos pela negativa o encerramento da Comunidade Teraputica a Casa de Sada para Reinsero de Ex-toxicodependentes e a no renovao do protocolo das AEC

    S (Atividades Extra

    Curriculares no mbito do 1 Ciclo) na medida em que colocavam em causa a sustentabilidade da Instituio e os postos de trabalho dos restantes trabalhadores.

    Realamos pela positiva a deciso de reestruturar e reorganizar o Centro de Atividades de Tempos Livres e a abertura de novos equipamentos sociais.

    A ALPM demonstrou ter capacidade de resposta, resultante da sua experincia centenria em prol dos mais carenciados, bem como a capacidade e experiencia dos seus Dirigentes e Colaboradores.

    Reformos a interveno social aumentando a resposta no mbito da Creche, ATL, Lar, Centro de Dia, Servio de Apoio Domicilirio e Cantina Social;

    Melhormos as condies de trabalho dos nossos colaboradores e melhormos as condies de atendimento social comunidade.

    Continuamos a desenvolver as parcerias existentes com Entidades Pblicas e Privadas.

    Abrimos as portas comunidade atravs da cedncia dos espaos para iniciativas que tm visado o bem-estar coletivo.

    Procurmos estar presentes no dia-a-dia das pessoas e da comunidade e continuaremos a privilegiar a gesto criteriosa dos recursos existentes e a apostar na iniciativa, na inovao e na melhoria da qualidade dos servios pr

Search related