of 42/42

Relatório da MPE

  • View
    227

  • Download
    4

Embed Size (px)

DESCRIPTION

Relatório do mês da MPE

Text of Relatório da MPE

  • 02

  • MPE EM GOIS

    EXPEDIENTE

    SUMRIO

    Relatrio do Ms da Micro e Pequena Empresa uma publicao do Servio de Apoio s Micro e Pequenas Empresas (Sebrae Gois)

    Presidente do ConselhoDeliberativo NacionalRoberto SimesDiretor-PresidenteLuiz BarretoPresidente do ConselhoDeliberativo Estadual

    Marcelo Baiocchi CarneiroDiretor-SuperintendenteManoel Xavier Ferreira FilhoDiretor-Tcnico Wanderson Portugal LemosDiretora de Administrao e Finanas

    Luciana Jaime AlbernazGerente da Unidade deInovao e CompetitividadeElaine Maria de Moura SouzaGerente da Unidade deMarketing e ComunicaoPatrcia Cardoso Barcelos

    Projeto grfico, edio, produo,redao, fotografia e revisoOficina de ComunicaoContato - Unidade de Inovao eCompetitividade - Telefone: (62) 3250-2226Avenida T-3, n 1.000, Setor BuenoCEP: 74210-240, Goinia (GO)

    Capacitao para o futuro, por Marcelo Baiocchi

    Sebrae Gois mais prximo de voc,

    por Manoel Xavier Ferreira Filho

    Apresentao: MPE abraa Gois

    Um ms e mais de 370 atividades

    I - Jovem Empreendedor

    II - Exportao para MPE

    III - Escola de Empresrios

    IV - Sebrae de Norte a Sul

    V - Atendimento Personalizado

    VI - Inovao

    VII - Benefcios de Compras Governamentais

    VIII - Arte e Cultura

    IX - Turismo

    X - Gesto Empresarial

    XI - Caminhar, sempre!

    Opinio

    Mosaico de fotos

  • 04

    EDITORIAL

    O Ms da Micro e PequenaEmpresa, realizado em Gois, emoutubro de 2011, ficar marcadopela inovao. Empreendimentoslocais, de mdio ou pequenoporte ganharam destaque. Sejaem relao a novas tecnologias,prticas ou ideias, o empreende-dor goiano merece cumprimen-tos por conseguir vislumbraroportunidades em cada cidadedo interior de Gois ou em cadabairro de Goinia. Em um ms,pudemos perceber que os em-preendedores so capazes deino var desde o produto ofertadoat a conquista de um clientediferenciado. E esse empresriopode ter a certeza de que o Se-brae Gois est ao seu lado.

    No ms de outubro, o go -verno de Gois, em parceria comentidades representativas dosetor empresarial, tais como o Sis-tema Fieg, Fecomrcio, FCDL, Fa-cieg, Acieg, Faeg, Femep, Aciag,AGM e o Sebrae, consumou umapoltica que favorece as micro epequenas empresas. O Frum deMicroempresas e Empresas dePequeno Porte vai dar trata-mento diferenciado na con-tratao de bens, prestao deservios e realizao de obras naadministrao direta e indiretaestadual.

    Isso um grande anseio da

    categoria, que se v agora presti-giada. Feito parecido e que podeser ainda mais lembrado a partirde agora a constituio do Con-selho Deliberativo Estadual doSebrae, que j um exemplo deintegrao empresarial que ofe -rece bons resultados s micro epequenas empresas. O ConselhoDeliberativo Estadual torna asmicro e pequenas empresasgrandes, como de fato so, poisempregam mais da metade dostrabalhadores brasileiros. So 13instituies que se complemen-tam para o fortalecimento doempreendedorismo.

    S mesmo a unio entre asentidades e a parceria com oPoder Pblico podem garantirum ca minho mais justo a essasem presas que h muito tempode senvolvem o pas e so asmaiores responsveis por dar em-prego a quem sustenta o mer-cado consumidor. Levar s microe pequenas empresas capaci-tao, informao e conceder fa-cilidades, como acesso ao crdito, um servio social e ao desen-volvimento. Condies quevimos ser possveis por meio deuma ao concentrada e muitobem planejada e que ns, doConselho, vamos lutar para seufortalecimento, o que nossaobrigao.

    Capacitao para o futuro

    MArCElo BAIoCChI Presidente do Conselho Deliberativo do Sebrae Gois

  • MPE EM GOIS

    MANoEl XAvIEr FErrEIrA FIlhoDiretor-superintendente do Sebrae Gois

    Sebrae Gois maisprximo de voc

    Em 31 dias, durante o Ms da Microe Pequena Empresa, o que se viu emGois foi um Estado se aperfeioandoe trabalhando para crescer. Uma mo -vimentao inclusiva e abrangenteque teve destaque no governo, institu-ies pblicas e na imprensa, que re -gistrou os bastidores agregando aindamais valor iniciativa. Empreende-dores que tinham um negcio informale op ta ram pela formalizao, rece-beram dicas, reali zaram cursos e ofici-nas, ouviram pa lestras de quem, umdia, passou pelas mesmas dificuldadesque eles tiveram. Nossa convico que as micro e pequenas empresasgoianas esto mais aptas a fortalecer agerao de emprego e renda para ocres cimento sustentvel da economiabrasileira.

    Ouvir as dificuldades que passamos proprietrios das micro e pequenasempresas, de cidades do interiorgoiano foi um grande aprendizadopara ns. Hoje, temos a certeza de queas solues desenvolvidas pelo SebraeGois contribuem para que o Estadopossa crescer de maneira mais igual,sem depender tanto de regies j bemdesenvolvidas. Mesmo assim, at nes-sas regies, percebemos os obstcu losa serem vencidos e o quanto a capaci-tao dos cola boradores, consultores eempresrios de grande valia.

    Estivemos juntos, Sebrae Gois emicro e pequenas empresas goianas,por todo o ms de outubro e, ao final,

    a inteno que essa relao se per-petue. O Circuito de Cursos, queabrangeu 15 cidades em que o Se-brae Gois ainda no possuiunidades, nos mostrou o quanto essainstituio respeitada por todos osgoianos, mas nos d uma respons-abilidade de no deixar as histriasque ouvimos, as empresas que aju-damos a nascer, acabarem por faltade faturamento.

    Hoje, essas empresas do interiorgoiano e tambm da regio Me -tropolitana de Goinia, se fortalecerampor ter tido o acesso informao. Osempresrios se tornaram mais confi-antes e aprenderam que podemvender para quem quer que seja,desde os rgos do governo estadualat para o mercado externo. Tendosempre em vista o desenvolvimento dasua cidade, da sua regio. No entanto,ainda falta muito. As micro e pequenasempresas merecem e necessitam deapoios co tidianos e o Centro-Oesteainda tem uma longa caminhada rumo con solidao do seu comrcio. Vlidoressaltar que apenas 6,5% das em -presas brasileiras esto em Gois, MatoGrosso ou Mato Grosso do Sul.

    Seria necessrio que todo msfosse para atividades que tenhamcomo mote o favorecimento das microe pequenas empresas. At por isso, oSebrae Gois encerrou o ms de outu -bro com vontade de que todo ms sejada micro e pequena empresa.

  • 06

    APRESENTAO

    Outubro de 2011. Esse msfoi um marco para todo oServio de Apoio s Micro e Pe-quenas Empresas (Sebrae Gois).De um lado, o esforo concen-trado para levar ao empresrioda micro e pequena empresa detodos os cantos de Gois cursos,palestras, servios e eventos cul-turais ou esportivos. Da formali -z a o de um empreendimentoao aprendizado de como expor-tar ou vender para rgos pbli-cos, diferentes solues doSebrae Gois foram inseridas nosmais diferentes contextos e lu-gares. Do outro lado, milhares deempreendedores viram surgirpor meio do Sebrae Gois novasperspectivas para seus negciose suas vidas.

    Com a sensao de devercumprido, mais de 100 colabo-radores do Sebrae Gois cami -nharam, com seus familiares, deforma livre pelo Parque Flam-boyant, em Goinia, no final doms de outubro. Aqueles muitospassos aps sesses de relaxam-ento e alongamento eram s oensejo final de uma apresen-tao que durou 30 dias. Cola -boradores que andaram etrabalharam para a consolidaode sonhos das pessoas que de-scobriram h muito ou poucotempo a capacidade de em-preender e que hoje so respon-

    sveis por 68% dos empregosgerados em Gois.

    O resultado final que asmicro e pequenas empresas deGois entraram no ms de no-vembro mais fortes para obtermaior faturamento e oferecerservios ou produtos melhoresaos goianos ou a quem visita oEstado. Em todas as regies deGois, at mesmo em cidadesque ainda no contam comunidades ou escritrios do Se-brae Gois, pelo menos uma das372 atividades foi desenvolvida.Nesse ms, os empreendedoresde Gois tiveram maior contatocom aspectos importantes domundo dos negcios.

