RELATÓRIO ANUAL 2009 - ?· de Jovens de 2011, em ... demonstrações financeiras apresentadas neste…

Embed Size (px)

Text of RELATÓRIO ANUAL 2009 - ?· de Jovens de 2011, em ... demonstrações financeiras apresentadas...

RELATRIO ANUAL 2009

UNIO DOS ESCOTEIROS DO BRASIL

NDICE

MENsAgEM DA ADMINIsTRAO ............................................................................ 1

A INsTITUIO .................................................................................................................. 4

TEMA DO ANO 2009 EsCOTIsMO INCLUsO ................................................. 11

O qUE fIzEMOs EM 2009 ............................................................................................. 12

39 CONfERNCIA EsCOTEIRA MUNDIAL E O 11 fRUM EsCOTEIRO MUNDIAL DE JOvENs. .................................................................................................... 46

LOJA EsCOTEIRA NACIONAL ........................................................................................ 49

MTODOs EDUCATIvOs ................................................................................................ 50

COMIssO NACIONAL DE COMUNICAO E IMAgEM ..................................... 52

COMIssO NACIONAL DE RELAEs INTERNACIONAIs .................................. 54

NCLEO NACIONAL DE JOvENs LDEREs E REDE NACIONAL DE JOvENs . 56

UNIO PARLAMENTAR EsCOTEIRA - UPEB ............................................................. 57

CENTRO CULTURAL DO MOvIMENTO EsCOTEIRO CCME .............................. 58

BALANO PATRIMONIAL ............................................................................................... 60

PARECER DA COMIssO fIsCAL NACIONAL ......................................................... 62

PARCERIAs .......................................................................................................................... 63

Ao assumirmos a DEN no final de abril de 2009, tnhamos cinco desafios principais para o primeiro ano de trabalho:

- manter as finanas da UEB equilibradas, j que tnhamos

tido um aumento de gastos e de imobilizao de ativos,

em razo da construo da nova sede;

- preparar a Conferncia Mundial e o Frum Mundial

de Jovens de 2011, em Curitiba e Blumenau,

respectivamente;

- estruturar um plano de cargos e salrios para o quadro

profissional da UEB, acompanhado de um sistema de

avaliao de desempenho;

- ajustar e acelerar a implementao do Programa de

Jovens e

- ajustar e acelerar a elaborao do material relativo

Gesto de Adultos.

Em vista dos dois ltimos desafios, criamos a Diretoria de

Mtodos Educativos, liderada pelo Dirigente Alessandro

Garcia Vieira.

A Diretoria de Mtodos Educativos passou a coordenar

os trabalhos da Comisso Nacional de Gesto de Adultos

(que continuou sendo coordenada pelo Dirigente

Antonio Csar Oliveira e passou a ser denominada Equipe

Nacional de Gesto de Adultos) e da Comisso Nacional

de Programa de Jovens, que foi desmembrada em duas:

Equipe Nacional de Atualizao do Programa de Jovens,

coordenada por Theodomiro Rodrigues, e Equipe Nacional

de Atividades, coordenada por Sigrio Pinheiro.

A criao da Diretoria de Mtodos Educativos teve como

objetivo principal alinhar as polticas e aes das reas

de adulto e de programa neste importante momento

que estamos passando de redefinio e implementao

dessas polticas, bem como de elaborao dos novos guias

e manuais (manuais de Escotista e de curso).

Por outro lado, tambm criamos a Comisso Nacional de

Comunicao, coordenada pelo Dirigente Mrcio Andrade

Cavalcanti de Albuquerque, e que objetivou atender

crescente demanda nessa rea, divulgando o Movimento

Escoteiro e ajudando a UEB a construir uma identidade

como uma organizao moderna e atuante na formao

de nossos jovens.

A Comisso Nacional de Relaes Internacionais continuou

sendo coordenada pelo Dirigente Fernando Brodeschi, e o

Comit Organizador da Conferncia Mundial de 2011 pelo

Dirigente Paulo Salamuni.

As reas de crescimento, gesto institucional e relaes

institucionais esto sendo atendidas pela DEN diretamente,

sendo o 1 Vice-Presidente, Dirigente Marco Romeu,

responsvel pela rea de relaes institucionais, e o 2

Vice-Presidente, Dirigente Renato Bini, responsvel pela

rea de gesto institucional.

Mais recentemente, tambm criamos a Coordenao

Nacional da Loja Escoteira, coordenada pelo Dirigente

Leandro Vieira, com o principal objetivo de dar um

incremento poltica comercial da UEB.