    Depois do Ms da Micro e Pe-quena Empresa em Gois, umnmero maior de empresrios demicro e pequenas empresas sabecomo participar de licitaespara compras governamentaisou se tornar um ex portador. Ou,muitos que ainda no chegarama esse patamar, conhecem ocaminho para se tornar um em-presrio formal, quais os passos aseguir e como fazer seu negcioprosperar. Todos esses aspectosno ficaram apenas na moti-vao de um sonho ou revelandohistrias j vencedoras. Por meiode prticas aplicadas em cursos eoficinas existe a certeza de que osucesso possvel.

    MPE abraa GoisO Ms da Micro e Pequena Empresa em

    Gois trouxe avanos notveis, como a

    instituio do Frum da Microempresa e

    Empresa de Pequeno Porte, pelo governo

    estadual, e ainda chegou a lugares muitas

    vezes esquecidos como a regio Noroeste

    de Goinia. Nas prximas pginas,

    histrias de encantamento e aprendizado

    por meio de servios ofertados pelo

    Sebrae Gois esto estampadas.

    Histrias dos quintais goianos.

  • MPE EM GOIS

    Um ms e aproximadamente

    400 atividades Com uma programao composta por 231 cursos, 84 palestras, 47 oficinas, seis

    apresentaes teatrais, lanamento de programas para gesto e liderana, e con-vidados do porte de Amir Klink e Max Gehringer, outubro de 2011, Ms da Microe Pequena Empresa um marco para o desenvolvimento socioeconmico dessesegmento, responsvel pela gerao de emprego e renda em Gois. De 4 a 31 deoutubro, o Sebrae Gois realizou aes projetadas para sensibilizar, capacitar e im-pactar, tambm, entidades capazes de contribuir para o sucesso das micro e pe-quenas empresas. Participao nas compras pblicas, polticas governamentais einvestimentos em inovao so alguns dos assuntos que estiveram na pauta dediscusses do Sebrae Gois nesse ms.

    1 - Palestra Max Gheringer2 - Circuito de cursos no interior3 - Trs Dias com o Sebrae4 - Projeto Excelncia em Gesto Empresarial5 - 6 Festival Gastronmico de Crixs6 - 2 Salo do Livro Infantil e Juvenil de Gois

    1

    2

    3

    4

    5

    6

  • 08

    Um estande do Sebrae Gois no 2Salo do Livro Infantil e Juvenil deGois foi palco de atividades ldicas eteatrais que encantou crian as e jovensde 6 a 14 anos, no ms de outubro, emGoinia. Pequenos que vivenciarammomentos num am biente de negcios em formato reduzido com mi -nimercado e at mini salo de beleza e,assim, puderam desfrutar de conheci-mentos sobre como abrir um negcioe manter uma empresa no mercado.

    As crianas, assim, se divertiram eforam despertadas para uma viso denegcio por meio dos personagensJuca Mole e Ana Banana, da Compan-hia Goiana de Teatro Zabriskie.

    Os personagens estimularam ascrianas a entender o que empreen-der, como descobrir o que gosta defazer, o que necessrio para iniciaruma empresa, como a estrutura deum negcio e as situaes que podemenvolver o dia a dia de quem em-preendedor. E os pequenos maisafeioados a outras artes puderam seiniciar nesses temas por meio daleitura da Revistinha Empreendedora,que uma adaptao do conto da es-critora goiana Yda Marquez, ou dapublicao Asas para qu? Sonhar eempreender que personifica SantosDumont em um menino com carac-tersticas empreendedoras.

    Uma nova gerao de empresrios

    JOVEM EMPREENDEDOR

    Por meio de livros, cinema e atividades ldicas, o Sebrae Gois estimula crianas

    e jovens a se tornarem empreendedores e realizarem seus prprios negcios

    2 Salodo LivroInfantil eJuvenil deGois

  • MPE EM GOIS

    Por meio da exibio de trechos de filmes comerciaiscom temtica empreendedora o Sebrae Gois tambmtrabalhou o tema empreendedorismo com crianas eadolescentes da rede pblica de ensino no ProjetoEmpreendedorismo em Cartaz. Aproximadamente milcrianas do ensino fundamental e mdio, de quatroescolas pblicas de Goinia, participaram das sesses.Pblico que poder ser fomentado, agora, nas salas deaula, o que a inteno do JEPP. Em breve, j serpossvel vislumbrar diversos goianinhos com atitudeempreendedora e aptos a se tornarem profissionaismais capacitados.

    Sou funcionria pblica equero que a minha filha

    tenha a oportunidade deescolher o que quer fazer,

    seja atuar na iniciativaprivada ou no servio

    pblico. Tento, em casa epor meio de atividades e

    eventos, mostrar a ela diversas

    situaes para que possa despertar a sua

    vocao. Entretanto,brinco que Giulia ser

    mesmo umaempreendedora, pois ela

    tem talento, s precisadesenvolver essas

    caractersticas.

    uma oportunidade nos para as crianas, mas

    para os adultosentenderem um poucomelhor sobre a prtica

    empreendedora,principalmente quem no

    empresrio. No meucaso, so informaes que

    poderei aplicar naeducao do meu filho,

    buscando despert-lopara a importncia do

    assunto.

    Empreendedorismo na telona

    JEPP: FUNDAMENTAl No ENSINo - O projetoJovens Empreendedores Primeiros Passos (JEPP) voltado para alunos do ensino fundamental,de 6 a 14 anos. Inclui cursos que incentivam oempreendedorismo e, no futuro, iniciativas nabusca de insero no mercado de trabalho. Oobjetivo desenvolver a cultura empreendedorapara que os jovens de hoje possam ter a opo,no futuro, de abrir o prprio negcio ou incor-porar os atributos do empreendedorismo no seudia a dia profissional nas empresas. Para a im-plantao do JEPP, o Sebrae firma parceria comas secretarias de Educao do Estado ou munic-pios, no caso de instituies pblicas, ou diretocom as instituies privadas. Em Gois, os cursoscomearo a ser aplicados em maro de 2012.

    ADvoGADA GINAloBrIGIDA, que levousua filha Giulia, de oitoanos, ao estande doSebrae Gois no 2 Salodo Livro Infantil e Juvenil

    ADMINISTrADorANIElToN ChAvES tambm levou seu filhoErick Greco Chaves, deapenas dois anos, paraparticipar do ambiente denegcio do Sebrae Gois

  • 10

    Globalizao um da quelesconceitos que todos possuem al-guma ideia acer ca de seu signifi-cado, mas grande parte daspessoas acredita que no fazparte dela. Mais: empresriosdeixam de realizar timos neg-cios por acreditarem no ser ca-pazes de vender seus produtos aoexterior. Ledo engano. O 1 En-contro de Comrcio Exterior, reali -zado em outubro, em Goinia,provou que uma micro ou pe-quena empresa pode se tornarapta a ser uma exportadora.

    Com apoio do ConselhoTemtico de Comrcio Exterior daFederao das Indstrias do Es-tado de Gois (Fieg), CmaraAmericana de Comrcio (Am-cham) e Universidade Federal deGois (UFG), o Sebrae Gois podeinformar aos empresrios que ainsero em negcios interna-cionais so resolvidas em trs eta-pas. Na primeira, que gratuita, ocliente entra no site de interna-cionalizao do Sebrae, reali za aAvaliao da Capacidade deInternacionali za o e recebe reco -men daes e indicao de produ-tos e servios do Sebrae Gois.

    Tambm pela internet, osempreendedores se qua li ficame melhoram sua ava liao pormeio dos cursos online de Edu-cao a Distncia (EAD) deinternacio na li zao. So 13cursos gra tuitos, que abrangemos principais temas para co -nhecer e desenvolver com-petncias para exportar. Osempresrios que participaramdo Encontro, que contou compalestra do consultor JohannWolfgang Schneider, puderamtirar dvidas e estigmas a res -peito do assunto, conhecermtodos de qualificao e ir prxima etapa.

    Trs passos para conquistar o mundo

    EXPORTAO PARA MPE

    Micro e pequenas empresas tambm podem exportar. Sebrae Gois fundamenta etapas para conseguir

    globalizao e ainda ensina como passar por cada uma delas

    1 Encontro de Comrcio

    Exterior

  • MPE EM GOIS

    O segundo passo, tambm gratu-ito, tem atendimento presencial, noSebrae Gois, por meio de um tcnicodo Sebrae Gois ou consultor externo.Nessa fase, realizada a qualificaopara internacionalizao, com umaavaliao mais aprofundada, re-comendaes direcionadas e indi-cao de produtos e servios doSebrae Gois e parceiros, alm da ap-resentao do Guia Bsico de Expor-tao. Na ltima etapa, com custosubsidiado, o atendimento presen-cial na empresa do cliente, com aavaliao completa e elaborao dosplanos de qualificao e de acesso aomercado internacional.

    De acordo com o consultor Schnei-der, as micro e pequenas empresas nosabem ou tm dificuldade em acessarcanais que possam auxiliar na sua en-trada no mercado internacional, o que facilitado por meio de cursos de Edu -cao a Distncia. O consultor afirmaque muito importante o aperfeioa-mento dos processos de gesto e oconhecimento dos mercados externosnos quais se deseja atuar. Alm disso, oconsultor considera que a micro e pe-quena empresa tem como pontosfortes, para iniciar a atuao em mer-cados internacionais, a agilidade, flexi-bilidade, comunicao direta ecom prometimento do proprietrio.

    A realizao deeventos como o1 Encontro deComrcioExterior muitoimportante paraque o mercadointerno goianoadquira maiscompetitividadepara trabalharem um mercadoque muitoglobalizado.

    Atendimento presencial

    roMPENDo FroNTEIrAS - Preparar empreendedores para com-petir no Brasil e no mundo. Essa a meta do Programa de Interna-cionalizao das MPE, realizado pelo Sebrae Gois e os parceirosAgncia de Apoio s Exportaes (Apex), Banco do Brasil, Ministriodo Desenvolvimento, Indstria e Comrcio Exterior (MDIC), Confe -derao Nacional da Indstria (CNI), Agncia Brasileira de Desen-volvimento Industrial (ABDI) e International Trade Centre (ITC). Osobjetivos do programa englobam aumentar o nmero de empresasexportadoras, o volume e a qualidade de suas exportaes; consci-entiz-las quanto s vantagens e oportunidades do processo de in-ternacionalizao e identificar estratgias e prticas para que se be -neficiem melhor das oportunidades de importao de bens e serviose da absoro de inovao e de novas tecnologias provenientes doexterior. O Programa de Internacionalizao das MPE tambm ofereceCursos a Distncia (EAD), que abrangem os principais temas paraquem quer conhecer e desenvolver competncias para exportar. Oprograma contempla nove cursos.

    WANDErSoNPorTUGAl lEMoS,Diretor-tcnico do Sebrae Gois

  • 12

    Atitude e coragem. Caracters-ticas marcantes dos jovens e mais:dos vencedores. Seguir asprprias ideias, trabalhar com oque gosta e construir o legado.Comear a carreira profissionalprocurando um emprego notem sido a primeira opo dosjovens. Muitos tm deixado desonhar com o trabalho emgrandes empresas para abriremseus prprios negcios. Cada vezmais preparados para o primeiroemprego, eles no se contentamcom os salrios oferecidos.

    O consultor Max Gheringer que apresentou quadros sobreempreendedorismo no Fantstico,da Rede Globo afirma que nosdois ltimos sculos, o mundo oci-dental foi marcado, res -pectivamente, pelo apego aotrabalho rural e ao vnculo empre-gatcio. Ser dono do prprio neg-cio, porm, um desafio queexige entusiasmo e informa o.Durante a palestra O sculo XXI o sculo do empreendedor pro-ferida em outubro, em Goinia,Gehringer discutiu a importnciada capacitao como estratgiapara driblar o ndice de mortali-dade das empresas.

    No entanto, apesar de poderseguir as prprias ideias, o consul-tor deve saber analisar o mercadoe gerir a empresa. Por isso, junto palestra de Gheringer realizadaem Goinia para um pblico de 2mil pessoas, o Sebrae fez o lana-mento do Programa Horizontespara Gesto, com o objetivo demelhor atender s demandas dasentidades de representao em-presarial nas suas necessidades decapa citao em gesto. As enti-dades classistas puderam con-hecer e repassar a seus associadoso Empretec, com o objetivo de -senvolver caractersticas de com - portamentos empreendedores. Oprograma foi desenvolvido pelaOrganizao das Naes Unidas(ONU) visando o fortalecimentode caractersticas empreendedo-ras a partir de palestras cujostemas passam pela busca deoportunidades e iniciativa, riscos,metas, e informaes, planeja-mento e outros. Ensinamentosque vo ao encontro da fala deMax Gheringer. Para o consultor, oBrasil deve fazer o mesmo quepases europeus fizeram: criargrandes empreendedores e nos grandes fun cionrios.

    Ser dono do prprio nariz

    ESCOLA DE EMPRESRIOS

    Empreendedorismo est no topo de prioridades das novas geraes,

    que fogem dos baixos salrios oferecidos pelo mercado de trabalho

  • MPE EM GOIS

    Anos atrs, as pessoaspensavam que, se o emprego nodesse certo, umaalternativa seriaempreender. Hoje, essadinmica sealteroucompletamente.

    CAPACITAo GloBAl - O ProgramaHorizontes para Gesto do Sebrae Gois voltado para empresrios de micro e pe-quenas empresas e lderes empresariais ebusca oferecer solues capazes de aper-feioar o desempenho desses agentes so-ciais. Tem como base o projeto Escola deEmpresrios, que rene um conjunto decapacitaes nas reas da administrao,finanas, contabilidade, liderana e mar-keting. Outro pilar a Formao de LderesInstitucionais, baseada no aperfeioa-mento das habilidades de gerir equipes einfluenciar pessoas. Completa o programa,o Ciclo de Seminrios, que rene a inicia-tiva privada, terceiro setor e poder pblico,propondo a discusso de temas relevantespara o desenvolvimento socioeconmico.

    APErFEIoAMENTo - O Empretec esti -mula e desenvolve caractersticas indivi -duais do empreendedor, de maneira quepossa propiciar a sua competitividade epermanncia no mercado. O programa va -loriza a busca por oportunidades, por meiode uma iniciativa individual, que valorizaa persistncia, comprometimento, quali-dade, autoconfiana e eficincia. No en-tanto, ensina como calcular os riscos, o es-tabelecimento de metas e a busca deinformaes. Outros ensinamentos se ba-seiam no planejamento e monitoramentosistemticos, persuaso e a formao deuma rede de contatos.

    MAX GEhrINGEr,consultor e apresentadordo quadro Voc o Dono,no programa Fantstico,da Rede Globo. Esteve noms de outubro, emGoinia, para ministrar apalestra O sculo XXI osculo do empreendedor,promovida pelo Serviode Apoio s Micro ePequenas Empresas(Sebrae Gois).

  • 14

    Teleaulas, palestras eapostilas ajudaram em-preendedores e funcio -nrios em suasati vidades profissionaisem 14 municpios do in-terior goi ano: Alexnia,Alvorada do Norte, Ara-garas, Buritinpolis,Cidade Ocidental, Crixs,Ipor, Mo zarlndia, NovoGa ma, Padre Bernardo,Pa rana, Santa Helena,Santo Antnio do Desc o -berto e Simolndia. Tc-nicos do Sebraepu deram visitar essesmunicpios, que aindano possuem escritriose agncias de atendi-mento da instituio,para conhecerem as ne-cessidades dos em-presrios da regio emostrar solues para odesenvolvimento dosnegcios.

    Empreendedores deIpor e So Simo, porexemplo, receberam en-

    sinamentos sobre a im-portncia do vitrinismo edo visual da loja para au-mentar a clientela. Elesaprenderam que a deco-rao natalina deveriaconter detalhes daregio e no s elemen-tos que remetiam nevee renas. So aprendiza-dos que fazem a em-presa ter di ferencial,chamar a aten o docliente e vencer a con-corrncia.

    Esse diferencial pdeser aprendido no cursoGesto Visual de Loja, es-colhido para fazer partedo Circuito de Cursos, es-pecificamente nas cida -des de Ipor e So Simo.Todo o evento ocorreuem cidades com menosde 200 mil habitantes eque abrangeu pblicosbastante variados quepuderam trocar expe -rincias durante uma se-mana.

    Empreendedorismo em todo o Estado

    SEBRAE DE NORTE A SUL

    Profissionais de cidades do interior do Estado se capacitam por

    meio de cursos do Sebrae Gois para a abertura de suas empresas

    Os empreendedores se qualificaram e pude -ram compreender o trabalho enquanto valor hu-mano, o que o objetivo do curso Crescendo eEmpreendendo, tambm realizado em algumascidades do interior de Gois. Os ensinamentos sebasearam em despertar o empresrio, enquantocidado curioso, diante do mundo e de todos osnegcios, e que o empreendedorismo tambmfaz parte da vida e do cotidiano da cidade.

    Aprendizado que Marisa Kelly, de 32 anos,levou, mesmo que seu objetivo fosse melhorar osrendimentos de seu negcio. Ela j conhecidana feira de domingo e em eventos, em Crixs(GO). H dez anos, ela faz bolos, doces e tapiocase chega a ter uma renda semanal de R$ 1.500. Foium cliente na administrao municipal quem ainformou sobre os cursos Sabor e Gesto e BoasVendas, Bons Resultados, minis trados pelo con-sultor do Sebrae Gois, Jair Stival.

    Empreendedora, Marisa quer abrir sua pri -meira empresa, a Tapioca Companhia, aps oscursos que frequentou. At ento, ela trabalhavaem sua prpria residncia e, agora, pretende ex-pandir os negcios e aumentar sua renda mensalpara R$ 15.000. Aqui tem condies de crescersim. J tenho os clientes da feira, de eventos e defestas e vou abrir a minha empresa, diz Marisa.

    Humanizao

  • MPE EM GOIS

    Esse curso doSebrae Gois temme ensinadomuita coisa queeu tinha noo,mas no sabiacomo colocar emprtica.