Em relao s finanas, estamos conseguindo mant-

las equilibradas, conforme se pode verificar nas

Mensagem da DEN

MENsagEM Da aDMiNistrao

1

Mensagem do CaN

Anualmente a Unio dos Escoteiros do Brasil prepara-se para prestar contas de nossas atividades e investimentos para nossos associados, comunidades,

parceiros, voluntrios e a sociedade em geral. Fazendo

assim uma reflexo do que consideramos crucial para o

desenvolvimento de nossa organizao e especialmente

identificarmos as lies aprendidas no perodo que se

encerra e elencarmos quais sero nossos desafios para o

prximo ciclo.

Destacamos que nosso principio baseia-se em usar de

transparncia, tica e comprometimento ao lidar com

qualquer um dos nossos pblicos de interao. Estes

princpios fazem parte d o que consideramos coerente

com as atuais prticas de governana do terceiro setor.

O Conselho de Administrao Nacional (CAN) constitudo

por membros voluntrios eleitos forma a liderana chave de

nossa organizao, e tem como responsabilidade manter

o foco de nossa misso garantindo um desempenho

organizacional de excelncia e otimizao de recursos.

Aprimorando constantemente as suas ferramentas para

tornar a instituio atualizada no contexto do terceiro

setor. No ano de 2009 o CAN com a diversidade maior de

representantes, trabalhou para que alguns assuntos de

interesses da comunidade escoteira fossem efetivamente

aplicados. Dentre muitos, vale destacar:

I - Aprovao das novas Diretrizes Nacionais para Gesto

de Adultos;

II - Aprovao da atualizao do Programa de Jovens;

III - Regulamentao das votaes virtuais;

IV - Realizao de estudos de poltica de proteo infantil;

V - Resoluo que trata da soluo de conflitos;

VI - Criao da Comisso de Assuntos Jurdicos;

VII - Aprovao do Projeto de Crescimento do Escotismo

no Nordeste;

VIII - Aprovao do estudo da nova marca;

IX - Resoluo que amplia a possibilidade de iseno de

taxa;

X - Aprovao da reduo da idade inicial para Lobinhos

(seis anos e meio);

XI - Aprovao do reconhecimento para cnjuges ou

companheiros(as) de dirigentes e escotistas com grande

atuao no Escotismo.

Enfim, foi um ano intenso de muito trabalho e renovaes.

E que o prximo, sendo o ano do centenrio do Escotismo

no Brasil, sirva de inspirao para todos.

Marco Aurlio de Mello Castrianni Presidente

Mrcio Andrade Cavalcanti de AlbuquerqueVice-Presidente

demonstraes financeiras apresentadas neste relatrio,

e, em relao Conferncia Mundial e ao Frum Mundial

de Jovens, deve-se destacar o excelente trabalho que vem

sendo desenvolvido pelo Comit Organizador, coordenado

pelos Dirigentes Paulo Salamuni, Oscar Victor Palmquist e

Jos Mrio Moraes e Silva, que tm feito de tudo para que

possamos ter eventos de excelente nvel em janeiro de

2011.

Quanto ao nosso terceiro desafio, estruturamos um

plano de cargos e salrios, acompanhado de um sistema

de avaliao de desempenho, que, acreditamos, dar

um dinamismo e um impulso maior ao nosso quadro

profissional, tornando nossos profissionais ainda mais

qualificados e motivados.

Alis, no podemos deixar de apontar o timo trabalho do

nosso corpo de profissionais. Sem eles, no conseguiramos

fazer frente a esses cinco principais desafios e aos diversos

outros que surgem diariamente, e que tornam o trabalho

de dirigir a UEB extremamente instigante.

Tambm acreditamos que muito do que foi plantado em

2009 ser colhido em 2010 e nos prximos anos que viro

pela frente.

Como dois desafios grandes para 2010, temos o plano

de aumentar o sistema de concesso de iseno da

contribuio associativa aos nossos associados, de modo a

ampliar o nmero de praticantes do Escotismo no Brasil, o

que, de certa forma, comeou a ser feito mediante a edio

da Resoluo n 1/2010 pelo Conselho de Administrao

Nacional.

Olhando pra frente, conduzindo com remo nossa prpria

canoa, contornando as rochas que naturalmente vo

aparecer, no nos deixando arrastar pelas dificuldades e

navegando prudentemente para alm delas, temos certeza

que teremos uma UEB ainda mais forte e unida em abril de

2011, quando encerrar o nosso mandato na DEN.

Sempre Alerta para Servir!

Rubem Tadeu Cordeiro PerlingeiroDiretor Presidente

Marco Aurlio Romeu Fernandes1 Vice-Presidente

Renato Bini2 Vice-Presidente

2 3

MISSO

Proporcionar a prtica do Escotismo ao maior nmero de jovens brasileiros.

VISO

A UEB uma organizao em constante crescimento:

Conscientedesuaresponsabilidadesocial,comprometidacomacomunidade

e reconhecida como