    ADrIANo DoUGlASrICoN PINhEIro,vendedor, de 18 anos, umdos participantes daTelessala Boas Vendas,Bons Resultados e que foiinscrito por sua patroa,proprietria de umafarmcia

    vISUAl - Analisar o visual da loja e re-conhecer a sua importncia so os prin-cipais objetivos do curso Gesto Visualde Loja, ministrado pelo Sebrae. Combase nos conceitos e tcnicas, o curso en-sina como melhorar a exposio dos pro-dutos, tornando a empresa mais compe -titiva. A inteno ter a aparncia da lojacomo uma estratgia para a gesto daempresa e elaborar um plano de aopara melhorar a apresentao do esta -belecimento visando o incremento desuas vendas. So tcnicas que trabalhamo conceito e o processo de montagem davitrine e exposio dos produtos.

    CrESCIMENTo - Conceder a oportu-nidade de compreender as diferentes for-mas de atuao frente vida e ao mer-cado de trabalho, com relao de pendncia, colaborao e autonomia.Esse o foco do curso Crescendo e Em-preendendo, que prope aos empresriosde micro e pequena empresa conhe -cerem as mudanas no mundo do tra-balho atual, bem como no mundo dosnegcios, e entenderem o trabalho comoelemento fundamental da vida humana.O programa alerta sobre a descoberta deatitudes empreendedoras no trabalho ena vida, ao saber identificar as diferentesoportunidades de insero no mundo dosnegcios.

    Curso Gesto Visualde Loja realizado em

    So Simo

  • 16

    Ter uma grande ideia e nosaber como aproveit-la pode serum negcio perdido. isso o queacontece com boa parte de microe pequenas empresas cujos pro-prietrios no souberam dar o se-gundo passo. Como ningumnasce sabendo, a formalizao deempre endedores individuais comcapacitao extremamen tenecessria. Saber vender, comprar,planejar, controlar o dinheiro, unirforas, administrar e empreender a necessidade de micro e pe-quenos empreendedores.

    Em outubro, o Sebrae levouat praas pblicas do SetorMorada do Sol, em Goinia, e dascidades de Senador Canedo e deApa recida de Goinia o programaTrs dias com o Sebrae, compalestras e mi nicursos. A maiorparte da transferncia de infor-mao se deu por meio das ofici-nas do Sebrae EmpreendedorIndividual (SEI), que oferece umconjunto de solues sob temasbsicos para a gesto e fortaleci-mento dos negcios dos novosempreendedores nas reas de

    vendas, planejamento e controlefinanceiro.

    Nas oficinas, o projeto SEI focouos processos de compra e venda,alm de trabalhar os princpios doempreendedorismo, auxili ando oparticipante a des cobrir o seu po-tencial em preendedor e a agir deforma consciente e responsvel natomada de decises do seu prprionegcio. Os proprietrios de micro epequenas empresas e seus fun-cionrios puderam ver de perto anecessidade da capacitao e odiferencial que se tem nos negcios.

    Para cada necessidade,uma soluo

    ATENDIMENTO PERSONALIZADO

    Sebrae Gois foi at a regio Noroeste de Goinia, Senador Canedo e Aparecida de Goinia para oferecer

    oficinas e cursos gratuitos sobre o saber do empreendedorismo

    Trs Diascom o

    Sebrae emSenadorCanedo

  • MPE EM GOIS

    Antes mesmo dequerer ampliarsua clientela

    preciso manterum nvel

    satisfatrio deatendimento.

    CoMErCIANTECrISTIANE GAlvo, queparticipou do Trs Diascom o Sebrae emAparecida de Goinia

    Em pouco tempo deconversa, alm deidentificar osproblemas, aconsultoria do Sebraeprops solues queestavam ao meualcance e isso medeixou muito animado.Vou procurar seguirtodas as orientaesque recebi.

    EMPrESrIoClAUDISoN AlvES, queparticipou do Trs Diascom o Sebrae, em Goinia

    Goinia fica umpouco distante para

    ns que cuidamos daempresa e de um filhopequeno. S pudemos

    fazer os cursos,oficinas e adquirir todoesse conhecimento por

    meio dessaoportunidade.

    WEllINGToN lEMES,empresrio que participoudo Trs Dias com o Sebrae,em Senador Canedo

    CoNhECIMENTo - O SebraeEmpreendedor Individual, co -nhecido como SEI, contribui paraque o empreendedor tenha co -nhecimentos bsicos sobre reasespecficas por meio de oficinasnos temas de vendas (Sei Ven -der), compras (Sei Comprar), uti-lizao do controle de caixa (SeiControlar meu Dinheiro), plane-jamento (Sei Planejar), negoci-ao (Sei Unir Foras para Me -lhorar), atitudes em pre en dedoras(Sei Empreender), empreende-dorismo, mercado e finanas (SeiAdministrar).

  • 18

    O economista e velejadorAmyr Klink veio a Goinia, emoutubro, para contar aos em-presrios fatos de sua vidacomo velejador e como as ex-perincias de gerenciamentode riscos em alto mar se as se -melham com aqueles en-frentados por empresrios noambiente corporativo. Almdisso, mostrou como inovarutilizando meios sustentveise analisando os riscos nas di-versas situaes. No entanto,o empresariado soube queno preciso sair de seu esta-belecimento para aprender ainovar.

    No mesmo dia, o SebraeGois realizou o lanamentoda segunda etapa do Pro-grama Agentes Locais de Ino-vao (ALI), em que ospro fissionais do Sebrae Goisrealizam visitas peridicas,nas quais interagem com osempresrios, oferecendo di -cas de como a empresa podeinovar. Esse acompanha men -

    to feito por pelo menos umano, e pode se estender pormais um perodo. Os agentesso profissionais recm-for-mados (com at trs anos degraduao), de diversas reas,e capacitados pelo SebraeGois para trabalharem dire-tamente com as micro e pe-quenas empresas.

    Durante todo o perodode atendimento, do primeirocontato superao do pro -blema do cliente, o agenteacompanha a eficcia da so -luo proposta. Em sua se-gunda edio, o ALI vaiaten der mil micro e pequenasempresas que atuam nos ra -mos de alimentao, beleza,confeco e sade. Essas em-presas recebero consultoriagratuita nos prximos doisanos. O objetivo disseminarprticas de adequao deprodutos, processos, marke -ting e organizao que au-mentem a competitividadeno mercado.

    Um toque de novidade

    INOVAO

    Com aes j consolidadas, o Programa Agentes Locais de Inovao (ALI) inicia em Gois sua segunda

    edio e aprimora o atendimento s micro e pequenas empresas

    Micro e pequenas empresasinovam para conseguir agregarvalor aos produtos e gerar van -tagens competitivas no mercado.Essa a opinio do professor deinovao de diversas instituies eprofessor do MBA de MarketingDigital na Universidade Catlica deBraslia, Flvio Rosrio, con si -derado um dos 100 melhorespalestrantes do Brasil. Ele tambmesteve em Goinia para o lan -amento da segunda etapa do ALIe abordou a importncia da ino -vao.

    Flvio destacou a necessidadeda promoo de solues deinovao e tecnologia. O que pdeficar mais claro por meio daapresentao, no local, do SE -BRAETEC, um instrumento queaproxima as micro e pequenasempresas aos centros tecnolgicose empresas de tecnologia, com achance de aperfeioar produtos eservios por um valor subsidiado.

    Valor

  • MPE EM GOIS

    As aessugeridas pelaconsultoria doSebrae Gois,durante nove

    meses,transformaram

    as polticas degesto da minha

    empresa. Antes,achava que a

    relao de vendaacabava quando

    eu entregava oproduto. Hoje,percebo que o

    cliente quer maisque isso.

    MPE MAIS ForTES - O Programa Agen -tes Locais de Inovao (ALI) apoia e fo-menta a cultura da inovao nas MPE. Oprincipal objetivo fortalecer as MPE,tornando-as cada vez mais compe titivas.Os Agentes Locais de Inovao realizamvisitas peridicas, nas quais interagemcom os empresrios, oferecendo infor-maes e dicas de como a pequena em-presa pode inovar. Esse acompa -nhamento feito por pelo menos umano, mas pode se estender por mais umperodo.

    TECNoloGIA Ao AlCANCE - O SE-BRAETEC aproxima as micro e pequenasempresas dos centros tecnolgicos e em-presas de tecnologia do Estado. Comisso, o instrumento concede a oportu-nidade de melhoria em processos e pro-dutos. O cliente escolhe o prestador deservio credenciado e o Sebrae Goissubsidia 80% do valor do projeto, limi-tado a R$ 8.000. O servio prope me -lhorar os designs dos produtos e o layoutda loja, alm da qualidade desses pro-dutos ou servios. Auxilia na reciclageme tratamento dos resduos e implantaprojetos de sustentabilidade, aperfeioaos processos do estabelecimento, au-tomatiza setores, inova produtos e rea -liza um plano para manuteno e cali-brao de equipamentos.

    EMPrESrIoSAlvADor SoArES DAroChA, proprietrio daCasa Chique Mveis, umadas empresas atendidaspelo Programa AgentesLocais de Inovao

    As MPEnecessitam de

    um permanenteciclo de

    inovao, quepossibilite

    participar denovos nichos de

    mercado,aumentar a

    lucratividade erenovar a

    exposio dosprodutos.

    FlvIo roSrIo,Administrador deEmpresas e Mestre emEducao

  • 20

    Em uma mesma sala reuniram-se oGoverno de Gois, por meio da Secre-taria da Indstria e Comrcio (SIC), eentidades representativas do setorempresarial, Sistema Fieg, Fecomrcio,FCDL, Facieg, Acieg, Faeg, Femep,Aciag e AGM. Tudo isso organizado ecom a inteno de ligar as duaspartes: o setor pblico e o privado. OSebrae Gois marcou presena impor-tante e ainda organizou um balco denegcios para fornecimento de infor-maes bsicas para iniciar o dilogoentre as partes, em que uma necessitacomprar para dar servios popu-lao e a outra, vender.

    Muitos negcios rentveis deixamde ser feitos entre os dois polosporque a linguagem de ambos dife -rente. Com palestras sobre o assunto,os empresrios perceberam que asvendas para rgos pblicos so difer-enciadas e necessrio conhecimentopara realiz-las. Compreender osbenefcios da licitao pblica, en-quanto instrumento importante detransferncia de renda para as micro epequenas empresas, o foco do Com-pras Governamentais, que contempla

    todas as necessidade do empreende-dor quando a inteno negociarcom governos.

    O encontro entre as partes foi fun-damental para a aproximao. Naocasio, o governador Marconi Perilloinstituiu o Frum de Microempresas eEmpresas de Pequeno Porte. Agora, asMPE recebem tratamento diferencia -do na contratao de bens, prestaode servios e realizao de obras naadministrao direta e indireta esta -dual. Para isso, basta seguir os tr -mites legais, em etapas que soaprendidas com o curso ComprasGovernamentais. Elementos como apreparao para licitao, identifi-cao dos rgos fiscalizadores e oselementos dos editais.

    O secretrio de Indstria e Comr-cio de Gois, Alexandre Baldy, salien-tou a importncia do acordo, feitodurante o 1 Encontro da Micro e Pe-quena Empresa e Fomenta Gois, emoutubro. Para Baldy, alm das com-pras governamentais, importanteque sejam consolidadas a gesto e aprofissionalizao das micro e peque-nas empresas do Estado.

    Micro e pequenas empresasem parceria com o Estado

    COMPRAS GOVERNAMENTAIS

    Governo de Gois se une ao Sebrae e entidades empresariais para capacitar empreendedores a se

    tornarem aptos para serem fornecedores de rgos pblicos

  • MPE EM GOIS

    Como hoje omundo ficoupequeno eglobalizado, asempresas saemde todas aspartes do pas equerem venderao Estado deGois e, viceversa, com asnossas empresasvendendo l foratemos umagrande vitrine.

    lICITAo SEM SEGrEDoS - O curso Compras Governamentaistem o objetivo de fazer com que os empreendedores compreendamos benefcios da licitao pblica como um instrumento importantede transferncia de renda para as MPE. Para tal, ele prepara as MPEpara as licitaes, explicando o que vem a ser rgos fiscalizadores,bases legais e instrumentao na licitao pblica. Alm disso, o em-preendedor passa a conhecer os instrumentos indispensveis da li -citao, os benefcios exclusivos das MPE e como aplicar o empateficto e tratar da regularidade fiscal em todas as modalidades.

    AlEXANDrE BAlDy,secretrio de Indstria eComrcio do Estado deGois

    1 Encontro da MPE

  • 22

    Sair de Goinia para cantar e en-cantar a Cidade de Gois. Foi esse otrajeto e o objetivo dos colabo-radores do Sebrae, integrantes doCoral da instituio que partici-param, em outubro, do VII Encontrode Corais da Cidade de Gois, o jtradicional evento organizado peloCoral Solo. Acostumados a ensinar eajudar empreendedores de todo oEstado a obter sucesso, essa foi a vezdos servidores do Sebrae se tor -narem as estrelas junto a 30 gruposde corais dos Estados do Cear,Mato Grosso, Distrito Federal, almde Gois. O Sebrae foi um dos par-ceiros do evento, que tem o objetivode divulgar e enriquecer ainda maisa histria musical da Cidade deGois para sua populao.

    Na programao do Encontro,consultores do Sebrae tambm

    tiveram a oportunidade de minis-trar oficinas e capacitao paracantores em potencial, tantojovens quanto adultos. Alm dasapresentaes artsticas gratuitas,foram oferecidas aulas de diversostemas todos relacionados msica. Sebastio Curado, um doscoordenadores do evento, lembraque as oficinas chegam como ino-vaes e como excelentes oportu-nidades queles que queiramadquirir mais tcnica e conheci-mento. O diretor-superintendentedo Sebrae Gois, Manoel XavierFerreira Filho, acredita que o En-contro de Corais contribui com odesenvolvimento de habilidadesmusicais e vocais, inclusive de pro-fessores e promove tambm a for-mao de pblico apreciador dessamodalidade musical.

    Capacitao de msicos e de pblico

    ARTE E CULTURA

    O Coral Sebrae foi um dos 30 grupos participantes do

    VII Encontro de Corais da Cidade de Gois, realizado em outubro

  • MPE EM GOIS

    Sebastio Curado, que tambm oregente do Coral Solo, acredita que o En-contro promove uma ligao entre par-ticipantes, visitantes e comunidade, pormeio da promoo do dilogo e a inte -rao. Esse contato entre pessoas dediferentes origens gera, por conseguinte,bases de tolerncia. Em um mundo quefaz grandes esforos para alcanar a con-vivncia pacfica entre os povos, os en-contros culturais certamente contribuempara uma construo mais prtica e efi-

    caz da paz e do conhecimento", afirma.Neste ano, o evento foi realizado de

    12 a 16 de outubro, na prpria Vila Boa deGois e, alm de divulgar e fomentar acultura de canto coral na cidade, o En-contro levou uma mensagem de tra-balho, unio e amizade, em quepre valeceu a convergncia de diferentespovos e culturas do Brasil por meio damsica. O Coral Sebrae realizou sua apre-sentao na noite do dia 14 de outubro,na Catedral SantAna.

    Interao

    VII Encontro de Corais da Cidade de Gois

  • 24

    Em busca de oportunidades delazer e descanso, o homem procuracada vez mais descobrir novos est-mulos sensoriais, ou seja, experi-mentar coisas novas. Desfrutar defrutas tpicas colhidas do p, de-gustar iguarias, tomar banho de ca-choeiras, fazer ecocaminhadas,visitar igrejas, assistir a Congadas eCavalhadas. Tudo isso, e ainda mais,pode estar no roteiro de quemvisita Gois, sem contar as j tradi-cionais guas quentes de CaldasNovas e a oportunidade de neg-cios em Goinia.

    Em outubro, empreendedoresgoianos puderam vislumbrar opor-tunidades de negcios em um nichode constante expanso: o turismo.Dentro de apresentaes, palestras eeventos que mostraram as belezas eriquezas do Estado, que so capazesde se tornar atrativos para o desfrutede quem vem de fora, os propri-etrios de micro e pequenas empre-sas se identificaram com o CircuitoTurstico Quintais de Gois, que pos-sui a premissa de ceder aos turistas oaconchego goiano.

    Caractersticas que fazem parteda cultura goiana, como deixar asvi sitas vontade em suas casas, setornou um nicho de negcios epromete ser fundamental para ocrescimento do setor de turismo

    em Gois. No s como ampliaodo setor hoteleiro, pousadas, a ali-mentao tambm conseguiu en-contrar um lugar na clientela. Provamaior se deu no 6 Festival Gas-tronmico e Cultural de Crixs (GO),j tradicionalmente regado a pequi.

    Na edio de outubro, em parce-ria com a Associao das Donas deCasa de Gois, foram ofertadas po -pulao oficinas gastronmicas con-ceituais, que no s ensinaram a artede cozinhar, mas como usar o talentopara ganhar dinheiro. O maiordestaque ficou com o Biscoito Cro-cante com casquinha de Pequi, umareceita da chef de cozinha MarianaRodrigues e que pode ser servidocom variadas combinaes, comosorvete.

    Desvendando Gois

    TURISMO

    Estado deixa as portas abertas para quem quiser desfrutar de seus quintais

    6 FestivalGastronmico

    e Cultural deCrixs

  • MPE EM GOIS

    Se por um lado os goianosrecebem turistas no setor ho -teleiro e fomentam que elesdesfrutem de uma progra-mao inusitada na cidade, poroutro, o momento das comprastambm h de ser lembrado. OCircuito Turstico da Moda emGois tambm esteve emdestaque em outubro. Para es-tabelecer o acesso ao mercado,foi promovida a integraoentre os empreendimentos daindstria da moda das cidades

    de Goinia e Trindade (GO),alm de integrar os equipa-mentos tursticos que fomen-tam o segmento eco nmico,co mo hospedagem, alimen-tao e guias. O objetivo mo -vimentar a cadeia produtiva doturismo e da moda, promo -vendo negcios e o cresci-mento empresarial.

    Como parte da progra-mao do Seminrio de Ten -dncias de Comportamento eConsumo, o lanamento do Cir-

    cuito Turstico da Moda emGois segue as premissas doevento j caracterstico emMinas Gerais. O Circuito ocorrepela primeira vez em sologoiano. Considerado polo na in-dstria da moda no Centro-Norte do Brasil, Gois possuimais de 10 mil indstrias deconfeco, que geram cerca de160 mil empregos diretos e in-diretos, de acordo com o Sindi-cato da Indstria do Vesturio(Sinvest).

    Moda negcio certo

    A cidade de Trindade (GO), naregio Metropolitana de Goinia,tambm participa do CircuitoTurstico F no Corao do Brasil.Em parceria com a Baslica do Di-vino Pai Eterno e o trade tursticodo municpio, o circuito tem o ob-jetivo de atrair turistas religiosospara Trindade e Goinia, por meiode roteiros que contemplam visi-tas a igrejas, ca tedrais e locais emque existam imagens sacras. Ela -bo rado pelo Sebrae Gois, o Cir-cuito visa o fortale cimento dosnegcios de micro e pequena em-presas da regio, que trabalhampara a receptividade dos turistas.

    O lanamento, j no incio denovembro, contou com a pre-sena de caravanas de fiis dediferentes regies do Brasil. Pre-sente no lanamento do circuito,o diretor-tcnico do Sebrae Gois,Wanderson Por tu gal, explicou queno ano de 2007 os missionrios daParquia e da Baslica Divino Pai

    Eterno procuraram o Sebrae paraatender demanda, visando capa -citar os empresrios de Trindadepara que esses pudessem receber,com qualidade, os turistas quechegavam cidade.

    J no ano seguinte, foi fina -lizado um plano estratgico deturismo para a regio. O reitor daBaslica do Divino Pai Eterno,Padre Robson de Oliveira, confir-mou o compromisso que o Sebrae

    teve em sensibilizar, mobilizar epreparar a sociedade de Trindadesobre a relevncia das atividadesrelacionadas ao turismo religioso.H cinco anos quase no existiampousadas na cidade. No haviaplanejamento, o turista no pas-sava muito tempo na cidade. Hoje,j temos mais de 100 estabeleci-mentos preparados para receberbem os devotos, ressalta PadreRobson.

    F no Corao do Brasil

    Circuito Turstico F no Corao do Brasil

  • 26

    Crescer 10% ao ano e atingir80% de satisfao de clientes.Chegar a essas duas marcas aexpectativa das empresas de as-sessoria, consultoria e ins trutoriaem gesto empresarial que aderi-ram ao projeto Excelncia emGesto Empresarial, do Sebrae.Lanado em maio, aps a realiza-o de trs oficinas, o projeto tevea participao de aproximada-mente 70 empresas, que aju-daram a construir o plano de ao.

    O objetivo desenvolver a ex-celncia de ser vios e auxiliar asempresas a conquistarem credibi -lidade e visibilidade no mercado. OMs da Micro e Pequena Empresafoi o marco para que as empresasinteressadas entregas sem para oSebrae Gois um acordo de resul-tados e escolhessem quais sero asaes de adeso dentro do pro-jeto. Ficou definida, ainda em2011, uma capa ci tao na rea deinformtica e outra sobre con -ceitos bsicos de consultoria e ins -trutoria.

    O projeto Excelncia em Ges -

    to Empresarial trabalha cincograndes reas temticas: Finan-ceiro/Contbil; Planejamento eGesto Empresarial; Qualidade;Marketing e Vendas; e Agroneg-cio. O Sebrae subsidiar 60% doscustos. O projeto dura at dezem-bro de 2014, quando, pela pro-jeo, os participantes con seguiroaumentar o faturamento de suasempresas em 10% ao ano e al-canaro 80% de satisfao dosclientes com relao a seus produ-tos e servios.

    Mercado exige consultoresmais qualificados

    GESTO EMPRESARIAL

    Projeto Excelncia em Gesto Empresarial visa desenvolver profissionais

    de consultoria, instrutoria e assessoria em gesto empresarial

    ProjetoExcelnciaem Gesto

    Empresarial

  • MPE EM GOIS

    Profissionais que trabalhamem consultoria, instrutoria e as-sessoria em gesto empresarialesto cada vez mais preparadospara atuaes globais. Quase90% desses profissionais apos-tam na expanso desse mer-cado. o que revela a pesquisaPerfil da Consultoria no Brasil,realizada entre os meses dejulho e agosto deste ano. Odocumento foi apresentado emGoinia, em outubro, na C-mara dos Dirigentes Lojistas(CDL), durante caf da manh

    de pactuao do Projeto Ex-celncia em Gesto Empresa -rial. O estudo conclui que osclientes dos consultores es-peram que os profissionais te -nham experincia, habilidade ecomprometimento tico. S oSebrae Gois conta com 400consultores credenciados, queso remunerados pela pres -tao de servio. Com a capaci-tao, a estimativa que ondice de fechamento das em-presas (uma a cada duas queabrem) possa diminuir.

    O projetoExcelncia em GestoEmpresarial de grandeimportnciapara o Sebraeem busca detransformar arealidade damicro e pequenaempresa.

    Perfil da consultoria

    SATISFAo - O projeto Excelncia em Gesto Empresarial uma parceria entre o Sebrae e empresas que necessitamdesenvolver a excelncia. Com isso, os consultores do Sebraevo passar por aperfeioamento para auxiliar as empresasna disputa pelo mercado. Ao todo, os consultores vo se ca-pacitar em cinco reas: Financeiro/Contbil; Planejamentoe Gesto Empresarial; Qualidade; Marketing e Vendas; eAgronegcio.

    MANoEl XAvIErFErrEIrA FIlho, Diretor-superintendentedo Sebrae em Gois,

  • 28

    A rotina em escritrios e em-presas muitas vezes faz o em-preendedor e seus funcionriosdescuidarem da sade. Por isso,separar um tempo e organizar al-guma atividade fsica podecondicionar melhor o profis-sional a encarar o dia a dia. Apsum ms de intenso trabalho oscolaboradores do Sebrae Goiscalaram tnis e vestiram roupasconfortveis para relaxar e cami -nhar sem qualquer estresse.

    O dia 29 de outubro foi de in-tensa movimentao para maisde 100 colaboradores e seus fa-miliares. O local esco lhido ar-borizado e com estrutura deatendimento fi si oteraputico,quick massage, alongamentos,yoga e local para um lanche sau -dvel. Foram mais de 370 ativi-dades realizadas durante o msde outubro. Nada mais justo enecessrio que proporcionar ummomento de descontrao econfraternizao entre colabo-radores diretos, estagirios, pr-jovens e terceirizados de apoio,com a participao de seus fami -liares, afirmou o diretor-tcnico

    do Sebrae Gois, Wan dersonPortugal.

    Sabemos que os nossos co-laboradores foram bastanteexigidos fsica e emocional-mente, por isso a inteno foiproporcionar uma atividade derelaxamento e confraternizaoentre funcionrios, estagirios,pr-jovens e terceirizados deapoio, com a participao deseus fami liares e tambm esti -mular hbito que faz bem sade, explica o diretor-superin-tendente do Sebrae Gois, Ma-noel Xavier Ferreira Filho.

    Hora de cuidar da sade e confraternizar

    CAMINHAR, SEMPRE!

    Colaboradores do Sebrae passam por sesses de relaxamento

    e alongamento e depois caminham pelo Parque Flamboyant

    Caminhadada MPE

  • MPE EM GOIS

    A auxiliar administrativo, AdrianaMagda Rocha, participou da Cami -nhada acompanhada por toda afamlia. Ns trabalhamos muito eagora estamos aqui para finalizaressa jornada, enfatizou. Para o assis-tente Wladimir do Nascimento Ro -cha, eventos que proporcionam obem-estar so motivadores para oscolaboradores. Procuro sempre par-ticipar dos momentos de integrao. uma injeo de nimo para o corpoe mente, afirmou Wladimir.

    Adeso dos colaboradores

    Caminhada da MPE

  • 30

    OPINIOAs atividades desenvolvidas pelo Sebrae Gois em outubro, que focaram osprincipais assuntos do cotidiano dos empresrios das micro e pequenasempresas, ganharam tambm a ateno de lideranas em todo o Estado.Diversos temas foram tratados e vrias solues foram discutidas em textos queforam publicados em jornais da capital, e a opinio pblica teve acesso e pdedesfrutar de mais informaes. Diretores e tcnicos do Sebrae Gois, lderesclassistas e chefes polticos demonstraram a importncia desse segmento para odesenvolvimento do Estado e do pas. Confira a seguir alguns trechos:

    Estamos criando as condies para ofortalecimento da micro e pequena empresa eo ambiente adequado para que elas seinternacionalizem. Mas esse um processo demdio e longo prazo que pressupe umtrabalho bilateral. De um lado o governoabrindo as portas dos mercados, viabilizandoe facilitando as relaes comerciais. E de outro,as micro e pequenas empresas buscandoatender aspectos mais abrangentes de umaorganizao, procurando mensurar o seupotencial de inovao e implementando asmelhorias necessrias sua diferenciao nomercado.

    MArCoNI FErrEIrA PErIlloJNIorGovernador de Gois

    Foco nainternacionalizao

    O desafio grande, mas temos boasnotcias. Recentemente, o governo federaldeu um grande passo ao promulgar a LeiGeral das Micro e Pequenas Empresas,estabelecendo e regulamentando estmulose incentivos para o setor industrial. Somedidas como reduo da burocracia naabertura ou alterao de uma empresa,facilidade de acesso s comprasgovernamentais, exportaes e tecnologias,unificao das guias de pagamentos detributos e, sobretudo, reduo da cargatributria. Em Gois, j conseguimos que aLei Geral fosse regulamentada em 96municpios.

    PEDro AlvES DE olIvEIrA Presidente da Fieg

    Menos burocracia

  • MPE EM GOIS

    Temos dezenas de histrias de pessoas que, apartir de ideias geniais, montaram grandesnegcios e hoje contam com filiais espalhadaspelos quatro cantos do pas e do mundo. E issonas mais diversas reas, do agronegcio tecnologia. E a administrao pblica nopode ficar a reboque. preciso participarativamente desse contexto de crescimento. Porisso, desde o incio do ano o governo do Estadovem promovendo um choque de gesto naadministrao pblica. Estamos fazendo comque Gois volte aos trilhos dodesenvolvimento.

    GIUSEPPE vECCI Secretrio de Estado de Gesto ePlanejamento

    Ao longo deste ano a GoisFomento reformulou elanou novas modalidades de crdito para o setorprodutivo. Estamos priorizando, nesse primeiromomento, os empresrios de micro, mdias e pequenasempresas. Assim, as MPE passam a ter limites maiorespara financiamento, que podem chegar a R$ 200 mil emoperaes de capital de giro e R$ 250 mil para

    investimentos nas linhas com recursos prprios daGoisFomento. Conseguimos ainda ampliar o prazopara pagamento do emprstimo at 72 meses.

    lUIz ANTNIo FAUSTINo MAroNEzI Presidente da GoisFomento

    Nos trilhos dodesenvolvimento

    Mais crdito para o setor produtivo

    Fruto de parceria entre os governos doEstado, federal e municipal, o Vapt VuptEmpresarial disponibiliza os servios detodos os rgos envolvidos no processo deabertura de uma empresa, como a prpriaJuceg, Receita Federal, Secretaria daFazenda, Corpo de Bombeiros, InstitutoNacional de Propriedade Industrial (INPI) ePrefeitura de Goinia. O empreendedor jdeixa a nossa sede com o registromercantil, a inscrio estadual, o CNPJ e aslicenas provisrias de funcionamento, daprefeitura.

    vErSSIMo APArECIDo DA SIlvA Presidente da Junta Comercial doEstado de Gois

    Servios integrados

  • 32

    OPINIO

    Novos empreendedores, donos de hotis,pousadas, restaurantes, agncias de viagens ecomerciantes em geral precisam estar muito bempreparados para receber os turistas da Copa doMundo. Temos tudo para que esses viajantesdeixem uma boa fatia de seus dlares no Estado,mas precisamos arregaar as mangas. O SebraeGois vem sendo um grande parceiro nessamisso de preparar o empreendedor goiano paraos desafios da Copa do Mundo de 2014.Recentemente, donos de pequenas pousadas ehotis de Alto Paraso e Pirenpolis participaramdo Workshop Pequenos & Notveis, voltado paraa qualificao com foco na sustentabilidade e nacompetitividade.

    APArECIDo SPArAPANI Presidente da Gois Turismo

    Preparados para a Copa do Mundo

    No cenrio do Turismo Religioso temos que reconhecerque o Sebrae Gois vem fazendo sua parte. uma mona roda para a estruturao do municpio. Desde 2008,aps a elaborao do Planejamento Estratgico doTurismo Religioso de Trindade, nossos empresrios demicro e pequenas empresas esto sendo preparadospara dar uma guinada profissional. Este ano, porexemplo, tivemos aes de muito sucesso na cidade,

    como os cursos de Atendimento ao Turista Peregrino,Censo Hoteleiro e palestras sobre a Lei Geral do Turismoalm de um curso que formou 35 assessores de turismoreligioso.

    PADrE roBSoN DE olIvEIrA Reitor da Baslica de Trindade e Mestre emTeologia Moral pela Universidade doVaticano

    Trindade na rota do turismo

    O meio rural tem vivido um processointenso de transformao nasltimas dcadas, resultado de umesforo coletivo baseado em tcnicasde inovao para o campo. Provadisso, so os constantes e cada vezmais necessrios investimentos emmodernizao da gesto agrcola,proveniente da transio do statusde simples proprietrios rurais para adenominao de micro ou pequenaempresa rural, baseada emestratgias competitivas.

    JoS MrIo SChNEIDEr Presidente da Faeg

    Inovao para o campo

  • MPE EM GOIS

    Se os benefcios diretos aos empresriosde micro e pequenas empresas sosubstanciais, uma vez que essas empresaspodem se tornar mais produtivas, fortesno mercado e com grandes perspectivasde ampliao de participao demercado, indiretamente toda a sociedadeganha com as alteraes na Lei Geral daMicro e Pequena Empresa. Novos postosde emprego sero criados, haveraumento da renda e consequenteincremento, tanto para a economia localquanto para a nacional.

    hElENIr QUEIroz Presidente da Acieg

    A Poltica de Desenvolvimento Produtivo do GovernoFederal tem avanado, mas ainda preciso se pensarna tecnologia cada vez mais em todas as fases doprocesso produtivo, inclusive nas etapas gerenciais. O incremento tecnolgico e cientfico a chave parao desenvolvimento de uma estratgia econmicavencedora que abre novas oportunidades e

    possibilidades de mercado. E isso vale para todos ostipos de empresa, especialmente, para micro epequenas.

    zAIrA TUrChI Presidente da Fapeg

    Lei Geral da MPE

    Incremento tecnolgico para as MPE

    o,

    As empresas no podem se esquecerainda do grau de exigncia dosconsumidores que, com a ajuda dasferramentas de busca da internet e dasredes sociais, esto mais aptas afiscalizar os passos das instituies edivulgar em tempo real se h algo deerrado com o processo. Alm dapopulao e da mdia, papel dogoverno fazer com que as empresasrespeitem a legislao ambientalvigente, incorporem novos valores emseus procedimentos operacionais.

    lEoNArDo vIlElA Secretrio Estadual de MeioAmbiente e RecursosHdricos

    Desenvolvimentosustentvel

  • 34

    OPINIO

    Deixar de ser empregado, investir no sonho de serempreendedor e abrir uma empresa. Quem que nuncapensou em fazer isso? Acredito que a maioria das pessoasj teve essa ideia e muitos a colocaram em prtica. Apesarde ser um servio ou um passo burocrtico, o processo deabertura de uma empresa relativamente fcil. O que mais difcil e trabalhoso manter a sustentabilidade do

    negcio. Isso porque situaes e problemas vo surgindopelo caminho e, quem no se capacita para se manter naatividade, logo fecha as portas.

    AlEXANDrE WENDEll Diretor da Facieg

    MPE sustentveis

    A gerao de grande quantidade de empregos,ao servir de colcho amortecedor dodesemprego, extrapola a importnciaeconmica das MPE. Elas se tornaram tambmsociais. Essas empresas so a alternativa vivelpara uma grande fora de trabalho excedente econtribuem para o aumento da formalizaodo trabalho, gerando renda, fortalecendodireitos sociais, enfim, fazendo girar aeconomia. Em 1985, metade da populaoempregada estava em micro e pequenasempresas, at 2001 esse nmero saltou para60,8% e continua crescendo. Isso sem falar nareduo da desigualdade social.

    MANoEl XAvIEr FErrEIrA FIlhoDiretor-superintendente do Sebrae Gois

    Importnciaeconmica das MPE

    Atualmente, as micro e pequenas empresas, aschamadas MPE so responsveis por empregar 52%de todos os trabalhadores com carteira assinada nopas, segundo dados divulgados pelo Sebrae Gois naabertura do Ms da Micro e Pequena Empresa. Semfalar que, por serem de menor porte, as micro epequenas empresas so mais flexveis e possuemmaior capacidade de inovao. Para conseguirmanterem-se ativas, fortes e slidas no mercado, asMPE precisam, constantemente, de apoio e polticasadequadas para se desenvolverem e que garantamsua sustentabilidade e competitividade em diversossegmentos, tais como indstria, comrcio, servios eagropecuria.

    MArCElo BAIoCChI Presidente do Conselho Deliberativo Estadual do Sebrae Gois

    Mais capacidade de inovao

  • MPE EM GOIS

    MOSAICO 1 O diretor tcnico doSebrae, WandersonPortugal, cumprimenta ogovernador do estado,Marconi Perillo, durante o1 Encontro da MPE.2 O Grupo Contra Danase apresentou durante aFeira da AgriculturaFamiliar em Santa Cruz deGois.3 O administrador deempresas e escritor, MaxGehringer, durantepalestra no Sebrae Gois.4 Max Gehringeracompanhando dadiretoria executiva doSebrae Gois.5 Abertura do circuito decursos na cidade de NovoGama (GO).6 O presidente daFederao das Indstriasdo Estado de Gois (FIEG),Pedro Alves de Oliveira,fala durante o 1 Encontroda MPE.7 O secretrio daIndstria e Comrcio,Alexandre Baldy, estevepresente no 1 Encontroda MPE.8 O navegador AmyrKlink foi um dospalestrantes da Semanade Inovao.9 Cerimnia depremiao do DesafioSebrae 2011.

    1

    3

    4 5

    6 7

    8 9

    2

  • 36

    MOSAICO 1 Flvio Rosrio foi um dos

    palestrantes da Semana da Inovao.2 Pblico assina lista de presena

    para assistir a palestra de Amyr Klink.3 Populao compareceu ao

    projeto Trs Dias com o Sebrae nosetor Garavelo.

    4 A Agente Local de Inovao,Camila Machado, durante

    lanamento da 2 etapa do projeto ALI.

    5 Pblico conferiu uma das palestras do Seminrio de

    Tendncias de Comportamento eConsumo e o lanamento do Circuito

    Turstico da Moda.6 O produtor de cachaa Benedito

    Gregrio, durante a Feira daAgricultura Familiar do Territrio da

    Estrada de Ferro.7 Caf da manh oferecido durante

    o lanamento do programaExcelncia em Gesto Empresarial.8 O palestrante e mgico, Dalmir

    SantAnna, durante o lanamento doprograma Excelncia em Gesto

    Empresarial.9 Dalmir SantAnna, o palestante e

    mgico, autografa livros apspalestra no lanamento do programa

    Excelncia em Gesto Empresarial.10 Convidado recepcionado no

    Sebrae Gois para o lanamento doMs da MPE.

    11 - Claudison Alves, Viviane Rosa eJeerson de Almeida participaram do

    Trs Dias com o Sebrae no setorMorada do Sol.

    12 Elaine Moura, gestora deInovao e Competitividade do

    Sebrae Gois, durante o 2 Salo doLivro Infantil e Juvenil de Gois.

    1 2

    3 4

    5 6

    7

    8

    12

    9 10 11

  • MPE EM GOIS

    MOSAICO 1 O diretor-superintendente doSebrae Gois, Manoel Xavier, faladurante o lanamento do Ms daMicro e Pequena Empresa.2 A gestora do ProjetoExcelncia em GestoEmpresarial, Seila Maia, durantecaf da manh.3 A gestora do projeto ALI, LciaAmlia de Queiroz, a Agente Localde Inovao, Camila Machado e oempresrio Salvador Soaresdurante o lanamento da 2 etapado projeto ALI.4 A jornalista Mirian Goldenbergfoi uma das palestrantes doSeminrio de Tendncias deComportamento.5 A gerente da Unidade deMarketing e Comunicao,Patrcia Barcellos, e acerimonialista Priscila Borgesdurante o lanamento do Ms daMicro e Pequena Empresa.6 Recepcionistas aguardam o pblico para a palestra de Amyr Klink.7 A produtora Gleube Gonalvesteve a oportunidade de mostrarseus produtos na Feira dopequeno produtor deTaquaral.8 Lara Abrantes ministroupalestra no Seminrio detendncias de comportamento.9 - Pblico participou ativamentedos cursos promovidos na CidadeOcidental durante o Circuito deCursos no Interior.

    1

    3

    4 5

    6 7

    8 9

    2

  • 38

    MOSAICO 1 Moradorparticipa da

    Cominhada emAparecida de

    Goinia.2 Populaoaproveitou os

    servios oferecidosdurante os Trs Dias

    com o Sebrae naregio Noroeste.

    3 A Agente Local deInovao, Kelly

    Kusamota e oempresrio Antnio

    Gontijo Ferreirareceberam brindes

    durante olanamento da 2

    etapa do projeto ALI.4 Agricultor expeproduto na Feira do

    Pequeno Produtorde Faina.

    5 Colaboradoresdo Sebrae Goisparticiparam da

    caminhada da MPE,realizada no Parque

    Flamboyant.6 Moradores do

    setor Garaveloassistem palestradurante o projeto

    Trs Dias com oSebrae.

    7 - O Yoga foi umadas atividadesdesenvolvidas

    durante acaminhada da MPE.

    1 2

    3

    5

    7

    4

    6

  • MPE EM GOIS

    MOSAICO 1 A equipeLegendrios Guerreirosque levou o 3 lugar no DesafioSebrae 2011.2 O presidente doConselho Deliberativodo Sebrae Gois,Marcelo Baiocchi, e areprter Flvia Vinhal nolanamento do Ms daMicro e PequenaEmpresa.3 O Consultor RobsonJos de CarvalhoSchmidt e acoordenadora Estadualde Acesso a Mercado eServios Financeiros doSebrae Gois, PaulaOliveira de Paula no 1Encontro da MPE.4 O diretor-tcnico doSebrae Gois,Wanderson Portugal,durante o CircuitoTurstico F no Coraodo Brasil5 O apicultor RubemRodrigues da Silva foium dos participantes daFeira do Produtor deTaquaral.6 Durante o 1Encontro da MPE eFomenta Gois, osuperintendente deSuprimentos e Logsticada Secretaria de Gestoe Planejamento de Gois(Segplan), Bruno Fleury,entregou certificadopara empresa queparticipou do Programade Qualificao deFornecedores (PQF).7 O produtor OldiMohnshcmidt foi um dosparticipantes da Feira daAgricultura Familiar.

    1

    2 3

    4 5

    6 7

  • 40

    MOSAICO 1 3

    4

    5

    7

    2

    8 9 10

    11 12

    1 Fiis acompanham missa na Baslica doDivino Pai Eterno, em Trindade, durante o

    Circuito Turstico F no Corao do Brasil2 Coral do Grupo Caixa Seguros, de

    Braslia, que participou do 7 Encontro deCorais da Cidade de Gois.

    3 As crianas aprenderam como funcionaum Pet Shop durante o 2 Salo do Livro

    Infantil e Juvenil de Gois.4 Crianas aprendem sobre cuidados com

    os animais no 2 Salo do Livro Infantil eJuvenil de Gois.

    5 O agricultor Gibrail Luiz Sabino foi umdos participantes da Feira do

    Produtor de Taquaral.7 Bariani Ortncio e Ana Rosa

    participaram do Festival Gastronmico eCultural de Crixs.

    8 Apresentao do coral CDL, de Barra doGaras, durante o 7 Encontro de Corais da

    Cidade de Gois.9 Participantes acompanham

    as discusses do 1 Seminrio Goinia Digital.

    10 A chef de cozinha, Ana Rosa, mostra oprato preparado para o Festival

    Gastronmico e Cultural de Crixs.

    11 Coral Pequenas Vozes, de Goinia, foi um dos participantes do 7

    Encontro de Corais da Cidade de Gois.

    12 Petisco preparado para o Festival Gastronmico

    e Cultural de Crixs.

  • rEGIoNAl METroPolITANAAv. t-3, 1.000, Setor BuenoGoinia (GO) 74210-240Fone: (62) 3250-2000 Fax: (62) 3250-2300E-mail: [email protected]

    rEGIoNAl CENTro-NorDESTEAv. Minas Gerais, 135, Setor JundiaAnpolis (GO) 75110-770Fone: (62) 3321-3727 Fax: (62) 3321-2483E-mail: [email protected]

    rEGIoNAl CENTro-NorTERua 33, 453, Praa Cvica, Setor SulGoiansia (GO) 76380-000Fone/Fax: (62) 3353-1997E-mail: [email protected]

    rEGIoNAl ENTorNo Do DFPraa da Matriz, 88, Ed. Tamboril Center Empresarial, 3 andar, CentroLuzinia (GO) 72800-283Fone: (61) 3621-1030 Fax: (61) 3622-8801E-mail: [email protected]

    rEGIoNAl oESTE-NoroESTERua Rio Verde, esq. c/ Rua Serra Dourada, 285, Setor Montes BelosSo Luis de Montes Belos (GO) 76100-000Fone: (64) 3601-2407 Fax: (64) 3671-1114E-mail: [email protected]

    rEGIoNAl SUl-SUDESTEAv. Raulina Fonseca Pascoal, 2.273, CentroCatalo (GO) 75701-480Fone/Fax: (64) 3441-2512E-mail: [email protected]

    rEGIoNAl SUDoESTERua Dona Maricota, 199, Jardim MarconalRio Verde (GO) 75901-580Fone: (64) 3621-0896E-mail: [email protected]

    ESCRITRIOS REGIONAIS